Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Florianópolis pode ter pedágio para turistas durante a temporada

13 de outubro de 2015 44
Diorgenes Pandini

Diorgenes Pandini / Agência RBS

A polêmica é antiga na cidade, mas pela primeira vez a Prefeitura de Florianópolis admite discutir para valer a ideia de implantar o chamado pedágio ambiental para turistas durante a temporada. Quem está à frente da proposta é o presidente da Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap), Marius Bagnati, após receber sinal verde do prefeito Cesar Souza Junior.

Você é contra ou a favor do pedágio para turistas na Capital? Opine!

O conceito seria o mesmo praticado em Bombinhas no Verão passado.Para detalhar o projeto, Bagnati se reúne nesta terça-feira com a prefeita de Bombinhas, Ana Paula da Silva, às 16h30. A intenção é adotar a cobrança eletrônica de R$ 23 por veículo de visitante vindo de fora da Grande Florianópolis.

O sistema seria instalado no pedágio desativado da SC-401 (foto), na subida do Morro da Lagoa e no Rio Tavares e organizado de forma a cobrar uma única vez por temporada. Com a fotografia da placa do veículo, a fatura será encaminhada ao endereço do visitante.

Projeto de vereador prevê pedágio para turistas entrarem em Florianópolis
Pedágio ambiental de Bombinhas ficará mais caro a partir de janeiro

- Essa taxa seria paga por quem vem usufruir do patrimônio natural da Ilha de Santa Catarina e não teria nenhum impacto sobre os residentes nos municípios da Grande Florianópolis – explica. Ao contrário, diz ele, o pedágio custearia serviços extras de limpeza urbana e segurança, que hoje são rateados apenas pelos contribuintes residentes.

Os moradores seriam, portanto, compensados de alguma forma pelas dificuldades de locomoção, aumento de preços e sobrecarga de serviços públicos durante a temporada. Num cálculo rápido, Bagnatti estima que seria possível arrecadar algo em torno de R$ 9 milhões, considerando o ingresso de 400 mil veículos no auge da temporada, entre os dias 23 de dezembro e 10 de janeiro.

O recurso seria carimbado exclusivamente para coleta de lixo – neste período chega a 800 toneladas dias, diante das 600 toneladas no restante do ano -, investimento em melhorias nas praias como banheiros e chuveiros e repasse ao Estado para suplemento no pagamento das diárias de guarda-vidas e Policiais Militares.

No início do ano, quando o vereador Roberto Katumi (PSB) levantou o debate, foi bombardeado por críticas. A diferença, neste caso, é que partindo do legislativo o projeto seria inconstitucional, porque qualquer lei envolvendo mudança na arrecadação precisa ser de autoria do Executivo. Os principais empecilhos para a proposta sair do papel são o pouco tempo restante até a temporada de verão, além de depender da aprovação da Câmara de Vereadores e da parceria do governo do Estado.

Sem contar, é claro, que basta mencionar a palavra pedágio para provocar calafrios em boa parte da sociedade. Ainda mais atualmente. Mas numa coisa todos concordam: do jeito que está, não dá mais para continuar. Portanto, a simples iniciativa de propor uma alternativa para melhorar o caos em que se transforma a cidade durante a temporada, com benefícios revertidos para os próprios moradores, já merece aplausos.

Leia as últimas notícias

comentários

Comentários (44)

  • Marcelo diz: 13 de outubro de 2015

    Legal isso. Ótima ideia. Sugiro que São José lance a proposta também para veículos que passarem pelo Município. Também Palhoça e Biguaçu…… E assim vamos nós a mais um imposto. A propósito sou de Floripa e não é pelo imposto em si. É que arrecadarão milhões e este dinheiro “sumirá”.

  • Lindão diz: 13 de outubro de 2015

    Tenho uma pergunta:
    Se produz isso tudo de lixo, que a COMCAP recolhe e manda para Biguaçu, através da PROACTIVA, que tem sede em Florianópolis, não seria interessante Florianópolis cobrar o ISS da empresa? Ou o ISS é cobrado em Biguaçu onde tem o lixão? A PROACTIVA paga imposto? Alguém consegue responder isso?

  • Lindão diz: 13 de outubro de 2015

    Minha dúvida é que, se há impacto ambiental, e todo o lixo vai para Biguaçu, não seria este o beneficiário? As autoridades cobram alguma coisa de Florianópolis por depositar o lixo lá?

  • Alexandre diz: 13 de outubro de 2015

    Não concordo com a cobrança…. Sei que Florianópolis se torna um caos no verão porem a receita gerada pelos turistas é enorme.
    Acho falta de respeito, imagine se cada cidade do país passar a cobrar dos turistas um pedágio para entrar nas cidades? Você gostaria? Atenção prefeitura isso pode afastar muitos dos que frequentam nossa cidade maravilhosa.

  • João Carlos diz: 13 de outubro de 2015

    Mais uma querendo copiar?
    Já não bastava Bombinhas e agora vem Floripa e Uma ONG na Guarda do Embaú querendo impor mais uma taxa aos visitantes?
    Eu não seria afetado pela de Floripa, mas acho muita sacanagem isso!

  • Joao diz: 13 de outubro de 2015

    Receita enorme gerada pelo turista?? Qual? Turista não paga imposto municipal, quem paga é morador e proprietário de imóvel. O único imposto que um turista paga hoje que pode retornar aos cofres municipais é o ISS, 2% a 5% sobre serviços, ou seja, uma “merréca” comparada ao volume de pessoas que mais do que dobra a população da região no verão. Só quem ganha dinheiro com o turismo em Florianópolis são empresários do ramo alimentício, transporte particular e aluguel de imóvel. Os moradores e nativos ganham lixo, incomodo, transito e a cada ano mais uma “penca” que vem e não volta mais pra casa.

  • Diego diz: 13 de outubro de 2015

    Só há um problema: a taxa está muito barata. A maior parte do turismo na capital é predatório, a imagem que ela passa é de ser “a ilha da suruba”, atraindo baderneiros, que sequer compensam o caos que trazem. Ademais, este tipo de turista favorece apenas meia dúzia de donos de pousadas irregulares, e olhe lá, pois a maioria “se instala” na casa de parentes e trazem a própria comida, ou seja, não deixam valor expressivo, apenas trazem prejuízos.

  • Germano diz: 13 de outubro de 2015

    Que coisa absurda.
    E não podemos nos esquecer dos millhares de residentes em Florianópolis com placas de outros lugares do estado. Como fica para eles?

  • Giovani Kracik diz: 13 de outubro de 2015

    Politicos COVARDES……..

  • Diego diz: 13 de outubro de 2015

    Palhaçada pagar pela falta de organização e competência dos ADM. Sim se isso vira moda, para né gente….. Tem mais que não produz metade que nosso pais realiza e é o dobro de organizado….

  • Jeferson Batista Sobczack diz: 13 de outubro de 2015

    Estão sitiando o Brasil començando por SC?

  • Nando diz: 13 de outubro de 2015

    Bom dia, irão cobrar dos turistas que vem de carro, e os que vem de ônibus, avião, moto, etc?

  • henrique diz: 13 de outubro de 2015

    esse prefeito não se cansa de aumentar ou criar impostos não?

  • Clayton diz: 13 de outubro de 2015

    Sou de outro estado, moro aqui, placa do carro outro estado, então teria que pagar. Coisa absurda, só pensam em meter as mãos na grana do povo, assim poderem esbanjar em seus salários e festas (supostamente reuniões), deveriam multar e cobrar caro dos ladrões que aumentam os preços no verão e prejudicam os bolsos dos residentes.

  • Jean diz: 13 de outubro de 2015

    Tudo muito mal contado…
    Os estabelecimentos que geram mais lixo por conta do tipo de atividade desenvolvida e sazonalidade JÁ PAGAM IPTU MAIS CARO. Não justifica a medida.
    Na minha casa, pago IPTU para coleta de lixo 3x por semana, mas coloco lixo uma vez por semana. Muitos fazem o mesmo.
    Aaaaaa, tem campanha eleitoral ano que vem!
    Facinho botar no do povo!

  • Hamilton diz: 13 de outubro de 2015

    Alem de ser injusto com a população a cobrança de mais uma taxa (ninguém aguenta mais impostos e taxas neste país), caso a cobrança realmente seja feita, deveriam ser feitos retornos em todas as rodovias, e muitas placas indicativas do valor que está sendo cobrado, nas entradas da cidade, dando assim a opção ao consumidor de pagar para visitar, ou dar a volta e ir gastar seu dinheiro em outro município.

  • Ivan diz: 13 de outubro de 2015

    Era só o que faltava… diferenciar público que frequente um espaço… Nem todo turista é “endinheirado”… fazem um esforço terrível pra visitar a ilha da magia… que perderá esta magia…. pra se tornar um “caça-níquel”…
    Recentemente estive no Chile… fui ao Museu de la Moneda… cobravam-me diferenciado por ser de fora… simplesmente, disse-lhes… tchau… não vou visitar o museu nessas condições… e pronto…

  • José F diz: 13 de outubro de 2015

    Todos sabemos que Floripa é uma cidade totalmente dependente da vinda dos turistas para manter sua economia, portanto é beneficiada pela vinda deles.
    Acho no mínimo contraditório cobrar pedágio, pois seria considerar que não é benéfica a vinda dos turistas, já que eles teriam que “pagar” por isso.
    A cidade já ganha com a vinda dos turistas que alavancam o comércio e inflam os cofres da cidade ao consumir.

  • Marlon diz: 13 de outubro de 2015

    Que tal as cidades abaixo criarem pedágios também, ‘visando o bem da população local’:

    - Blumenau, Oktober;
    - Lauro Muller, Serra do Rio do Rastro;
    - Praia Grande, Canyons;
    - Brusque, Fenarreco;
    - Itajaí, Marrejada;
    - Garobapa e Imbituba, praias.

    Ninguém em sã consciência é a favor dessa imposição descabida, uma vez que todos sabem a real intenção por trás dessa medida… A administração pública consegue falir as cidades e tem a solução perfeita nos impostos.

    PIADA!!!!

  • Mário José Cabral diz: 13 de outubro de 2015

    Simplesmente ridículo.

  • Adriano diz: 13 de outubro de 2015

    Acho esta taxa inconstitucional, mas isso é minha mera opinião. Apenas é importante fazer alguns esclarecimentos. Os turistas não pagam apenas o ISS como dito por alguns comentários desavisados aqui. Todo consumo de mercadoria, desde um refrigerante na esquina até compra no mercado gera movimento econômico de ICMS para Florianópolis. Com isso, 25% de todo o ICMS arrecadado volta para o Município. Cidades como Chapecó e Criciúma, por exemplo, possuem muito mais indústrias que Florianópolis, mas recebem menos ICMS, por que? Pelo fato que o consumo em Florianópolis é muito elevado e com isso o índice de retorno do ICMS é maior. Então a questão não é apenas o retorno de ISS, mas de ICMS propiciado pelo turismo. O que é fundamental ver é o impacto que isso terá na economia e eventual redução do turismo.

  • JRcardoso diz: 13 de outubro de 2015

    Eu acho que o prefeito esta se enforcando com seu próprio cinto. As eleições veem por ai…..e o adversário vai fazer o povo lembrar do aumento do IPTU, taxa de cobrança para turista entrar…..etc…Não se admirem se dentro em breve não aparecer alguém querendo inventar a cobrança uma taxa para que o florianopolitano ande na Felipe…com o argumento de que o dinheiro arrecadado vai servir para comprar comida e alimentar os pombos que estão em frente a catedral….e que será debitado no carne do IPTU…que tal….acham bobagem…esperem…

  • Fausto diz: 13 de outubro de 2015

    E os gringos como ficam, só fazer merda aqui e não pagam nada.

  • Maico diz: 13 de outubro de 2015

    Bom Dia Clayton, se você mora aqui na nossa cidade poderia ao menos mudar a placa pra cá não é mesmo? Afinal, se você mora aqui como sua placa é de outro estado? Não entendi muito bem!!!

  • AM diz: 13 de outubro de 2015

    Moro em Floripa tem 5 anos. Meu carro tem placa de Curitiba. Aí eu sou “turista” então? Muito bom…

  • Rudolph diz: 13 de outubro de 2015

    Depois de mais esse imposto, serão levantados grandes muros em volta da cidade… e assim evoluímos para o feudalismo, que vigorou na Europa há 600 anos atrás.
    Sério: antes de criar um imposto novo, que tal fazer bom uso dos que já são cobrados?

  • Elizabeth dos Santos diz: 13 de outubro de 2015

    Só estão esquecendo de uma coisa, Florianópolis não é só um polo turístico, mas principalmente a cidade em que muitos catarinenses fazem TRATAMENTOS DE SAÚDE, POR EXEMPLO HEMODIÁLISE, TRATAMENTO DE CÂNCER NO CEPON E TAMBÉM O HOSPITAL INFANTIL, POR EXEMPLO MEU MARIDO TEM CÂNCER E FAZ TODO TRATAMENTO EM FLORIANÓPOLIS DESDE AS CONSULTA, POISA CLINICA É EM FLORIANÓPOLIS. Agora se todo o sistema hospitalar que os catarinenses tanto precisa, for transferido de Florianópolis, se o governo estadual também passe para outra cidade, E isso inclui, os órgãos federais que tem sede de Florianópolis tudo bem vocês ficam com as praias e nós ficamos com o resto. NÃO VENHAM COM BUROCRACIA DE NÓS TEM QUE FAZER CARTEIRINHAS E ETC… PARA PROVAR QUE TEMOS QUE ESTAMOS DOENTES E PRECISAMOS DE IR ATÉ FLORIANÓPOLIS.

  • zilto josé rosa diz: 13 de outubro de 2015

    Simplesmente ridícula essa atitude tomada com relação aos turistas. São eles que fazem a movimentação econômica da ilha. Inconstitucional. Onde fica o direito de ir e vir. Imagine todas as cidades passarem a cobrar uma taxa para entrar nelas. Onde esta o MPublico que de veria proibir isso imediatamente. Venho desmotivando os turistas mineiros a irem a Bombinhas por causa do pedágio e esta dando certo. Varias famílias que conheço mudaram de destino. Agora vou me manifestar sobre essa cobrança ridícula de Floripa, cidade que amo tanto e que vivo fora dela por razões familiares. Quem defende essa medio deve ficar atento quanto o dia de amanhã pois em breve teremos que pagar para entrar em qualquer cidade desse país. Bom como minha placa é de Minas e portanto terei que pagar adeus floripa. Gente de floripa, principalmente os empresários, faça um movimento contra esse desaforo.Isso é mais um roubo oficializado em nosso estado.

  • Alex diz: 13 de outubro de 2015

    Mais um imposto? Que maravilha!!
    Acho que deveria ter um imposto para o oxigênio também!
    Não, melhor ainda, deveria ter um imposto sobre a quantidade de batimentos cardíacos.
    Vamos lá pessoal, deem suas ideias de impostos.
    PAÍS ESCROTO!

  • Viviane diz: 13 de outubro de 2015

    Não sou de Floripa, embora frequentadora assídua. Amo a Ilha.

    Eu concordaria com a tributação sim se as teorias da aplicação da arrecadação realmente fosse aplicada na prática; porém como ja mencionado em post anterior, o dinheiro vai evaporar antes de chegar aos seus propósitos. E tem o fato do lixão ficar em Biguaçu: a prefeitura de Floripa vai dividir a arrecadação com o municipio vizinho?!

    Enfim… salve-se quem puder da podridão que afeta o pais inteiro.

  • Nícola Batista Loss Medeiros diz: 13 de outubro de 2015

    Algumas perguntas:
    Florianópolis não é uma cidade exclusivamente turística, eu gostaria de saber qual critério para dizer que o veículo flagrado entrando na cidade é para turismo ou não? A temporada em Florianópolis começa geralmente em dezembro e se prolonga até o carnaval, e lá existe serviços que só são prestados lá, como por exemplo o Tribunal de Justiça, secretarias do poder público, entre outras.
    Segundo ponto: esta cobrança não seria inconstitucional por obstar o direito de livre circulação pelo território nacional? Ao construir um pedágio, é obrigatório que exista um meio alternativo para que o condutor possa dirigir sem passar por aquela via, seria portanto inconstitucional esta cobrança, tendo em vista que TODOS os veículos serão cobrados?
    Terceiro ponto: não é um desincentivo ao turismo e acabaria virando um tiro no pé na arrecadação? Ao invés de um turista pagar 23 reais em turismo em floripa, ele não preferiria passar, por exemplo, em Garopaba? Levando em conta que um turista gasta, apenas para fins didáticos, R$100,00 por dia, a 2% o ISS, seria 20 reais por dia para o município e 80 reais por dia para os empresários locais (alimentação e hospedagem, especialmente) que girariam no próprio município (funcionários, primeiramente), não acabaria refletindo negativamente na receita?

  • Eduardo diz: 13 de outubro de 2015

    Lá em Bombinhas funcionou muito bem. Acabou com aquela fila absurda de farofeiros, que só sujam a praia e vâo embora sem deixar qualquer contrapartida aos moradores e ao município, deixando a conta para o morador pagar. Esse tipo de turista não soma ao turismo. Esse tipo de turista, que também é bem-vindo, deve ao menos deixar uma contrapartida ao município, e o mínimo que pode fazer é pagar essa taxa pelo uso dos recursos ambientais. Alguém tá pagando o custo dele. Portanto, essa taxa é justa e visa equilibrar as despesas de quem vive na ilha e paga a conta do turismo. Essa taxa também diminuíra o absurdo trânsito do verão e isso é bom. Quem vem de avião já está deixando sua contrapartida, pois usa táxi e normalmente é o turista que “gasta” no comércio e soma em arrecadação ao município. Ou alguém acha que promover o turismo não visa ao lucro?

  • Jj godoi diz: 13 de outubro de 2015

    Renunciar o título e status de capital. Capital, dentre outros, é um local de atrai e representa os seus. Moradores de santa Catarina terão de pagar para entrar em sua capital.

  • Roberto Cavalcanti diz: 13 de outubro de 2015

    palhaçada!

    O problema não é falta de dinheiro, é o bom uso.

  • Hercilio diz: 13 de outubro de 2015

    Deveriam cobrar sim……….. mas somente dos gaúchos e dos gringos….eita gente porca……….!!!!! E pior, alguns deles ném embora depois vão.

  • epaa diz: 13 de outubro de 2015

    demorou para fazer isso! a turistada vem aqui, avacalha com a cidade e vai embora. quem é morador, paga os impostos o ano todo não pode sequer aprovietar no verao por conta do excesso de turista farofeiro.

    temos que cobrar e utilizar esse valor arrecadado para limpar a cidade e melhorar a infra estrutura.

  • Silvio diz: 13 de outubro de 2015

    Acho bom e seria melhor a taxa de turismo por turista como em outros municípios e países, cobra-se em hotéis pousadas, casas que oferecem alugueis etc.

  • Felipe Schuter diz: 13 de outubro de 2015

    hahaha
    Que coisa mais ridícula! Os moradores de Florianópolis acham que essa merda de cidade é a melhor que existe no Brasil ou no Mundo.
    Galera, essa cidade não tem estrutura nem para os próprios moradores quanto mais para receber os turistas.
    E outra.. se não for de turismo, do que vive essa cidade?
    Não existem indústrias e o comércio e serviços são de pior qualidade.
    Tentem pedir um taxi agora mesmo e vejam quanto tempo demora.
    Florianópolis é uma cidade totalmente atrasada. E muito desse atraso vem da mente dos manézinhos.. atrasadíssimos!!!

  • Luciana diz: 13 de outubro de 2015

    Florianópolis é uma capital e uma cidade turística, onde vivem pessoas de várias cidades do país, cobrar pedágio para placas de automóveis de outros lugares é discriminar. A Concap já fatura o ano inteiro com o estacionamento da Joaquina, cobrado fora da temporada, um valor absurdo e não proporciona nada de melhoria para o frequentadores. Quem deveria pagar mais, são os que se beneficiam com o turismo, principalmente os que se localizam nas praias. Como por exemplo, bares, restaurantes, hotéis, vendedores ambulantes, quem aluga imóveis, imobiliárias de veraneio.

  • Filipe Ivo Rosa diz: 13 de outubro de 2015

    Sou a favor. É impossivel criar uma infraestrutura pra atender uma demanda que sazonalmente triplica ou quadruplica. Agua, luz, trânsito e tudo mais ficam um caos e o poder público não tem como atender essa demanda que depois de algum tempo vai embora e deixa todo o custo para os munícipes. Se para atender bem os turistas tivéssemos que ter uma mega central elétrica para que nunca mais faltasse luz durante a temporada, quem pagaria pelo custo de manutenção desta obra faraônica nos outros meses do ano?

    Só para constar, moro em São José e trabalho no centro e sou a favor do pedágio pois tenho certeza que ele seria regulamentada a entrada e saída nesses e em outros casos devido ao fenômeno da conurbação.

  • Juliana diz: 13 de outubro de 2015

    O problema não é a criação do pedágio, o problema é que os valores não serão destinados ao objetivo da arrecadação. E não será esse valor que irá solucionar o problema que se diz ter. Falta é planejamento e combate a corrupção, isso resolveria muito mais problemas ambientais, da saúde, da educação, do trânsito, do lixo, etc…

  • Juvenal da Luz do Saco Grande diz: 13 de outubro de 2015

    Presidente da CONCAP.
    Vá pegar uma enxada e capinar a cidade !!!!
    Prefeito, vá pegar uma vassoura e limpar a cidade.
    Turma de indiotas !!!!!
    Sem pedágio as filas são quilométricas.
    Realizar pedágio é para travar a cidade.
    Cadê a mobilidade aos moradores ??????
    Vão se preocupar é com os processos de licitações.
    Assim, irá sobrar dinheiro para investimentos nas comunidades.
    Chega de ideias para assaltar o cidadão.
    Cadê os vereadores, para protestar e fiscalizar estas ideias malucas ????

  • Rodrigo Kirst diz: 13 de outubro de 2015

    Pagar para mergulhar em águas poluídas, ficar trancado no trânsito, enfrentar filas e pagar turismo caríssimo. Obrigado prefeito.

  • Valério Alves diz: 13 de outubro de 2015

    Não tem como concordar! Há várias situações: quem tem carro com placas de outra cidade seria considerado turista e teria que pagar; quem tem imóvel na cidade, paga seus impostos e taxas, mas seu carro é de outra cidade, vai pagar tbém. A não ser que façam essas previsões e isensões, haverá injustiças; e que o dinheiro realmente seja empregado para o fim a que se destina.

Envie seu Comentário