Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Novos imigrantes, velhas práticas

25 de maio de 2015 2

Desde que o mundo é mundo, o ser humano vaga de um lugar para o outro. Antes era só em busca de alimento. Depois veio a posse da terra, o trabalho e as regras, embriões do modelo de sociedade organizada em que vivemos. Atualmente, a maioria das pessoas migra em busca de casa, educação para os filhos e melhores condições de vida. Há até os que mudam do país só porque não concordam com o resultado das eleições ou com o preço do plano de saúde.

Sempre foi assim. O movimento está no DNA da raça. Uma espiadinha na obra Êxodos, do fotógrafo Sebastião Salgado, ajudaria a entender como funciona a cabecinha do bicho homem. Mas até hoje, em pleno século 21, também há os que fogem da fome, da guerra ou das tragédias naturais. São sobreviventes. E tudo o que eles buscam é dignidade. Querem condições de viver apenas do suor do trabalho. Aliás, atire a primeira pedra aquele que não não for resultado da miscigenação no Brasil.

Todos temos sangue negro, índio e europeu. Então sem essa de achar que estes 18 haitianos e 25 senegaleses vão roubar nossos empregos, invadir nossas casas. Há pelo menos quatro anos, desde o histórico terremoto que destruiu o Haiti, este fluxo migratório vem se intensificando no Sul. Portanto podem ficar tranquilos. Esta polêmica em torno do imigrantes vai passar. E então eles poderão tocar a vida, quem sabe ajudar parentes distantes e seguir o movimento da vida. Porque o tempo não para.

Foto: Betina Humeres

Foto: Betina Humeres

Ônibus chegam com 25 senegaleses e 18 haitianos a Florianópolis

comentários

Comentários (2)

  • Paulo César diz: 25 de maio de 2015

    Muito bem Rafael,

    Sempre existe um pobre de espírito para criticar! Aliás, não diria somente isto, e sim, aqueles que não confiam na própria capacidade. O medo dos incapazes, desfere o ódio e o preconceito.

  • José Elias diz: 26 de maio de 2015

    Tem Brasileiros espalhados pelo mundo, Qual o problema se imigrantes chegam? Luciana Lima me desculpe, mas tua teoria não convence. Nordestinos tem em todos os cantos do Brasil.

Envie seu Comentário