Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Conflito de interesses

08 de dezembro de 2013 6
Foto: Roberto Machado, divulgação

Foto: Roberto Machado, divulgação

O capitão Thiago Augusto Vieira, segundo nome na hierarquia do 4º Batalhão da PM, responsável pelo policiamento no Centro de Florianópolis, encaminhou ofício ao Ministério Público pedindo a instauração de inquérito policial para investigar o que classifica de “barreira policial ilegalmente realizada pela Guarda Municipal”. Junto com o ofício, o oficial encaminhou gravações em vídeo das blitze da Lei Seca (foto) comandadas pela Guarda na Avenida Beira-Mar Norte.
***
O promotor de Justiça Rafael de Moraes Lima atendeu o pedido da PM e requisitou ao delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, a abertura da investigação. O interessante é que a atribuição da Guarda Municipal para atuar na fiscalização do trânsito já foi exaustivamente discutida na Justiça Estadual quanto em Brasília, sempre com ganho de causa à guarda. Agora, aqui entre nós, qual o mal faz à sociedade a Guarda Municipal ao tirar das ruas motoristas embriagados?

comentários

Comentários (6)

  • E digo mais..!!! diz: 8 de dezembro de 2013

    Novidade que a PM tá sempre se metendo no serviço dos outros…
    A PM gosta de divulgar que faz tudo: serviço preventivo (através da sua presença nas rondas), investigação (completamente inconstitucional, mas com o apoio do ministério público), questões de trânsito (agora feitas por guardas municipais e agentes de trânsito por todo o brasil) e demais situações administrativas (tanto de responsabilidade da polícia civil, quanto do detran, quanto dos bombeiros, quanto de prefeituras).
    Sempre me disseram que quem faz tudo, não faz nada. E a PM é a prova disso.
    Nem rondas para prevenir o crime conseguem fazer. Aí quando alguém faz o seu próprio serviço, ficam de “ciuminhos” (afinal de contas, blitz de trânsito é ou era o serviço deles, mas não fazem).
    Tá na hora de acabar com essa PM logo, pelo bem do nosso futuro.

  • Cidadão Indignado diz: 8 de dezembro de 2013

    A PM tá sofrendo do mesmo mal que têm feito à outras instituições. Explico: Enquanto a PM, que tem o papel constitucional de zelar pela segurança de forma ostensiva, fica por aí “brincando” de investigação com policiais a paisana, e desvirtuando o trabalho de P2, que é investigar policiais militares em desvio de conduta ou fazendo o famoso TC (que é uma espécie de Inquérito Policial (de responsabilidade da Polícia Civil). Fica invadindo atividade de outras instituições (no caso a Polícia Civil). Para isso, ela diz que pode!!! Agora, outras instituições que tem o direito de fiscalizar o trânsito, como a Guarda Municipal, aí não podem “invadir” a atribuição da PM… Tome do próprio remédio. A PM tem tentado fazer de tudo, e tem deixado de lado o seu próprio papel. Isso só interessa aos Senhores Oficiais, que querem ganhar igual a Delegado ou Desembargador… Acorde sociedade.

  • LOURIVAL AFONSO diz: 9 de dezembro de 2013

    Não resta dúvidas que a guarda municipal tem atribuições para
    efetuar fiscalização do trânsito dentro do município, isso é fato. Estranho e o MP atender o pedido da PM e encaminhar a Policia Civil para apurar se recentemente, o MP comemorou a PEC que lhe deu o poder de investigar. Provavelmente, se o inquérito policial ser favorável a guarda municipal, o MP simplesmente pede o “arquivamento”. Afinal, estamos regredindo e voltando aos tempos dos coronéis, isso em pleno século XXI.

  • Futuro diz: 9 de dezembro de 2013

    Nada mais é que o reflexo da Polícia Militar atuando ilegalmente nas atribuições da Polícia Civil, perdeu espaço nas suas atribuições que a Guarda Municipal vem ocupando desde então. Tá tudo errado. Rasgue-se a Constituição Federal, pois em prol da coletividade alegado por alguns magistrados, aceitam-se tais aberrações. Segue o conflito entre instituições.

  • MARCELO diz: 9 de dezembro de 2013

    enquanto a GMF faz blitze de trânsito, os monumentos da cidade são alvo de vândalos e ladrões e fiscais da prefeitura no exercício de sua funções são surrados por marginais e pleno centro da cidade. Vale lembrar que segundo a nossa sempre maltratada Constituição: “Os Municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei.”

  • MarceloII diz: 10 de dezembro de 2013

    A PM deveria agradecer este auxílio da ¨SWAT¨digo guarda municipal, já que ela não faz, aliás nunca vejo blitz, e quando falamos de trânsito então, lei seca,… por aqui só há bafômetro no caso de acidentes, ou seja, depois do acontecimento e com vítimas. Prevenção realmente não é o lema por aqui.

Envie seu Comentário