Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A influência da mídia na obesidade de crianças e adolescentes

07 de setembro de 2015 1

A obesidade infantil é apontada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um dos mais graves problemas de saúde pública. No Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um terço das crianças de 5 a 9 anos está com peso acima do recomendado.

Algumas pesquisas têm demonstrado haver relação entre o uso de mídias digitais e consumo de alimentos e bebidas de baixo valor nutricional. No Brasil, os alimentos mais frequentemente anunciados nas mídias pertencem ao grupo representado, na pirâmide alimentar, por gorduras, óleos, açúcares e doces. De um modo geral, crianças e adolescentes não têm maturidade suficiente para controlar suas decisões de compra e acabam dando preferência para a compra e consumo de guloseimas, pobres em substâncias nutritivas, acarretando, com frequência, a obesidade infantil.

Disponível em: docedieta.com

Disponível em: docedieta.com

Um estudo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition, realizado com 4.604 meninas e 3.668 meninos com idade entre 9 e 15 anos e que preencheram questionários previamente validados para a população adolescente, avaliou as relações longitudinais entre o tempo de utilização de mídias de tela (televisão, jogos eletrônicos, DVDs) e mudança no consumo de alimentos de baixa qualidade nutricional que são comumente anunciados nessas mídias (bebidas açucaradas, fast-foods, doces, salgadinhos) e baixa ingestão de frutas e hortaliças. Os adolescentes foram acompanhados por um período de 2 anos.

Os resultados deste estudo demonstraram que o aumento nas horas por dia junto à televisão, jogos eletrônicos e DVDs foi associado com o aumento na ingestão de alimentos de baixa qualidade nutricional total, com o aumento da ingestão de bebidas açucaradas, fast-foods, doces e salgadinhos e com a diminuição do consumo de frutas e hortaliças.

Segundo os autores estes resultados reforçam o fato de que o marketing de alimentos pode mediar ligações entre tempo de utilização das mídias de tela, dieta e adiposidade. Recomendam, que a quantidade de marketing de produtos não saudáveis voltados para a juventude nessas mídias sejam melhor controlados, como forma de contribuir para o combate à obesidade.

Referência(s) Falbe J, Willett WC, Rosner B, Gortmaker SL, Sonneville KR, Field AE. Longitudinal relations of television, electronic games, and digital versatile discs with changes in diet in adolescents. Am J Clin Nutr. 2014; 100:1173–81

Comentários (1)

  • Ivaldo Souza diz: 7 de setembro de 2015

    Temos que cuidar da alimentação dos nossos filhos.

Envie seu Comentário