Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sem previsão de uso de escâneres corporais nas prisões e outros destaques

23 de agosto de 2015 2

Sem previsão de quando e se irão ser instalados os escâneres corporais para revistas nas prisões, o sistema prisional catarinense também deverá ficar um longo tempo sem os bloqueadores de sinal de celulares. Esses equipamentos foram retirados e a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania decidiu que vai acionar judicialmente as operadoras de telefonia para que cumpram uma lei estadual que determina que cabe a elas tirar o sinal para os celulares nas prisões. Vem aí uma longa batalha judicial. Enquanto isso, os detentos fazem a festa!

cachos de oportunidade

A galerinha foi conferir in loco a 1ª Festa da Banana de Corupá, a capital catarinense da fruta. Em tempos de cuidado cada vez maior com a alimentação saudável, uma bela iniciativa para movimentar a economia da região do Vale do Itapocu durante o fim de semana.

Sem educação

Há um ano a prefeitura de Florianópolis vem tentando, junto à secretaria de Educação do Estado, a cessão de uso do casarão que até 2007 abrigou a escola estadual Antonieta de Barros. O prédio fica no Centro da cidade – em frente à Kibelândia – e está completamente abandonado, servindo de dormitório e abrigo para usuário de drogas. A intenção é implantar ali, uma creche, já que o Centro é uma das regiões da cidade com maior carência de vagas. Mas não consegue avançar. E olha que prefeito e governador são do mesmo partido…

Tempo não para

No dia 20 de setembro vence o prazo fixado pelo Ministério Público Estadual para que o Deinfra dê a largada para as obras de restauração das Pontes Colombo Sales e Pedro Ivo Campos, orçadas em R$ 70 milhões. O MP garante que não vai dar mais prazo, apesar de ter recebido recentemente um estudo mais detalhado sobre os trabalhos que já foram realizados nas estruturas.

Procura-se

Tradicionais frequentadores do Mercado Público de Florianópolis estão preocupados: procuram, procuram e nada de achar os conhecidos nos balcões, mesas e bares do espaço considerado como o grande ponto de encontro dos moradores da cidade. Não por acaso, o Bar do Alvim, na Rua João Pinto, tem sido o porto seguro do pessoal desde que Ala Sul foi reaberta. Uma coisa é certa: em que pese a importância da reinauguração, a clientela assídua ainda não encontrou o seu bar.

A proposito

Será que os irmãos Berger, Dário e Djalma, nunca cogitaram abrir uma produtora de shows musicais? Evitariam muita dor de cabeça…

Leia as últimas notícias

comentários

Comentários (2)

  • Seu Agente diz: 23 de agosto de 2015

    Martini,

    Preocupados com escâneres corporais ? Na próxima sexta-feira, 32 Agentes Penitenciários Temporários terão seus contratos encerrados, como vão fazer para preencher a falta de efetivo ? Sendo que, os novos Agentes que foram aprovados no concurso de 2013, só estarão a disposição para trabalhar no começo de novembro ( Serão 3 meses de curso de formação ) o que já é ruim, vai piorar está semana, desafio qualquer emissora de TV à fazer uma visita no Complexo Penitenciário de São Pedro de Alcântara, para constatar a realidade das pessoas que trabalham nesse estabelecimento prisional. Na Penitenciária do Paraná, até pela falta de efetivo, foi renovado em caráter emergencial o contrato desses Agentes Temporários por mais um ano, ou seja, até que todos os Agentes concursados sejam chamados, porque não fazer em São Pedro de Alcântara ? Além desses profissionais já terem experiência na função, é mais “barato” para o Governo do Estado de Santa Catarina.

  • Seu Agente II diz: 24 de agosto de 2015

    Para finalizar o meu comentário, acham que os novos Agentes Penitenciários concursados que vão assumir no começo de novembro vai ser o suficiente para “desafogar” a falta de efetivos dos últimos 2 anos ? claro que não, muitos desses colaboradores vão para secretarias com os seus “padrinhos” politicos, ou alguém vai com a maior motivação para trabalhar em São Pedro de Alcântara ? um Complexo Prisional que deixou de ser de segurança máxima faz anos, a maior preocupação é com as empresas instaladas no COPE, onde as mesmas dão grande retorno financeiro para o Estado de Santa Catarina ( Mão de obra barata ) e o desafio continua, qualquer emissora da TV constatar a realidade dos profissionais que lá estão trabalhando todos os dias. Dia 28/08 vai piorar ainda mais o falta de efetivo. Obrigado

Envie seu Comentário