Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Deputado Bolsonaro amplia agenda e visita clube de caça e tiro

23 de junho de 2015 18
Foto: Rafaela Martins

Foto: Rafaela Martins

A dita bancada da Bala da Câmara esteve ontem em Blumenau para participar do debate sobre o Estatuto do Desarmamento na Câmara de Vereadores. Entre os parlamentares, o deputado federal catarinense Rogério “Peninha” Mendonça (PMDB), autor do projeto de lei nº 3722/2012, que prevê a revogação do Estatuto do Desarmamento.

Mas quem, digamos, roubou a cena foi o polêmico Jair Bolsonaro (PP). Com o plenário superlotado por mais de 150 pessoas, foi saudado aos gritos de presidente. O deputado federal conhecido por suas posições contra relações homoafetivas gostou tanto da calorosa recepção que resolveu estender a agenda até a tarde, quando foi recebido pelo prefeito Napoleão Bernardes e depois visitou um estande de tiro, onde deu alguns disparos com uma pistola (foto).

Deputado Bolsonaro amplia agenda e visita loja de caça e pesca

Enquanto isso…
A cada hora quase cinco brasileiros morrem vítimas de um disparo de arma de fogo. Numa lista com 90 nações analisadas, o país ocupa a vergonhosa 11ª posição neste ranking, com taxa de 21,9 mortes a cada 100.000 habitantes. Em Santa Catarina, 56% dos 762 homicídios de 2014 foram por arma de fogo. E apesar desta guerra civil nas ruas, eles entendem que mais armas vão resolver. diante de uma sociedade atônita sem saber a quem recorrer ou acreditar, os vendedores de ilusões aproveitam o vácuo. Vivemos dias difíceis.

Audiência que debate o desarmamento lota Câmara de Vereadores em Blumenau
Deputados federais recebem poucas críticas e muito apoio de Blumenau à revogação do Estatuto do Desarmamento
Estatuto do Desarmamento afetou atletas do tiro esportivo e comerciantes
Deputados federais vêm a Blumenau para discutir revogação do Estatuto do Desarmamento
Aumento da violência é preocupação comum de especialistas que falam de mudanças no Estatuto do Desarmamento

comentários

Comentários (18)

  • Gerson diz: 23 de junho de 2015

    Audiência com meros fins eleitoreiros. Tanto do autor deste projeto irresponsável, populista e oportunista quanto do “nem merece ser citado”. Engana-se quem acha que esses que querem revogar o ED estão fazendo isso por causa do (burro) clamor popular e sim para ganhar votos. Santa inocência, Batman!

  • Sílvio diz: 23 de junho de 2015

    Quando o Estado se mostra completamente incapaz de proteger o cidadão de bem, o que acontece há décadas, deixam de existir argumentos para justificar que um pai de família não tenha o direito sagrado de defender os seus, e com qualquer meio que seja possível. Armas não matam pessoas, pessoas matam pessoas.

  • Marcelo diz: 23 de junho de 2015

    Melhor liberar a arma e o cidadão ter chance de se defender do que como está, que vc para o carro no portão e vem um vagabundo de 17 anos, te da um tiro na cabeça só pq não foi com sua cara e sai rindo para talvez, quem sabe, cumprir 3 anos de internação.
    Libera arma, só assim no lugar de receber um tiro de um inútil desses vou ter a chance de enche-lo de chumbo. Antes ele ir para o inferno que eu. Melhor a mãe de um vagabundo chorar a morte dele do que a mãe de um inocente

  • atirador diz: 23 de junho de 2015

    Martini, da maneira como o texto foi colocado, vc é quem pode estar vendendo ilusões.

    Por exemplo: das vítimas por disparos de armas de fogo, quantas foram mortas por pessoas de bem?

    Quantas foram mortas por pessoas que passaram por clubes de tiro?

    Quantas foram mortas por pessoas que adquiriram suas armas de forma legal?

    Quantas destas pessoas foram mortas por bandidos com armas adquiridas por contrabando?

    Assim, vc está vendendo a ilusão de que podemos viver tranquilos, pois a Polícia sempre vai dar conta do recado…

  • Leonardo diz: 23 de junho de 2015

    Martini, bom dia.
    Recomendo-lhe, uma leitura de fácil digestão sobre o assunto, no livro “Mentiram para mim sobre o desarmamento”, de Flavio Quintela e Bene Barbosa.
    Depois disso, responda-nos a seguinte pergunta: “Quantos destes homicídios ocorreram por armas legalizadas? As quais são defendidas pelos deputados citados nesta reportagem.”

  • Adelino Renuncio diz: 23 de junho de 2015

    Desafio essas estatísticas a ampliarem suas pesquisas e divulgarem quantos desses disparos são efetuados por pessoas de bem, as únicas a serem desarmadas. Bolsonaro presidente!

  • Marcos diz: 23 de junho de 2015

    Engraçado. Quer dizer então que o indivíduo criminoso pode adquirir todo tipo de arma no Paraguai mas o cidadão honesto não pode adquirir uma arma para se defender???

    Aliás, a proibição de comercialização de armas de fogo foi derrubada através de CONSULTA POPULAR. Se na República o poder emana do povo, que seja feita a vontade deste e parem com esse mimimi de que “ilusão de que mais armas vão resolver”. Ninguém quer resolver nada. Apenas queremos nosso direito assegurado em lei e ratificado em plebiscito.

    Vocês jornalistas não entendem NADA da matéria mas adoram emitir juízo de valor sobre tudo. Não se contentam em apenas noticiar a notícia. Pare com isso, Rafael. Qual sua bagagem pra dizer o que resolve ou não?

  • WIllian da Silva diz: 23 de junho de 2015

    Rafael Martini, me desculpe mas seu comentário final foi infeliz e desastroso, pois se baseia em um dado que não necessariamente possui relação direta com o estatuto do desarmamento, aliás muito pelo contrário, se o jornalista pesquisar melhor estados americanos que tinham como proibido o porte de armas tiveram vertiginosa queda nos números de latrocínios e homicídios após a liberação do uso de arma pessoal. Isso não acontece apenas nos Estados Unidos, mas em outras regiões europeias e asiáticas.
    O porte da arma para um pai de família, é muito mais que uma segurança pessoal, é a segurança de toda sua família. Vagabundo vai pensar duas vezes antes de invadir sua casa ou te abordar no transito, afinal bandido não tem medo da cadeia, bandido só tem medo do cemitério.

  • Luciano de BLUMENAU diz: 23 de junho de 2015

    Facil meterem pau quando a lei é fraca para tudo neste país ! Ainda mais que as mortes por arma de fogo é porque a maioria é cometida por bandidos no qual tem acesso mais facil que comprar chicletes na padaria, e eles nem precisam de brocracia ! Sou a favor da aquisição de armas, mas que seja um sistema rigoroso para adquirir (registro, treinamento etc). Claro que além disso temos que ter uma lei rigida para aqueles que mesmo com porte legal venham a cometer crimes ou acidentes por falta absoluta de responsabilidade ! Haaaa mais vai aumentar os crimes passionais ! Meu kirido…….o fato de não ter uma arma….não tira meu motivo de querer matar alguém……pois o mesmo pode ser feito por esfaqueamento ou estrangulamento ….ou até atropelamento e envenenamento ! Não queremos ser herois ! Mas ninguém pode nos obrigar a sermos covardes ! Ainda mais com o total descaso que o governo tem com a população !

  • Fabiano diz: 23 de junho de 2015

    Como legítimo representante da esquerda que pulula nas redações, você, para não variar, perfila-se ao lado errado.
    Das mortes provocadas por armas de fogo, quantas foram causadas por armas legalizadas?
    Proibindo a comercialização e o porte de armas, os criminosos deixarão de ter as suas, contrabandeadas do Paraguai?
    Será tão difícil perceber que as mortes por armas são causadas justamente pela certeza que os criminosos têm de que o cidadão de bem está desarmado?
    Será que se cada um pudesse se proteger, os bandidos não pensariam duas vezes antes de atacar qualquer um?
    Não adianta, a esquerda sempre vai defender vagabundo e ficar contra o cidadão de bem…

  • Lelo diz: 23 de junho de 2015

    Enquanto isso…

    Eu fui perseguido por dois marginais de moto, tive que utilizar meu carro como arma para poder escapar… sem direito de me defender… enquanto os meliantes sabem que pessoas de bem não portam armas… Quero ter o direito me defender, bala na cara dessa corja sem vergonha, vão estudar para ter as coisas, arrumem um emprego… cambada… Acho que o governo deveria pagar a arma e o treinamento para o cidadão de bem, tendo em vista a sua incompetência na segurança pública, eu ainda tenho que arcar com os custos para me armar, mesmo pagando um imposto ridiculamente de alto… Quero o direito de pelo menos poder me defender… é o mínimo que se pode dar para uma pessoa, e nós não temos esse direito…

  • Janaina Ferreira diz: 23 de junho de 2015

    Basta uma rápida leitura a proposta de mudança, PL, da referida Lei do desarmamento que se vê que as mudanças não trazem plena liberdade na aquisição de armas de fogo. Dois ponto tidos como os mais críticos seriam estes, diminuição da idade mínima para a aquisição, passa de 25 para 21 anos, e controle de registro e permissões para as Polícias Civis, terminando com as discricionariedade do delegado da PF. Consta ainda que serão exigidos, aulas práticas, exames físicos e psicológicos, antecedentes criminais em todas as esferas, e ainda por cima um “plus”, não estar respondendo a nenhum Inquérito Policial. Então não podemos chamar isto de “armamento da população”, ou mesmo, “liberação das armas de fogo”, porque isso não vai ocorrer. Quanto aos índices distorcidos apontados no blog, faço um breve porém eficiente comentário, basta os governos passarem a investir responsavelmente nas polícias para que se haja a efetiva repressão aos crimes cometidos, sejam com armas de fogo ou não. Porque nobre jornalista, crimes como o de hoje na Beira Mar, com certeza não fora praticado com uma arma de fogo legalmente adquirida.

  • Roberto diz: 23 de junho de 2015

    Rafael Martini, especialista “RBSeano” em segurança. É o mercado legal de armas de fogo que alimenta os criminosos, então? “Intaum tá bão”!!!

    O pior ignorante é aquele que nem sabe o que não sabe e ainda acha que sabe…

  • Carlos Henrique diz: 24 de junho de 2015

    IPEA – Estatuto do Desarmamento reduziu a taxa de homicídios em 12,6%
    http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-09-05/ipea-diz-que-estatuto-do-desarmamento-reduziu-taxa-de-homicidios-em-126

    Precisa dizer mais alguma coisa?

  • Hermes diz: 24 de junho de 2015

    O autor da matéria deixa transparecer sua opinião, ao invés de noticiar usando da imparcialidade.
    Rafael, Fomos contra o ED e ainda somos contra o Estatudo do Desarmamento SIM. Voce, Joao Marcos Buch e a Maria do Rosário podem dar as mãos e ir para o inferno juntinhos que não irão fazer falta…
    Voce pode se considerar um formador de opinião, porem e só mais um cretinizador em meio a tantos.

  • Lelo diz: 24 de junho de 2015

    “Carlos Henrique”, Foi o Estatuto do desarmamento que reduziu a taxa de homicídios? Ele resolveu a segurança pública? então demitamos as policias e contratemos médicos, o que você acha? Quem é IPEA?

    Faça me o favor de poupar meus pensamentos… ? Quando sua família for vitima de um bandido e você tiver só as suas mão para defende-la você vai mudar de ideia, nós estamos lidando com animais, bichos, temos que nos defender, ninguém quer legalização para virar assassino. Os assassinos já estão armados e as vitimas proibidas de se defender.

    “Martini”, eh muito bom ter um espaço para discutir. parabéns. Você é um cara novo e vai mudar de opinião a respeito de várias coisas, não se preocupe.

  • marcelo diz: 24 de junho de 2015

    Os EUA tem a “vergonhosa” 1ª posição neste ranking, e tem um índice de criminalidade muito menor que o Brasil.

  • Márcio diz: 12 de julho de 2015

    Se os homicidios aumentarem com esse novo projeto e as vitimas forem os bandidos, ta valendo….Bolsonaro Presidente!!!

Envie seu Comentário