Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Impasse do Cepon ainda está longe de um final feliz

18 de agosto de 2015 2
Foto:  Daniel Conzi / Agencia RBS

Foto: Daniel Conzi / Agencia RBS

Apesar da intensificação das conversas e da decisão do conselho curador da Fahece de acatar o parecer do MP favorável à transferência do terreno para o Estado, ainda é preciso botar as barbas de molho sobre uma decisão definitiva para o impasse em torno do Cepon. Na nota oficial divulgada pelo conselho da Fahece, a fundação deixa claro que somente aceitará devolver a área avaliada em R$ 80 milhões, caso o governo formalize as razões que configuram o expresso atendimento do interesse público da medida. Observe que este trecho da nota oficial está, inclusive, sublinhado.

Mesmo sem admitir oficialmente, a diretoria da Fahece teme que o Estado não cumpra a palavra a exemplo de negociações anteriores. Um dos pontos em questão é a renovação do contrato com a fundação para gestão do Cepon, que se encerra no fim do ano. E passa também pela garantia de manutenção do Hemosc e implantação do serviço de transplante de medula. Ou seja, apesar do discurso sinalizar uma proximidade no acordo, o que facilitaria a liberação dos R$ 5 milhões e consequente conclusão do centro cirúrgico e da UTI, quem acompanha o imbróglio mais de perto ainda se mostra cético. No melhor estilo São Tomé.

Leia as últimas notícias

comentários

Comentários (2)

  • Luis diz: 18 de agosto de 2015

    A quem interessa manter a lista da cirurgia oncológica quilométrica? Que perversidade mantem as pessoas com indicação de cirurgia oncológica enfiadas nas intermináveis filas dos saturados hospitais gerais públicos? Com tantas dificuldades, quem oferece as facilidades?

  • Marcelo diz: 19 de agosto de 2015

    Porque esta fundação não compra a área, ressarce o dinheiro público investido na construção do hospital e administre ele sem o nosso dinheiro?

Envie seu Comentário