Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "baleia franca"

Será que vão fechar o espaço aéreo?

04 de agosto de 2013 1

Quarenta baleias franca foram avistadas durante o primeiro sobrevoo de monitoramento da espécie realizado nesta sexta-feira, dia 2, pelo Projeto Baleia Franca. Foram percorridos cerca de 200quilômetros no litoral centro-sul catarinense, área que compreende o sul de Florianópolis a Torres, município já localizado no Rio Grande do Sul.


Das 40 baleias da espécie avistadas, 15 eram filhotes, número que é considerado dentro da média para o período. O litoral de Santa Catarina é considerado berçário natural da espécie, que procura as águas calmas e com temperaturas amenas da região não apenas para ter seus filhotes e amamentá-los, como também para reprodução.

Segundo a coordenadora do PBF, Dra. Karina Groch, a maior concentração de baleias estava em Imbituba, entre as praias de Ibiraquera e Porto, onde 12 baleias foram avistadas. Entre as visualizadas pela equipe, foram identificadas algumas baleias conhecidas, que estão entre as catalogadas pelo Projeto ao longo dos 30 anos de pesquisas.

Agora será que a Justiça também pretende suspender o trabalho de pesquisa, a exemplo do que fez com o turismo de observação embarcado?

MPF quer licença do Ibama para transporte marítimo

31 de agosto de 2012 4

O Ministério Público Federal enviou recomendação ao Ibama para que o órgão assuma o licenciamento ambiental do sistema de transporte marítimo da Grande Florianópolis.

O documento, de autoria do Procurador da República Eduardo Barragan Serôa da Motta, tem origem em inquérito civil público, instaurado para apurar notícia de que os municípios envolvidos no empreendimento (Palhoça, São José, Biguaçu, Florianópolis e Governador Celso Ramos) ou a Fatma fariam o licenciamento ambiental sem a consulta prévia ao Instituto Chico Mendes (ICMBio), Fundação do Meio Ambiente de Florianópolis (Floram) e UFSC.

Eles são os gestores das unidades de conservação potencialmente afetadas pelo projeto (Estação Ecológica de Carijós, Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim, Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, Reserva Extrativista Marinha do Pirajubaé, Área de Proteção Ambiental Baleia Franca e Parque Municipal do Manguezal do Itacorubi).

O MPF também recomendou ao Ibama, assim como ao Estado de Santa Catarina, ao Departamento de Transportes e Terminais (Deter), à Superintendência do Patrimônio da União (SPU) e aos Municípios envolvidos, que não permita, até a conclusão da análise do estudo de impacto ambiental (EIA), a expedição de licenças, permissões ou autorizações em favor do empreendimento, tampouco que os empreendedores iniciem qualquer obra ou atividade nas áreas do projeto.

A Procuradoria da República requisitou ao ICMBio, à UFSC e à FLORAM que iniciem análise e elaborem informação técnica conclusiva sobre o impacto do empreendimento nas unidades de conservação sob sua gestão.

MPF identifica fraudes em festa de Imbituba

23 de novembro de 2010 2

O Ministério Público Federal em Santa Catarina ingressará com ação penal, sob alegação de fraudes a propósito da realização da Festa da Baleia Franca, que ocorreu em 2005, no Município de Imbituba. A ação terá como base o Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), que apontou que 49,40% dos recursos públicos recebidos foram desviados. Ou seja, do total arrecadado, R$ 450 mil, existiu, em tese, um desvio de R$ 219.847,28. A Semana Nacional da Baleia Franca ocorreu no período de 14 a 25 de setembro de 2005 e estava em sua nona edição.

A maior parte dos recursos arrecadados vieram do Ministério do Turismo e da Cultura, por meio da lei de incentivo fiscal do mecenato. Os envolvidos são acusados de superfaturar serviços e receber por outros que nem sequer foram realizados. A empresa organizadora é a mesma que também já foi condenada por estelionado em função de um outro evento, ainda em 2006, a New Millenium.

Segundo o procurador da República em Tubarão, Celso Antônio Tres, que analisa o caso, ocorreram fraudes bizarras, como por exemplo a especificação de R$ 30 mil à premiação para um concurso de fotografia. Contudo, foram distribuídos apenas R$ 1 mil (na proposta o primeiro lugar receberia mais de R$ 21 mil, porém, de fato, recebeu apenas R$ 500,00).

Em outro item, seriam destinados mais de R$ 50 mil a artística plástico pela pintura de algumas telas tendo por tema a baleia franca. Todavia, o pintor só recebeu R$ 5 mil. Também foram destinados mais de R$ 30 mil para remunerar seis apresentações do violinista, quando ele se apresentou apenas quatro vezes (R$ 5.185,00 por sessão). Além disso, ele não foi localizado para certificar quanto, de fato, recebeu pelas apresentações. O relatório aponta, também, que o violinista e acompanhante consumiram, em três dias, 72 refeições; e o artista plástico, mais de 36 refeições.

Os envolvidos já foram condenados pelo TCU e pela Justiça Federal, por outros convênios fraudulentos com ONGs e Associações. A forma de atuação foi a mesma deste caso: sob a alegação de promover festas, eles entravam em contato e pediam “emprestado” o respectivo nome das associações e ONG’s, com o objetivo de levantar recursos públicos, afirmando que se responsabilizariam por toda aplicação dos valores e prestação de contas.

Turismo encalhado

23 de setembro de 2013 1

Maria Claudia Evangelista, secretária de Turismo de Florianópolis, chegou ontem de Quito (Equador), onde participou do World Travel Market Latin America, uma das principais feiras do setor.

Das 15 reuniões que ela teve com as maiores operadoras do trade, pelo menos sete questionaram por que Santa Catarina foi proibida de realizar o turismo de observação de baleias-franca.

Voltou convencida da importância de uma mobilização das lideranças de SC para obter a liberação desta modalidade. Entende que o prejuízo reflete em todo o Estado e não apenas para Imbituba.

Só observando

30 de maio de 2013 0

Maria Elizabeth Carvalho da Rocha, da APA da Baleia-Franca; Karina Groch, diretora de Pesquisa do Projeto Baleia-Franca (blusa azul) e Simão Marrul, analista ambiental do ICMBio, na reunião em Imbituba para montar a defesa pela liberação da observação turística.