Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Romã e atividade antimicrobiana

09 de agosto de 2013 0

A romãzeira é um arbusto originário da região do Oriente Médio, tem folhas simples e flores isoladas, de coloração vermelha alaranjada e um cálice esverdeado. Os frutos são grandes, arredondados e com numerosas sementes envolvidas por uma película rósea cheia de líquido adocicado.

A frutificação perdura entre os meses de setembro a fevereiro. É cultivada em quase todo o mundo, seja como planta medicinal ou ornamental.

A casca do fruto tem atividade antisséptica, antiviral e adstringente pelo fato de conter alcalóides tóxicos para determinados parasitas como os platelmintos, agregando ao romã a propriedade de vermífuga.

Divulgação: viva-o-natural.blogspot.com

O suco de romã apresenta em sua composição compostos fenólicos como: antocianinas, quercetina, ácidos fenólicos e taninos. Os compostos fenólicos da romã apresentaram influência sobre fatores biológicos, como a atenuação de fatores aterogênicos, modulação das respostas antiinflamatórias e de enzimas do sistema de defesa antioxidante endógeno, com atividade positiva em relação a inibição de enzimas oxidantes como a ciclooxigenase e lipooxigenase.

Estudos realizados com o extrato de romã in vitro, verificaram a  eficiência do fruto em relação a ação antimicrobiana. Os compostos fenólicos agem também inespecificamente sobre os microrganismos, rompendo a parede celular bacteriana, inibindo os sistemas enzimáticos e diminuindo os lipossacarídeos e as proteínas como, por exemplo, do biofilme dental, definido como um aglomerado de microrganismos contido em uma matriz orgânica formada por substâncias da saliva. A remoção desse biofilme dental é importante para a prevenção da cárie e de doenças peridontais.
  • Nome Científico: Punica granutum L.
  • Nome Popular: Romã
  • Partes usadas: Sementes, cascas do fruto, do caule e da raíz
  • Algumas propriedades químicas: Taninos e alcalóides
  • Algumas propriedades terapêuticas: Antimicrobiana, bactericida, vermífuga
Referências:
  • MATOS, Abreu. Romã. Revista Vida e Súde. Julho, 2011.
  • JARDINI, Fernanda Archilla; FILHO, Jorge Mancini. Avaliação da atividade antioxidante em diferentes extratos da polpa e sementes da romã (Punica granutum, L.). Revista Brasileira de Ciências Farmacológicas, v. 23, n.1, jan./mar., 2007.
  • PEREIRA, Jozinete Vieira; et al. Estudos com o extrato da Punica granatum, Linn. (Romã): efeito antimicrobiano in vitro e avaliação clínica de um dentifrício sobre microrganismos do biofilme dental. Revista Odonto Ciência, v. 20, n. 49, jul./set., 2005.

Envie seu Comentário