Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

CARBOIDRATO NÃO É VILÃO!

09 de junho de 2015 0

Os conhecimentos não científicos exercem considerável influência sobre o comportamento alimentar dos indivíduos. Muitas vezes, dietas com baixa ingestão de carboidratos são facilmente divulgadas para a perda de peso rápido, o que em muitos casos de fato acontece pela diminuição de ingestão calórica, porém podem levar ao surgimento de fadiga excessiva, hipoglicemia e cetose. É imprescindível que uma boa dieta contemple todos os nutrientes necessários à manutenção da saúde física e mental, sendo perigoso guiar-se por uma dieta com alguma restrição. Na pirâmide alimentar encontramos, por exemplo os carboidratos como a maior necessidade de ingestão diária para a manutenção de uma alimentação saudável.

Quando a ingestão de carboidratos é baixa, as reservas de glicogênio nos músculos se esgotam rapidamente. Para cada grama de carboidrato, existem três gramas de água armazenada no organismo, portanto, quando as reservas de glicogênio diminuem, a perda de água conduz à significativa e imediata redução do peso corporal.

Disponível em:dicasdemusculacao.org

Disponível em:dicasdemusculacao.org

Os carboidratos desempenham funções metabólicas importantes e são considerados a fonte primária de energia, uma vez que seu catabolismo possibilita a liberação de energia química para a formação do ATP. Fornecem primariamente combustível para o cérebro, medula, nervos periféricos e células vermelhas do sangue. Dessa forma, a ingestão alimentar insuficiente desse macronutriente traz prejuízos ao sistema nervoso central, além da produção concomitante de corpos cetônicos.

A melhor alternativa para a perda de peso está associada a uma redução adequada na ingestão alimentar, juntamente com o aumento do gasto energético através da prática de atividade física. As características individuais da população, tais como necessidades nutricionais, condições socioeconômicas e hábitos culturais devem ser levados em consideração, para que a prescrição dietética seja adequada. Portanto a população deve ser alertada sobre os riscos de seguir essas práticas alimentares com grandes restrições, sem orientaçãode um profissional nutricionista.

Materia produzida por: Bárbara Sens e Julia Cardoso – Acadêmicas do curso de Nutrição da UNIVALI.

Envie seu Comentário