Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Hora de falar menos e agir mais: apesar do discurso forte, violência segue nas ruas

05 de outubro de 2014 5

O ministro José Eduardo Cardozo, a  cúpula da Segurança Pública e o governador em exercício concederam duas entrevistas coletivas nas últimas 48 horas. Foram categóricos ao afirmar que o Estado não se curvará ao crime organizado.

Apesar do discurso forte e da transferência de pouco mais de 20 detentos para presídios federais, o que se viu em Santa Catarina neste sábado e madrugada de domingo, às vésperas da votação, foram novos atentados se espalhando pelo Estado. Já são mais de 26 municípios e 80 atentados.

O crime organizado, pelo menos até agora, não deu sinais de que pretende dar trégua.

A promessa é de formar um cinturão para sufocar a facção em Santa Catarina com estrutura e equipamentos usados durante a Copa do Mundo.

Aliás, não custa lembrar que, durante a realização do seminário técnico da Fifa, em fevereiro em Florianópolis, tivemos um reforço significativo nas ruas de homens do Exército, Aeronáutica e Marinha do Brasil.

Para garantir a segurança a um evento privado, o trabalho das Forças Armadas foi considerado exemplar.

Já passou da hora de o poder público (leia-se União e Estado) botar seu bloco na rua para valer.

Ou seguiremos assistindo, atônitos, cenas de terrorismo por toda Santa Catarina.

Afinal, se até a entrevista coletiva do ministro, mesmo cercada por um aparato de guerra, foi invadida por um homem descontrolado, o que esperar nas ruas…

 

 

 

 

 

 

 

comentários

Comentários (5)

  • souto maior diz: 5 de outubro de 2014

    SALVE GERAL, mandando e rolando em cima de todos e tudo.
    Terceiro mundo ….

  • Paulo Souto diz: 5 de outubro de 2014

    Parabéns a organização SALVE GERAL…

    O Governo deveria ser organizado assim….

  • paulo souto maior diz: 5 de outubro de 2014

    Estamos diante de um Estado Ausente, Falido, Fraco.
    Em mãos de despreparados e pouco qualificados….

  • Aí me cai os butiás do bolso diz: 5 de outubro de 2014

    O pior é que quem lhes paga somos nós…que ficamos reféns da bandidagem.
    Cade a inteligência, cade a antecipação dos problemas…cade…, cade…cade????
    Ah se fosse uma empresa privada…queria ver se estariam la…
    É muita incompetência. ?.

  • Edson diz: 8 de outubro de 2014

    Com o comandante Nazareno não chegaria a esse ponto

Envie seu Comentário