Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

MP pede interdição e fixa prazo para demolição de trapiche em Coqueiros

17 de setembro de 2014 16

trapiche

O Ministério Público fixou prazo de 72 horas para interdição do acesso ao trapiche da Praia da Saudade, no Bairro Coqueiros, em Florianópolis.

O acordo foi acertado em reunião nesta quarta-feira entre o promotor Daniel Paladino, a Defesa Civil municipal e Secretaria do Continente.

trapiche1

Após consulta aos técnicos do município, que confirmaram o iminente risco de desabamento da estrutura, fixou prazo de 30 dias para que seja demolida.

O trapiche já serviu de acesso ao lendário restaurante Arrastão, que teve seu auge dos anos 1960 e 70, quando as praias da região continental eram as mais bem frequentadas da Capital.

As fotos são de Diorgenes Pandini.

trapiche2

comentários

Comentários (16)

  • CESAR diz: 17 de setembro de 2014

    Tanta coisa importante com que se preocupar .

  • fausto marcos diz: 17 de setembro de 2014

    O Ministério Público não determina nada. Apenas recomenda!!!! Quem determina é a Justiça.

  • Mariana diz: 17 de setembro de 2014

    Se já foi um local importante na história da cidade, porque não pensar em revitalizar a área?

  • Maykon diz: 17 de setembro de 2014

    É… Algo considerado patrimônio histórico que já fez parte da vida de muitos moradores da região da grande Florianópolis não recebe a iniciativa do governo de sofrer uma restauração pra preservar a cultura e a Historia de nossa Cidade. Engraçado como tais coisas como: (Educação, Cultura e Acervo histórico) não são valorizados pelos membros governamentais. A ponte “Hercilio Luz” ainda ta de pé por render uma boa quantia de verba para o bolso no nosso governo, se não já teria tido o mesmo final que ta por ter o trapiche de Coqueiros. Uma pena não ter nenhum representante do estado que veja isso com olhos não de politico mais de cidadão catarinense.

    Abraço a todos os Manezinhos da nossa amada Ilha!!!

  • Tanso diz: 17 de setembro de 2014

    Gostaria de ALERTAR ao Ministério Público que as pontes que ligam a ilha ao continente em Florianópolis estão em estado deplorável. Quando eles darão uma “ordem” para que sejam restauradas. Aproveito para dizer ao Ministério Publico que as pontes deveriam ter passarelas para pedestres dos dois lados Projeto original que nós pagamos) e nenhuma delas tem passarela utilizável.
    Finalizando, Srs. do Ministério Publico, não fiquem batendo em cachorro morto e busquem o que fazer para o bem de muitos.
    Apenas mais um (sei que são centenas) façam uma vistoria sob as pontes e “EXIJAM” dos governos Municipal e Estadual uma passarela para pedestres naquele local. É catástrofe anunciada.

  • Nativo de Coqueiros diz: 17 de setembro de 2014

    É uma pena.

    Lembro quando o lugar foi reurbanizado e aberto ao público como uma área pública de lazer, há uns vinte anos.

    É um espaço bonito, que foi abandonado e deixado para os drogados, vândalos e toda a sorte de vagabundos.

    Já que a cidade e seus cidadãos não tem a capacidade de manter tal espaço conservado para o BOM uso (e não para o consumo de drogas e arruaças), talvez o melhor mesmo seja demolir tudo.

    E quem quiser passear que vá a um shopping.

  • Renato diz: 17 de setembro de 2014

    Em um país que não cuida de seus monumentos é muito mais fácil demolir que cuidar, o mesmo MP que determina a demolição deveria também determinar a conservação para que outros não chegue a este estado…..Conservando suas proporções mas se o Coliseu, Torre de Piza, muralha da China ou outros tesouros semelhantes da antiga Grécia estivesse no Brasil fatalmente teria o mesmo destino deste trapiche, a demolição…

  • RONY diz: 17 de setembro de 2014

    Engraçado as pessoas acharem que aquelas ruínas servem para alguma coisa, apenas para encontros de drogados e nada mais! já era tempo de alguém mandar demolir aquilo ali.

  • cleber diz: 17 de setembro de 2014

    Pelo estado em que se encontram as pontes, daqui a pouco o MP determinará a demolição das mesmas.

    Rafael, a imprensa tem que pegar no pé do DEINFRA sobre isso.

    Estou vendo aos poucos as estruturas chegarem a esse ponto igual das fotos acima.

  • GASTÃO MEIRELLES diz: 17 de setembro de 2014

    Mais uma vez, Florianópolis demonstra que não dá valor ao seu passado. O próprio PlANO DIRETOR (Capítulo IX Da Paisagem e do Patrimônio
    Cultural Seção I Das Categorias de Áreas de Preservação Cultural Art. 143. – APC, subitem IV, APC4) fala em preservar “Locais de Memória e Áreas de Interesse Cidadão que “destinam-se à preservação dos lugares onde ocorreram fatos de valor histórico ou legendário, que se mantêm presentes na memória coletiva”. POR QUE SIMPLESMENTE DEMOLIR?! RECUPEREM O TRAPICHE OU FAÇAM UM NOVO!!!

  • Valfredo Schlemper diz: 17 de setembro de 2014

    Deveriam é recuperar esse ponto histórico da orla de Coqueiros. Deveriam é reconstruir e humanizar esse belo cartão postal que já foi um ponto de encontro nos saraus na década de 40 e 50 naquele coreto em ruínas. Infelizmente foi deixado às traças e como tudo que é histórico na ilha e continente se acaba por interesse da especulação imobiliária insana que se instalou por aqui. Povo sem história é povo sem memória.

  • fê diz: 18 de setembro de 2014

    Revitalização em Florianópolis, parem de falar besteira, sou manézinha mais meu maior sonho é ver a Ponte Hercílio Luz no chão, chega de sugar nosso dinheiro. Temos que ter o pensamento no futuro e não no passado, do passado ficam as boas lembranças.

  • Ricardo Abraham diz: 18 de setembro de 2014

    Acho engraçado, o trapiche está lá, ABANDONADO pelo governo há mais de uma década, e quando resolvem tomar uma providência, é pra demolir.
    Fazer uma reforma, uma revitalização, isso já é demais, não é!?
    Sou dessa região, nativo de Florianópolis, e esse pedido do MP é a CARA da cidade: uma verdadeira terra de NINGUÉM, uma terra que tem sua história ignorada, desrespeitada, onde apenas quem tem $$ faz o que quer. Quando não é conveniente, manda derrubar. Mais fácil. Mais enquanto tá rolando $$$ (vide ponte Hercílio Luz), deixa lá…

  • Rodrigo diz: 18 de setembro de 2014

    Daqui a pouco vão dizer que é culpa dos gauchos….

  • Lucas diz: 18 de setembro de 2014

    E uma pena, eu sou morador de coqueiros e pelo menos uma vez por semana prolongo a minha caminhada da tarde com o meu cachorro e vou ate o trapiche, que tem uma vista muito bonita, e durante o dia vejo muitos que ainda usam do lugar, durante a noite realmente fica a merce de usuarios de drogas, ja que nao existe policiamento.

  • Márcia Quartiero diz: 18 de setembro de 2014

    Por que só falar do trapiche, cujas estruturas podem ser recuperadas, e não do Colégio Visão que tomou boa parte da praia, área pública que deveria ser usufruída por todos? Perto dessa ocupação o problema do trapiche não é nada.

Envie seu Comentário