Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Vitamina pode melhorar sintomas de esclerose múltipla

19 de maio de 2015 1

Pacientes com esclerose múltipla progressiva que tomaram biotina altamente concentrada em grau farmacêutico apresentaram melhora significativa em 9 meses em comparação com aqueles que tomaram placebo.

O estudo incluiu 154 pacientes com idades entre 18 a 75 anos com Esclerose Múltipla primária ou secundária progressiva.

Os pacientes foram distribuídos aleatoriamente para os grupos placebo (n = 51) ou biotina oral (n = 103). A dose média foi de 300 mg/dia. O acompanhamento durou em média de 9 até 36 meses. A partir de 9 meses de tratamento observou-se melhoria dos sinais e sintomas da doença e evidência de uma diminuição no risco de progressão da doença.

biotina

A biotina é uma coenzima importante no metabolismo de energia e na produção de ácidos graxos. Portanto, tem como alvo dois mecanismos que podem estar envolvidos na Esclerose Múltipla progressiva: promover a mielinização e aumentar a produção de energia. “A hipótese é de que a biotina ajuda a retardar, parar ou reverter a progressão da incapacidade associada com desmielinização” afirmam os autores.

A biotina é uma vitamina hidrossolúvel muito importante para a saúde.

A deficiência na população em geral é muito rara, mas pode ocorrer em casos de consumo prolongado e excessivo de clara de ovo crua (a clara de ovo possui uma proteína chamada avidina que se liga à biotina e impede sua absorção. Ao cozinharmos o ovo, porém, a avidina é inativada, não interferindo no aproveitamento de biotina). Sua deficiência pode ocorrer ainda  em pacientes epilépticos tratados com drogas anticonvulsivantes, no alcoolismo crônico e na desnutrição energético protéica severa.

São boas fontes de biotina:

Fígado de galinha, lêvedo de cerveja, gema de ovo, farinha de soja, farelo de arroz, fígado de boi, nozes, amêndoas, aveia, feijão, cogumelo.

Referências Bibliográficas:

José de Felippe Junior e Váleria Cristina Paschoal – ControlSoft Nutrition 2004.

Medscape Medical News from the American Academy of Neurology (AAN) 67th Annual Meeting. B Vitamin Promising in Progressive Multiple Sclerosis. 2015.

 

Comentários (1)

  • Luiz Coral diz: 21 de maio de 2015

    Acho que é importante destacar dois pontos: o primeiro é em relação ao tamanho da amostra, considerada pequena para este tipo de doença, com apenas 154 pacientes, separados em dois grupos, tratamento ativo e placebo. Outro ponto de fundamental importância, é o fato de que quase a metade dos pacientes do grupo de tratamento receberam fampridine, um tratamento sintomático para a doença, com benefício bem definido em melhora funcional, com repercussão nas escalas de avaliação clínica, as mesmas utilizadas no estudo. Portanto, é prematuro extrapolar o mesmo benefício encontrado neste estudo para pacientes com outras características clínicas. Também fica duvidoso o possível efeito sintomático da fampridina no grupo ativo de tratamento. Finalmente, resta dizer que esclerose múltipla na forma progressiva, que foi avaliada neste trabalho, corresponde a minoria dos casos totais da doença e não pode ser comparada à forma remitente-relapsante da doença.

Envie seu Comentário