Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Candidatos aprovados no concurso público para Ministério Público desaprovam projeto

05 de julho de 2015 18

Quem também não gostou do projeto que prevê a criação de 62 cargos comissionados no Ministério Público Estadual é a comissão de candidatos aprovados no concurso público 01/2014 para o MP. Relatam que, ao questionar o MP formalmente sobre a demora nas nomeações, receberam como resposta o fato de o gasto com pessoal estar no limite, impedindo novas contratações. A comissão dos aprovados alega que ano passado já foram aprovados outros 410 cargos comissionados. Pois agora…

Deputado conseguiu barrar tramitação do projeto de lei que cria 62 cargos sem concurso público

Leia as últimas notícias sobre o Ministério Público Estadual

comentários

Comentários (18)

  • Aprovado injustiçado diz: 6 de julho de 2015

    Parabéns pela observação deste blog.

    Isso é uma pena, priorizando cargos em comissão aos aprovados dentro do quantitativo de vagas. Os classificados dentro da impessoalidade do concurso aguardam, e os cargos em comissão, qual a regra adotada para a escolha destas pessoas ?

    Segundo este mesmo blog, o Ministério Público estadual possui cerca de 500 servidores efetivos e 905 comissionados. Isso significa que 65% do total de servidores são comissionados !

    Isso vindo de um órgão que deveria ser o exemplo a ser seguido.

  • José da Silva Brasileiro diz: 6 de julho de 2015

    Perfeita a colocação Martini! O que o MPSC está fazendo com os candidatos aprovados no último concurso público é uma falta de respeito e uma afronta aos princípios constitucionais da moralidade, supremacia do interesse público entre outros. Quem irá dar um basta nesta arbitrariedade do MPSC? Quem irá fiscalizar o órgão que costuma fiscalizar os demais neste quesito? Atualmente o MPSC atua na base do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Aí é dose!

  • Andur diz: 6 de julho de 2015

    É incrível como o interesse de membros do MP é grande em dar trabalho para pessoas que são apenas conhecidos ou aparentados dos membros e não tem capacidade ou não querem encarar uma rotina pesada de estudo para realizar concursos públicos. Você dedica anos da sua vida se preparando, investe dinheiro, deixa de passar tempo com a família e amigos para estudar. E quando finalmente consegue ser aprovado DENTRO DO NÚMERO DE VAGAS vê inúmeros comissionados sendo chamados todos os dias por meio do Diário Oficial e recebe a resposta de que não saem as convocações pois o orçamento está apertado.

    Qual a moral do MP-SC para cobrar de qualquer prefeitura ou câmara de vereados sobre comissionados? Sendo que no MP a proporção é quase 2 comissionados para 1 servidor concursado. ABSURDO!

  • ESP diz: 6 de julho de 2015

    Excelente nota e em momento oportuno. Sugiro outra abordando as justificativas para tamanha quantidade de comissionados e uma posição do CNMP

  • Andre diz: 6 de julho de 2015

    Realmente, existem vários aprovados aguardando convocação do MP… e o MP não se posicionou “oficialmente” sobre o que está travando o processo……

  • Lorimar diz: 6 de julho de 2015

    Meus pais sempre me ensinaram que educação e bons exemplos vem de casa!

  • Julia diz: 6 de julho de 2015

    Estou entre os aprovados do último concurso realizado pelo MPSC, e não tenho nenhuma perspectiva de nomeação, porque a instituição que fiscaliza a lei tem mais cargos comissionados que concursados.

  • Andreia Machado diz: 6 de julho de 2015

    É agora?? o que vai acontecer com quem foi aprovado.

  • Aline diz: 6 de julho de 2015

    É inaceitável o exagerado número de cargos comissionados no MP/SC, é desrespeitoso para com quem estuda, gasta tempo e dinheiro adquirindo livros, fazendo cursinhos e afins. Cargo comissionado ainda é sinônimo de apadrinhamento, de “jeitinho (abominável) brasileiro, é a regra do “QI”: ganha o cargo quem tem indicação e, geralmente, de quem tem influência.
    Concurso é mérito, é justo, jamais deve ser trocado por apadrinhamento.
    MP, ser fiscal dos outros é bom né? E a regra só vale para o vizinho? Quem sabe estejamos falando do velho ditado: “Façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço”.

  • Alemoa furiosa diz: 7 de julho de 2015

    É revoltante e indignante que chegamos a esse ponto deplorável de ter que presenciar tamanha falta de respeito com quem se propôs e se dedicou para ser aprovado nesse concurso cheio de problemas. Pedimos que os princípios da administração pública, tão veiculados pelo mpsc sejam respeitados e levados a sério e que algum político que se preze e que tenha pretensões de justiça e moralidade aceite levar essa causa a diante, fazendo valer nossos direitos. Clamamos por justiça!

  • Bfs diz: 7 de julho de 2015

    Não era o MP que estava de olho no excesso de cargos comissionados da Assembléia Legislativa?

    Que coisa não?

  • Júnior diz: 8 de julho de 2015

    O principal problema comissionados são escolhidos por oportunidade e conveniência.

    Não existe uma ferramenta que garanta a impessoalidade na escolha destas pessoas, ou seja, há margem para o apadrinhamento e o nepotismo.
    E se tratando de um órgão como o MP, é uma situação complicada.

  • Rogério Corrêa diz: 8 de julho de 2015

    A atual conjuntura política e econômica do país é perfeita para que os órgãos de defesa da sociedade e da lei cumpram o seu papel de forma efetiva e deem o exemplo para as demais instituições. O MPSC deveria ser um daqueles, prezando pelos princípios constitucionais explícitos da administração pública, bem como pela razoabilidade e proporcionalidade dentro do seu quadro de pessoal. Dezenas de aprovados no último concurso público para servidor aguardam convocação/nomeação, enquanto as despesas com pessoal são desproporcionalmente preenchidas com cargos comissionados, que dispensam qualquer tipo de requisito meritocrático. É de suma importância para o fomento da justiça e da eficiência na administração pública que os interesses políticos comezinhos dos administradores sejam sobrepostos pelos interesses da coletividade.

  • Felipe diz: 8 de julho de 2015

    Hoje o quadro do mp está assim:
    499 efetivos ocupados (35%)
    905 comissionados ocupados (65%)

    Também conta com 900 estagiários

    Do total de vagas disponíveis :
    78,3% das vagas de servidores efetivos estão ocupadas
    94% das vagas de cargos comissionados estão ocupados

    Acho que os dados falam por si só !

  • Luiza diz: 11 de julho de 2015

    Martini, contamos com o seu apoio para que esse assunto não seja ignorado! Você sabia que em todo Brasil só o Ministério Público do Rio de Janeiro tem mais comissionados do que SC? Ainda assim, no RJ existem 2631 cargos efetivos ocupados enquanto em SC existem apenas 499! É uma vergonha para os catarinenses que a instituição do MP tenha mais comissionados do que efetivos! Precisamos rever isso!

  • Luiza diz: 11 de julho de 2015

    Martini, contamos com o seu apoio para que esse assunto não seja ignorado! Você sabia que em todo Brasil só o Ministério Público do Rio de Janeiro tem mais comissionados do que SC? Ainda assim, no RJ existem 1649 cargos efetivos ocupados enquanto em SC existem apenas 499! É uma vergonha para os catarinenses que a instituição do MP tenha mais comissionados do que efetivos! Precisamos rever isso!

  • Júnior diz: 20 de julho de 2015

    É, o projeto foi aprovado.
    Mais 62 cargos comissionados para o MP. Com isso 64% dos cargos ocupados do MP são comissionados.

    E é evidente a priorização dos comissionados frente aos efetivos, é só olhar os dados de cargos vagos: 37% dos cargos vagos são comissionados (63% dos cargos VAGOS são efetivos)
    Uma espiadinha diária do Diário Oficial do MP percebe-se diariamente nomeação de comissionados.

  • JC diz: 29 de julho de 2015

    Alguém tem um contato da Comissão de Candidatos Aprovados? Email? Ou alguém da Comissão por aqui? Sou mais um dos aprovados e gostaria de ter mais informações e compartilhar com outros aprovados que conheço…

    Obrigado!

Envie seu Comentário