Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "raimundo colombo"

Colombo fala sobre pontes

07 de outubro de 2015 0

O governador Raimundo Colombo falou ontem (06) sobre a manutenção das pontes Colombo Salles e Pedro Ivo. O projeto está em suas mãos e depende de recursos. “Estamos discutindo a fonte de recursos. Como não pode ser com financiamento, vamos ter que fazer um esforço financeiro já que a arrecadação caiu. Estou há 57 meses no governo e (setembro) foi o pior mês da arrecadação, mas as pontes são prioridades e vamos achar uma forma. Temos o projeto pronto, estamos avaliando a fonte de recurso, mas vamos fazer.”

Leia as últimas notícias

Imagem é tudo

03 de outubro de 2015 3
Julio Cavalheiro

Julio Cavalheiro

Antes de mais nada, quero deixar claro o meu apreço por Raimundo Colombo. Um sujeito simples, sempre muito cortês em todas as oportunidades que conversamos. Autêntico lageano, é apreciador dos pequenos prazeres como o carteado entre amigos, pescaria, domingo em família e mesa farta. Dito isso, gostaria de fazer breve análise sobre uma recente escorregadela. Não do homem, mas do político. Motivadas, aliás, por interpretações equivocadas da sua assessoria. Quem convive diariamente com ele percebeu. Poucas vezes foi visto tão incomodado quanto neste episódio dos valores já gastos na recuperação da Hercílio Luz. A tal ponto que deixou de lado a diplomacia e partiu para o ataque, chamando o procurador do Ministério Público de Contas Diogo Ringenberg de irresponsável e mentiroso. Ficou tão bravo que mandou o procurado- geral do Estado representar judicialmente Ringenberg. Acusações fortes de um governador.

Na frente do juiz, sabe quem será responsabilizado? A imprensa, claro.
Mas afinal, o que teria provocado tamanho desconforto, já que não houve nenhuma denúncia de corrupção?
Elementar, meu caro Watson. Raimundo Colombo já está no seu segundo mandato. Logo, não precisa se preocupar com reeleição. O plano A é uma cadeira garantida no senado em 2018. Mas o que realmente o motiva é um objetivo maior, tratado como segredo de Estado por um pequeno grupo de apoiadores. Sabe aquela história de que em terra de cego quem tem um olho é rei? Pois é. O Brasil vive talvez a sua maior crise de lideranças da história. O país mergulhado na sangria sem fim da Lava-Jato, Estados quebrando, basta ver nossos vizinhos, e Santa Catarina está aí, uma ilha de prosperidade em meio ao mar de lama. Logo, Colombo tem se apresentado cada vez mais à mídia nacional com a imagem de bom gestor. Com números, mostra o quanto Santa Catarina é diferente. Não é à toa que a presidente Dilma se apegou tanto a ele. A fala mansa e o olho no olho envolvem o interlocutor. Sobram predicados para postular, quem sabe, uma vice-presidência em 2018. Ou até a cadeira o Palácio do Planalto a médio prazo.

Todo marqueteiro admite que construir uma imagem leva tempo e custa dinheiro. O problema é que político tem pressa. A cada dois ou quatro anos sofre de síndrome de abstinência severa se não tiver uma urna pela frente. E nesta corrida desenfreada por votos e mais mandatos, qualquer mancha ou arranhão pode botar tudo a perder. Colombo sabe disso. O erro da sua equipe foi ter subestimado a repercussão dos números apresentados pelo procurador. E olha que estamos falando de profissionais gabaritados, com anos de experiência do outro lado do balcão.

Durante quase três dias a mídia questionou e o governo silenciou. Somente depois que o Jornal Nacional levou ao ar a reportagem sobre a ponte, decidiram que ele deveria falar. Mesmo assim de maneira atabalhoada, no meio de um evento no Centro Administrativo.
Faltou estratégia de comunicação. Em qualquer cartilha de gestão de crise, o primeiro item diz que nunca se deve “fugir” da crítica com posicionamentos do tipo “não vamos comentar o assunto”. É jogar gasolina na fogueira. E para quem sonha em alçar voos mais altos, sempre é bom lembrar: à mulher de Cesar não basta ser honesta, ela precisa parecer honesta.

Aprovado novo contrato e obra emergencial na ponte Hercílio Luz deve chegar a quase R$ 22 milhões
Governo do Estado questiona informação sobre gastos na Ponte Hercílio Luz: “Irresponsável e mentirosa”

Bom senso para Apaes

25 de setembro de 2015 0

Raimundo Colombo falou quinta-feira sobre a polêmica dos últimos dias em torno da renovação do contrato dos 2,8 mil professores temporários para as Apaes. Ele estava em São Miguel do Oeste para entrega de obras. O governador reafirmou o compromisso com estas entidades, lembrando que só neste ano foram repassados R$ 32 milhões.

Conforme este Visor antecipou, a decisão para 2016 é garantir o livre arbítrio às 190 associações. Elas poderão escolher entre receber repasse direto para a gestão ou continuar com os ACTs mantidos pelo Estado. A pressão de deputados e da opinião pública foi só o empurrãozinho que faltava para se chegar ao acordo.

Leia as últimas notícias

Governador autoriza nomeação de 38 psicólogos policiais civis aprovados em concurso

01 de setembro de 2015 0

O governador Raimundo Colombo autorizou ontem a nomeação de 38 psicólogos policiais civis aprovados em concurso público de 2010. Os candidatos têm 30 dias para apresentação dos seus documentos na e na sequência iniciam o curso de formação profissional com duração de quatro a cinco meses.

Leia as as últimas notícias

Anunciado no primeiro ano do governo Colombo, novo complexo prisional ainda não tem local definido

01 de setembro de 2015 0

Delegacias continuam lotadas de presos, os municípios embrenhados num jogo de empurra, as centrais de triagem (cadeias públicas) não saem do papel e o governo não consegue definir um local para a construção do novo complexo prisional. E olha que na época foi anunciado como prioridade no primeiro ano do governo Colombo.

Leia as as últimas notícias

Por toda SC

28 de agosto de 2015 0

Durante a passagem por Florianópolis, o ministro Ricardo Lewandowski teve um encontro reservado no Palácio d’Agronômica com o governador Raimundo Colombo, o presidente da OAB-SC, Tullo Cavallazzi Filho, o presidente do TJSC, Nelson Schaefer Martins, e o vice-governador Eduardo Moreira. Durante a conversa, Cavallazzi disse que a OAB-SC apoia o projeto, mas defende que as audiências sejam estendidas para todo o Estado.

Leia as últimas notícias

Após corte no orçamento, cirurgias eletivas no Estado estão ameaçadas

18 de agosto de 2015 1

Os recentes cortes dos repasses da União podem afetar também cirurgias eletivas em Santa Catarina. O custo mensal é de R$ 5 milhões para bancar as operações – de alta ou média complexidade – pelo SUS. O problema é que o Estado receberá uma única parcela do valor gasto a cada 30 dias para bancar o ano todo. O último repasse para a Secretaria de Estado da Saúde foi em março. Caberá ao governador Raimundo Colombo decidir se vai bancar a diferença e depois cobrar de Brasília, mas o rombo no Tesouro é quase certo.

Avançou uma casa

O conselho curador da Fahece se reuniu nesta segunda-feira (17) à noite para avaliar o parecer do Ministério Público, que não vê irregularidade na eventual devolução do terreno onde está o Cepon para o Estado, encerrando o imbróglio e concluindo finalmente as obras do centro cirúrgico e da UTI para tratamento dos pacientes com câncer. Apesar das conversas terem se intensificado entre Estado e fundação recentemente, o acordo definitivo ainda pode demorar um pouco. A conferir os próximos capítulos da novela.

Sinal Amarelo

O suíço Jorge Viñuales, professor de Direito e Política Ambiental da Universidade de Cambridge (Inglaterra), foi o palestrante na abertura do Simpósio Internacional Mudanças Climáticas e Recursos Genéticos, na segunda-feira na UFSC. Considerado um dos maiores especialistas do mundo no assunto, esbanjou simpatia e simplicidade durante sua manifestação. E fez um prognóstico preocupante sobre os próximos 30 anos. Serão cada vez mais comuns fenômenos climáticos extremos ligados às mudanças climáticas.

Aliás

Ao citar inúmeros estudos mundiais sobre o tema, Viñuales não perdeu a chance da clássica espetadinha nos pesquisadores da vizinha universidade de Oxford, rival histórica de Cambridge. Tudo, claro, no melhor estilo do humor inglês, sem perder a elegância.

Som na caixa

Para o mundo que eu quero descer. Entre o repertório das mais tocadas por uma Kombi durante as manifestações de domingo contra o PT e o governo Dilma em Floripa estavam Pra Não Dizer que Não Falei de Flores e Sociedade Alternativa, dois ícones da esquerda nos anos de chumbo.

O lixo e o luxo

Os prefeitos de Brusque, Rodeio, Indaial e Rio dos Cedros, todos integrantes da Associação dos Municípios do Médio Vale, farão uma viagem de 10 dias para a Alemanha para conhecer uma usina de biogás produzido a partir do lixo orgânico. Modelo igualzinho a esta operação já existe no interior de São Paulo, pertinho de Ribeirão Preto. Logo, poderiam ter escolhido um roteiro mais em conta.

Bota mais água

O Educandário Santa Catarina, em São José, promoverá a 8ª Feijoada Solidária no próximo dia 29. O objetivo é angariar fundos para investimento na infraestrutura e na melhoria do ensino para 540 crianças e adolescentes atendidos. Informações: (48) 3247-0877.

Lei as últimas notícias

Incentivo ao pedal em Balneário Camboriú e outros destaques desta segunda-feira

17 de agosto de 2015 0

El Ninõ
A UFSC e a Comissão de Defesa da Assembleia promovem na próxima quarta e quinta-feira o Fórum Climático Catarinense. Especialistas em desastre ambiental irão explicar o fenômeno e os riscos para este ano.

A propósito
As entidades do setor batizaram de pauta-bomba o pacote de medidas que altera o regime remuneratório das polícias Militar e Civil enviado à Assembleia.

Dramaturgia
O escritor e crítico teatral Marco Vasques estará nesta terça-feira na abertura do Cena 12, Mostra Joinvilense de Teatro, para lançar o jornal brasileiro de teatro, com distribuição gratuita, no Hall do Teatro Juarez Machado, das 18h às 20h.

Incentivo ao pedal
Cerca de 300 empresas da região já assinaram um acordo com o Sindicato dos Empregados do Comércio Hoteleiro, Bares e Restaurantes e Similares de Balneário Camboriú e região denominado criativamente de “cláusula sustentável”, apoiando o uso de bicicletas para ir ao trabalho. Quem aderir recebe da empresa os equipamentos de segurança, como capacete, luvas e sinalizador, além de 50% do que gastam com vale-transporte. A campanha do sindicato também defende a implantação de mais ciclovias nas cidades de sua região de abrangência.

Outro lado
Leitora escreve questionando nota deste Visor no domingo sobre os planos de transformar o nome de Raimundo Colombo em referência nacional. Diz ela: “Como pode estar tudo bem no Estado se falta efetivo na segurança, os hospitais seguem superlotados, os professores mal pagos e as estradas esburacadas?” Pois agora…

Leia as últimas notícias

Morador de Brusque pede para que Raimundo Colombo autografe boné

05 de agosto de 2015 1

Durante solenidade de abertura das comemorações do 155 anos de Brusque, o governador Raimundo Colombo foi abordado por um morador da cidade para autografar seu boné. Luiz Fernando Maçaneiro gosta da política desde criança e vê o governador como ídolo. Tanto que quer seguir carreira na política.

Leia as últimas notícias sobre Brusque

A ligação entre dois mundos

15 de julho de 2015 5

Acompanhei atentamente, por dever de ofício no estúdio da TVCOM, os quatro discursos durante a solenidade da ponte Anita Garibaldi, uma cerimônia quase espartana no quesito rapapés e salamaleques. Começou às 11h30min e durou pouco mais de 40 minutos. A turma chegou, se acomodou, fotos, falatório, aplausos (com vaias ao fundo) e pronto. Estava inaugurada. Durante o tempo em que permaneceu no palco, a presidente Dilma Rousseff parecia feliz. No discurso deixou transparecer claramente o momento delicado que o país atravessa. Em apenas dois minutos, pronunciou a palavra dificuldade sete vezes. E disso ela bem entende.

Por mais paradoxal que possa parecer, foi em Santa Catarina, justo o Estado com o maior grau de rejeição, que ela recebeu mais manifestações de carinho e apoio do que críticas e xingamentos.

Leia também a análise de Upiara Boschi

Em especial nos pronunciamentos do prefeito de Laguna, Everaldo dos Santos, e do governador Raimundo Colombo. Claro que a claque de quase mil convidados foi selecionada a dedo para adentrar na área do evento, espécie de tenda dos milagres em que todos celebravam um país melhor e que dá certo. Um marciano que chegasse naquele momento se surpreenderia com a popularidade da presidente da República na parte coberta. A turma não menos ruidosa, a dos protestos, estava posicionada do lado de fora a poucos metros, quase debaixo da ponte. Sem metáforas.

Dilma ganha presente e palavras de apoio de Colombo durante inauguração da ponte de Laguna

“Ponte une e permite que se superem obstáculos”, diz presidente durante inauguração da ponte de Laguna

Durante as falas, uma outra mulher rivalizou com Dilma nas citações: Anita Garibaldi, a Heroína de Dois Mundos. Todos falaram da mulher guerreira e coisa e tal. Houve até uma invocação à República Juliana tamanho o entusiasmo dos oradores com a lagunense ilustre (mais na Itália do que aqui). Do prefeito, ela ganhou um quadro com a imagem clássica da combatente no lombo de um cavalo, com o filho no colo.

Foi como se a presidente encontrasse naquele evento, no meio de uma ponte, um bálsamo para aliviar a dor de feridas profundas, que estão longe de cicatrizar. Dilma está acuada por conta de tantas crises numa só: a política, a econômica e a ética. Mesmo de improviso, deu sinais de que acusou o golpe, mas ainda não entregou os pontos. Mirou direto no coração dos peemedebistas ao lembrar do ex-governador Luiz Henrique e demonstrou todo o seu apreço por Colombo, talvez o governador mais próximo dela atualmente no país. Chegou a provocar calafrios na assessoria quase ao final do pronunciamento, quando se meteu a filosofar. “O que é uma ponte? Uma ponte une, fortalece”, concluiu. Ufa, pensaram os mais próximos, escaldados por conta das recentes escorregadelas com mandiocas e teses evolutivas que fariam Darwin revirar no túmulo.

Estela Benetti; Sul de SC inicia nova era de desenvolvimento com a BR-101 duplicada 

A passagem de Dilma por SC foi rápida. À tarde já tinha agenda em Brasília. Quem conversou com ela ao final do evento garante que estava precisando de um pouco de carinho. E ganhou. Na terra de Anita, Dilma percebeu que só resta uma chance ao governo para chegar vivo a 2018: construir com urgência urgentíssima pontes que unam novamente o Brasil, dividido como nunca. Talvez seja tarde demais e nem exista ambiente para tanto. O cenário é imprevisível. E ninguém arrisca dizer como será o dia seguinte a um eventual fim do governo. Por enquanto, a única certeza que se tem é que haverá menos congestionamentos no sul graças à Ponte Anita Garibaldi.

Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS

Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS

Veja as promessas feitas por Dilma para SC em seu discurso

Ponte de Laguna e túnel do Morro do Formigão serão liberados até esta quinta-feira