Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O desabafo de Édio Jajá e os buracos do Bairro Estreito

16 de setembro de 2015 1

Amigo Rafael Martini, em primeiro lugar, digo que sou um assíduo leitor seu, sempre estás antenado com as boas coisas da capital, gostaria de mencionar a minha versão sobre o episódio das sinalizações nos buracos do Estreito, relatada por você no DC do dia 24/08/15, com o título “faltou dizer”.

Amigo, tenho 58 anos, publicitário, grande parte dele com relevantes serviços na área continental de Florianópolis, com destaque para o Estreito, Tripeiro Nato, presidente da Associação Amigos do Estreito, isso há 15 anos, entidade com CNPJ sem fins econômicos, representante eleito pela comunidade no novo Plano Diretor da Capital, diretor presidente do Jornal do Estreito, enfim, uma vida comunitária atuante.

Referente a marcação dos buracos, se você verificar no meu face – ediojaja – poderá certificar-se da minha trajetória comunitária no Estreito, fiz aquilo pra mostrar a nossa indignação quanto ao descaso do poder público, não dá mais para aguentar esse estada de coisas, nossos impostos, que não são poucos, tem que vir em termos de melhorias pra comunidade, o Estreito contribui com 30% dos tributos da Prefeitura, mas é devolvido somente 1,2% (R$ 12 milhões/ano), uma merreca, isso tem que mudar.

Como vc falou, não concorri a 5 eleições, nuca houve isso, que te informou está com ciumes da minha trajetória comunitária, isso tbm pode ser comprovado por teu colega de trabalho, Roberto Alves, ele sabe do meu trabalho no Estreito, inclusive já fui apresentado a vc pelo meu amigo Moser, ex colega do Besc, quando trabalhávamos juntos.

Agora, ser repreendido pelo bem que fiz para comunidade quanto a estes buracos, através de um BO, isso já de mais, dizer que nunca aparecia pra trabalhar na secretaria do continente quando era assessor de comunicação, aí é demais.

Os pontos diários estão lá, é só comprovar, quando o atual secretario foi conduzido ao cargo, solicitei “exoneração”, tenho o ofício em mãos, poço lhe mostrar oportunamente, não era o secretario pra consertar estes buracos, mas muitos consertamos, tenho isso registrado no Jornal do Estreito, tenho provas no papel, não falácias como o gestor da secretaria do continente fala.

Acho que me estendi demais, desculpe esse desabafo, mas informo que continuarei nesse caminho, falar mais pela minha comunidade.

Grande abraço.

Édio Fernandes (Jajá)

comentários

Comentários (1)

  • Florentino do continente diz: 17 de setembro de 2015

    Rodrigo realmente concordo com seu comentário.Acho até que vendo seu sobrenome parece ser parente do atual Secretário,pois nosso Prefeito para nomear seu parente é porque realmente não existe critério isso sem falar nos seus assessores.

Envie seu Comentário