Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Uso abusivo de Agrotóxicos no Brasil

08 de outubro de 2012 0

Desde de 2008, o Brasil é o país que mais utiliza agrotóxicos em seu sistema de produção agropecuário. Consumimos cerca de 20 % do total utilizado no planeta. São mais de 1 bilhão de litros jogados nas lavouras, representando cerca de 5 litros de venenos por habitante ao ano. Entre os tipos de venenos empregados em lavouras de nossos municípios, encontram-se substâncias já proibidas em vários países do mundo devido a seus efeitos nefastos no ambiente e na saúde da população.

 Estamos falando, por exemplo, de agrotóxicos que têm na sua formulação princípios ativos como Endossulfan (banido em 45 países!), Cihexatina (proibida na União Européia e em países como a Austrália, Canadá, Estados Unidos, China, Japão, Líbia, Paquistão e Tailândia) e Metamidofós (proibido, por exemplo, na União Europeia, China, Índia, e Indonésia), entre outros, todos altamente tóxicos.

 As consequências desse sistema, baseado no uso de alta quantidade de pesticidas, são sentidas em nível local, com problemas nos solos, nas águas e na vida dos habitantes da cidade. O aumento de doenças como o câncer e de problemas metabólicos e neurológicos constitui uma questão de saúde pública, e os sistemas de atendimento à população não possuem os meios adequados para diagnosticar e tratar tais doenças – sobretudo às decorrentes de intoxicações crônicas, contraídas por meio de exposição e ingestão regulares de pequenas quantidades de venenos por longos períodos.

 Para preservar os bens naturais do município e garantir a soberania alimentar dos seus habitantes, é necessária a adoção de políticas públicas com ações que apontem para  o enfrentamento ao uso abusivo de agrotóxicos – bem como o empreendimento de ações que contribuam no processo de transição para a agroecologia, que se baseia na produção de alimentos sem venenos e em convívio com o meio ambiente. Tais políticas devem ter objetivos claros e metas específicas de curto, médio e longo prazos.

Fonte:  Carta de compromisso enviada como proposta aos candidatos a Prefeito e Vereadores – Campanha Permanente contra os agrotóxicos e pela vida.

Envie seu Comentário