Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Educação Especial pede ajuda

07 de abril de 2014 8
Arquivo Pessoal

Arquivo Pessoal


Há quem questione a paralisação dos servidores da Fundação Catarinense de Educação Especial no aspecto salarial, mas o que ninguém pode discordar é das péssimas 
condições das instalações da fundação, no Bairro Roçado, em São José. Não faltam goteiras, cadeiras e brinquedos velhos e banheiro quebrados para atender quem mais precisa, os portadores de necessidades especiais.

comentários

Comentários (8)

  • Luciana Treumann da Silva diz: 7 de abril de 2014

    Prezado Rafael Martini. Esse seu comentário continua demonstrando sua parcialidade com relação à greve dos servidores da Fundação Catarinense de Educação Especial! Gostaria de saber quem é a pessoa que questiona a nossa greve no aspecto salarial, quem sabe um tal de Milton Martini, Secretário da Administração, que por coincidência tem o mesmo sobrenome que você! Eu sou terapeuta ocupacional da FCEE, profissional de nível superior, com pós-graduação, e recebo líquidos R$ 2600,00 por mês, isso se incluir o pomposo vale-alimentação que é de no máximo R$ 264,00 por mês. Você realmente acha que é necessário questionar o aspecto salarial? Só a tal gratificação de pró-eficiência que a Secretaria de Administração recebeu a primeira parcela em janeiro e receberá o restante até janeiro de 2015 (aproximadamente 4 mil reais) é bem maior que o meu salário bruto. Mas isso o senhor Milton Martini não deve questionar não é mesmo, afinal…o bolso dele também receberá esse valor!
    Por fim, quero dizer que a Constituição Federal garante ao trabalhador o reajuste anual para reposição das perdas salariais decorrentes da inflação. Como pode um governo se achar supra-constitucional e negar esse reajuste? E não me venham alegar que a Lei de Responsabilidade Fiscal não permite, pois a própria lei assegura a reposição da inflação. E também não me venha alegar que a lei do ano eleitoral não permite mais nenhum reajuste, pois essa Lei veda apenas aumentos que excedam o valor da inflação do período. Em resumo, estamos há 2 anos sem nenhum centavo de reposição. Quem sabe se você estivesse nessa situação também, não teceria tantos comentários negativos acerca da remuneração dos servidores públicos estaduais!

  • Juliana Copetti diz: 7 de abril de 2014

    Questionamento quanto ao ‘Aspecto salarial”??? Querido Rafael Martini… no Portal da Transparência do governo estadual (somente poder executivo!), qualquer cidadão consegue ter acesso ao vencimento dos funcionários da FCEE. Por sinal, deve ter sido ali que o senhor viu o vencimento de uma de nossas colegas (servidora, aposentada,nível superior, 35 anos de FCEE) e colocou em seu comentário anterior como se todo funcionário em greve ganhasse aquele vencimento e como se ela não o merecesse, fazendo comparação com cargos comissionados, que ficam no máximo 4 anos no poder e que ganham mais do que uma funcionária que deu a vida pela Educação Especial! E por falar nisso: o senhor sabe o que é Educação Especial? Sabe o que compete a nós fisioterapeutas, ,fonoaudiologos, pedagogos, psicologos, assistentes sociais, professores, educadores físicos, teçnicos em cuidados especiais e muitos outros profissionais capacitados (graduados, pós-graduados, muitos com mestrado e até doutorado) em nosso trabalho diário? Olha o meu salário e depois tenha coragem de reiterar seu comentário cheio de parcialidade, que dá margem para um governo corrupto continuar fazendo o que faz em vários setores da sociedade catarinense… Sua profissão, senhor Rafael Martini, é extremamente importante em nossa sociedade, já que a mídia leva “a verdade” para onde ela quiser! Não lhe pedimos tendenciamentos, pedimos que fale a verdade sem parcialidade! Juliana Copetti, fisioterapeuta, pós graduada, funcionária da FCEE, cidadã catarinense

  • Luciana diz: 7 de abril de 2014

    Nisso realmente tenho que concordar com o senhor, Rafael Martini. Tenho um familiar que frequenta a FCEE há vários anos. Ele é deficiente físico e mental, e andar de cadeira de rodas com ele lá dentro é um caos. Há buracos por todos os cantos e as rampas excessivamente inclinadas tornam quase impossível entrar com a pessoa nos locais de atendimento, nao sei como as professoras e funcionários dão conta de empurrar aquelas cadeiras diariamente rampa acima. Eu quase caí com ele outro dia. Quando chove então, é vergonhoso, água acumulada por tudo. Literalmente sucateada essa instituição que é tão importante para a nossa família. Eu vejo o empenho dos funcionários que fazem sempre tanto pelo nosso familiar. Ele vai para lá sorrindo e volta sempre feliz. Pra nossa família essa greve está causando um grande impacto, pois não estamos recebendo os atendimentos, mas eu entendo a luta deles, pois só quem convive e vê de perto o trabalho que eles fazem pode entender que merecem ser remunerados com dignidade. Eles dão muito mais do que atendimento, dão amor, dão a vida!!!

  • Rosilane Dalazen diz: 7 de abril de 2014

    Boa tarde Sr. Rafael Martini

    Atendemos sim, “PESSOAS COM DEFICIÊNCIA”, e posso dizer a você que amo o que faço, mas não posso negar que nesses quase 12 anos que estou efetivada através de um concurso público realizado em 2002, as coisas estão cada dia piores na FCEE. Reforma na estrutura física, nunca vi. Algumas maquiagens foram feitas nesse período, mas nada além disso.
    O que eu mais gostaria neste momento e acredito que a maioria dos colegas que estão na GREVE também, era que os nossos governantes nos tratassem com respeito e dignidade, pois como você deve saber, estamos acampados na Sede do Governo na SC401 desde segunda-feira passada e inclusive, por todo final de semana passamos em vigília. Vale ressaltar, que a noite, estamos ficamos às escuras, porque estão apagando as luzes internas e externas da Sede do Governo, mas estamos nos virando com lampiões e lâmpadas de emergência. Sem contar ainda que, não temos acesso a banheiro na Sede do Governo durante o expediente deles e nem a noite. Existe um bloqueio às pessoas que usam camisetas amarelas. Isso é democracia????
    Mais uma coisa, expor o salário de alguém que deu sua vida e ainda está dando pela Educação Especial, ficou um tanto quanto apelativo e tendencioso, você não acha? Por que você não expõe o salário de profissionais com a mesma formação e tempo de serviço nos diversos setores do serviço público, isso sim seria um serviço de informação útil à Sociedade Catarinense.
    Estamos em vigília 24 horas por dia na casa do povo, ops! Sede do Governo, venha nos visitar e conversar conosco, tenho certeza que você sairá de lá com a certeza de que somos guerreiros e não ingratos. Apareça, será um prazer!!!

    Atenciosamente,

    Rosilane Dalazen
    Assistente Social da FCEE há quase 12 anos (efetivada por aprovação em Concurso Público) + 3 anos de serviço como ACT ( Centro Educacional São Lucas – antiga FUCABEM e Secretaria de Estado da Saúde – SES).

  • Luciano Soares Duarte diz: 7 de abril de 2014

    Sr. Martini,

    Postei que errei ao lhe chamar de parcial, retiro o que disse, pois sim o sr. é parcial e governista e deveria abandonar sua carreira de comunicador e entrar para a política, assim não o confundiremos mais. Passar bem!

  • Regis Felipe Arcon diz: 7 de abril de 2014

    Senhor Rafael Martini. O ilustre jornalista esqueceu de mencionar na reportagem que o Governo do estado investiu em 2012 quase R$700.000,00 para reforma e melhorias da FCEE. Caso o senhor não saiba a publicidade ainda se encontra no local.

  • Luciana diz: 8 de abril de 2014

    Ah, mais uma coisa que gostaria de comentar à respeito do assunto tratado: Se depois de toda essa exposição da situação precária da estrutura da Fundação Catarinense de Educação Especial o governo não tomar uma atitude, vai ficar muito feio para o atual governo. Nós que temos nossos familiares atendidos lá já estamos cansados dessa greve,precisamos do retorno das atividades, IMEDIATAMENTE, mas tenho acompanhado pelas redes sociais que o governo NÃO está cumprindo sua parte para fazer as negociações com os grevistas. POR FAVOR TURMA DO RAIMUNDO COLOMBO, ESTEJAM CERTOS QUE VCS VERÃO QUE O DESCASO DE VOCÊS COM ESSAS PESSOAS DEFICIENTES SE REFLETIRÁ NAS URNAS!!!
    Nem eu, tampouco os demais familiares votaremos em quem não olha pelos nossos filhos, irmãos, sobrinhos, netos, enteados, primos, enfim, nosso familiares deficientes!!!

  • Angélica Cristiane diz: 8 de abril de 2014

    Régis, onde é que foram investidos esses 700.000,00 em melhorias? Com certeza não foi para a FCEE, pois a buraqueira e as rampas com quase 90 graus de inclinação continuam todinhas lá. Deve ter sido desviado para o bolso de alguém…

Envie seu Comentário