Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

SINDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL

04 de novembro de 2015 0

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é uma doença crônica caracterizada por uma desordem do sistema gastrointestinal (diarreia, constipação ou a alternância entre a diarreia e a constipação) que geralmente se apresenta com dor abdominal e comprometimento do hábito intestinal sem uma causa orgânica que justifique os sintomas.

Os pacientes com SII têm a qualidade de vida prejudicada e a doença geralmente está associada à depressão e ansiedade. Cerca de metade dos pacientes apresentam fibromialgia, síndrome da fadiga crônica, dor nas costas, dor de cabeça e dor pélvica crônica.

Eventos como estresse, infecções, uso de antibióticos, anti-inflamatórios e cirurgia podem desencadear uma crise, porém a causa principal geralmente é a intolerância alimentar.

Disponível em:www.vilamulher.com.br

Disponível em:www.vilamulher.com.br

Cerca de 85% dos pacientes com SII mostram intolerância a pelo menos, um alimento. Os alimentos ricos em carboidratos ou gorduras, café, álcool, alimentos picantes e temperos são os mais frequentemente associados aos sintomas.

Outra substância conhecida como desencadeante de sintomas em alguns portadores de SII é o gluten. Pacientes com diarreia e subtipos mistos têm risco 5 vezes maior de doença celíaca quando comparados com a população em geral.

Além disso, alimentos mal absorvidos e mal digeridos, como os hidratos de carbono de cadeia curta (lactose, frutose, manitol e sorbitol) conhecidos como FODMAPS podem gerar sintomas de SII, pois são alimentos de alta osmolaridade ou que possuem substratos rapidamente fermentados por micro organismos intestinais.

As principais recomendações dietéticas para os pacientes com SII são:

Fazer refeições regulares, evitando longos períodos de jejum.

Beber água apenas no final da refeição, realizando sua ingestão lentamente.

Evitar bebidas com cafeína (refrigerantes, café, chá preto, etc.).

Evitar ingerir bebidas alcoólicas e refrigerantes.

Reduzir a ingestão de “amido resistente”, frequentemente encontrados em alimentos processados.

Tratar a disbiose intestinal com probióticos.

Evitar hidratos de carbono de cadeia curta (FODMAPS)

São considerados alimentos (FODMAPS):

Maçã, manga, melancia, pera, mel, abacate, damasco, cereja, pêssego, ameixa, ameixa seca, nectarina, amora preta, caqui, frutas secas, mel, açúcar refinado, bebidas adoçadas artificialmente, sucos concentrados, alimentos com lactose: leite, sorvetes base de leite, iogurtes, queijo minas, queijo frescal, queijo cottage, cream cheese, ricota, feijão, lentilha e grão de bico, aspargos, cebola, alho, couve de Bruxelas, brócolis, couve, beterraba, repolho, erva-doce, alho poró, quiabo, chicória, pistache, couve flor, pimentão, cogumelos, alcachofra, alimentos com glúten: pães, torradas, massas, bolachas, cerveja, cookies, refrigerantes, cerais integrais.

A dieta baixa em hidratos de carbono de cadeia curta (FODMAPs)baseia-se na exclusão de vários alimentos ricos em nutrientes. Por esta razão, é sempre importante que exista uma compensação para que não ocorra uma deficiência nutricional e neste sentido, a sua adoção requer a orientação de um nutricionista. 

 Fonte:

Diagnóstico y Tratamiento del Intestino Irritable en el Adulto. México: Secretaría de Salud; 26 de marzo de 2015. http://www.cenetec.salud.gob.mx/interior/catalogoMaestroGPC.html

GIBSON, PR; SHEPHERD,SJ.Evidence-based dietary management of functional gastrointestinal symptoms: The FODMAP approach.J Gastroenterol Hepatol. 2010 Feb;25(2):252-

Envie seu Comentário