Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Secretaria de Obras estuda implantar uma ciclovia definitiva em Coqueiros

10 de fevereiro de 2015 29

Valentina Rossi
Foto: Valentina Rossi / Arquivo pessoal

A Secretaria de Obras de Florianópolis estuda aproveitar a conclusão do asfaltamento da Engenheiro Max de Souza, no Bairro Coqueiros, para a instalação de uma ciclovia definitiva em toda a extensão do bairro. Atualmente, o espaço pode ser usado pelos ciclistas somente aos domingos, com os cones na pista (foto). O secretário Rafael Hahne é defensor da idea. A resistência maior é dos empresários da via gastronômica (bares e restaurantes). Temem perder ainda mais espaço para os clientes estacionarem os carros nas praias da Saudade e Meio. Mas nada que um acordo com horários prévios possa impedir. E quem ganha, sem dúvida, é a cidade.

Aliás
A turma que se desloca sobre duas rodas em Florianópolis, ou ao menos tenta, anda reclamando da demora da prefeitura em cumprir o compromisso de implantação das ciclovias e ciclofaixas. O termo de mobilidade ciclística firmado entre o prefeito e as ONGS ViaCiclo, Bicicleta na Rua, Bicicletada Floripa e Bike Anjo Floripa prometia 40 quilômetros de pistas até junho do ano passado, mas até agora não foi cumprido nem um quarto do previsto. O Plano Plurianual fala em 20 quilômetros até 2016, mas a prefeitura promete superar a meta.

comentários

Comentários (29)

  • Fabiano diz: 10 de fevereiro de 2015

    Olá, Martini!
    Apenas corrigindo, a ViaCiclo é ONG com sede em Floripa. Atua desde 1997, mas foi formalizada em 2001. É também hoje da diretoria da União de Ciclistas do Brasil, que congrega outras 20 associações pelo Brasil.
    O Bike Anjo Floripa é um braço local do Bike Anjo, que se formalizou como ONG ano passado, mas existe desde 2009 (desde 2011 na cidade).
    Bicicleta na Rua é veículo de mídia e órgão auxiliar de pesquisas desde 2009.
    Bicicletada Floripa é a Massa Crítica local (mesmo movimento dos ciclistas atropelados em bando em Porto Alegre há alguns anos). Existe no mundo desde 1992 e em Florianópolis desde 2002, sendo a segunda mais antiga Critical Mass do país.

  • Juliana diz: 10 de fevereiro de 2015

    Sómesmo pros cornosdodiabo .Ciclofaixa,ciclovia em Coqueiros?E os carros e ônibus vão circular por onde ?Se nos domingos já é difícil de circular,tanto carros e ônibus,como para os ciclistas,imagine nos outros dias.Já viram a quantidade de prédios em Coqueiros e outros que estão sendo construídos ?As ruas laterais da avenida geral do bairro estão entupidas de carros,estacionam nos dois lados da via.Querem que andemos de ônibus,mas este Sistema IMobilidade não funciona.Os ônibus do Abraão e do Itaguaçú já estão cheios de passageiros qdo chegam na Praia do Meio.Da Praia do Meio até a ponte ainda tem muitos pontos para passageiros,que tem que ficar em pé até o trajeto no centro da cidade.Geralmente circulam dois ônibus,um atrás do outro,o primeiro está cheio,saindo passageiro pelo ladrão,para quê então esse ônibus continua parando nos pontos ?E depois dessa tripa de ônibus,o próximo leva uns 15,20 minutos para passar de novo.No final do Abraão ainda tem uma rua que recebe o trânsito de São José e região para o bairro de Coqueiros.Ciclofaixa,ciclovia ? Ruas para circulação de carros e ônibus ? Onde ? Pelo mar ?

  • Victor Berretta diz: 10 de fevereiro de 2015

    Eu, se tivesse um bar ou restaurante ali em Coqueiros, ia preferir muito mais centenas de pessoas passeando de bicicleta e a pé em frente ao meu estabelecimento do que algumas dezenas de carros parados. Faria ainda mais, disponibilizaria um estacionamento para as bicicletas, que não precisa de muito espaço para chamar os ciclistas ao meu restaurante.

    Será que os comerciantes de ruas como a Conselheiro Mafra e Felipe Schmidt gostariam que voltasse a passar carros nessas ruas, ao invés de pessoas a pé?

  • DanielBiólogo diz: 10 de fevereiro de 2015

    “Cidades com maior número de Bicicletas nas ruas,
    apresentam uma melhor qualidade de vida, é fato!”

  • Stefano diz: 10 de fevereiro de 2015

    A saída não é mais estradas para carros, mas sim o fomento de vias alternativas. Conheço muitas pessoas que não usam bicicletas por falta de estrutura, perigos, etc. Muitos não usam ônibus pelo mesmo motivo. Não se pode achar que “ninguém usa bicicleta” se a cidade não dá suporte a isso.
    Sem contar o fato de que nossa cidade é ideal para: teleférico, bonde, barco, etc.
    Tomara que a iniciativa se concretize. Será melhor a todos.

  • Ronaldo Schappo diz: 10 de fevereiro de 2015

    Coqueiros já é dificil de dirigir com o trânsito que tem, imagina oficializando essa ciclovia para meia dúzia de pessoas andarem de bicicleta. Ir trabalhar de bicicleta todos os dias com o clima que temos só se nas empresas tivermos local para banho, troca roupa, etc… Acho mais uma daquelas idéias de girico que não tem o que fazer, somente midía para dizer que Floripa é Capital de ciclistas. Com certeza alguém tá ganhando alguma coisa com isso, fabricantes e lojas de bicicletas, pessoal que pega uma verbinha da prefeitura para colocar em ONG, etc……

  • ANDRE diz: 10 de fevereiro de 2015

    Cumprir prazo não é com a Prefeitura. Agora , seria oportuno uma ciclovia entre a saída da Ilha até a BR 101. Muitas pessoas viriam e sairiam da Ilha de bike, mas por enquanto preferem ficar 1 hora pra fazer 5 KM.

  • Rui diz: 10 de fevereiro de 2015

    O que é pior?, perder clientes que não conseguem caminhar um pouco até chegar nos restaurantes ou perder vidas (ciclistas também são clientes promissores) por não ter uma ciclovia em Coqueiros.

  • thiago diz: 10 de fevereiro de 2015

    Bom dia. A iniciativa da ciclovia é bonita, mas não viável, como farão com as paradas de ônibus, carga e descarda de mercadorias nos comércios; lembrando que exite comercio no bairro o dia inteiro não só bares e restaurantes; estacionamento de clientes, o fluxo de carro é muito grande o dia inteiro pois se trata de uma via de duas mãos, a população de coqueiros cresce muito. Hoje já temos uma das melhores áreas de lazer que propicia a pratica de vários esportes, como o ciclismo, que é o parque de coqueiros.
    Quem sabe uma ciclovia em forma de deck passando por cima do mar, se unindo ao transporte marítimo??
    Não seria viável?

  • Pompilio Fidelis diz: 10 de fevereiro de 2015

    Isso aí é apenas nos domingos pela manhã, onde pais estão em casa e levam a filharada para passear, dias de semana , horário comercial não tem esse povo na rua. Coqueiros recebe transito de São José e arredores que cortam caminho por ali, ideia de jerico. Prefeito prometeu o que não podia para ONG’S e agora quer cumprir na marra. Já não chega a manezada que para em fila dupla?

  • Sérgio diz: 10 de fevereiro de 2015

    Sou a favor da ciclovia, mas não nos espaços dos carros, neste domingo por exemplo, na faixa destinada aos ciclistas, quem mora em Coqueiros sabe como fica o trânsito nos horários de pico ou aos finais de semana, imagina em uma só via.
    Quanto ao que foi colocado sobre ir a restaurante de bike, me desculpe ninguém vai mesmo.

  • Claudio Tadeu Netto Dornelles diz: 10 de fevereiro de 2015

    Entendo como válido a ciclovia em Coqueiros. Só que no papel é muito bonita. Como atravessar a Ponte. Descer do outro lado só com a bicicleta nas costas, pois não há acesso facilitado, como atravessar as vias rápidas antes da Rodoviária. Não adianta pensar em Coqueiros se não pensar no todo.

  • Marcelo diz: 10 de fevereiro de 2015

    Essa ideia de ciclovia permanente é estapafúrdia.
    Sou morador da região desde sempre e, portanto, conhecedor dos seus problemas.
    O trânsito de Coqueiros já está engarrafado em horários de pico e lento em alguns outros pontos ao longo de todo o dia. Logo, diminuir ao invés de aumentar o espaço para trânsito de carros, motos, ônibus e caminhões só vai aumentar o problema.
    Não fazendo nada para mudar o atual cenário, já temos como certo que o trânsito vai parar completamente em até 5 anos… Agora imagina diminuindo o espaço para trânsito de veículos.
    COMPLETA PIADA.

  • Jefferson diz: 10 de fevereiro de 2015

    Penso que falta espaço para ciclovia em Coqueiros. Se tivesse mais saídas transversais até a via expressa, poderia funcionar. Porem da sim para implantar a ciclovia em frente ao IFSC, pois lá 2 pistas não precisa. Também faria o mesmo com a terceira faixa embaixo da ponte Hercílio Luz, assim ligando a Beiramar Continental ao parque de Coqueiros. Também usaria a terceira faixa da pista em frente a Comcap para estacionamento de funcionários em 45o.

  • Guilherme Roveda diz: 10 de fevereiro de 2015

    Cambada de hipocritas, nao pedalam, portanto não conhecem nossas dificuldades, OS MESMOS Q ESTAO FALANDO Q ELA NAO EH VIAVEL, são as mesmas pessoas q passam por nos ciclistas (não de final de semana) tirando um fino, TEM MUITA GENTE SIM, que usa a bicicleta todos os dias para atravessar a ponte, E QUEM DISSE PARA O SENHOR Q A PONTE NÃO PASSA BICICLETA ou PEDESTRES ? RETARDADOS. E alem do mais esses que estão criticando, são os mesmo q nas CICLOVIAS (tanto na beira mar continental quanto na norte) Correm, Caminham na ciclovia. ACHO A INICIATIVA MUITO BOA, E TOMARA q SE CONCRETIZE, EU MORO EM COQUEIROS

  • Marcelo Venturi diz: 10 de fevereiro de 2015

    Muito melhor ter público de ciclistas nos bares e restaurantes que carros. Já existem bares em Floripa que dão descontos para quem chega de bicicleta, como o Ekos Boulder e outros. Imagina uma via gastronômica inteira que desse desconto para quem chegasse em duas rodas, que demais!!!!! Seria sem dúvida um destaque internacional, sem contar que os estabelecimentos deveriam ser obrigados a ter estacionamento para sua capacidade de clientes, mas se estes espaços forem pensados em ciclistas, será bem menor.
    Quanto ao aumento do número de prédios e consequente número de carros, é um problema que vem crescendo em toda cidade por culpa desses veradores e prefeitos que aprovam alterações no Plano Diretor aumentando os gabaritos, só pensando nos caixas dois de suas empreiteiras e empresas de trânsito, como bem mostrou o caso da PF Ave de Rapina.
    Em minha opinião haveriam apenas vias exclusivas para ônibus e ciclovias, sem vias de acesso à carros (talvez apenas trânsito local para acessarem suas garagens já que os prédios já foram construídos). Claro que o sistema desintegrado de imobilidade urbana precisa ser melhor, mais acessível, com mais horários e preços menores… mas enquanto tivermos apenas uma empresa em contrato de 20 anos, duvído que isso venha a acontecer.
    Viva as ciclovias, que se façam cada vez mais!

  • Agora sim diz: 10 de fevereiro de 2015

    Nossa! Que ideia maravilhosa!!!!! Claro, o problema do trânsito e da mobilidade foi resolvido, de modo fácil e barato. Para quem trabalha (a maioria) deve ser uma maravilha mesmo trocar o carro pela bicicleta. Ir trabalhar de manhã com sol e voltar na hora da chuva de verão ou do vento sul de inverno, que são corriqueiras em Florianópolis. Trabalho em um órgão público e nunca vi um ser humano vir de bicicleta, nem os que mora aqui perto. E olha que têm “ciclovia” (tinta vermelha no chão) por aqui. Atravessar a ponte de bicicleta então… que maravilha, segurança total!!! Parabéns a todos vocês falsos moralistas que vêm com essas ideias “fabulosas”! Vamos acordar, é por isso que esse país não vai para frente! As obras têm que acompanhar o crescimento da cidade, e não é pintando uma linha vermelha na metade da pista que passa carro, que vai se criar uma ciclovia, tampouco resolver-se o problema da mobilidade urbana. Mais uma administração incompetente que pretende incutir esse tipo de ladainha na cabeça do povo. Não é à toa que o Brasil reelegeu a atual presidente e que temos uma oposição incompetente que não se movimenta para tirá-la do poder. É isso aí! Pra frente Floripa, pra frente Brasil, todos de bicicleta.

  • Elias diz: 10 de fevereiro de 2015

    Ciclovia seria uma alternativa corretíssima mais infelizmente nesse País e Estado só pensam em política e esquece de governar, agora querem fazer uma ciclovia que seja definitiva o que a prefeitura tem que fazer e recuar a estrada não diminuir o espaço e tem mais eu tenho BIKE gosto muito de pedalar, mais tem uns folgadinho que andam no meu dos carros, até a hora der uma desgraça depois do leite derramado é tarde. Respeitem os carros e os motorista respeitem os pedestre.

  • josé carlos machado diz: 10 de fevereiro de 2015

    O SECRETÁRIO em vez de idéias burras deveria ter um pouco de inteligência para fazer serviços. ESPEROU começar as aulas para dar continuidade a um serviço que já deveria ter sido feito no começo do ano, já que não terminaram no ano passado.
    ESSE SECRETÁRIO deveria contar quantos CICLISTAS PASSAM NO DOMINGO , na famosa faixa exclusiva. Meia dúzia de gatos pingados.
    Mostre serviço acabando com os estacionamentos nas ruas transversais de coqueiros, que virou uma pouca vergonha. Ninguém consegue sair mais das garagens, pois são ruas estreitas e tomadas por carros.
    SE QUIZER PARAR COQUEIROS IMPLANTE EM DEFINITIVO ESSA CICLOVIA.

  • waltencir jose da silva diz: 10 de fevereiro de 2015

    tem que se pensar em florianópolis, bicicleta como alternativa ao trânsito, tem que ter bus adaptados para levar bikes e locais onde podemos deixar as bikes com segurança, para pegar mais tarde.

  • Gustavo Michels diz: 10 de fevereiro de 2015

    E uma pergunta, tem mesmo a necessidade de fechar a Beira Mar Continental por completo? Acho desnecessário até porque não existe tanta muvuca assim para fecha a beira mar continental, porque não fecham a beira mar do centro?
    Lá sim a quantidade de pessoas é maior.

  • Luc diz: 10 de fevereiro de 2015

    Ah,mas vai ficar uma maravilha…sem a ciclofaixa o trânsito de Coqueiros já tá ruim,imagine com ela…qntos ciclistas vão passar por ali?? É só dar uma olhada no que fizeram na Rua Almirante Lamego,no centro…obra,completamente,desnecessária,só imagino os pontos de ônibus,entradas de postos de gasolina…uma piada,como bem disse o Marcelo!

  • Cleber diz: 10 de fevereiro de 2015

    Na maioria dos comentários, faltou “um queime as bruxas!!”

    eita povinho provinciano e atrasado.

    Quem diz que atravessar a ponte é impossível e perigoso, nunca deve ter feito isto na vida.

    E aos motoristas indignados, por favor, respeitem os 40km/h nas vias principais do bairro, porque até isso não respeitam mais. e as faixas de pedestres tb.

    Ciclofaixa seria uma ótima alternativa sim! Claro que se aumentassem a frequencia dos onibus para o centro com uma passagem aceitável, muita gente nem iria tirar o carro da garagem.

  • oldemar jose filipine diz: 10 de fevereiro de 2015

    Ideia maravilhosa. Além de Coqueiros, estender a cliclovia até o final da Rua João Meireles, no Bairro Abraão, podendo, ainda, fazer ligação com a Rua Ivo Silveira, conectando com a beira mar de São José.

  • Luis diz: 10 de fevereiro de 2015

    E as passarelas sob as pontes? Terão segurança? Reformas? O que conspira contra o transporte marítimo, as passarelas, as ciclovias? Precisa de comissão, superfaturamento,combinar com o cartel do onibus??? Que se dane o carro, o transporte automotivo individual!

  • darlan diz: 10 de fevereiro de 2015

    A ciclovia aqui em coqueiros só é viável com o trânsito em sentido único na geral . Fora disso é uma utopia. Várias vzs usei a bike para ir ao trabalho na ilha, mas acho que é impossível implantar uma ciclovia enquanto o trânsito para automóveis for nos dois sentidos como está hoje.

  • FERNANDO diz: 10 de fevereiro de 2015

    SECRETARIO!!!

    NAO SO COQUEIROS…TRAGA ESTA IDEIA TBEM PARA DENTRO DA ILHA..ONDE SOMENTE ONIBUS E OUTROS TRANSPORTES PUBLICOS IRIAM TRAFEGAR PELAS RUAS DO CENTRO…TINHAMOS QUE TER A CULTURA DESENVOLVIDA DE UM POVO SAUDAVEL..SUSTENTAVEL…MAS SOMOS “BURROS” IGNORANTES…
    NAO É A TOA QUE TEMOS O GOVERNO QUE MERECEMOS!!!

  • Fabricio Sousa diz: 11 de fevereiro de 2015

    Rua é lugar para circulação de veículos!

    Seja ele uma bicicleta, um carro ou um coletivo. Inviabilizar a obra pra deixar estacionamento? Isso nem é obrigação da prefeitura. Tenha dó! Vamo arrumar um motivo melhor?

    E vamos esclarecer… Ciclovia, ciclofaixa ou “ciclofarsa”? Porque pra fazer mal feito é melhor deixar sem… Tem cada armadilha por aí que é um perigo.

  • Alex Kindermann diz: 12 de fevereiro de 2015

    mais um ideia de jerico! quem sugere uma bobagem dessa não faz ideia do que está falando! só pra aparecer mesmo, querendo pegar carona com os descoladex cicloafetivos! caiam na real! andem somente com os pés no chão, e não com os membros da frente!

Envie seu Comentário