Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Parada sem diversidade. Ativistas criticam falta de debate sobre a causa em Floripa

04 de setembro de 2015 0

Boa tarde.

Venho através desse e-mail informar o motivo pelo qual o movimento social LGBT de Florianópolis não estará participando da 9° Parada da Diversidade como vem acontecendo desde a 3º Parada da Diversidade de Florianópolis.Eu me chamo Lirous e estou como Presidenta da ADEH e do Fórum Diversidade Grande Florianópolis, Fórum este que foi construído com o objetivo de manter o diálogo com todas as instituições que respeitam a diversidade em Florianópolis.

A ADEDH – Associação em Defesa dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade é uma organização Não-Governamental que atua no sentido da garantia de direitos, da promoção de saúde e da discussão no campo dos Direitos Humanos e das políticas TLGB (Travestis, Transexuais, Lésbicas, Gays e Bissexuais). Foi fundada em Florianópolis (SC) em 1993 por travestis e transexuais, com o nome Fundação da Associação em Defesa dos Direitos Homossexuais (ADEDH Nostro Mundo), com enfoque nas ações em Saúde no campo HIV/AIDS com a população de travestis e transexuais em situação de prostituição. Seu objetivo, na época, foi de disponibilizar à população LGBT estratégias de prevenção das DST/HIV/Aids, facilitando e promovendo o acesso da mesma aos serviços públicos de saúde e sociais. Essas estratégias sempre estiveram vinculadas à promoção do controle social, protagonismo político, exercício da cidadania e da inclusão social.

A diretoria sempre se configurou majoritariamente por homens e mulheres travestis e transexuais e essas são uma das cláusulas estatutárias da instituição. A diretoria geral, diretoria financeira e secretaria geral/administrativa só podem ser compostas por homens ou mulheres trans. Em 1995, com o falecimento de Clô (então Presidenta da Associação) em decorrência de conflito com policiais enquanto realizava distribuição de preservativos e outros materiais, houve uma dispersão dos membros da instituição. Desde então, houve tentativas de reorganização do espaço. Em 1999, a Associação se reestrutura e reinicia os trabalhos voltados à área da Saúde, ainda prioritariamente focados à população de travestis e transexuais porém hoje atendendo toda a população da região de Florianópolis – SC. Saiba mais no nosso site: http://siteadeh.wix.com/adeh

Página do FACEBOOK: https://www.facebook.com/pages/Adehonline/674511135945712
Canal do Youtube: ADEH TV: https://www.youtube.com/channel/UC2TtKaqgj4YfBUUTYdjPsKw

O Fórum Diversidade Grande Florianópolis, informa que não participará da Nona Edição da Parada da Diversidade, a ser realizada neste final de semana. Ao mesmo tempo em que reconhecemos o esforço e iniciativa historicamente dedicados à viabilização do evento, consideramos que a presente edição não contempla as pautas de luta e visibilidade necessárias à população LGBT, por diversos motivos.

1. O esvaziamento do caráter político, de protesto e luta da Parada, substituído por fim meramente festivo e turístico, preferencialmente para público branco de classes A e B. Essa substituição é evidenciada pelo fato da Parada ser executada pela Secretaria de Turismo, não a de Cultura ou Assistência Social.
2. Os recursos que entram para a cidade pelo turismo (o chamado “pink money”) não são revertidos para políticas públicas de acolhimento das populações LGBT em situação de vulnerabilidade.
3. A apropriação do evento com objetivos eleitorais, a fim de promover a candidatura do vereador Tiago Silva ao cargo de vice-prefeito de Florianópolis, em chapa com o atual prefeito Cesar Souza Jr, conforme já antecipado publicamente na TV durante a semana passada.
4. A impossibilidade dos movimentos sociais serem ouvidos e consultados para a organização da Parada, como se esta pertencesse a apenas uma pessoa.
5. A ausência do lema NADA SOBRE NÓS, SEM NÓS, que foi o tema do Mês da Diversidade, de 13 de agosto a 6 de setembro. A luta por um lar de acolhimento que garanta direitos e visibilidade para a população LGBT, preferencialmente homens e mulheres trans em situação de vulnerabilidade, é fundamental para enfrentar a cafetinagem e o tráfico de pessoas. O tema foi escolhido após várias reuniões e reflexão e representa necessidades reais e imediatas.

O Fórum considera que suas reivindicações não foram levadas em conta pela Prefeitura Municipal e exige participar, desde o princípio, da organização e conceituação da Parada da Diversidade nos próximos anos. Mas as ações não devem ser construídas apenas nos gabinetes, mas também nos parques, praias, praças, ruas e em todos os espaços. A Parada precisa ser acompanhada por debates políticos constantes desde sua formulação.
Também reivindicamos o direito de ser TODOS OS DIAS e convidamos todos e todas para as atividades e discussões realizadas pelo Fórum Diversidade, entre elas a II Conferência Municipal de Políticas LGBT, nos dias 23 e 24 de outubro de 2015.

Para melhor compreenderem a situação, encaminho com a reportagem feita pela revista LGBT 4You no link a seguir: http://www.4yourevista.com.br/site/entenda-a-polemica-da-parada-da-diversidade-florianopolis-2015/

 

Att.
Lirous K’yo Fonseca Ávila

 

Nada sobre nós sem nós.
Entidades que constituem o Fórum Diversidade Grande Florianópolis:
ACONTECE – Arte e Política LGBT
ADEH – Associação em Defesa dos Direitos humanos
CALISS – Centro Acadêmico Livre de Serviço Social
Desdobrando Arte
EPICEN@S UFSC – Núcleo de Estudos em Gênero e Saúde
Instituto Arco-íris
FAÇA – Fundação Açoriana para o Controle da AIDS
GAPA/SC – Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS
GPH – Associação Brasileira de Pais e Mães de Homossexuais
GOZZE UFSC – Coletivo de Luta pela Diversidade Sexual
IFSC – Instituto Federal de Santa Catarina
MARGENS UFSC – Modos de Vida Família e Relações de Gênero
NIGS UFSC – Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades
NUSSERGE UFSC – Núcleo de Estudos e Pesquisas em Serviço Social e Relações de Gênero
OAB/SC – Comissão da Diversidade
Coletivo 4P – Poder Para o Povo Preto
RNP – Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS
ROMA – Instituto de Diversidade Sexual da Grande Florianópolis
UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina
UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina
UJS/SC – União da Juventude Socialista

Att.
Lirous K’yo Fonseca Ávila

 

comentários

Envie seu Comentário