Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de agosto 2014

Vagas de estacionamento e os seus direitos

31 de agosto de 2014 0

Decisão da Justiça paulista, que obrigou a empresa administradora da Zona Azul de São Carlos a indenizar um motorista que teve o carro furtado em R$ 18,5 mil, está repercutindo nos meios jurídicos. Para o advogado civilista Pedro Neves da Fontoura, o fato de o Tribunal de Justiça de São Paulo ter confirmado a sentença de primeiro grau cria jurisprudência para embasar ações indenizatórias país afora.

Porém, ele explica que tal entendimento vai demorar para surtir efeitos em Santa Catarina, já que a lei que instituiu a “zona azul” dispôs expressamente que a cobrança de preço nessas áreas de estacionamento não acarretará a obrigação de guarda e vigilância dos veículos, não respondendo por acidentes, danos, furtos, ou quaisquer outros prejuízos que deles venham sofrer. Nos resta torcer e esperar.

Foto: Guto Kuerten, BD, 20/03/2014

Foto: Guto Kuerten, BD, 20/03/2014

Voto com o relator

31 de agosto de 2014 1

Eleições: Metade da internet não quer entender o que lê. E a outra…

Leonardo Sakamoto

31/08/2014 10:47

É fácil escrever o que o senso comum deglute com facilidade e que está guardado nos instintos mais animais que não abandonamos nem com milhares de anos de convivência.

Coisas do tipo: “Mata a vadia, mata!”

Difícil mesmo é redigir algo com a certeza absoluta de que apenas uma minoria vai ler até o final, embutindo uma provocação que gere uma reflexão ao final.

Em um assunto considerado polêmico, boa parte das pessoas passa o olho de forma transversal em um texto, capta algumas palavras como “direitos humanos”/ “traficantes”/ “Estado” / “maioridade penal” / “aborto” / “evangélico” / “casamento gay” / “Palmeiras” e sem nenhuma intenção de expor ideias ou debater, pinça um capítulo de sua Cartilha Pessoal de Asneiras e posta como comentário.

É a vitória da limitada experiência individual sobre a necessidade coletiva, da emoção do momento sobre a racionalização necessária para que não nos devoremos a cada instante.

Não existe observador independente e imparcial. Isso até pode e deve ser almejado, mas não será obtido. Quem te falar o contrário, tá de zoeira.

Você vai influenciar uma realidade e ser influenciado por ela. E vai tomar partido, consciente ou inconscientemente. Se for honesto e/ou corajoso, deixará isso claro ao leitor.

Pois mais vale a transparência de dizer quem você é e o que pensa do que a arrogância de se afirmar acima de qualquer suspeita.

Sei que há colegas de profissão que discordam, que dizem que é necessário garantir a pretensa imparcialidade. É necessário, sim, ouvir todos os lados com honestidade para entender e explicar o assunto, mas a sua tradução já sofrerá influência de quem você é e onde você está – socialmente, profissionalmente, politicamente, culturalmente.

Zerar essa influência só seria possível se nos despíssemos de toda a humanidade. Há quem tente ferozmente e ache bonito. Sinceramente, o resultado fica muito ruim.

Tomar posição se reflete na escolha da pauta que você vai fazer, sob a ótica de quem.

Concordo com Robert Fisk, o lendário correspondente para o Oriente Médio do jornal inglês Independent, que diz que em situações de confronto, de limite, deve-se tomar opção pelos mais fracos, ou seja, os empobrecidos e marginalizados, no que se refere à realidade política, econômica, social, cultural e ambiental.

Tomar partido não significa distorcer os fatos, pelo contrário, é trazer o que historicamente é jogado para baixo do tapete, agindo conscientemente no sentido de contrabalançar, junto à opinião pública, o peso dos lados envolvidos na questão.

Distorcer é má fé, preguiça ou incompetência – coisa que muito jornalista que se diz imparcial faz aos montes, aplaudido por quem manda. Aqui ou lá fora.

Toda a informação é grávida. E informação, ela mesma, é canal de alienação, sim. Depende como é selecionada, empacotada e entregue. Mesmo sob o rótulo de “produto 100% imparcial”.

Mais importante: tomar partido não significa apoiar partido. Mas pedir para alguns leitores entenderem isso é tarefa ingrata e hercúlea em meio às matrizes de interpretação da realidade do tipo “vovó viu a uva” que seguem por aí.

Tem muito jornalista à venda. Mas sabe o que assusta muitos leitores (principalmente os comentaristas de blog na internet)? É que existam aqueles que não estão. Neste mundo louco é difícil explicar que ainda há alguns nortes que valem a pena ser seguidos. Não grandes discursos de Verdade, pois isso não existe. Mas noções éticas básicas que, construídas e compartilhadas, melhoram a nossa existência.

Para quem acredita que a vida não é um grande “cada um por si e Deus por todos”, esse chega-pra-lá no cinismo é quase que condição mínima necessária para levantar da cama de manhã.

Posso me aposentar “de verdade”. E agora?

31 de agosto de 2014 2

Papo rápido com Vera Regina Roesler, Psicóloga, autora do livro Posso me aposentar “de verdade”. E agora?

O brasileiro está se preparando para a aposentadoria?
A maioria dos brasileiros evita o assunto afirmando que “quando chegar o momento, saberá o que fazer”, ou ainda que “procurará auxílio se achar necessário”. Há empresas que instituíram Programas de Preparação para Aposentadoria (PPA) e incentivam seus empregados a participar. A adesão nem sempre é a esperada. Há certo receio de encarar o momento da aposentadoria.

Como fazer esta transição? 
O ideal seria ir, aos poucos, reduzindo a carga de trabalho e ocupando este tempo com outras atividades (intelectuais, artísticas, de lazer, com a família, esportes etc). No entanto, no Brasil é praticamente inexistente a experiência de empresas que permitem a redução de carga horária e essa transição gradativa do trabalho para o não trabalho.

Perguntar não ofende

31 de agosto de 2014 0

Quando é que alguém vai dar um jeito no trapiche abandonado do bairro de Coqueiros, região continental de Florianópolis? O local virou ponto de consumo de drogas faça chuva ou faça sol. Sem contar os furtos na região que tem até escola bem ao lado…

Programa animal

31 de agosto de 2014 0
Foto: Rafael Rossetti, divulgação

Foto: Rafael Rossetti, divulgação

O Parque do Rio Vermelho, que há dois anos era motivo de reclamação da comunidade pelo abandono, virou febre em Florianópolis. A trilha com animais silvestres, construída dentro do parque, tem recebido mais de 6 mil pessoas por mês.

Ninho de amor

31 de agosto de 2014 2

Dizem, e a coluna não afirma, que muitas mulheres são curiosas para saber como é. Outras têm até fetiche. Então aí está a foto de uma cela usada para visitas íntimas em penitenciária catarinense.

Foto: Diogo Vargas

Foto: Diogo Vargas

Fica no complexo de Canhanduba, em Itajaí, uma das unidades pré-selecionadas para receber o catarinense Henrique Pizzolato, condenado no julgamento do Mensalão e atualmente detido na Itália.

Bom de boca

30 de agosto de 2014 0

Representante da cidade anfitriã da entrega do Prêmio Brasil Sorridente, o prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Junior, recebeu a medalha comemorativa ao Jubileu de Ouro do Conselho Federal de Odontologia na noite de quinta-feira. Durante o evento, quando também recebeu o certificado pela segunda colocação na categoria cidades com mais de 300 mil habitantes, o prefeito, bem-humorado, disse que a meta agora é perseguir a primeira colocação na disputa.

Se a onda pega...

30 de agosto de 2014 0

Foi-se o tempo do cigarrinho como parceiro clássico do “foi bom pra você?” As selfies chegaram com tudo até aos motéis. Alguns estão fazendo promoção entre os clientes. A melhor foto, que não pode ser pornográfica, ganha até 25 entradas gratuitas. Por enquanto, o concurso é só em São Paulo!

Marina na rede

30 de agosto de 2014 0

O DOT Digital Group, empresa com base em Floripa que analisa o acesso a sites e aplicativos, identificou aumento de 50 vezes no número de visitas à página oficial de Marina Silva desde a morte de Eduardo Campos, chegando à marca de 50 mil acessos em 24 horas.

Presidente da Acif pede explicações sobre o atraso nas obras do Aeroporto Hercílio Luz

30 de agosto de 2014 1

Sander DeMira, presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif ), enviou ofício aos presidentes da Infraero, do Tribunal de Contas da União, aos parlamentares federais catarinenses e ao governador Raimundo Colombo. A todos, pede informações mais detalhadas sobre o que motivou o atraso nas obras do Aeroporto Internacional Hercílio Luz.

Aliás
O empresário Pyter Bruno, do Top One Club, se prepara para assumir a direção geral da regional continental da Acif.