Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Desembargador envia nota de esclarecimento para contestar informações da Revista Época

16 de junho de 2015 2

Coordenador do Núcleo de Comunicação Institucional do TJ, desembargador Ricardo Roesler, envia nota de esclarecimento à coluna para contestar informações da Revista Época e comentadas na edição de ontem sob o título de “Carta Aberta a Dom Wilson”:
“Os magistrados que integram o Poder Judiciário de Santa Catarina não ostentam a maior média remuneratória do país. O valor apurado em recente levantamento promovido por órgão de comunicação nacional – Revista Época – tomou por base apenas o mês de fevereiro, oportunidade em que a administração acrescentou à folha de pagamento valores atrasados oriundos da parcela autônoma de equivalência – instituída pelo STF para dar cumprimento à Lei n. 8.448/1992. Outrossim, importante salientar a distinção entre verbas remuneratórias e indenizatórias. Enquanto a primeira compõe os vencimentos; a segunda é eventual, de forma que não integra o cálculo em busca de média salarial. Desta forma, ao observar tão somente os vencimentos da magistratura catarinense, ter-se-ia a média de R$ 28 mil, em valor bruto, sem os descontos”.

Desembargadores de SC ganham 30 vezes mais que o trabalhador médio brasileiro

comentários

Comentários (2)

  • mario diz: 16 de junho de 2015

    Se perguntar não ofende, com os pinduricalhos fica em quanto ?

  • Alberto diz: 19 de junho de 2015

    O Excelentíssimo Desembargador Ricardo Roesler se esqueceu de dizer que, no ano de 2014, auferiu um salário líquido total de R$500.670,00, o que lhe garantiu uma média salarial de R$41.722,50, exatamente como a revista Época (brilhantemente diga-se de passagem) noticiou. E a população pode comprovar o que estou afirmando. Basta acessar o seguinte link da transparência do Poder Judiciário Catarinense: http://app.tjsc.jus.br/consultarendimentos/consultarendimentos.action

Envie seu Comentário