Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "meio ambiente"

Fatma disponibiliza para download livro de colorir Papagaio Pipo e os Amiguinhos do Meio Ambiente

12 de julho de 2015 0

Com o período de férias chegando, começa o desespero dos pais em encontrar formas de entreter os pequenos. A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) deu uma ajuda. Está disponível no site da instituição (www.fatma.sc.gov.br), para download, o livro de colorir Papagaio Pipo e os Amiguinhos do Meio Ambiente. O material, criado pelo ilustrador e publicitário Bruno Pagani, ensina de forma divertida quais são as Unidades de Conservação de Santa Catarina, além de noções de preservação do meio ambiente.

Leia as últimas notícias sobre a Fatma

Fundação do Meio Ambiente comunicou ontem, via nota oficial, que suspendeu a Licença Ambiental Prévia

31 de maio de 2015 0

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) comunicou ontem, via nota oficial, que suspendeu a Licença Ambiental Prévia (LAP) e todo o processo de licenciamento da construção de um hotel na Ponta do Coral. A ação é tomada com base na falta de resposta da Prefeitura em relação a revogação do Decreto municipal 12.670/2014 e nas declarações feitas pelo Poder Municipal na imprensa. A Fatma enviou em abril um ofício questionando a validade do Decreto e ainda não recebeu resposta.

Leia as últimas notícias sobre a Ponta do Coral

Fundação do Meio Ambiente fiscaliza loteamento irregular no Norte da Ilha

13 de abril de 2015 0

* Por Guto Kuerten

00ace611

Fiscais da Fundação Municipal do Meio Ambiente de Florianópolis estiveram novamente em um loteamento irregular na Vargem do Bom Jesus, no norte da Ilha. Desde o ano passado o local é alvo de fiscalização. Uma casa de alvenaria em construção chegou a ser demolida na semana passada.

::: Leia mais notícias sobre habitação

A edificação foi erguida irregularmente dentro de área de preservação permanente. Ninguém sabia dizer ou identificar quem seria o responsável. Os fiscais continuam o monitoramento para evitar eventuais construções irregulares no local.

* O colunista Rafael Martini retorna ao Visor dia 17 de abril, durante o período, as publicações serão feitas pelo interino, o fotojornalista Guto Kuerten, que também publica no Blog De Olho nas Ruas, e pela redação.

Meio ambiente

14 de fevereiro de 2015 1

Projeto Circuito Ambiental da Autopista Litoral Sul está capacitando 200 professores que repassarão conteúdos relativos a fauna, flora, arqueologia, água, comunidades indígenas e mobilidade urbana a 700 alunos da Grande Florianópolis. Oito escolas de Palhoça, São José, Governador Celso Ramos e Biguaçu participam do treinamento.

Trilha abre no Dia Mundial do Meio Ambiente

04 de junho de 2014 0
BRUNO OLIVEIRA / DIVULGAÇÃO

BRUNO OLIVEIRA / DIVULGAÇÃO

Depois da inauguração meia-boca no início de abril, a Fatma promete reabrir amanhã a Trilha do Rio Vermelho com acesso à visitação aos 150 animais silvestres que não podem mais retornar ao habitat natural. O percurso tem pouco mais de 800 metros de extensão e pode ser visitado de terça-feira a domingo. A entrada é gratuita.

Confira a programação do Dia Mundial do Meio Ambiente em Florianópolis

04 de junho de 2013 1

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, estará com uma programação repleta de atividades em Florianópolis. A Fundação Estadual de Meio Ambiente e o projeto Tamar de Florianópolis prepararam não apenas um dia de evento, mas toda uma semana.

Confira as atrações:

Projeto Tamar, localizado na rua professor Ademir Francisco, 140, na Barra da Lagoa)

De quarta a sábado
Visitas monitoradas a grupos escolares pré-agendados, das 9h30min às 17h30min
Exposição do artista argentino Ric Weigel, das 9h30min às 17h30min
Alimentação interativa das tartarugas marinhas, às 15h30min
Cine Tamar, às 16h30min

Quarta-feira
Oficina de confecção de sabão com óleo reciclado, às 9h30

Quinta-feira
Contação de histórias, às 10:30 e às 13:30

Sexta-feira
Apresentação teatral e oficina Dona Tainha e o Vento Sul , às 14h30

Sábado
Palestra sobre compostagem, às 10h30
Sorteio de kit da loja Tamar, às 17h30

Programação da Fatma (com atividades no Largo da Alfândega, no Centro)

Quarta-feira
Apresentação de Capoeira, das 8h às 8h30min
Coral Eletrosul, das 8h30min às 8h50min
Apresentação de Canto e Violino, das 8h50min às 9h
Apresentação Banda da Polícia Militar, das 9h às 9h20min
Solenidade abertura, das 9h30min às 9h50min
Sorteio de três bicicletas, das 9h50min às 10h
Peça de Teatro Guarda Municipal, das 10h às 10h30min e das 15h às 15h30min
Peça de Teatro Meio Ambiente, das 10h30min às 11h
Túnel, Bonecos, Quebra-cabeça, Eco-ônibus, das 11h às 11h30min, das 14h30 min às 15h e das 15h30 às 17h30min
Eco-ônibus, das 11h30min às 14h e das 17h30 às 18h
Oficina de Papel Machê, das 14h às 14h30min e das 16h às 17h30min

Quinta-feira
Peça de Teatro Meio Ambiente, das 9h às 9h30min e das 15h30min às 16h
Túnel, Bonecos, Quebra-cabeça, Eco-ônibus, das 9h30min às 10h, das 14h às 15h e das 15h30min às 16h30min
Peça de Teatro Guarda Municipal, das 10h às 11h e das 15h às 15h30min
Oficina de Papel Machê, das 11h às 11h30min, das 13h30min às 14h e das 16h30min às 17h
Eco-ônibus, das 11h30min às 14h e das 17h às 18h30min

Sexta-feira
Peça de Teatro Meio Ambiente, das 9h às 9h30min e das 15h30min às 16h
Túnel, Bonecos, Quebra-cabeça, Eco-ônibus, 9h30min às 10h, das 14h às 15h e das 15h30 às 16h30
Peça de Teatro Guarda Municipal, das 10h às 11h, das 15h às 15h30min
Oficina de Papel Machê, das 11h às 11h30min, das 13h30min às 14h e das 16h30min às 17h

Sábado
Túnel, Bonecos, Quebra-cabeça, Eco-ônibus, das 7h30min às 10h e das 11h30min às 13h
Peça de Teatro Meio Ambiente, das 10h às 10h30min
Oficina de Papel Machê, das 11h às 11h30min

Contribuição da defesa civil

24 de outubro de 2015 0
Foto: Felipe Carneiro / Agência RBS

Foto: Felipe Carneiro / Agência RBS

Assessoria da Secretaria da Defesa Civil envia e-mail para relatar o trabalho desenvolvido no Estado, questionado na edição de ontem por este Visor. E logo na abertura diz que se trata de uma contribuição ao debate, não um contraponto. Pela forma propositiva como foi abordado o assunto, mesmo em pontos divergentes, cabe destacar alguns itens. Diz a Defesa Civil: “Estudos técnicos desenvolvidos por engenheiros, através de consórcios de empresas, devidamente contratadas para as futuras ações já previstas na Bacia do Itajaí, já foram executados. O levantamento vai apontar quais ações serão mais eficientes para o rio Itajaí-Açu e seus afluentes, desde o Alto Vale, descendo até o Médio e chegando ao Baixo Vale do Itajaí–litoral. Serão aprofundamentos de canal, construção de diques, reforço nos leitos. Ainda em relação a Blumenau, um trabalho é desenvolvido para encontrar ações que possam minimizar os efeitos das cheias. Já foram discutidas com prefeitura, órgãos de proteção do Meio Ambiente e instituições filantrópicas algumas possibilidades, como um túnel extravasor em linha reta e outras que ainda estão em análise.

O mesmo ocorre para a região de Navegantes e Itajaí, que tende a auxiliar no futuro o setor portuário dos municípios do polo marítimo. Sobre o projeto de três barragens que compreende empreendimentos em Mirim Doce, Petrolândia e Braço do Trombudo, já passaram por audiências públicas e estão em fase de liberação de licenciamento ambiental. No caso do projeto de quatro barragens, que envolve duas em Pouso Redondo e duas em Agrolândia que sofreram com as cheias neste dia, há um grupo que age contra a finalização dos estudos. Em Pouso Redondo as conversas tem avançado; em Agrolândia, grupos que não aceitam o empreendimento não permitiram sequer o acesso de técnicos em áreas particulares para que o levantamento final fosse realizado e que fosse concluído o projeto.

Hoje, são pelo menos 48 projetos em andamento na Defesa Civil, para uma estrutura enxuta com apenas 70 servidores para atender os 295 municípios de SC. O Estado também é o único da Federação a ter um fundo específico para Defesa Civil que permite ações emergenciais rápidas. São cerca de R$ 30 milhões anuais disponíveis somente para ações emergenciais.”

Ou seja, o louvável trabalho desenvolvido pela Defesa Civil de Santa Catarina só reafirma a tese deste Visor que muito está sendo feito, mas não no ritmo que as intempéries exigem. Basta dar uma conferida na foto de ontem em Rio do Sul (acima).

BOM EXEMPLO

Pomerode também tem problemas com a chuva, mas muito pequenos se comparados aos vizinhos no Vale do Itajaí. Isso porque a prefeitura tem feito o dever de casa com o desassoreamento e limpeza de 13 ribeirões e do rio do Testo, afluente do Itajaí-Açu, desde 2013. Até agora 8,5 quilômetros de ribeirões, córregos e rios passaram pelo processo. Feitos periodicamente, o desassoreamento e a limpeza dos ribeirões representam um ganho em prevenção. Nos últimos dias, ninguém em Pomerode teve de deixar sua casa.

MAIS CHUVA

Em evento sobre direito ambiental, da Escola Superior da Magistratura de Santa Catarina, a procuradora da República Analúcia Hartmann trouxe um dado preocupante: está previsto um aumento da ordem de pelo menos 10% no volume de chuvas nos próximos 15 anos. As razões estão no histórico descaso do homem em relação ao meio ambiente. Pela qualidade dos debates e pelo nível dos palestrantes, o encontro foi considerado histórico pelos participantes.

ENQUANTO ISSO…

O deputado federal Jorginho Mello (PR-SC) é autor do projeto de lei que institui a Política Nacional de Defesa Civil para estudar a gestão de desastres no Brasil, com ênfase na prevenção. “A atual legislação e a atuação governamental estão muito focadas na resposta aos desastres e na recuperação das áreas atingidas”, comentou no plenário da Câmara. Ele pede agilidade na discussão do projeto, na Casa desde maio deste ano.

Leia as últimas notícias do DC

 

Defesa Civil responde sobre nota publicada

23 de outubro de 2015 2

Resposta da Assessoria de Comunicação da Defesa Civil

Sobre nota publicada em sua coluna – Visor – Diário Catarinense.
Rafael, queríamos contribuir com você sobre o que está em desenvolvimento no Estado no Plano de Mitigação de cheias e eventos adversos.
Sobre os seus questionamentos, estudos técnicos desenvolvidos por engenheiros, através de consórcios de empresas, devidamente contratadas para as futuras ações já previstas na Bacia do Itajaí. Todo esse trabalho já foi executado, e amparado num levantamento preliminar da JICA vai apontar quais ações serão mais eficientes para o Rio Itajaí-Açu e seus afluentes, desde o Alto Vale, descendo até o Médio e Chegando ao Baixo Vale do Itajaí/Litoral. Serão aprofundamentos de canal,construção de diques, reforço nos leitos. Tudo estará nesse material.
Para o Itajaí-Mirim já foi realizada a audiência Pública, que trata do melhoramento do canal antigo e retificado. A obra que na primeira etapa deve consumir cerca de R$ 300 mil já está prevista. Estamos aguardando o licenciamento ambiental dos órgãos competentes. A obra vai reduzir significativamente os pontos de alagamentos em Itajaí.
Ainda em relação a Blumenau, um trabalho é desenvolvido para encontrar ações que possam minimizar os efeitos das cheias. Já foram discutidas com prefeitura, órgãos de proteção do Meio Ambiente e instituições filantrópicas algumas possibilidades como um túnel extravasor em linha reta e outras que ainda estão em análise.

O mesmo ocorre para a região de Navegantes e Itajaí, que tende a auxiliar no futuro o setor portuário dos municípios pólo marítimo.

Sobre o Projeto Três Barragens que compreende empreendimentos em Mirim Doce, Petrolândia e Braço do Trombudo já passaram por audiências públicas e estão em fase de liberação de licenciamento ambiental.
No caso do projeto quatro barragens, que envolve duas em Pouso Redondo e duas em Agrolândia qu que sofreram com as cheias nesse dia, há um grupo que age contra a finalização dos estudos. Em Pouso Redondo as conversas tem avançado, em Agrolândia, grupos que não aceitam o empreendimento não permitiram nem mesmo o acesso de profissionais técnicos em áreas particulares para que o levantamento final seja realizado e que possa ser concluído o projeto.

Em Botuverá, já foi realizada audiência pública para a construção da primeira barragem de uso triplo do Brasil e que inicialmente tem como foco conter o volume de água que escoa por cidades como Brusque através do rio Itajaí Mirim e que causam tantos problemas para a região.
Além disso outros projetos semelhantes já estão em execução nas Regiões Sul e Norte. Também ações de resposta rápida em caso de ocorrências naturais que não há como conter, mas minimizar com as orientações que já são repassadas aos Catarinenses.
Não bastasse esses projetos supramencionados, temos a construção do Centro de Monitoramento e Alerta que vai abrigar diversos serviços do Estado num só local, como possibilidade do setor de obras hídricas, hidrologia, meteorologia, emissão de avisos e alertas – que já ocorre, prevenção, resposta – que já ocorre.

Ainda este ano o Estado assumiu a responsabilidade da instalação do Radar do Oeste de Santa Catarina que estava assegurado pelo governo federal, mas que não há como aguardar. Por isso, os trabalhos a cerca desse assunto evoluíram e o Estado vai adquirir com recursos próprios. Também estuda-se a possibilidade do terceiro, para o Sul de Santa Catarina.
Hoje são pelo menos 48 projetos em andamento na Defesa Civil, para uma estrutura enxuta de servidores que somados chega a 70 colaboradores para atender os 295 municípios de Santa Catarina.
Diante disso tudo, é com orgulho que referenciamos o maior investimento da história da Santa Catarina em ações de Defesa Civil. E não só em ação financeira do Estado, que por conseqüência é o único da Federação a ter um fundo específico para Defesa Civil que permite ações emergenciais rápidas. São cerca de R$ 30 milhões anuais disponíveis somente para ações emergenciais – não vincula obras estruturantes, nem custeio.

Paralelo a isso, uma mudança de comportamento de Santa Catarina permitiu a liberação de recursos com mais agilidade em Brasília. Em anos passados, alguns municípios aguardam um, dois, até três anos para receber auxílio de Brasília. Santa Catarina apresentou proposta de o Estado avaliar os danos e dar o aval para a União. Isso possibilitou repasse de recursos com período recorde, cerca de dois e até três meses após o evento registrado. Foi o que aconteceu em Julho no Oeste. Desde setembro, as prefeituras já começaram receber os recursos dos Planos de Trabalhos de Reconstrução. Somente neste ano foram aportados para Santa Catarina através da Defesa Civil, cerca de R$ 25 milhões vindos da União.

Ainda realizamos o Plano de Estiagem no Oeste e temos montado uma ponte por dia para regiões em situação de emergência, nas localidades de interior de Santa Catarina. Sem falar no sistema que vai dispor de um aplicativo, onde a população receberá os avisos já emitidos através do telefone móvel.
Outro fator que mantemos como fonte de dados são as redes sociais que nesses períodos críticos tem mantido patamar de cerca de 2 milhões de pessoas acompanhando a emissão de avisos e ou alertas e prognósticos futuros de brevidade. Temo as redes com maior fluxo de seguidores do Estado, com mais que o dobro da segunda instituição governamental, isso demonstra que chega na grande maioria da população. Além da imprensa que tem sido grande parceria na difusão desses avisos e que estão fazendo valer a preparação de um Estado que não vai deixar de registrar ocorrências, mas assim como Países que sofrem com fenômenos, aprenderam a lidar com os mesmos.

Sobram recursos e empenho, falta gestão antes da crise

MP abre inquérito para investigar irregularidades na emissão alvarás em Florianópolis

21 de outubro de 2015 0

O Ministério Público estadual abriu inquérito civil para apurar possíveis irregularidades ocorridas na emissão de alvarás por parte do ex-secretário José Carlos Rauen, do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, e do ex-secretário adjunto Fabio Ritzmann, conforme consta no relatório final da CPI dos Alvarás, realizada na Câmara de Florianópolis. O MPSC solicitou cópias dos autos da CPI para iniciar as investigações. A ação reafirma o trabalho realizado no Legislativo municipal.

Leia as últimas notícias

Bazar solidário e outros destaques deste sábado

17 de outubro de 2015 0

Games em São José
Secretaria de Desenvolvimento Econômico de São José está oferecendo gratuitamente curso de formação de empreendedores nas áreas de jogos digitais e aplicativos. A intenção é desenvolver o espírito empreendedor entre os jovens de São José e criar um ambiente mais favorável à inovação e à tecnologia. Mais informações no site da prefeitura.

Ação do bem
Alunos da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) promovem neste domingo um bazar solidário em benefício da Escola Helen Keller, organização beneficente com sede em Balneário Camboriú, que prepara e doa gratuitamente cães-guias para deficientes visuais. O espaço para venda dos produtos _ roupas, livros, brinquedos e acessórios de marcas conhecidas _ será montado no Centro de Inovação Acate, na Rodovia SC-401, entre 10h e 18h.

Plano diretor
A Primeira Câmara de Direito Público, do Tribunal de Justiça de SC, aceitou os argumentos sustentados pela advogada Perla Duarte Moraes e suspendeu o julgamento da ação que buscava a demolição de uma edificação multifamiliar no Campeche, em Florianópolis. Baseada no Novo Plano Diretor da cidade, a defesa alega que a construção não está localizada em área de preservação permanente. O resultado trouxe alívio para os moradores do bairro, que começam a ver o Novo Plano Diretor ser aplicado pelo Poder Judiciário.

Churrasco Paraguaio
Assim com diversos setores da economia, as carvoarias catarinenses sofrem com a concorrência desleal de empresas ilegais, que colocam no mercado produtos ruins com custos para o meio ambiente. Segundo Ricardo Matos, da Bom de Brasa, de Santo Amaro da Imperatriz, o ideal é usar carvão 100% legal, de florestas plantadas que, além de ajudar na preservação de nossas florestas, fornece melhor caloria e durabilidade na hora do churrasco, resultando em economia para o consumidor.

Startup Turismo
Um final de semana para troca de conhecimentos sobre iniciativas turísticas. Essa é a proposta da Startup Weekend Floripa Turismo, que desembarca em Florianópolis nos dias 13, 14 e 15 de novembro. Com apoio do SBTUR e das gigantes Google e Coca-Cola, o evento tem o objetivo de criar projetos inovadores exclusivos para o setor e reunir especialistas de todo o país para desenvolver novas ideias. As inscrições seguem até o dia 12 de novembro no site.

Solidariedade?
Ulisses Gabriel, presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina (Adepol), publicou extensa manifestação no Facebook criticando a coluna sobre o relato do caso da estagiária detida por suposto furto de um “mouse pad” na 2ª DP de Joinville. Além de reproduzir a íntegra do texto, diz que os “atos considerados injuriosos e difamatórios, serão devidamente apurados”. Também levanta a suspeita de “prática criminosa, com suposta violação de sigilo funcional”. Em nenhum momento o representante dos delegados cogita a mais remota possibilidade de que seu colega possa ter cometido um pequeno erro, já que nem inquérito foi instaurado. Tal prática adotada pelo presidente da Adepol, segundo o Dicionário Aurélio, é também é definida como corporativismo.

Leia as últimas notícias