Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Contrato de professores ameaça futuro das Apaes

22 de setembro de 2015 1
APAE, Divulgação

APAE, Divulgação

O atendimento a 18 mil portadores de algum tipo de necessidade especial oferecido nas 190 Apaes distribuídas por Santa Catarina pode ser comprometido a partir de 2016. O governo do Estado, que mantém 2,8 mil profissionais em regime de contrato temporário a serviço das associações, pretende substituir os chamados professores ACTs por repasses financeiros para cada uma das Apaes. Em tese, daria mais autonomia para que cada uma faça as contratações que considera mais adequada. Na prática, pode retirar de sala de aula profissionais experientes no trato com os estudantes especiais, rompendo vínculos até afetivos e de confiança, fundamentais para o desenvolvimento cognitivo destes alunos.
O presidente da Federação das Apaes de Santa Catarina, Julio Cesar de Aguiar, é contrário à mudança. Ele lembra que o assunto vem sendo discutido há pelo menos 45 dias com o Centro Administrativo e considera hoje (22) o Dia D.

_ Temos mais uma rodada de reuniões amanhã (hoje). Caso não se encontre uma alternativa, vamos reunir as Apaes para nos posicionarmos oficialmente.

Quem também está pra lá de preocupado são os próprios professores. É que o prazo para a publicação do edital que reedita as contratações temporárias precisa ser publicado até o início de outubro, caso contrário não haverá tempo para os trâmites burocráticos. E, até agora, conforme vários relatos enviados à coluna, as datas têm sido adiadas desde agosto pelo governo sem que se tenha uma manifestação oficial. O temor destes 2,8 mil profissionais é ficar desempregado em 2016. Muitos não descartam retornar às salas de aula do ensino regular, já que o edital para contratação dosActs da rede pública já tem data.
A deputada estadual Luciane Carminatti (PT) levou o assunto para a Assembleia, que aprovou requerimento para que a presidente da Fundação Catarinense de Educação Especial, Rose Bartucheski, preste esclarecimentos sobre as mudanças. Ainda não foi marcado o dia. As Apaes, através da FCEE, chamaram pouco mais de 280 professores concursados, porém, mais de dois mil estão classificados para segunda chamada e aguardam convocação. Hoje atuam nas Apaes 1.117 servidores efetivos, nove comissionados e 2, 8 mil temporários.

A assessoria jurídica da FCEE informou que esta questão sobre o futuro dos ACTs passa por uma decisão do grupo gestor do governo e a eles cabe apenas cumprir a determinação. A partir de hoje, o cenário deverá ficar menos nebuloso nesta questão que é tão especial.

Pessoas com necessidades especiais conquistam vagas e promoções no mercado de trabalho
Leia as últimas sobre educação

comentários

Comentários (1)

  • adriana rodrigues diz: 23 de setembro de 2015

    so sabe o sofrimento de quem tem um filho especial,e o quanto é importante o trabalho relizado por professores capacitados e entendidos nas mais variadas deficiências, os professores expiram confiança em nós pais,sabemos que podemos deixar nossos filhos em excelentes mãos.Sou contra as mudanças e varios pais estão,porque ninguem veio nos pergunta sobre essa mudança,fica a indiguinação dos pais apaianos.

Envie seu Comentário