Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Lugar de vereador é na Câmara, defendem entidades empresariais

10 de julho de 2014 3

A diretoria executiva da Associação Empresarial da Região Metropolitana de Florianópolis (Aemflo) e a Câmara de Dirigentes Logistas de São José (CDL-SJ) elaboraram um projeto de lei que propõe impedir que os vereadores deixem o legislativo para assumir cargos no executivo. A proposta surgiu após pesquisa realizada pelas entidades, na qual 77% dos entrevistados responderam que os vereadores não deveriam deixar a câmara para assumir um cargo da prefeitura, enquanto 69% acreditam que o vereador deveria renunciar ao mandato para ocupar outro cargo. As entidades justificam o projeto a partir do argumento de que a relação de troca de favores gerada entre o executivo e o legislativo seria prejudicial à democracia, pois impediria que o legislativo agisse de forma independente, e da situação que se cria quando um vereador deixa o cargo, em que assume um suplente, que além de não ter plenos poderes não foi o candidato eleito pela população. Dos 13 vereadores que ocupam a Câmara de São José atualmente, Chico Silvy (PT) e Sandra Martins (PSDB) demonstraram interesse e apoiam a iniciativa.

Fonte: http://www.aemflo-cdlsj.org.br/noticias/detalhe/5236

comentários

Comentários (3)

  • Inácio Campos diz: 10 de julho de 2014

    Sou a favor de que não somente vereadores, mas deputados estaduais e federais e senadores fiquem no legislativo e, se quiserem assumir cargo no executivo que renunciem aos seus mandatos. Sou contra chefes de executivo que combinam com o vice para viajarem para homenagearem chefes do legislativo ou judiciário que assumem temporariamente na ausência do titular. O cargo é do povo o eleito não tem o direito de fazer homenagem utilizando o próprio cargo.

  • Schell diz: 10 de julho de 2014

    Que notícia alviçareira, houvesse mais órgãos colegiados que também exigissem tais procedimentos por parte dos integrantes do poder legislativo, essa ideia poderia obter apoio no Congresso para “tocar” a necessária reforma política que lá está “trancadita” a mais de 7 chaves. Se a sociedade civil se organizar, com certeza nossos representantes “sairão do buraco”. Informem assim aos seus: só vote em pessoas que assumam compromisso com a reforma política; desprezem (e não votem) aqueles que prometeram e depois se omitiram. Agora, se ficam querendo isso e, ao mesmo tempo, votarão nos de sempre, então, a medida e mera “politicagem-palanqueira”: diga-me com quem andas…

  • Osvaldo Peixoto diz: 11 de julho de 2014

    Se a função principal do Legislativo é fiscalizar o Executivo como é que o eleito deixa o poder das leis e vai para o executivo e na maioria das vezes
    prevarica ??? Pode ser legal(sic) mas imoral não tenho dúvidas.

Envie seu Comentário