Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Desgastes, as redes e a sinuca de bico que envolvem a Ponte Hercílio Luz

30 de setembro de 2015 4
Foto: Charles Guerra, Agência RBS

Foto: Charles Guerra, Agência RBS

As imagens da estrutura corroída pela ação do tempo, apesar dos R$ 563 milhões já contratados na recuperação da Hercílio Luz, ganharam contornos de escândalo nas redes sociais. Ninguém suporta mais a ideia de dinheiro público escorrendo pelo ralo por conta da má gestão, para dizer o mínimo. O bombardeio de notícias do Petrolão e da Lava-Jato esgotou qualquer limite de paciência do cidadão.

A diferença é que o imbróglio da ponte está ali, ao alcance dos olhos. Um monumento ao desperdício como bem definiu o procurador Diogo Ringenberg, do Ministério Público do Tribunal de Contas do Estado.

A cada 10 comentários Facebook, nove defendem que se coloque tudo abaixo e se construa uma nova, com tecnologia do século 21. Claro que é apenas uma amostra sem qualquer base científica, mas não dá para negar que traduz o momento de indignação de boa parte da sociedade catarinense em relação aos 33 anos de interdição. E ainda correndo risco maior de colapso do que nos anos 1980.

Deinfra garante que obras de sustentação da ponte Hercílio Luz serão concluídas no prazo
Mesmo contestada, governo insiste na reforma da ponte Hercílio Luz

No Centro Administrativo, a repercussão foi protocolar: o governador não fala porque o assunto não está na ordem do dia. O secretário de Infraestrutura passa a batata quente para o Deinfra, que, por sua vez, dá o play na resposta padrão: estamos trabalhando.

O governo só não admite o que já é voz corrente nas internas. Jogou a toalha na esperança de que os norte-americanos da American Bridge assumam a recuperação. Para eles, não tem conversa: ponte é para ligar um ponto ao outro. Se estiver velha e com risco de cair, faça uma nova no lugar. Simples assim. Disseram isso para Luiz Henrique em 2005. Repetiram para Colombo em 2015.

A ponte Hercílio Luz é tombada como patrimônio por decreto – municipal, estadual e federal. Um senhor entrave legal para levar adiante a ideia da demolição. Outro item que precisa ser levado em consideração atualmente é que nos últimos seis meses a obra das quatro torres de sustentação andou no prazo previsto. Hoje, a imagem da velha senhora, ao menos durante o dia, mais parece um monte de ferro (foto). Somente à noite dá para lembrar que se trata do principal cartão-postal do Estado.

Na opinião de especialistas ouvidos pela coluna, seria uma temeridade recuar justo no momento em que se está prestes a concluir a montagem da base para a ponte segura. A dúvida é como concluir o trabalho com pouco dinheiro e a crescente pressão da sociedade por mais eficiência. Com o perdão do trocadilho, se correr o bicho pega, se ficar a ponte cai!

E agora, João?

Enquanto isso

O deputado Leonel Pavan (PSDB) perdeu a oportunidade de ficar calado. Em plenário, tentou classificar os gastos de mais de R$ 500 milhões na ponte como troco em relação aos desvios do PT em Brasília. Em números absolutos tem razão, mas seria bom lembrar que foi um dos que teve a caneta na mão como governador e a ponte está aí desse jeito.

Aliás

Deputado João Amin (PP), filho do ex-governador e deputado federal Esperidião Amin, foi à tribuna para criticar o descaso com a ponte. Um exemplo de maturidade e independência política.

Nem pizza

Deputado Dirceu Dresch (PT) propôs ano passado a instalação de uma CPI na Assembleia sobre a ponte Hercílio Luz. Obteve apenas sete das 14 assinaturas necessárias para que o pedido tramitasse na Casa. Diante da esmagadora base governista entre os 40 parlamentares, a ideia é apresentar oficialmente o relatório do Ministério Público de Contas ao Ministério Público Estadual e Federal.

Leia as últimas notícias

comentários

Comentários (4)

  • Julio diz: 30 de setembro de 2015

    É UMA VERGONHA NACIONAL A ROUBALHEIRA EM CIMA DESSA CARCOMIDA PONTE HERCÍLIO LUZ.
    TÁ MAIS DO QUE NA HORA DE DESMONTÁ-LA, ANTES QUE HAJA UMA CATÁSTROFE COM A SUA QUEDA. VÁRIOS GOVERNADORES JA FORAM AVISADOS DO ALTO RISCO.
    A TETA SECOU.
    AGORA VAMOS RESOLVER A QUESTÃO DA MOBILIDADE PARA O CONTINENTE.
    PRECISOU O MP/TCE AVACALHAR COM ESSA SITUAÇÃO PARA OS MORCEGOS DE PLANTÃO SE PREOCUPAREM…..
    ONDE ESTÃO O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL E O FEDERAL???????????
    30 ANOS DE OMISSÃO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Plinio Dias diz: 30 de setembro de 2015

    quem será que o MPE/SC vai denunciar pela roubalheira dessa Ponte? E quando ela despencar quem serão os culpados? Que vergonha e quanta sacanagem. Até no Jornal Nacional já emplacou. Imagina no dia da queda.

  • Lucas diz: 30 de setembro de 2015

    Fico me perguntando: o que quer a RBS com essa campanha para demolir a ponte? O primeiro passo, como lhe é sempre tão fácil, já conseguiu: produzir o eco em milhares de inocentes que, raivosos por causa das matérias espetaculares (“mais de meio bilhão…”), saem por aí a repetir tudo que lêem em UMA SÓ fonte que, final, é uma empresa com diversos interesses financeiros e políticos. Talvez queiram fazer outra mais “moderna”, que tenha no meio a estátua dum gaúcho da fronteira ou algo que o valha, ou construída por uma das dezenas de construtoras que anunciam no “grupo”, né? Por que não enfatizam, nas matérias, a incompetência dos gestores que passaram por aí? Por que nunca teve um petista e foram todos aliados do “grupo”? Por que não contam a história da ponte, fundamental, entre outros motivos, para que a capital de SC não tivesse ido para Lages há cem anos? Vão derrubar os monumentos de vocês lá no RS e não esqueçam de pagar seus impostos, mas, por favor, parem de manipular os catarinenses e destruir a cultura local em favor dos interesses do “grupo”.

  • De olho aberto diz: 30 de setembro de 2015

    Barba Roxa, Paulo Meleka, Cheringo, eram os manda chuvas no esquemão montado. Tudo virou rico, rico, rico.
    Cornograma fotografado e na parede.

Envie seu Comentário