Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Jovem com síndrome de Poland é a corredora mais rápida de Santa Catarina na categoria juvenil

10 de agosto de 2015 0
Foto: Antônio Prado, Divulgação

Foto: Antônio Prado, Divulgação

Anny Caroline de Bassi, 17 anos, é a corredora mais rápida de Santa Catarina na categoria juvenil. Há alguns dias cravou 12s12 na prova de 100 metros dos Joguinhos Abertos de Itajaí. Até aí nada de anormal não fosse um detalhe: a atleta de Balneário Camboriú nasceu com uma deficiência física chamada síndrome de Poland. Por isso tem atrofia no músculo peitoral e no braço esquerdo, oito centímetros mais fino que o direito e apenas com o dedo polegar na mão.

Itajaí conquista 3º lugar inédito nos Joguinhos Abertos

Para competir em condições similares às demais atletas, ela improvisa na largada um cilindro de aço que compensa a falta de dedos e permite o equilíbrio necessário enquanto se apoia no chão. O suporte, acredite, é um singelo pesinho, desses usados para escorar porta, no caso a do quarto da própria. Com o tempo que ela bateu em Itajaí, teria condições de ser destaque mundial entre os paratletas, mas a deficiência da mão não é reconhecida porque ela tem um dedo. Azar das velocistas ditas normais, que literalmente vão ter de correr atrás dela, enquanto Anny vai derrubando marcas e preconceitos.

Parabéns, campeã!

Leia as últimas notícias sobre Esportes

comentários

Envie seu Comentário