Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Rhodiola rosea e efeito adaptogênico

15 de agosto de 2013 2

A Rhodiola rosea, é uma planta pertencente a família Crassulaceae também conhecida como “Raíz de Ouro”. Seu crescimento se da principalmente em solos secos e arenosos de altitudes como, por exemplo, as zonas árcticas da Europa e Asia. A planta produz flores amarelas e pode atingir uma altura com cerca de 70 centímetros.

A  Rhodiola rosea a muitos anos, já é empregada na medicina tradicional de países como a Rússia e Escandinávia. Entre 1748 e 1961 várias aplicações medicinais da planta apareceram na literatura científica da Suécia, Noruega, França, Alemanha, e União Soviética. Desde 1961, mais de 180 estudos clínicos farmacológicos e fitoquímicos foram publicados. Entretanto, a maioria das pesquisas que relatam a capacidade adaptogênica da planta, assim como os seus efeitos e propriedades para promoção da saúde, permanecem desconhecidas no Ocidente. 

Sabe-se que adaptógenos são substâncias capazes de conferir ao organismo um estado não específico de resistência a agentes estressores. Algumas espécies vegetais podem apresentar capacidade adaptogênica, minimizando os efeitos deletérios do estresse.

Divulgação: www.antiquapharmacia.com.br

Divulgação: www.antiquapharmacia.com.br

Portanto a Rhodiola rosea, foi classificada como adaptogênica pelos pesquisadores russos, devido a observação da capacidade da planta em aumentar a resistênica do organismo  frente agentes estressores, biológicos, químicos e físicos. Durante uma cituação de estresse, ocorrem mudanças em vários parâmetros hormonais associados ao sistema nervoso central e ao eixo hipotalâmico-hipofisiário-adrenal através, por exemplo, do aumento da secreção de cortisol e a redução da sensibilidade do eixo para o feedback de regulação.

Frente a esse processo, a administração de Rhodiola rosea promoveu um aumento moderado da quantidade sérica de beta-endorfinas em estudo com ratos em condição basal. Sendo nessa administração específica, o extrato de R. rosea, demostrou ter gerado uma resistência não específica, preparando os ratos em estudo para responder a uma eventual situação de estresse de forma apropriada.

Por fim, pode-se concluir que a Rhodiola rosea, parece oferecer uma resistência generalizada para agentes estressores físicos, químicos e biológicos. A planta também demostra-se como a única entre a variedade disponível de ervas adaptogênicas, a qual, oferece vantagens em algumas condições clínicas como, por exemplo, em cardiopatias e circunstâncias de estresse.  

Referências:

BROWN, Richard P.; GERBARG, Patricia L.; RAMAZANOV, Zakir. Rhodiola rosea: A phytomedical overview. HerbalGram 56. p. 40-52, 2002

HERMANN, Ana Paula, et al. Efeito adaptogênico de Ptychopetalum Olacoides em natação forçada em camundongos. Departamento de Ciências Biológicas-UFRGS, 2008.

KELLY, Gregory S. Rhodiola rosea: A possible plant adaptogen. Alternative Medicine Review. v. 6, n. 3, 2001.

 

 

 

Comentários (2)

  • Magda Palau diz: 15 de março de 2014

    Tenho tentado adotar um estilo de vida mais saudavel , mas a região que moro ainda encontro dificuldades, opções, de encontrar restaurantes, armazens naturais , organicos podem me ajudar com receitas, dicas.
    Agradeço

Envie seu Comentário