Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

ALIMENTAÇÃO NO ESPORTE: Pré e Pós treino

07 de junho de 2013 0

Discute-se muito a respeito do que comer antes e depois das mais diversas atividades físicas. Não desprezando as complexas e específicas descobertas da ciência em relação a isso, pode-se adotar algumas medidas simples que de uma maneira geral ajudam na preparação para uma atividade física, bem como para sua recuperação no pós treino.

No quesito pré treino uma dieta composta por uma quantidade de 3 a 5g/kg de carboidratos simples (macarrão e pães brancos) e complexos (pães integrais, batata doce, aveia e milho) cerca de uma a três horas antes da atividade física contribui para alcançar uma plenitude nos níveis de reserva de glicose, o que atrasa a fadiga muscular e evita tonturas ocasionadas por baixa glicose sanguínea. Em contra partida no momento imediato do pré-treino é importante a ingestão de carboidratos de baixo índice glicêmico (alimentos integrais – pão, aveia e batata doce), pois os mesmos não provocam um pico da secreção de insulina, fato o qual pode colaborar para sensação de fadiga.

Divulgação: resistpts.wordpress.com

Dessa maneira o consumo de alimentos ricos em proteínas e lipídeos devem ser evitados nessa etapa, uma vez que permanecem demasiado tempo no trato gastrointestinal e podem provocar desconforto, dores abdominais e vômitos durante a prática, prejudicando assim a performance do atleta. Apenas suplementação proteica a nível de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA) são recomendados, pois os mesmos diminuem a entrada de triptofano no cérebro impedindo assim a liberação da serotonina, que é fator de aceleração da fadiga muscular. Esses compostos estão sendo investigados também devido ao seu efeito poupador de glicogênio (reservas de glicose no fígado e nos músculos), pois constituem uma fonte alternativa de energia.

No pós treino a conduta deve ser contrária, uma vez que a necessidade de energia e proteínas necessárias para repor as reservas corporais, e para recuperar o tecido muscular respectivamente, se faz urgente. Sendo assim, a ingestão de carboidratos de alto índice glicêmico (bolos, pães brancos, massas e granola) e proteínas completas (alto valor biológico = clara do ovo, carnes magras) são fundamentais para o atleta nesse período.

Referências:

  • SILVA, S.M.C.S., MURA, J.D.P. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia.  2.ed. São Paulo: Roca, 2010.

Texto elaborado pelos acadêmicos do curso de Nutrição- Univali, Catarina Rizzi Rosar e Tiago Oliveira Hutner. Professora Orientadora: Luciane Nesello.

email: tiagohutner@gmail.com

Envie seu Comentário