Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A polêmica do pedágio em Florianópolis

20 de fevereiro de 2015 14

visorponte
Foto: Guto Kuerten / Agência RBS

O assunto antecipado com exclusividade por este Visor ontem virou avalanche nas redes sociais. O vereador Roberto Katume (PSB) protocolou projeto de lei que propõe a cobrança de tarifa para veículos de turistas que ingressam na Ilha de Santa Catarina.

Muita gente criticou, mesmo sem conhecer os detalhes da proposta. É certo que ninguém suporta mais pagar taxa, pedágio ou qualquer outra forma de imposto. Ainda mais hoje. Mas não dá negar que o tema merece um debate aprofundado. Do jeito que está, não dá mais para ficar.

comentários

Comentários (14)

  • Gerson Luiz diz: 20 de fevereiro de 2015

    Talvez a solução seja tirar o “privilégio” de Floripa de ser a capital do estado. Aí diminuiria um pouco o trânsito na cidade. Só não sei como a cidade sobreviveria sem essa condição de capital. Florianópolis está é muito mal acostumada, torrando parte dos impostos arrecadados nas outras cidades, como por exemplo na infindável e dispensável reforma da ponte velha.
    Afinal, qual cidade do estado que tem rodovias estaduais e pontes ligando bairros, construídas pelo governo estadual?

  • Eduardo diz: 20 de fevereiro de 2015

    O grande movimento das pontes é do pessoal que vem trabalhar na cidade. Muitos tem placa de palhoça, São Jose e teriam que pagar pedágio ? Ai que vai pagar a conta de novo é o povo. Eles vão cobrar 10 pelo pedágio e o serviço vai aumentar 30. Bem quanto a turistas eles usam restaurantes, hotéis e fazem compras, por isto já deixam dinheiro, impostos e dão empregos na região. Sendo irônico se querem acabar com os turistas, basta fechar hotéis, proibir alugueis nas praias, fechar restaurantes e comércio e etc…. O estado tem que sim é melhorar os acessos, melhorar transporte coletivo, melhorar a mobilidade, segurança, acabar com corrupção e etc… não aumentar taxas e impostos. Poderiam até pensar em cobrar taxas localizadas em lugares turísticos onde as pessoas só vão para passear, ou no centro antigo (para diminuir o movimento), mas na entrada da cidade é um absurdo.

  • Luis diz: 20 de fevereiro de 2015

    Florianópolis, graças a Deus, mos fio, já não é mais uma cidade dependente da monocultura turística com seus conhecidos efeitos colaterais: degradação, especulação e corrupção. A maior fatia do PIB já vem da indústria limpa da TI. A ilha tem limites. E, em boa parte do mundo civilizado, se cobram sim taxas de turismo. Até porque, sobrecarregam a infraestrutura da cidade com contrapartida questionável.
    Floripa menor, Floripa melhor.

  • mario diz: 20 de fevereiro de 2015

    Vai chegar a hora em que não terão mais onde cobrar impostos dai virá o que mais me preocupa, A COBRANÇA DO OXIGÊNIO QUE RESPIRAMOS.

  • Wilson Miranda diz: 20 de fevereiro de 2015

    Senhor vereador, floripa é capital do estado, e como fica a situação dos veiculos do interior que necessitam transitar na capital? 2. Estás a fim de transferir a capital para o planalto? 3. Quando reinvindicam obras publicas estaduais para a capital, logo se utilizam do jarguão “como pode uma capital de Estado não ter isto ou aquilo?” Se tais obras fossem no interior não teriam problema com o pedágio. O que achas disso vereador?

  • Curió diz: 20 de fevereiro de 2015

    Mesmo que fosse ” implantado ” com tanto olho gordo e gravata criminosa quem ousaria mais entrar na FLORIPA EM CHAMAS da grande noite das trevas de São Bartolomeu que será o governo estadual com sede em Florianópolis ? O estado de Santa Catarina não vai bem por mais que queiram doirar a pílula e vender diuturnamente as CAMOMILAS RAULIVEIRAS rosinhas… O furdunço não é privilégio de Floripa não… Seus atentados, escutem um pouquinho mais, a discussão está na roda, na pauta ( um estado que não tem pauta, prioridades, não sabe se caminha para frente ou verso e, fica exposto aos acontecimentos fantásticos – a vaca tosse, o boi foi agredido, o cachorro foi magoado – ” SALVE UM PROFESSOR – ADOTE UM COM MESTRADO ) … Nada haver ? Tudo a ver. Explico. Há uma incompreensível dobra política ( que já é só imbricação de platôs desde Tordesilhas ) entre o estado e a união. Desta forma aqui em Santa tudo é invertido com relação aos acontecimentos nacionais, nem a notícia aterrissa por aqui, passa de avião para o Paraná, Rio Grande do Sul, Buenos Aires, Lisboa… )… Tem umas cabeças de burro encalacradas na terra, enterradas na história do nosso… PARLAMENTO! Isso, Alesc, os quarenta do Ali lá. Compreendeu ? Dinheiro na cueca é um slogan ” engraçadinho ” diante do dinheiro no ânus, no estômago, dinheiro no ralo do colombismo golbesiano absolutista, cego, surdo, mudo, insonso, fedorento perfumadíssimo como o incenso dos altares. Boata umas espadas e triângulos… você compreende sim. Já vou chegar lá. Na pressão do panelão estão: legiões de comissionados incompetentes indicados pelas pistolas dos coronéis comandantes dos votos dos manés. Já volto, vou almoçar, já vou chegar lá, tu irás compreender sim, eu garanto. Mais uma hora e termino: Curió ( comentário 2 – variações do mesmo tema ).

  • Eduardo Bastos diz: 20 de fevereiro de 2015

    O objetivo final do pedágio é ter mais uma fonte de propina para os vereadores! Aliás a Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa e Congresso Nacional, atualmente só tem serventia para safadeza!

  • Curió ( comentário 2, continuação do 1 + correção ) diz: 20 de fevereiro de 2015

    Leia-se bota e não boata, ( se bem que a coisa pública esteja assim uma boata da antiga Villa Palmira )
    Leia-se nada a ver e não nada haver, ( se bem que qualquer parlamento sempre julga ter haver mais raspinha, mais aditivo, mais propinossauros a conservar )
    Leia-se com calma, eu também volto para entender… kakaka! Toca! Taca-le pau nessa carroça Curió na boleia, que chegaremos lá, no nó górdio da polêmica do pedágio. O vereador é do PSD não é ? Bem, não conheço, nunca vi mas, meu método é… dedutivo. Os partidos políticos são muito visados por alguma falcatrua, algum deslise ético ( topogam montanha daqui aos USA, pense ) ( os dois pés duma vez só no sabonete, pensa ), volte para ler a frase, para continuar também voltei… Alguns tem até apelido: manda brasa, petralhas, assim como eles da PF batizam as operações… Ave de Rapina… ” tendesse ? “… É hábito do nosso povo apelidar. E cola, nunca mais descola! Alguns partidos ganham visibilidade também com atos, fatos ou figuras… como o PSB do Paulinho, o chamado neo-socialista… ainda não cheguei lá. Lá. No S do significado da sigla dentro da abreviatura PDS, digo, PDS. PSD que Colobo ajudou a criar com Kassab, deixando para trás velhos amigos do demo, digo DEM, após o escândalo do Demóstenes senador moralista de grande fama e fulminações. O ” S ” do significado, social ?, socialismo ?, socialista ?, qual o vocábulo mesmo, desafio de cor até o Rafael a lembrar, 15 segundo… Qual o vocábulo para adentrarmos no significado dentro do contexto nome de sigla, engajamento político… etc. Está ficando quente… Se uso o método dedutivo entretanto você tem que usar o indutivo… aos poucos, porque senão não dá para entender. Você julga que as pessoas em geral entendem ? Claro que não. Isso passa a ser assim um tipo de Descoberta da América por Cristóvão. E levar em conta o… Cabral. Tá esquentando mais. No Brasil quem manda são os padres, os maçons, os coronéis. Não falo dos coronéis fardados, exemplificando, que estiveram em cena na ditadura manobrados pelos primeiros. A PM sabe-se que é completamente maçônica do ideário até a promoção do oficialato. Mas voltemos para a Câmara Municipal de Florianópolis, onde o chefe é outro membro do PSD, que assinam as portarias de medidas provisórias, de vetos vetados e não vetados, derrubados ou deixados de pé… como ademais tudo o que é qualquer tipo de outra lei… umas estão de pé, outras estão deitadas, sem réquiem nem trombeta são sepultadas nos ” Itacurubis ” das COJURES. Uma em cada órgão… É perfeita a ORGANIZAÇAO. Todos estão buscando um fato político para cobrir a aterrissagem nada triunfal de Colombo ( Já descobriu o S ? do PSD ). A questões dos Brutus de Cesar não andam lá essas maravilhas quando vai de vento em popa a DELATORIA COM PREMIAÇÃO. Chegando…
    * É uma interpretação apenas, uma opinião para o debate. Foi encontrado agora a custo um bode explanatório. Não é que fosse uma novidade mas é polêmico. E nada como uma aporia, uma coisa sem solução, uma polêmica para cobrir, encobrir, seja umas vergonhas, seja uma busca sem mapa da cabeça de cavalo enterrada faz tempo.
    * Qualquer vereador de qualquer partido teria legitimidade para levantar essa lebre. Jornalistas também. Não é esse o problema, isso não é problema.
    * PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR:
    1) Os parlamentares, independente de níveis, nacional, estadual, municipal, são incomunicáveis, como não o são os presidiários ?
    2) Não sei até agora o que de SOCIAL, SOCIALISMO, SOCIALISTA, tem o partido social democrata? ( é isso mesmo, preciso de confirmação ). Mesmo tendo Colombo, Cesar, nomeado PCdo B, PT, etc. { tudo que existe no mercado… uns 33 } Qual é a ação estratégica do mesmo partido PSD a não ser arrumar emprego ( não trabalho, para isso os nomeados são incompetentes ), a começar pelo próprio Colombo que se arrumou um emprego de primeira! Esta estratégia é tão oculta, tão no obscurantismo típico dos estados absolutistas da idade média, na Igreja da época, e na maçonaria, que tem um reflexo tão visível no estado ( mesmo com secom matriz e filiais ) que os nossos PARLAMENTARES OMISSOS DA ALESC estão de bico calado, aguardando a ordem do chefe. OS AVES DE RAPINA e seus colegas safos estão neste contexto, sim, é preciso ter olhos para o tecido todo. Tudo é muito obscuro, aparece da noite para o dia, uma caixinha de pandora de presente toda semana para o povo. Os jornalistas da imprensa que não estão dentro do esquemão, por serem competentíssimos e jovens, saídos de uma universidade livre pós-1988, reclamam isso, já li inúmeras vezes: que eles são pegos de surpresa, ninguém sabe de nada, como no caso do rolo compressor antes do natal da Alesc, aprovaram tudo nas coxas… A Câmara municipal iria ser diferente ?
    * Aberta a discussão… ótimo. O vereador do PT que queria acabar com o Navegay em Navegantes voltou atrás. Leu jornais. O vereador do PSD, nem lembro muito menos importa o seu nome, vai adiante ? Lê jornais ?
    * Colombo está gozando da nossa cara, os professores. Também está de gozação com todo mundo mas o povo catarinense além de trabalhador é tolerante, religiosamente tolerante. A PM vai nomear os novos oficiais como sempre fez. O governador está rindo… vou, não vou, desembarco, não desembarco, vou para Coxia Rica, vou acompanhar o Deschamps no seu Caminho de Santiago pelas Regionais, vai saber ? Ontonte começou a quaresma. Cinza nas cabeças.
    Platôs, dobras, desdobras, inflexões, reflexões, já descobriu o S ?

  • Eduardo Bastos diz: 20 de fevereiro de 2015

    Há muitos anos atrás se falou em mudar a capital do Estado para Curitibanos. Por que não é feita esta mudança? Vai tudo para lá… secretárias, polícias, etc, inclusive a Assembleia e o Judiciário Estadual! Assim acredito que melhore a mobilidade urbana… já cobrando uma taxa vai mudar o que? Por que Floripa que é uma ilha não tem transporte marítimo? Intere$$ante né? Já que barcas reduziriam o trânsito de veículos, carros e ônibus.

  • Pedro Pickler Da Correggio diz: 20 de fevereiro de 2015

    Concordo que seja cobrado, mas antes que se promova audiências públicas, que se discuta adequadamente o fato, pois não é justo que nossa ilha seja invadida todos os anos por turistas, que aqui desfrutam de nosss belezas naturais, infernizam o trânsito, enchem nossas praias de lixo e os impostos IPTU e outros resta só para nos moradores, minha opínião é que o resultado destas cobranças sejam abatidos do nosso IPTU.

  • Geraldo diz: 20 de fevereiro de 2015

    E aqueles proprietários de veículos que são de fora, mas que possuem imóvel na Ilha de Santa Catarina e recolhem o (caro) IPTU da capital?
    Há inúmeros paranaenses, gaúchos, catarinenses de outras cidades e paulistas, como eu, que investiram ao comprar imóveis na ilha, pagamos pesados impostos, movimentamos o comércio e o consumo regularmente nas temporadas e seremos equiparados a um turista eventual?

  • Angelo diz: 20 de fevereiro de 2015

    Acho interessante desde que a adm seja feita por uma entidade civil (Alguma associação por ex), deixar na mão do estado é ter mais do mesmo, ou seja, mais imposto, mesmo retorno.

  • Curió diz: 22 de fevereiro de 2015

    ADENDO das tripas comentáricas. kakakakakaka. É necessário porque já percebi, está no próprio texto da matéria, que o vereador não é do PDS, digo PSD, mas garantido dizer… partido do Colombo e do Kassab… OK. Mas não muda em nada os meus comentários. Apenas acrescento que, ao conhecer no Jornal do Almoço o nobre vereador do PSB ( agora acertei, voltei para conferir ) tive as melhores das impressões sobre o cidadão. E… nos termos do comentário acima do Angelo é de se ser favorável. Muito embora muitos pontos levantados sejam complicadores. O que não dá é para ficar essa baderna como está. O governo do estado, sei lá como ou por quem, tem que criar vergonha na cara múltimilionáriacomissionadadaslegiões
    e mandar alguém ou a Comcap varrer essas pontes! Uma lâmina já atorou um motoqueiro, é horrível o visual e o mato entope os buracos de saída da água da chuva e vai ter
    aquaplanagem geral nas próximas enchurradas.
    E não dá de arremeter o avião ali, como o Colombo anda fazendo por aí.
    Exemplo… a ser lembrado… e questionado para imitar ou não… O Zona Azul, amarelo, está funcionando bem, nos trinques ?
    Olha, pensando bem, com o avanço e as facilidades progressivas com o custo das tecnologias… dá para fazer uma maravilha e beleza.
    Se o prefeito tiver o tino da oportunidade é agora. Mande um projeto para ontem. E dá para conciliar todos os óbices, ambulancioterapia, outros catarinenses, etc.etc.etc.

  • Rosa diz: 23 de fevereiro de 2015

    Sem cabimento a proposta. Não pode-se comparar Florianopolis com outras cidades que cobram a taxa, como F.de Noronha, Morro de São Paulo ou Bombinhas: Estamos em uma capital de estado, que idéia absurda! Já li sobre a proposta e suas isenções, mas na realidade o objetivo é claro: afugentar o pessoal de fora, e convenhamos, todos sabem que isso é o sonho da maioria dos nativos da ilha que não escondem isso. Não quer movimento na ilha? Simples, façam que ela não seja mais a capital do estado. Quer ser uma capital de respeito? Criem uma infra-estrutura que suporte. Quer ser um paraíso intocado e pitoresco? Deixem de ser capital.

Envie seu Comentário