Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Longe do ideal

26 de junho de 2014 1
MARCO FAVERO / AGÊNCIA RBS

MARCO FAVERO / AGÊNCIA RBS

Passados 22 dias da reabertura da ala norte do Mercado Público de Florianópolis, apenas 13 dos 76 boxes disponíveis já abriram suas portas. A maior parte em funcionamento são lojas de calçados, setor que predominava na antiga configuração, todas na parte interna. Uma tabacaria, três lojas de artesanato, uma de chocolates e outra de cintos também já atendem o público.

A movimentação de clientes segue pequena, segundo apurou reportagem da Hora de SC. O Instituto de Planejamento de Florianópolis (Ipuf) diz que a demora na abertura dos pontos está acontecendo porque muitos projetos não estavam adequados às normas de segurança, e os vencedores da licitação precisaram refazê-los. Outras 30 lojas foram liberadas pela prefeitura e estão nos “finalmentes” das licenças.

comentários

Comentários (1)

  • Cleber diz: 26 de junho de 2014

    O Instituto de Planejamento de Florianópolis (Ipuf) diz que a demora na abertura dos pontos está acontecendo porque muitos projetos “não estavam adequados às normas de segurança.”

    Eu queria saber qual a MORAL que o IPUF tem (no caso os “técnicos” responsáveis pelo projeto do Mercado Público) pra dizer que os projetos apresentados não estão adequados, sendo que o próprio MERCADO PÚBLICO, projetado por ELES (IPUF) não tem sequer acessbilidade. O cadeirante tem que dar uma volta para entrar no Mercado Público, a cor da calçada é identica da do vão central entre outros.

    Não vejo condições nenhuma dessa turma cansada que esta impregnada no IPUF há mais de 20 anos, sem nunca terem feito concurso público. (A TITULO DE INFORMAÇÃO NUNCA HOUVE CONCURSO PUBLICO PARA O IPUF, TODOS OS FUNCIONARIOS FORAM ADMITIDOS NO CANETÃO DO ESPIRIDIÃO AMIM, POR ISSO TODOS AMAM ELE E A ANGELA AMIN)

Envie seu Comentário