Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 14 outubro 2015

Por um debate sobre a ponte que deixe a mãe de fora

14 de outubro de 2015 7

Prezado leitor (a), proponho uma reflexão: será que o cidadão ou a cidadã, ao sentar na frente do seu computador enquanto acessa a internet, acredita de verdade que xingar a mãe de alguém somente por pensar diferente ou chamá-lo de gaúcho (como se isso fosse ofensa) vai conseguir mudar a sua opinião? Teria esta pessoa a convicção, lá no fundo da alma, que ao tentar desqualificá-lo como haole (na gíria dos surfistas, um forasteiro) ou alienígena vai mesmo alterar uma única linha da tese divergente? Se depender de mim, jamais. Até porque acredito no debate de ideias como um dos pilares da democracia desde sempre.

Mas também entendo que nós latinos, em especial brasileiros, sempre tivemos uma dose extra de dificuldade para lidar civilizadamente com o contraditório. Coxinhas e petralhas não me deixam mentir. Sempre acreditei que explosões fortuitas estavam associadas ao menor o nível de escolaridade. Quanto mais desinformado o sujeito, maior seria o barraco. Ledo engano. Hoje, até mesmo alguns doutos letrados perdem a compostura. Basta discordar em duas ou três questões na réplica e na tréplica para descambar num vai tomar …. ou seu filha da….
Coisa feia.
Confesso que não me sinto incomodado com estas críticas. Claro que não gosto quando botam a Dona Nina no meio. Afinal, vida fácil ela nunca teve. Sozinha criou dois filhos. E hoje, professora aposentada, nem salário integral anda recebendo lá no RS, mas isto já é outra história.

Mas pode conferir no Aurélio: “opinião é um substantivo feminino que “significa modo pessoal de ver as coisas”. Eu tenho a minha, você a sua, o Cacau Menezes a dele e o Moacir Pereira uma terceira. Já discordei em abordagens dos meus colegas colunistas de DC. O que não significa deixar de reconhecer a importância de suas trajetórias ou admirar a liderança que exercem. E é aí que está a diferença. Visões diferentes agregam. Pensamento único, não. A história está aí para provar. E o papel de um jornal, ainda mais em tempos de informação online, deve ser o de aprofundar a discussão, não apenas reunir notícias.

Esta volta toda é para reafirmar o que tenho escrito inúmeras vezes: ponte é para ligar um ponto ao outro. Nunca sugeri que se bote abaixo o cartão-postal catarinense, a Ponte Hercílio Luz. O que defendo é que se faça uma estrutura nova, igualzinha, mas com tecnologia do século 21. Não mudaria em nada a pose para fotografia, mas quem sabe ajudaria a melhorar a caótica mobilidade nos horários de pico. Enquanto isso, a velha senhora segue ali interditada, há 33 anos. E pode chegar, no mínimo, a 36 anos fechada, já que a previsão é reabrir em 2018. Esse é o ponto.

O próprio Diário Catarinense, editorialmente, entende que o ideal para a Hercílio Luz seria reformá-la apenas como monumento. O fato é que estamos perdendo uma oportunidade única de abrir debate sério sobre o tema, ouvindo de verdade o que pensam os catarinenses. Nada de enquete ou palpite, mas audiências públicas representativas. E sem ofensas pessoais, por favor.

No mais, só peço a compreensão dos exaltados, que de forma hiperbólica ainda tentam comparar a torre Eiffel à Hercílio Luz. Como diria o manezinho, uma coisa é uma coisa, e outra coisa é bem diferente. Aos que mandaram mensagens de apoio, aliás em número muito maior do que as ofensivas, meu muito obrigado. “Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”, já dizia Voltaire. Caso contrário vira conversa de maluco, ou como preferem alguns: papo de outro mundo…

Questão de Semântica

14 de outubro de 2015 0

Já que a simples palavra pedágio provoca tamanha repulsa, mesmo que seja para investimento em melhorias para quem mora na cidade, basta a prefeitura de Florianópolis sugerir a adoção de uma taxa de hospedagem paga pelos turistas em hotéis e pousadas.

SC na lista para ocupar cargo na Defensoria Pública da União

14 de outubro de 2015 0

Com apoio de 75% da categoria, o defensor público federal Gabriel Faria Oliveira encabeça a lista dos mais votados para exercer o cargo máximo da Defensoria Pública da União no país. A relação será encaminhada à presidente Dilma Rousseff, que indicará o nome do possível defensor público-geral federal. O escolhido para o mandato 2016-2018 ainda deve passar por sabatina no Senado.

Aplicativo irá ajudar Sistema de Prevenção ao Furto e Roubo de Bicicletas

14 de outubro de 2015 1

Aplicativo que começa a ser utilizado pela Polícia Militar para registrar bicicletas e auxiliar na recuperação de roubos casa com o projeto de lei protocolado pelo deputado Gean Loureiro em março. A proposta cria o Sistema de Prevenção ao Furto e Roubo de Bicicletas, que, além do aplicativo, prevê e regulamenta uma série de procedimentos para otimizar a recuperação das bikes.

Jovem que participou do Jesc chama atenção pelo esforço durante competição

14 de outubro de 2015 0
Epa Machado/Fesporte

Epa Machado/Fesporte

Francisco Eduardo, de 17 anos, estudante do 9o ano da Escola Municipal João Inácio de Melo, trabalha na roça e nunca tinha saído de São Joaquim. Mas durante as provas do Jesc, em São Miguel do Oeste, ele chamou a atenção pelo esforço. Provocado pelo professor, se inscreveu na prova de ciclismo.

Sua bicicleta, com 20 quilos, era específica para provas de trilha, não de velocidade. Ele também nem sequer tinha sapatilha e usou tênis que escorregava na chuva. Francisco chegou em último nas duas provas, mas ficou feliz por ter competido, apesar das fortes cãibras. Voltou com o sonho de se tornar um atleta.

Estudantes de escolas públicas visitam exposição de Miró, em Florianópolis

14 de outubro de 2015 0
Divulgação

Divulgação

Não são só os adultos que estão encantados com as obras do pintor catalão Miró no Masc, Florianópolis. Além de ser responsável por trazer a exposição Joan Miró – A Força da Matéria para Santa Catarina, a Arteris – controladora da Autopista Litoral Sul – promoveu na última semana visitas exclusivas de alunos de escolas públicas e instituições de educação especial à mostra. Nos quatro dias da ação, cerca de 300 alunos de sete instituições puderam conferir as mais de 100 peças trazidas para a Capital.

Aliás

O número de visitantes nos primeiros 15 dias da exposição no Masc já passou de 15 mil pessoas. Imagina se tivesse aberto no feriado?

Leia as últimas notícias

Crise obriga judiciário catarinense a apertar o cinto para economizar R$ 100 milhões

14 de outubro de 2015 19

A crise econômica acendeu o sinal amarelo no judiciário catarinense. O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Nelson Schaefer Martins, anunciou ontem a adoção de uma série de medidas de contenção de gastos para não ultrapassar o teto fixado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. A intenção é contingenciar R$ 100 milhões em 2015.
A LRF autoriza o judiciário a gastar 5% da receita líquida corrente do Estado com folha de pagamento. Esse dinheiro vem da chamada Fonte 100, também conhecida como duodécimo que o Poder recebe do Tesouro do Estado. O TJ alcançou em setembro 5,4% e com os cortes deve baixar para 5,2%. Caso chegue a 5,7%, a lei determina a imediata aplicação de um plano ainda mais restritivo.

Na divisão dos recursos que entram no caixa do Tesouro, o judiciário recebe 9,31% do duodécimo, orçado em R$ 1,3 bilhão para o ano. Deste total, 99% são destinados à folha de pagamento. Para investimentos em melhorias, construção de novos prédios e custeio da máquina, as fontes do judiciário vêm do Fundo de Reaparelhamento do Judiciário e do Fundo da Conta Única, que devem somar R$ 400 milhões neste ano.

Juros em empréstimos é a maior desde junho de 2009, diz Anefac
Inflação vai a 7,64% no ano, a maior desde 2003

Por conta desse quadro agravado no mês de setembro, as ações adotadas implicam na suspensão temporária de despesas por pelo menos 60 dias. A intenção é garantir a manutenção da máquina judiciária e o cumprimento das obrigações relativas aos gastos com os 6,6 mil servidores e 500 magistrados, sem o risco de atraso nos salários, por exemplo. Nos próximos dois meses estão suspensas o pagamento de novas gratificações, promoções, auxílios-saúde e creche, indenizações de férias e licenças-prêmio não usufruídas, viagens de representação e convocação de candidatos aprovados em concurso público.

_ Estamos fazendo um esforço concentrado para garantir a manutenção da qualidade do serviço prestado pelo judiciário sem prejuízo à sociedade catarinense – diz o presidente Schaefer Martins.

Dos recursos destinados à folha, 82% são para os servidores e 18% para pagamento da magistratura. Acesse aqui e confira a íntegra as medidas adotadas pelo judiciário para conter os gastos. E não está descartada a prorrogação ou até ampliação das ações de contenção em caso de persistência da queda da arrecadação no último trimestre do ano.
O presidente do TJ lembra que somente em 2015 foram abertas 71 vagas não repostas, sem contar as demandas por novos concursos.

 Leia as últimas notícias