Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Nervos à flor da pele

26 de março de 2014 60

 

Eu poderia dizer que a forma como a Polícia Federal agiu no campus da UFSC foi equivocada, truculenta, mas não adianta. Vou tomar bronca.

Eu poderia dizer que o campus da UFSC está jogado às traças há muito tempo, mas não adianta. Vou tomar porrada.

Eu poderia dizer que historicamente se fuma maconha no interior da Universidade federal de Santa Catarina, com a conivência de todos (leia-se reitoria e polícias), mas não adianta.

Eu poderia dizer que o modelo de gestão da UFSC, a partir da discussão com os movimentos sociais, parecia uma tese promissora, revolucionária, mas que naufragou em uma chaga também conhecida por ser humano.

Eu poderia dizer que o grau de convergência à esquerda xiita, entranhada na UFSC, também ajudou a pavimentar consequências como o confronto de ontem. Mas…

Eu poderia dizer que os estudantes se consideram intocáveis dentro daquele território e, por conta desta sensação de impunidade, acreditam que qualquer ato seja legítimo. Até mesmo vandalismo e violência. Mas não adianta.

Eu poderia dizer que dá para listar uma série de erros de parte a parte, culminando em discussões públicas entre os que deveriam zelar, em última instância, pela educação pública de qualidade e pelo combate efetivo ao tráfico de drogas. Mas não adianta, vão criticar.

Eu poderia dizer que a PM entrou, jogou lá sua meia dúzia de bombas e deu as costas para a confusão. Mas não adianta, vou ser apontado como o cara que é contra a corporação.

Eu poderia dizer que passou da hora de o país encarar um debate sério sobre a eventual liberação da maconha. Mas não adianta, seria chamado de maconheiro.

Eu poderia dizer que existe uma frente de batalha aberta por setores mais conservadores da sociedade que pretendem retomar a hegemonia na universidade. Mas não adianta.

Eu poderia dar opinião sobre este episódio da UFSC, mas não adianta. A coisa anda tão raivosa nos comentários e redes sociais, que qualquer pitaco  será motivo de crítica.

Eu poderia dizer que sinto falta do debate produtivo, que acrescenta. Mas não adianta

Eu poderia dizer que quase tudo se resume ao ataque venal, contra tudo e contra todos, mas não adianta.

Eu poderia dizer que está tudo muito maniqueísta, seja na política, nas relações pessoais, na vida em sociedade, no futebol, na praia ou no banquinho da praça.

Eu poderia….mas não adianta!

comentários

Comentários (60)

  • Décio diz: 26 de março de 2014

    Comércio e consumo de drogas no Brasil é crime e pronto. Correta a atitude da Policia Federal, ora será que aqueles 200 xiitas, vagamundos, baderneiros, denominados estudantes pensam que o Campus da UFSC, é uma área livre para a comercialização e consumo de drogas. O Grande problema da UFSC hoje é gestão, atual reitora é omissa e incompetente para gerir a instituição, alem de ser refém de um diminuto grupo de guerrilheiros que foram seus eleitores e hoje esta de mão atada sem nada poder fazer. Não seria a hora de restabelecer a ordem com a renuncia da reitora?

  • carlos montecristo diz: 26 de março de 2014

    Rafael. Tive uma informação segura de que a PF estava com o traficante na mão e que este acionou o seu batalhão de capangas (OFICIAIS DO TRAFICO) que acionaram seus clientes que vieram combater pela causa do THC. O consumo de drogas na UFSC (e outras grades universidades publicas) é algo a ser estudado. Tem consumo tem trafico. E isso movimenta milhões de reais.

  • Paulo Roberto diz: 26 de março de 2014

    Sensacional, realmente Poderias dizer…
    Muito sensato!

  • Alvaro Antunes Sobrinho diz: 26 de março de 2014

    O que realmente adianta é desceu o pau nesse monte de vagabundo. Não querem trabalhar, não querem estudar… Descer o cassete é a melhor saída.

  • marcos heise diz: 26 de março de 2014

    Você também poderia dizer que Universidade é um lugar onde se vai com o objetivo de estudar, porém, veja bem, haverá necessidade de discutir um encaminhamento e uma tomada de posição a respeito…n

  • Sérgio diz: 26 de março de 2014

    A Polícia Federal não sabe quem era o dono dos 500 kg de cocaína no helicoptero do Deputado Estadual Gustavo Perella (Solidariedade-MG).Ou será que já “descobriu”?
    Mas seu serviço de inteligência descobriu quem era o maior maconheiro da UFSC.”Polícia solta 17 presos de delegacias a mando da Justiça em São José” DC-26/03/2014- com esta notícia os “revoltados” não se preocupam.Lamentavelmente,meu caro Martini,isso era previsível.Depois que desalojaram os “irmãos” da Reitoria qualquer retaliação era esperada.Só falta mais um manifesto ridículo,como outro que li há alguns dias em outro blog.

  • Marcelo diz: 26 de março de 2014

    Excelente seu texto… infelizmente estamos vivendo um período “democrático” onde a opinião contrária, independente de qual seja, é sempre inadmissível!

  • Sueli diz: 26 de março de 2014

    Eu poderia dizer que a UFSC é um local para estudo e não para uso de drogas, de baderna e oportunistas….
    Eu poderia dizer onde está a família destes estudantes….
    Eu poderia dizer…

  • jaime goiano diz: 26 de março de 2014

    Vejo com tristeza nossa juventude estudantil se metendo com droga,graças ao bom DEUS meus dois filhos já estão formados,nunca tive este tipo problemas com eles, mas tenho netos que no futuro deve frequentar a UFSC,isto é preocupante,alguma coisa tem que ser feito.

  • Marcos Freitas diz: 26 de março de 2014

    “O Grande problema da UFSC hoje é gestão…” É pra rir mesmo! A culpa do uso de drogas na UFSC agora é da reitoria. Como se desde sempre o consumo não fosse algo comum lá dentro. O problema da UFSC e do Brasil é uma cambada de moralista-hipócrita que se acha o paladino da moral (a dele próprio) e dos bons costumes (dele também) que não consegue propor nada de forma que as coisas sejam construídas coletivamente, uma vez que a coisa pública deve ser assim construída. Não. Essa cambada gosta mesmo é de golpe e renúncia (dos outros). Em gestões anteriores e em governos anteriores, essa mesma cambada fica bem caladinha, porque falar de boca cheia (porque está mamando) é falta de educação.

  • André Seben diz: 26 de março de 2014

    Amigo Martini, perfeito seu texto. Resumiu nas suas quatro últimas linhas toda minha falta de vontade de debater o que quer que seja, neste momento tão estupidamente polarizado em todas as esferas. Um abraço forte.

  • Jonathan Lopes diz: 26 de março de 2014

    Enquanto isso o povo de brasília ri com dentes de ouro e alguns creem que o problema das drogas é nos consumidores, onde devem prendê-los. Existem um professor chamado Mujica especialista nesse assunto e um filme antigo, pouco conhecido que retrata um pouco disto, Tropa de Elite I e II.

    Como já diria o velho deitado:

    Tem alguma coisa errada que não ta certa.

  • Nicolas diz: 26 de março de 2014

    Me pareceu apenas mais um texto de alguém que está extremamente distante do que aconteceu e não tem coisas importantes para falar. Tanto é que o texto é escrito no futuro do pretérito. Meu amigo, se não tens nada importante para falar, silencie.

  • Cristiano Carlos Baifus diz: 26 de março de 2014

    Acho que DIZER E NÃO DIZER foi o que nos levou a esse colapso político e social em que vivemos. Poder fazer e não fazer é a ruína de uma sociedade que espera pelo outro juntar seu lixo, espera pelo outro arrumar o que você estragou.
    Temos que assumir a culpa é nossa culpa chegar aonde chegou.
    Estamos acostumados falar mal dos outros, a virar o rosto para não ver o que fere o próximo e achar que isso é problema dos outro.
    Sabe de quem é a culpa de os alunos da UFSC invadirem e depredarem o que restou da instituição?
    É nossa, nossa culpa por ter nos acovardado na hora em que PODIA FALAR E NÃO FALAMOS pois achamos que não ia adiantar!
    A culpa é minha é sua é nossa que não faz nada para mudar!

  • Dalton Malucelli Jr diz: 26 de março de 2014

    Na real Martini ,nem você nem ninguém precisaria gastar saliva para dizer coisa alguma.Esta situação é produto da histórica omissão dos poderes constituídos.Culminando com uma universidade que perdeu-se em seus objetivos imaginando que o livre pensar é sinônimo de ineficiência ,teorias marxistas e malandragem.A nossa UFSC tem um valor enorme ,formou e transforma estudantes em valorosos profissionais.Mas o que se vê é um bando de chupins ,que sugam o Estado e os Pais, contribuindo tão somente para a desconstrução do que foi construído a duras penas.Estou mentindo ?Inventando? Sou direita ? Nada disso ..comento sobre o que já vi e estou vendo ..posso ser burro ,mas não cego ..resultados..não teorias e suposições ..vejo é resultados e desafio alguém provar que está tudo uma maravilha,que os profissionais de hoje saem melhores . Nós cidadãos ,que sustentamos a Universidade ,gostaríamos que saíssem ,seriamos os maiores beneficiados.A coisa não afundou graças aos bons professores,funcionários e estudantes comprometidos e que estão lá cumprindo com seus papéis de formar profissionais para o mercado brasileiro e não massa de manobra para defender regimes de republiquetas latino americanas.Universidade = Estudo, não quer ,vai trabalhar ..teus pais e o País agradecem.

  • Jefferson diz: 26 de março de 2014

    Rafael, poderia dizer, e deveria. Achei teu texto bom, mas o ar destoa da tua posição de jornalista. Se tem alguém que não pode jogar a toalha é a mídia, nem simbolicamente, nem metaforicamente, nem mesmo com ironia. Somente porque há aqueles que não compreendem essas figuras de linguagem (os maniqueístas, se preferir).

    Corres o risco de ser muito mal interpretado e tuas palavras serem severamente distorcidas, por qualquer lado.

    Isto posto digo que existem coisas que estão fora de debate:

    1. A situação na UFSC já está caótica e beira o insustentável. Roubos, furtos, assaltos, consumo e venda de drogas – não só de maconha – e abuso sexual. Alguma coisa precisa ser feita no que se refere à segurança no campus, e isso passa pela postura da reitoria e também pelo consumo de drogas.

    2. Existe foro adequado e civilizado para o debate necessário sobre a descriminalização da maconha. Esse foro não é o bosque da UFSC. Quem advoga essa tese deve procurar seus representantes eleitos, fazer pressão política para que um projeto de lei viável venha a ser aprovado. De resto, a lei vigente não é opcional. Deve ser cumprida.

    3. Nem tudo se resume ao ataque venal. E esperava que formadores de opinião, como tu que és muito lido por sinal, e teus colegas, como o Cacau que deu uma declaração infeliz hoje no JA – não pela defesa o uso mas pela forma. Existe responsabilidade na forma como as figuras públicas se pronunciam em situações como essas.

    4. A forma adequada para discutir uma prisão ilegal – e acompanho tua coluna a muito tempo, posso afirmar que tu sabes disso perfeitamente – é no judiciário. Se cada aluno envolvido na confusão tivesse contribuído com 50 centavos, estava pago o habeas corpus do rapaz. De outra feita, não se nota interesse em resolver as coisas usando os meios constitucionais e democráticos previstos na lei. Uma pena, se fala em liberdade mas pouco se usufrui da liberdade que se tem, e por opção.

    5. O maniqueísmo é uma tentativa desesperada de simplificar um problema complexo, seja por interesse (daqueles que compreendem o problema e buscam uma vantagem na sua solução) seja por ignorância (caso em que o os outros adquirem a vantagem buscada). Cabe à quem tem condições ampliar o debate e fazer com que o bom senso volte a agir, dando o tom e o nível onde puder.

    No final das contas quero dizer que não gostei o teu texto, na forma como está. Crítica construtiva, se me permite. Adianta sim! Precisa adiantar. Se não adianta a mídia, o quarto poder, se manifestar, o que nos sobra?!

    Assim nos abandona ao venal e ao maniqueísmo.

    Abraço Rafael!

  • Edson José da silva diz: 26 de março de 2014

    Caro delegado, só não admito ser chamado de vagabundo, especialmente pelo senhor que nem me conhece. Sou aluno da UFSC no período noturno, trabalho durante o dia. Sou pai de família, com esposa e filho. Trabalhador, que rala pra poder fazer uma faculdade. Não tive uma família, provavelmente classe média alta como a sua, para bancar os meus estudos. Formar-me em Direito e fazer concurso para tão honrosa instituição, como a Polícia Federal. Cuidado, o ódio e a generalização pode levar-lhe a perder a sanidade!

  • Nuno diz: 26 de março de 2014

    Rafael,
    Excelente texto, mas, se calar é permitir. A PF estava fazendo seu trabalho, se exageraram não posso avaliar. Certamente a reação violenta dos alunos é condenável. Violência não é resposta. A questão do consumo de drogas ilicitas ou licitas é uma escolha individual, a qual respeito desde que seu uso não prejudique a familia e saúde do usuário. A PF fez o básico – PRENDEU o(s) traficante(s)????

  • Andre diz: 26 de março de 2014

    Voce poderia para de escrever besteiras.. mas não adianta… pois terá outra pessoa querendo falar nada com nada para estar no seu lugar….c

  • Jorge diz: 26 de março de 2014

    Está todo o mundo errado. Se quiserem prender os traficantes da área é só cercar o Pantanal.

  • Santana diz: 26 de março de 2014

    Em todos os lugares existem aqueles que não gostam de trabalhar, que gostam de utilizar drogas e entorpecentes e que gostam de tirar o sossego e e a ordem. Eu poderia dizer isso de uma forma mais direta, mas vão dizer que sou ignorante.

  • Maurício diz: 26 de março de 2014

    Pois é: Na UFSC se fuma?? E onde é que não se fuma maconha em Floripa? Haja Polícia Federal, estadual, … Quem acredita que esta ação ajuda aos traficantes (pois aumenta o preço), pois quem consome não vai parar de consumir,levanta a mão!!!

  • flavio diz: 26 de março de 2014

    descentralizar, levar cursos para outros municipios, Trindade – UFSC,não comporta tantos estudandes, proximo as suas cidades teriam melhor apoio familiar etc….

  • Carlos Martini diz: 26 de março de 2014

    “Eu poderia dizer que existe uma frente de batalha aberta por setores mais conservadores da sociedade que pretendem retomar a hegemonia na universidade. Mas não adianta.”

    Como assim “retomar a hegemonia”? Quem tem a hegemonia do ensino públlico é a esquerda, e a direita jamais teve hegemonia alguma nessa esfera. A direita não quer mais do que acabar com essa hegemonia, permitindo que todo o espectro político tenha presença. Isso é democracia. Ou deveria ser.

  • Gualberto Cesar dos Santos – Florianópolis SC diz: 26 de março de 2014

    De forma , refletida pensada e comensurada. Respeitosa com o “público”. Você conseguiu – na minha opinião – com o seu texto. Ser o melhor de todos os textos em relação as mais diversas postagens que li em diversos “blogues” – aqui, ali e lá – sobre o caso do fervo acontecido na UFSC. Fazer com a abrangência que colocou em seu recado. O diferencial em se tratando dessas impulsividades. Eu peço licença para complementar dizendo. As dificuldade psicológicas – quanto ao comportamento dos universitários é compreensível mas não justificável. É um caso de história & memória, pelo menos desde o regime autoritário de 1964. Que sufocou a manifestação pública por muitos anos. E deixou sequelas no “modus operendi” de reprimir e não de prevenir. Por parte do aparato policial. Hoje se tem liberdade, porém, não é justa a “licenciosidade”. Cabe aos professores da UFSC, terem o sentimento e a cultura da “pessoalidade” e não do corporativismo. Venha o corporativismo de quem e de onde vier.

  • Ricardo Rayol diz: 26 de março de 2014

    Eu poderia dizer que é um absurdo um monte de desocupado ficar se drogando enquanto um monte de gente fica fora da Universidade por falta de vagas.

    Eu poderia perguntar também que se essa cambada de desocupados forem currados ou assaltados no campus devem pedir arrego na reitoria ou na delegacia?

  • diogo diz: 26 de março de 2014

    Eu só tenho uma opinião e acho ela radical; Quem apoia os estudantes x Quem está do lado da lei.

  • Alex diz: 26 de março de 2014

    É preocupante ver estudantes universitários com esta atitude de proteção a ilegalidade e violência contra autoridades no exercício das suas legítimas funções.

  • matheus diz: 26 de março de 2014

    podederias dizer muita coisa, mais sempre vai ter alguem pra bota defeito com o intuido de demostra sua capacidade, bom não é assim que vamos mostras nossas qualidades né, apontando o defeito dos outros, acredito que todos que participaram do que aconteceu ontem, fizeram por vontade propria, lutaram por algo que já vem se arrastando por anos, que é legalizar a maconha, infelizmente é vista como um tabu, por pessoas ignorantes e que não veem o mundo, hj vc pergunta pra uma pessoa na rua sobre a maconha ela fala que é ruim, ai vc pergunta pq, ela diz pq é proibido pela lei, ai vc diz, mais po, tem medico que receita maconha como parte de tratamentos” ai jás um dilema, um grande problema para o nosso governo, o pior cego é oque incherga, só não quér ver.

  • Carla diz: 26 de março de 2014

    Cada um com sua ideologia, mas quer dizer que pra fumar maconha eles protestam e até lutam!… Mas por um país sem corrupção cruzam os braços e ficam na platéia ou nem mesmo sabem o nome do filme!!!…. Na minha opinião devem ser expulsos e dar a vaga para quem quer estudar e não fumar maconha.

  • Márcio diz: 26 de março de 2014

    Concordo com a ação da polícia no campus da UFSC, por uma questão básica: segurança e ordem. Já estudei na UFSC e não é de hoje que pessoas são roubadas, outras consomem drogas, e até violência sexual já se praticou no campus. Obviamente, se houve abuso ou mesmo força desproporcional há que ser investigado e coibido. O mesmo vale para os acadêmicos. O que definitivamente não concordo é que a reitora, ocupante de função pública que é, saia em defesa dos acadêmicos consumidores de maconha que outrora a elegeram. O RBS Notícias acabou de divulgar a informação de que foi a própria UFSC que solicitou o apoio da polícia no campus para garantir a segurança. Consumo de drogas também é uma questão de segurança, e não só de saúde pública. Por fim, o delegado da Polícia Federal tem razão: não podemos deixar que a universidade vire um antro de maconheiros. E isso vale para a reitora também.

  • Carlos Santa Cruz diz: 26 de março de 2014

    A maioria de filhinhos de papai que estudam com o dinheiro publico, isto é, nosso, ao invés de realmente estudarem sustentam o tráfico…Tropa de Elite 1 mostra muito bem isto…Não é reacionarismo nem simplificação, é fato…Me admiro a Reitoria não ter um posicionamento equilibrado e procurar melhorar a segurança, banir os traficantes (existem aviões entre eles, gente que vende lá dentro), realmente atender aquele estudante que quer aprender…

  • Observer diz: 26 de março de 2014

    Quando a polícia age, vem sempre uma cambada de zé mané sabendo agir melhor que ela; todo mundo sabe melhor que ela o que fazer na hora, começam a reagir bruscamente e não deixam ela cumprir o seu dever, começam a confusão e ela reage… e no final ainda é a polícia os responsáveis pela maconha, violência, irracionalidade, por tudo de m…. que acontece no país. Realmente são questões políticas, pois nunca se viu no país tantos desparates e falta de respeito para com toda ação policial em nosso país. Sempre tem um repórter que leu meia dúzia de coisas que sabe mais. Um maconheiro que sabe mais. Um transeunte que sabe mais. Um bandido que sabe mais. Não ta fácil ser eles, hein.

  • Observer diz: 26 de março de 2014

    Nuno, sensato e coerente o que você disse. Quando a polícia age, vem sempre uma cambada de zé mané sabendo agir melhor que ela; todo mundo sabe melhor que ela o que fazer na hora, começam a reagir bruscamente e não deixam ela cumprir o seu dever, começam a confusão e ela reage… e no final ainda é a polícia os responsáveis pela maconha, violência, irracionalidade, por tudo de m…. que acontece no país. Realmente são questões políticas, pois nunca se viu no país tantos desparates e falta de respeito para com toda ação policial em nosso país. Sempre tem um repórter que leu meia dúzia de coisas que sabe mais. Um maconheiro que sabe mais. Um transeunte que sabe mais. Um bandido que sabe mais. Não ta fácil ser eles, hein.

  • FABRICIO diz: 26 de março de 2014

    Agora a UFSC virou, sem previsão legal, território livre para prática de crimes. Não sabia dessa “nova legislação”!
    Até o domicílio, previsto como inviolável pela CF, não possui esta prerrogativa, que dirá espaço público.
    Então a coisa mudou e eu não sabia.
    Funciona assim: não pode fumar maconha e traficar na rótula da saída da faculdade, pois ali o cara está sujeito a prisão, mas do lado de dentro da universidade pode. Se o cara atravessar a rua e cometer um crime em frente a biblioteca da UFSC não pode ser preso?
    Polícia não pode entrar, só pode entrar traficante, estuprador (vão brincando pra ver), ladrão, latrocida.
    Sem previsão legal, o uso da força agora ficou proibido também!
    Os “estudantes” vão lá viram e quebram viaturas, patrimônio que é de toda a sociedade e vai fazer falta para outras pessoas( já que eles não querem segurança tem gente que quer) e o policial não pode fazer nada, tem que deixar quebrar tudo, virar as costas, pedir desculpas por estar trabalhando e ir embora.
    Então que acabem com o Estado de uma vez, assim cada um faz o que dá na telha. Princípio da legalidade deve ser esquecido.Cada um faz o que pensa, o que acha correto, independente de lei, a qual, não vale nada nesse país mesmo.
    O absurdo é tão grande, mas tão grande, que quem não cumpre a lei, despreza as normas legais, ainda vai invocá-la para dizer que houve crime de abuso de autoridade! Ou seja, lei só pra eles, pra mim não! Quero a liberdade absoluta!
    Só para deixar registrado, sou a favor da legalização da maconha, pois acho que a Polícia tem mais o que fazer, e a PF abordar maconheiro no campus, com tantas drogas e armas entrando pela fronteira é “pacabá”, mas dizer que estudantes e reitoria estão com a razão, como alguns querem me convencer, aí já é demais.

  • Willian diz: 26 de março de 2014

    A UFSC deveria passar a exigir exame antidoping dos alunos. Os reprovados deveriam ter a matricula suspensa e dar o lugar pra quem realmente quer estudar isso sim. Cambada de vagabundos que com certeza não precisam trabalhar e sustentar a família, como mencionou o Edson José da Silva acima. Com certeza tem muitos alunos dedicados e comprometidos com o seu futuro dentro da UFSC. O que deve-se fazer é ceifar essa minoria de vagabundos que, além de denegrir a imagem da UFSC, fica ocupando a cadeira de quem realmente quer estudar.
    Meus parabéns a PF!!

  • Fabio Bianchini diz: 26 de março de 2014

    Excelente.

  • Marcelo Godoy diz: 26 de março de 2014

    Se existe traficante é porque tem o Merda do usuário!
    Elimine um ou o outro que quebra o círculo vicioso. Eliminar os dois seria o céu na terra!!!
    Tem que botar para quebrar na UFSC! Mas antes temos que erradicar essa pústula que é o PT, com seu aparelhamento absurdo.
    Nosso País tá na M… E se a elites de uma UFSC por exemplo, questionam a atuação da PF em busca da legalidade, tem mais é que detonar esses “caras que ensinam, por não saber fazer”!

  • Sandra diz: 26 de março de 2014

    Prendem maconheiro e soltam extrupadores e assassino. E bem a cara do País que a gente vive.

  • Geverson Luz Godoy diz: 27 de março de 2014

    “Há um provérbio popular que reza: “Quem cala consente”,
    O silencio não é inocente, é a maior manifestação:
    É dizer sim a exclusão, agir de forma incoerente,
    É fazer alguém carente, é vender a doação.”
    (trecho do Poema, Não se vive solitário!

  • Gerson diz: 27 de março de 2014

    Eu poderia dizer muita coisa, mas como sou maconheiro também…

  • Luiza diz: 27 de março de 2014

    Eu concordo plenamente contigo, mas, e adianta?

  • Felipe diz: 27 de março de 2014

    Eu poderia dizer, que mesmo não dizendo nada, muita gente ainda criticar. O que está escrito nas entrelinhas poucos perceberam. A verdade é, mesmo tentando abrir a cabeça do povo, eles querem brigar para deixar ela fechada. Eu poderia dizer que este é o meu país, mas infelizmente é o Brasil.

  • Edmilson diz: 27 de março de 2014

    Você esqueceu que poderia dizer, que os bons alunos que se formam nesta universidade não deveriam ser obrigados a conviver com um bando de drogados e terem seus diplomas assombrados pelo nome desgastado de uma universidade que não impõe respeito e limites dentro de suas fronteiras.

  • Hugo Malagoli diz: 27 de março de 2014

    Nossa. Vejo tantos comentários simplistas e tão longe da realidade que ocorreu lá. Estudantes vagabundos? Gente. É meia dúzia de gatos pingados que fazem a baderna lá. A grande maioria é contra o uso de drogas no campus. O que aconteceu é que desde o incio da ação a PF não se identificou. Chegaram num carro à paisana e entraram no café e pegaram um estudante da geografia (só olhar a média de notas dele pra ver se é ou não vagabundo) e levaram pra esse carro. Sem saber o que ocorreu inicialmente (porque os policiais não se identificaram) as pessoas correram em auxílio desse rapaz. A Professora que foi em primeira mão dar auxílio foi insultada pelos policiais, muito arrogantes por sinal, quando esta lhes pediu a identificação. O resto foi um erro atrás do outro (partindo do delegado propotente) que culminou com toda essa confusão. A creche foi atingida pelo gás do choque. Foram colocados panos úmidos pras crianças que estavam apavoradas. Não é justificável o tipo de ação que ocorreu. Desnecessária. Amadora. Serviço de inteligência não é isso. Outra, se existe traficante, é porque a coisa é proibida. Lembrem da Lei seca dos EUA que na década de 30 promoveu a máfia. Só taxar como é o cigarro e o álcool (que destrói milhares de famílias) e pronto. O Uruguay fez isso e acabou com o tráfico de maconha. Abram a mente! Evoluam !

  • Luiz Fernando (Floripa) diz: 27 de março de 2014

    Caro Martini

    Vejo com tristeza o que estão fazendo com a UFSC, que já foi sinônimo de qualidade na educação e de excelência na formação acadêmica. Temos hoje uma instituição jogada as traças, onde a célula ideológica que se apossou da instituição “persegue sim” muito mais do que a policia que pensa diferente dos idiotas marxistas dentro do CSE.
    Sobre drogas, independente do debate sobre legalizar ou não, o fato de alunos abandonarem as salas durante o horário das aulas para consumirem drogas é um ato de indisciplina e tem que ser coibido inclusive com a perda da vaga, pois há muita gente boa que gostaria de estar no lugar destes que estão lá tendo seu “estudo” financiado por nós contribuintes.
    A questão de proibir a policia de entrar no campus é uma bandeira do passado pois em função do combate ao debate político dentro da instituição.Hoje não cabe mais este discurso, pois a medida serve para proteção de traficantes e de outros crimes que ocorrem diariamente.
    Aliás tenho uma duvida quanto a quem interessa hoje manter a polícia longe do campus: Será que os verdadeiros traficantes estão na Serrinha ou nas dependências da instituição remunerados pelo Estado? Será que a “ideologia e o trafico” não caminham juntos dentro do bosque da Ufsc? Com a palavra os gestores da instituição e da segurança pública!

  • Alexandre diz: 27 de março de 2014

    que post excelente o do Jefferson, lá em cima. Uma pérola de bom senso no meio de tantos post maniqueístas, respostas a um artigo que pede que sejam evitados os maniqueísmos. O Martino foi muito educado em seu artigo. Se ele fosse menos educado ele poderia ter dito que um mal antigo de nossa cultura é a vontade de emitir opinião sem ter feito antes o trabalho de avaliar os seus próprios critérios de avaliação das coisas.

  • Diego diz: 27 de março de 2014

    Hugo, os policiais tinham que se identificar para quem? Para sua professora? Estavam à paisana por que é assim que se trabalha na PF… Fizeram a prisão e faziam a condução do detido, nada errado.

    Outra bobagem/falácia é achar que tudo se resolve com a legalização. Traficantes continuarão financiando o ciclo de violência (homicídios, roubos, furtos…). Os dependentes químicos continuarão roubando. Será que vão trocar notebooks e tvs junto ao Governo, lógico que não. A única mudança seria no incremento de usuários.
    O problema de saúde pública também não deixa de existir…

  • Guilherme Francelino Airozo diz: 27 de março de 2014

    Grande Rafael Martini,
    poderíamos dizer tantas coisas, acredito, não adianta.

    Os policiais saíram como violentos em uma batalha contra o que eles chamam de vagabundos.

    No final de tudo, alguns alunos descobriram que realmente estavam em um zona de batalha ‘chapados’.

  • Hugo Malagoli diz: 27 de março de 2014

    Alexandre. Qualquer cidadão que for abordado por um agente da Lei tem o DIREITO de que esse agente se identifique. Como vou saber se é mesmo um policial ou um fora da Lei ? Bola de Cristal ? SE você fosse abordado e levado por pessoas sem identificação, o mínimo que faria é pedir a credencial do agente. Veja bem, de forma alguma estou defendendo o uso de entorpecentes. Estou apenas fazendo uma observação do amadorismo (ou prepotência) dos policiais em questão que por fim culminou com todo essa absurdo que vimos, e que colocou em risco a vida de dezenas de pessoas (em especial as crianças da creche da UFSC que inalaram gás). Quanto ao tráfico de drogas, é óbvio que não vai acabar, mas o de maconha especificamente eu acredito que sim pois temos o exemplo do país vizinho. Ou tu acha que o usuário vai preferir ir na boca de drogas e se arriscar na clandestinidade se pode comprar legalizado e sem misturas ? E mais. Pelo que a mídia noticia, são usuários de crack que fazem roubos.

  • Mark Richards diz: 27 de março de 2014

    Hugo, se o elemento passa o dia inteiro “OCUPANDO” o hall da reitoria, reivindicando uma absurda proibição da polícia no campus da universidade (note bem: uma área PÚBLICA) e a liberação de festas ilegais (sem alvará), não vejo melhor qualificação do que a de VAGABUNDO. Ou, usando uma terminologia moderninha, é um NEM NEM (nem estuda nem trabalha)

  • Marcelo Vargas Garcia diz: 27 de março de 2014

    Eu poderia dizer que não prenderam o deputado ,não prenderam o da curca mas e ai prenderam os maconheiro e a cambada de maconheiro não queria que levassem eles e ai ta certo os policiais federais só pediram apoio da PM porque não deixavam eles sair de la com o estudante de geografia maconheiro!!

  • Marcelo diz: 27 de março de 2014

    Tem que se ater ao seguinte. Sendo legalizada ou não, consumir qualquer tipo de droga (lícita ou ilícita) num ambiente acadêmico, de ensino, de educação, não é condizente. Tem hora e local pra tudo isso. Lei é lei e deve ser cumprida, a polícia deve ser respeitada ao cumprir sua missão e o povo brasileiro tem que se acostumar em seguir as normas, todo mundo aqui acha que está acima da lei e pode fazer tudo e contestar tudo e sair de fininho que não dá nada. Legalização é um tema que precisa ser AMPLAMENTE debatido antes de se chegar a um consenso, pois as consequências de uma legalização na cultura atual do povo brasileiro, aparenta ser mais maléfica do que benéfica. Estudem um pouquinho de leis, direito penal, direito processual penal, etc. e muita propagação de abobrinha será evitada. Parabéns à PF. Parabéns à PM. Repúdio à reitoria da UFSC, aos que participaram da baderna e aos que a defenderam e defendem o consumo de drogas dentro das dependências da universidade.

  • Marcelo diz: 27 de março de 2014

    Altas lógica a do HUGO. Tira o crime de tráfico do código penal que não tem mais traficante! NOSSA QUE GÊNIO!!!!!!!!!! VAMOS ACABAR COM O CRIME DE ROUBO AÍ NÃO TEREMOS MAIS ASSALTANTES!!!!!!! Putz…

  • Maconheiro sem futuro com um currículo maior que seu rolo de papel higiênico diz: 28 de março de 2014

    Eu fumo maconha a anos, e mesmo assim fui capaz de estudar, sustentar família, e entrar na UFSC, se vocês não passaram no vestibular, não coloquem a culpa nos maconheiros, vão estudar, cambada de vagabundos :D. Como ia dizendo a única coisa ruim de fumar maconha é o fato de depender da “boa” vontade do traficante, mas isso é pano para manga para o assunto POLITICA DE DROGAS. É de arrepiar como vocês são entendidos de drogas! MEUDEUS sabem tudo! Se bobear não leram se quer o tópico ‘maconha na Wikipédia. Enchem a cavidade anal de álcool, tabaco e rede bobo de televisão e ficam pedindo para a policia bater nas pessoas! MEUDEUS bater nas pessoas :(. O que Jesus diria disso?
    P q maconha é proibido? O que maconha faz? Qual o perigo de se fumar maconha em um bosque? A culpa decorrente da maquina “traficalia” é de quem? Dos usuários? Dos políticos? Da policia? É minha? É sua? Caia na real!!
    O certo é que estamos todos errados! Esta na hora de colocar as cartas na mesa! Debater o assunto; baseando em ciência, em pesquisa e não em achismo, mimimi e intolerância?
    Quem fuma maconha estuda sim, e estuda muito, a UFSC não precisa expulsar os maconheiros que não estuda. P q quem não estuda na UFSC astomaticamente e inevitavelmente acaba saindo da faculdade!
    Você que fica escrevendo “… que realmente adianta é desceu o pau nesse monte de vagabundo. Não querem trabalhar, não querem estudar… Descer o cassete é a melhor saída”, você é que precisa de tratamento meu irmão! Tipica frase de quem reprovou em Estudos Sociais!

  • Hugo Malagoli diz: 28 de março de 2014

    Mark Richards (é mesmo seu nome verdadeiro?) e Marcelo (não tem sobrenome?). Vocês mudaram todo o foco do que eu disse. Melhor lerem novamente. Onde falei que concordo com a ocupação da Reitoria? Onde falei que concordo com festas sem alvará ? E Marcelo, a minha lógica não tem nada a ver com o que tu falou. Onde falei que o tráfico de outras drogas vai acabar? Comparar crime de roubo com o de fumar um baseado? o que uma coisa tem a ver coma a outra? Só ver o exemplo do Álcool e do cigarro, que tem que pagar impostos e fuma e bebe quem quiser, sem ter que apelas para a clandestinidade. O mercado de drogas já existe e não vai acabar. Podem reprimir o que for. A proibição só vai gerar mais violência. A legalização é o único caminho (pelo menos não tentado ainda aqui) para se evitar o tráfico dessa substância específica. Duvido que alguém aqui pare de beber se o Álcool (que por acaso destrói milhares de famílias por ano) for proibido. Menos hipocrisia gente.

  • Fábio Bortolli diz: 28 de março de 2014

    A Maconha nunca matou ninguém mas sua proibição aniquilou milhares de vidas!!!
    Querem acabar com um simples mato com as armas, o que acontece: GUERRA!!! A maconha é nova a Manga com Leite protegendo interesses escusos (lobby das armas, lobby das farmacêuticas, lobby dos cargos públicos criados pela proibição das drogas, lobby do policiais corruptos entre outros canceres da sociedade). Chega disto, chega de ignorância e interesses mesquinhos. Problemas com drogas devem ser tratados com medicina ou com religião. Nunca com a Polícia Militar ou armas. Chega de hipocrisia e mentira. Isto esta causando muitas mortes!!!
    Segue abaixo alguns documentários sérios que mostram a verdade sobre a maconha.
    “Quebrando o Tabu” – Fernando Grostein Andrade.
    “Cortina de Fumaça” – Rodrigo Mac Niven.
    “Maconha a Cura do Câncer” – original: “What if Cannabis Cured Cancer?” – Len Richmond.
    “O Sindicato, O Negócio Por Trás do Barato” – original: “The Union: The Business behind Getting High” – Brett Harvey.
    “Run From the Cure, A História de Rick Simpson”.
    “Documentário da CNN – Weed – Dr Sanjay Gupta – Legendado PT-BR”

  • Nicolas diz: 28 de março de 2014

    O pior de tudo é que tem gente que quer intelectualizar demais a questão ou vir com discursinho politicamente correto que dá sono. Desce o sarrafo nesse bando de vagabundo, desce o cacete. Bando de vagabundo cabeça de bagre metido a che guevara, que nem sabem pelo que estão discutindo. Aquele delegado é do bom, matou a pau, tem coco roxo, pena que vão transferir ele por “interesse da administração” lá pra Dionísio Cerqueira. Por causa desse bando de cabeça de bagre, uma minoria, a pm não atua no campus. Aí o cara que mora no córrego grande não pode passar pra trindade por dentro do campus porque leva uma faca no pescoço e é assaltado. E isso por que tem algumas cabeças que querem fumar um baseado sem ser incomodado pela polícia. Vai fumar em casa, porra! A maioria da comunidade na volta na Universidade é a favor da polícia, mas quem faz volume nas manifestações e nas críticas são os vagabundos. No entanto, com a polêmica, alguma coisa mudou, hoje à tarde tinha uma passeata pela UFSC e bairros, com cartazes, ” UFSC : POLÍCIA JÁ”, por onde passava recebia aplausos. Vamos dar uma enxada pra esses comunistinhas de bosta capinar uma roça. Ser comunista com o dinheiro do pai e do vovo é lindo, beatiful. Desce o cacete…

  • Décio diz: 29 de março de 2014

    Prezado Rafael Martini
    Dificil não se pronunciar novamente ao ver as babaquices escritas pelo HUGO MALAGOLI.
    Este ato serviu para mostrar sim o perigo que as crianças que frequentam a Creche situada no lado do CHF em conviver diariamente com o bando de chapados que transformaram o bosque do Campus numa área livre de consumo e venda de drogas.
    Você bem que poderia conclamar as pessoas que defendem o consumo da maconha, para se mudarem para o URUGUAI e AMSTERDAN, mas por favor são esqueça de convidar o CACAU MENEZES que agora comprovou com suas posições porque sempre foi taxado de maconheiro pela população de Santa Catarina.

  • Hugo Malagoli diz: 31 de março de 2014

    Eu sempre fui educado em meus comentários. Coisa que parece que faltou ao Décio (sem sobrenome).
    Tudo que falo aqui é minha opinião embasada em fatos. Em estudos. Quem estuda realmente busca as fontes para sua argumentação. Jamais ofendi ou desacatei ninguém aqui e muito menos fiz apologia à violência como outros tantos.
    Tenho inteligência pra poder argumentar de forma educada e coragem pra não me esconder atrás de um nome falso. Saudações.

Envie seu Comentário