Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "hospital celso ramos"

Secretaria de Estado da Saúde investe R$ 975 mil nos elevadores do Hospital Celso Ramos

05 de junho de 2015 0

Secretaria de Estado da Saúde começa neste mês a trocar os quatro elevadores do Hospital Celso Ramos. O investimento nos equipamentos é de R$ 975 mil. Na segunda quinzena de junho entra em operação o novo elevador para passageiros e em julho, provavelmente até o dia 15, o novo de serviços. Ambos tinham quatro décadas de uso.

Leia as últimas notícias sobre o Hospital Celso Ramos

 

Equipamento de ressonância magnética será instalado no Hospital Celso Ramos

29 de maio de 2015 0

A Secretaria de Estado da Saúde assina ainda nesta semana o contrato e a ordem de serviço para construção do local onde será instalado um equipamento de ressonância magnética no Hospital Governador Celso Ramos, no Centro de Florianópolis.

A expectativa é que o aparelho comece a funcionar no segundo semestre após a conclusão da obra, instalação do equipamento, que é importado e já está comprado, e treinamento de funcionários. A assinatura do contrato encerra um período de indefinições e transtornos no hospital.

Leia as últimas notícias sobre saúde

Hospital Celso Ramos bate recorde de cirurgias

15 de abril de 2015 0

A maioria das cirurgias feitas no Hospital Celso Ramos continua sendo fratura e envolve principalmente quem anda de moto. No mês passado a instituição bateu o recorde de cirurgias dos 50 anos de existência. Foram 1.245 intervenções da instituição referência estadual em ortopedia, neurologia, neurocirurgia, oncologia, clínica médica e cirúrgica. A unidade hospitalar conta atualmente com 220 leitos e uma equipe de 235 médicos com atendimento para todo o Estado.

* O colunista Rafael Martini retorna ao Visor dia 17 de abril, durante o período, as publicações serão feitas pelo interino, o fotojornalista Guto Kuerten, que também publica no Blog De Olho nas Ruas, e pela redação.

Acidentes de moto são principal causa das cirurgias realizadas pelo Hospital Celso Ramos em julho

07 de agosto de 2014 0

O Hospital Celso Ramos bateu recorde de cirurgias em julho: foram 945 operações. Quase metade delas, consequência de acidentes de moto. Em 2013, dos 4.248 atendidos pela ortopedia, 2.732 eram vítimas de queda ou colisão sobre duas rodas.

Foto: Ronald Mendes, BD, 02/07/2014

Foto: Ronald Mendes, BD, 02/07/2014

Leia mais:
::: Colisões envolvendo motos representam 60% dos atendimentos a acidentes nos hospitais de Santa Catarina

Comcap alerta para cuidados com lixo hospitalar

23 de outubro de 2014 0

A Comcap acionou a Vigilância Sanitária para apertar o cerco e evitar que os hospitais misturem resíduos infectantes com lixo comum. No último sábado, os garis tomaram um susto quando o caminhão compactou o material coletado no Celso Ramos, em Florianópolis. Encontraram sacos brancos de lixo hospitalar que são obrigatoriamente destinados à incineração. Isso sem contar os avisos para que os hospitais providenciem lixeiras bem separadas para cada material.

Fim da novela: obras do centro cirúrgico do Cepon serão retomadas nesta terça-feira

21 de setembro de 2015 0
Foto: Arquivo Cepon / Mário Motta

Foto: Arquivo Cepon / Mário Motta

As obras de acabamento do Centro Cirúrgico de Alta Complexidade do Cepon serão retomadas nesta terça-feira, 22 de setembro. A empresa responsável concordou em reiniciar os trabalhos, após receber parte dos recursos devidos.

Para marcar a data, o presidente da Fahece, Tertuliano Xavier de Brito, e o secretário de Estado da Saúde, João Paulo Kleinubing, farão uma vistoria nas instalações a partir das 9h.

Na última sexta-feira, o governo do Estado transferiu à Fundação de Apoio ao Hemosc/Cepon (Fahece) R$ 480 mil que, imediatamente foram repassados à construtora. O governo também se comprometeu a completar nos próximos dias o pagamento devido, que totaliza R$ 900 mil.

Fahece devolverá terreno ao Estado e obra do Cepon, em Florianópolis, deve ser retomada ainda em setembro

O Centro Cirúrgico de Alta Complexidade ocupa 1.500 metros quadrados do Complexo Hospitalar do Cepon e compreende quatro salas de cirurgia, UTI com dez leitos e sala de materiais esterilizados. A obra está em fase de acabamento interno e instalações e deve ser concluída em janeiro de 2016. Esta etapa terá um custo total de R$ 5 milhões.

Além desse investimento, serão necessários ainda recursos para materiais e equipamentos e contratação de pessoal. Com os recursos necessários liberados com regularidade, a Fahece estima que o Centro Cirúrgico estará em plena operação em meados do ano que vem.

Entenda o caso

A retomada das obras do Centro Cirúrgico é parte do acordo selado entre o governo e a fundação, que prevê a transferência para o Estado do terreno onde está edificado o Cepon.

No Termo de Compromisso assinado no início deste mês o governo garante ainda:

1. Todas as condições materiais para a transferência do Serviço de Transplante de Medula Óssea (TMO) do Hospital Celso Ramos para o Cepon, com a implementação dos serviço de TMO halogênico, atualmente inexistente em Santa Catarina;

2. Apoiar a Fahece no processo de renovação de sua qualificação como Entidade Beneficente de Assistência Social, por meio de habilitação e contratação de serviço próprio e concessão de direito de uso não oneroso para a realização dessas atividades;

3. A renovação do Contrato de Gestão por cinco anos, prorrogáveis por iguais e sucessivos períodos, desde que atendidas as exigências previstas no artigo 25 do Decreto 4.272, de 28 de abril de 2006, com as alterações do Decreto 313, de 17 de agosto de 2015.

Obra do Cepon será retomada ainda em setembro, prevê Secretaria da Saúde

Obra do Cepon será retomada ainda em setembro, prevê Secretaria da Saúde

02 de setembro de 2015 1
Daniel Conzi

Daniel Conzi

Fim da novela. O conselho curador da Fundação de Apoio ao Hemosc/Cepon (Fahece) decidiu autorizar a transferência ao Estado do terreno no qual está edificado o Complexo Oncológico do Cepon. Com isso, o Estado fica autorizado a retomar a obra de conclusão do centro cirúrgico e da UTI. A obra está orçada em R$ 5 milhões e já tem carimbo garantido.

A Secretaria de Estado da Saúde quer assinar o contrato o mais rápido possível. O tempo estimado para a retomada das obras é cerca de 15 dias, mas a ideia é trabalhar a pleno vapor assim que tudo estiver oficializado. A notícia beneficia diretamente os pacientes em tratamento ou à espera de uma intervenção cirúrgica que não precisarão mais disputar leitos nos demais hospitais.

O único detalhe é saber se o governo do Estado vai concordar com a série de exigências da fundação para devolver o terreno. Confira abaixo a nota oficial da Fahece:

CONSELHO CURADOR AUTORIZA FAHECE A FIRMAR ACORDO COM O GOVERNO

O Conselho Curador da Fundação de Apoio ao Hemosc/Cepon (FAHECE), reunido na noite desta terça-feira, 1o. de setembro de 2015, decidiu autorizar a Diretoria Executiva a firmar o Termo de Compromisso proposto pelo Secretário de Estado da Saúde, João Paulo Kleinübing, e pelo Procurador Geral do Estado, João dos Passos Martins. O documento prevê a transferência ao Estado do terreno no qual está edificado o Complexo Oncológico do Cepon, mediante os seguintes compromissos por parte do governo:

1. Transferir à FAHECE os recursos necessários ao término das obras do Centro Cirúrgico de Alta Complexidade do CEPON, conforme previsto em contrato. A retomada das obras se dará cinco dias após o repasse dos recursos;

2. Garantir as condições materiais para a transferência do Serviço de Transplante de Medula Óssea (TMO) do Hospital Celso Ramos para o CEPON, com a implementação dos serviço de TMO halogênico, atualmente inexistente em Santa Catarina;

3. Apoiar a FAHECE no processo de renovação de sua qualificação como Entidade Beneficente de Assistência Social, por meio de habilitação e contratação de serviço próprio e concessão de direito de uso não oneroso para a realização dessas atividades;

4. Garantir a renovação do Contrato de Gestão por cinco anos, prorrogáveis por iguais e sucessivos períodos, desde que atendidas as exigências previstas no artigo 25 do Decreto 4.272, de 28 de abril de 2006, com as alterações do Decreto 313, de 17 de agosto de 2015.

Antes de gerar efeitos, a decisão será submetida à apreciação da 25a. Promotoria de Justiça da Capital, a quem compete fiscalizar os atos das Fundações e avaliar ações de caráter patrimonial.

Leia as últimas notícias

Nova onda de atentados chega a 23 ataques e uma morte em seis dias

30 de setembro de 2014 0
Foto Guto Kuerten

Foto Guto Kuerten

O mais recente relatório da Polícia Militar, divulgado nesta terça-feira à tarde, confirma que já são 23 ataques desde o último dia 26 com pelo menos uma vítima fatal, um agente prisional aposentado, em Criciúma.

A maior parte dos disparos contra bases da PM e incêndio em ônibus tem se concentrado na Grande Florianópolis, mas também existem registros no Vale, no Sul e no Oeste.

Um das mulheres atropeladas durante a fuga no Itacorubi, na segunda-feira, segue internada em estado grave no Hospital Celso Ramos. Ela sofreu politraumatismo craniano. A outra vítima foi operada e passa bem.

Desde a primeira onda de ataques em 2012, esta já é considerada a mais violenta pela velocidade com que os criminosos têm agido em quase todas as regiões.

Vale lembrar que os autores do assassinato da agente prisional Deise Alves, em 2012, ainda não foram nem sequer a julgamento.

Manifestação de indignação

11 de abril de 2014 4

Como manifestar indignação diante de uma PMF que mostra total incompetência em tratar das coisas de interesse dos cidadãos?

Exemplos,

1. Segurança. Quais as iniciativas da Prefeitura para lidar com a segurança dos munícipes? O que está sendo feito? Será que os nossos agentes de segurança trabalham pelo exercício da função tomado iniciativas 24h ou somente quando mandados?

2. Estacionamentos irregulares. O que tem sido feito para eliminar os estacionamentos irregulares na frente de bancos, clínicas médicas, supermercados, farmácias, correios, etc? Já passou da hora da Camara de vereadores mostrar serviço e criar leis que realmente ajudem a cidade a melhorar. Será que ainda desconhecem os pontos críticos? Exemplos, Praça XV, UFSC, Hospital Celso Ramos, Rua Dib Mussi, Chácara do Espanha, Rua Dom Jaime Camara (conhecido como o quadrilátero do Vale Tudo. Rua Presidente Coutinho, Etc??? Ruas entre Hercilio luz e Pça XV . imediações da UFSC, etc. Etc. Etc. Num dia é possível, somente na Chácara do Espanha e no Quadrilátero (Rio Branco, Dib Mussi, Dom Jaime Câmara, etc. Contar dezenas de veículos:automóveis, motos, caminhões, camionetas, veículos públicos etc. Em cima de calçadas, em fila dupla, fora da zona permitida para fugir do pagamento da Zona Azul, e não se observa nenhuma ação permanente para corrigir. Uma vez foi dito por uma autoridae de que não podia fazer nada porque era a cultura do povo brasileiro. Será que um cidadão desses tem noção do que é natureza e cultura humana? A Autoridade é a primeira manifestação histórica para conter a violência e para construir a cultura. Será que sabem disso? Será que tem alguma idéia de que a justiça é uma delegação e franquia dada pelo povo???

3. O que tem sido feito para melhorar o serviço de táxis? e os famosos serviços de táxis especiais que estacionam em frente a hotéis em locais não permitidos ? É só andar pela Rua Felipe Schimdt. E o transporte público? Uma vergonha? Um dia a imprensa poderá filmar todo um trajeto para registrar as “loucuras” que são cometidas.

4. A implantação da Zona Azul. Que vergonha! Quanta desconsideração! Que divulgação mal feita! Quantas instruções mal dadas! Afinal quem é o responsável? Porque não foi dado um tempo para educação e adaptação dos cidadãos ao novo modelo? Aonde estão as moças e rapazes da zona azul quando se precisa deles num momento como o de implantação? Quais os telefones para contato ( não há números e nem e-mail para contato nos cartões e nos boletos). E nos terminais? Aonde foram parar as Zonas de 5 horas? É possível estacionar em outro lugar após as 2 horas utilizadas no centro? Como é feita a devolução das Horas após às 18h. As instruções não são claras e a PMF mostra-se perdida. Quanto dinheiro e tempo perdido. Será que é fruto da inexperiência da atual administração? Não é hora em sinal de respeito que o Jovem Prefeito interrompa a brincadeira?!?!?, reúna uma equipe competente, planeje, aprenda a corrigir os problemas após um período de experiência, informação e educação e depois faça a implantação?

5. Administração Pública não é dar concessões para quem quer que seja, nem para atender a interesses corporativos. Florianópolis, segundo alguns, tem interpretação própria de leis e regras? Será que o sinal de Proibido significa Permitido para Ônibus, Táxi, Motos, Motoristas sem escrúpulos, vans de prestadores de serviços, viaturas que atendem os serviços públicos, (AJU….etc).?

6. Utilizar postes de distribuição de energia elétrica para indicadores de localização da Defensoria Pública?

7. Afinal para que serve a Câmara de Vereadores? Qual foi a discussão séria que fizeram e as leis propostas para a melhoria dos pontos críticos da cidade? Quais foram as discussões para a melhoria da saúde e da educação? Será que não enxergam? Será que não tem mais sentimentos? Será que perderam a noção de valores?

Enfim, senhor jornalista, estamos a mercê de políticos e administradores públicos que demonstram não haver nenhum ligação entre o compromisso assumido nas campanhas e programas e o comportamento demonstrado. É fruto de incompetência, estupidez, preguiça, boçalidade, ignorância ou simplesmente o que mais interessa é defender o interesse pessoal……….???!!!!

8. Será que não está claro para a administração pública das conseqüências desastrosas da questão da ocupação urbana? Será que não enxergam que a administração pública não conseguira administrar o novo Plano Diretor? Já forma quantificados os custos -pessoas, estruturas, sistemas, equipamentos, regulamentações, etc. enquanto isso os Morros continuam sendo ocupados intensiva e desordenadamente. Veja como está o lado sul do Mocotó, os Morros do Caminho do Aeroporto, Saco Grande, Armação, Serrinha, Norte, Leste e sul da Ilha??? Quantos fiscais estão trabalhando? O que está sendo feito para corrigir as invasões da Praia do Forte, da Costa da Lagoa?

Enfim, a administração pública da capital mostra absurda e esférica incompetência em listar e tratar das prioridades sem dar aquilo que é a verdadeira “droga” dos Legislativos, Executivos e Judiciários que são as famosas concessões (sejam elas formais ou informais) sem critérios.o mesmo vale para a administração estadual e, principalmente para o federal, ambíguo, inconseqüente, irresponsável o qual parece não tem nenhuma idéia do que seja um Estado ou uma Nação ou mesmo de valores éticos e morais.

Atenciosamente

R V Canali

Catarinense e residente na capital.

Gestão de emergência

16 de janeiro de 2014 1

O Hospital Celso Ramos, de Florianópolis, foi integrado ao Programa S.O.S. Emergência, do governo federal. O termo de compromisso assinado entre o Estado, prefeitura e o Ministério da Sáude garante a aplicação de medidas para melhor a gestão e desafogar o atendimento emergencial. Só entre ontem e terça-feira, 334 pessoas foram atendidas na emergência do Celso Ramos e, dos 200 leitos, cerca de 30 são de UTI. É primeiro hospital de SC e o 23o do país a integrar o programa.