Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Bom de garfo

30 de novembro de 2013 9
PAULO NORONHA / DIVULGAÇÃO

PAULO NORONHA / DIVULGAÇÃO

Uma pesquisa das estudantes de Nutrição da UFSC em 47 restaurantes de universidades federais constatou que o RU da instituição de Florianópolis é o que mais serve refeições diariamente em todo o país. São alimentadas oito mil bocas entre almoço e jantar, sete dias da semana. O custo do prato é R$ 6,78, com direito a arroz branco ou integral, dois tipos de salada, feijão ou lentilha, e a opção de frango, carne bovina ou peixe, além de sobremesa.

A UFSC tem 31 mil estudantes e 1.902 são isentos do pagamento no RU. Para dar conta de tanta comida, 95 pessoas estão envolvidas diretamente na produção dos alimentos. O estudo foi elaborado pelas alunas Priscila Machado, Roberta Müller e Marina Saldanha, sob orientação da professora do Departamento de Nutrição, Marcela Boro Veiros.

comentários

Comentários (9)

  • Juca diz: 30 de novembro de 2013

    A deputada Angela Albino não tem moral nenhuma pra falar do Vereador Ricardo. Seu gabinete virou refúgio de político cassado.
    Mais um cumpanhero ganhando dez mil por mês. Prefeito cassado de Campo Erê está lotado na ALESC. Assim a classe política perde toda sua credibilidade.

    Nome: ODILSON VICENTE DE LIMA
    Situação Funcional: Comissionado
    …………………………………………………………………………………………………….
    ATIVIDADE DE APOIO PARLAMENTAR EXTERNA

    Lotação: Gab Dep Angela Albino
    Responsável:
    MARCELO NASCIMENTO POMAR
    Telefone: 3221-2686

    http://www.redecomsc.com.br/2012/noticias/noticias/Prefeito_e_cassado_e_campo_ere_tera_novas_eleicoes__3527

    PREFEITO DE CAMPO ERÊ É CASSADO

    Mais conhecido como Nego Lima, ao concorrer com o registro indeferido, obteve 3.011 votos, enquanto seu oponente, Rudimar Borcioni (PT), totalizou 2.960 votos. Além desta decisão, o prefeito teve, nos últimos dias, quatro decisões contrárias no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para suspender sua condenação no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ/SC), que o sentenciou a pena de três anos, um mês e dez dias de reclusão, transformado em pena restritiva de direito e, por consequência, a perda dos direitos político

  • Caroline diz: 30 de novembro de 2013

    Na verdade, o preço por estudante é R$1,50. Servidores e comunidade tem preço diferenciado pouco maior.

  • Anônimo diz: 30 de novembro de 2013

    O prato vale apenas R$ 1,50 para os estudantes e não R$ 6,78 como foi dito. Parte é subsidiada pelo governo, o que justificava o baixo preço.

  • Estudante diz: 30 de novembro de 2013

    Garanto que se o custo para estudante fosse R$6,78, não teria estudante comendo ali :)

  • Thiago diz: 30 de novembro de 2013

    Muito interessante saber que o RU é o que mais serve refeições, mas dois equívocos foram cometidos por quem montou a matéria: 1º não são “oito mil bocas (…), sete dias da semana”, uma vez que aos finais de semana o numero de refeições é muito baixo. 2º Informação incompleta qndo diz que “O custo do prato é R$ 6,78″, raras são as pessoas que pagam esse valor, todos os alunos pagantes pagam apenas R$ 2,00.

  • marcio diz: 30 de novembro de 2013

    Parabéns a UFSC, pois também servem produtos orgânicos valorizando produtos oriundos da agricultura familiar, ajudando o desenvolvimento de pequenas organizações do nosso estado.

  • Vicente Laudelino dos Santos diz: 1 de dezembro de 2013

    Parabéns pela iniciativa e pesquisa da Priscila, Roberta e Marina estudantes de Nutrição da UFSC. Parabéns, também, para esse grupo de pessoas envolvidas na produção.

  • Lincoln diz: 1 de dezembro de 2013

    Não é possível que este povo não saiba a diferença entre custo e preço (valor cobrado) e fica criticando a reportagem.
    O custo é R$6,78 quer dizer o que? Que cada refeição tem este custo (alimentos + mão de obra + energia + salarios + etc).
    Se o estudante paga uma parte e a outra parte é subsídio é outra coisa.

  • Donaren Drater diz: 1 de dezembro de 2013

    Eiah, as pessoas não sabem ler! Épacabamemo! O Custo citado na matéria significa, em média, o valor que é gasto para fazer o prato, valor que a empresa usa para calcular o dinheiro total gasto para servir 1 pessoa vezes 8 mil. Os estudantes pagam R$1,50, mas esse não é o custo do prato. Se fosse usado apenas o dinheiro que os estudantes pagam, só se serviria arroz e alface… e olhe lá! Dos 6,78, 1,50 vem dos estudantes e os outros 5,28 de verbas públicas! Orrax, vodizêumacoisaprati, tá difíl né ô?!

Envie seu Comentário