Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Desgaste nas relações

25 de abril de 2014 2

A justificativa para a saída do coronel Nazareno Marcineiro, do Comando Geral da PM foi que a partir de agora ele vai se dedicar ao curso de doutorado de Engenharia de Produção na UFSC. Mas um atento oficial garante que a decisão estava em curso há um bom tempo e foi motivada pela dificuldade que ele tinha em acatar sugestões. Além disso, nos últimos meses, teria discutido com o secretário Grubba e até com o próprio governador.

Aliás

Ao anunciar publicamente sua saída do Comando Geral da PM, Marcineiro reuniu os 30 coronéis da ativa para se despedir dos colegas de farda e agradecer. Metade da plateia aplaudiu e a outra silenciou.

Aberta a temporada

A indicação do coronel Cabral ao posto de comandante-geral da corporação seguiu a lógica das mudanças nas outras áreas, em que os secretários adjuntos assumiram. O novo número 1 seguirá no cargo até dezembro. Depois, em caso de reeleição de Colombo, outro nome deverá ser indicado. Três coronéis já estão na disputa. Todos com padrinhos políticos no núcleo mais próximo do governador.

comentários

Comentários (2)

  • Mané do Rio Vermelho diz: 25 de abril de 2014

    Tiraram o comandante,era muito fraco . Mas o que o tirou do cargo foi o massacre do povo do Bairro Rio Vermelho. O chefe (quadrilheiro de terras) o chamou para que fizesse a defesa de si e sua quadrilha. O que aconteceu? A PM foi ao local e massacrou a população indefesa.Jogou bombas e balas de borracha,sem que o povo tivesse provocado.

  • Costa diz: 26 de abril de 2014

    Tomara que estas disputas internas por cargos, para satisfazer egos, não reflita na qualidade da segurança que a população tanto anseia.

Envie seu Comentário