Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Peter Murphy, um gótico feliz

14 de fevereiro de 2009 12

Atualizado às 16h02min

Fotos: Dulce Helfer

O ex-vocalista do Bauhaus não escondeu sua satisfação em tocar pela primeira vez no Brasil nesta sexta-feira 13, no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre. Lúgubre durante suas canções, mas muito bem-humorado nos intervalos, Peter Murphy disse que era um prazer estar tocando por aqui.

O show da Retrospective Tour ´09 teve início com uma sequência forte de canções. Performático, Peter entrou no palco no escuro, sob uma trilha sombria pré-gravada. Aos primeiros acordes de Burning From the Inside, um feixe de luz encontrou o músico ao fundo do tablado, sobre um praticável, agarrado à cortina, para dar início a uma interpretação contundente.

Compenetrado, cantou Line Between the Devil`s Teeth, Disappearing e Gliding Like a Whale. Hurt, o clássico de Trent Reznor (também gravado por Johnny Cash), foi interpretado do alto de uma escada, sob um rasgo de luz azul, praticamente no breu. Drama e entrega total em uma versão dolorida, dopada e soturna. O inglês vivencia incondicionalmente as músicas que canta. Hurt exigiu tanto do músico que ele descansou por vários minutos ao seu final. Permaneceu estático, assim como seus músicos, numa espécie de jogo com o público (tipo os atores de M.O.R.T.E., para quem lembra do espetáculo neo-expressionista de Gerald Thomas).

Descendente direto de figuras do Romantismo europeu, como Lord Byron e Alfred de Musset, Murphy é uma doce figura sinistra a cantar a dor, a introspecção e a visão niilista da vida a partir de atuação (olhares, gestuais, entonações) e cenografia  (rosas vermelhas, objetos, luz).

Mesmo com atmosfera dark, Peter se divertiu muito durante o show. Falou bastante e tirou um sarro do técnico de som (depois de pedir mil vezes para reduzir o volume do violão, resolveu soletrar L-O-W-E-R, arrancando gargalhadas) e do diretor de luz (em Sweetest Drop, usando um boá negro e tomando ares de diva, reclamou que tinha feito uma “performance maravilhosa” em um canto do palco, mas que a luz não estava boa ali – fuck me…, e mais risos).

Quase desceu ao público, mas resolveu apenas passar o microfone para a plateia fazer “pedidos e reclamações”. Peter atendeu a um fã: tocou The Passion of Lovers, do Bauhaus, cantada com afinco e com guitarra pegada. Em mais de duas horas de show, teve várias boas: Time Has Got Nothing to Do With It, Fall with your Knife, A Strange Kind of Love e Bela Lugosi’s Dead … No bis, rolou She’s in Parties (lisergia gótica do Bauhaus), Cuts you Up (ótima), Lust for Life (Iggy Pop, em versão excelente) e Idle Fow.

O setlist do show em POA, que não foi seguido à risca

Na sexta-feira 13 mais gótica do Brasil, Peter misturou minimalismo, gloomy style, pós-punk, sintetizadores, glam rock, heavy metal, electronic rock experimental e performance dramática para remontar parte da nossa história. A geração dark oitentista de POA (que compareceu em peso, sem lotar o teatro) agradece!

Veja abaixo os vídeos feitos pelo Fábio Codevilla, da Itapema FM:

peter murphy > cuts you up from fabio codevilla on Vimeo.

peter murphy > lust for life from fabio codevilla on Vimeo

>>>>> Leia a opinião de Thedy Correa sobre o show

Postado por Danilo Fantinel

Comentários (12)

  • Vzyadoq Moe diz: 17 de fevereiro de 2009

    Cara, Peter Murphy cantando Lust for Life do Iggy Pop, demaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais. Pena eu não estar em Porto Alegre no dia do show…

  • Sandro Silva diz: 14 de fevereiro de 2009

    Primeiramente parabéns para a produtora que apostou em um show, digamos, “difícil” em tempos de crise. Segundo, me surpreendi que tinha bastante gente, o que me faz pensar, como conseguiram cancelar Nine Inch Nails e Duran Duran se tinha público pro Peter Murphy, que entendo ser mais desconhecido…. isso a parte, o show foi sensacional, o guitarrista é excelente, e o Peter Murphy, pelamordeDeus… o cara canta demais, a presença de palco é sensacional.

  • Hedder diz: 14 de fevereiro de 2009

    Em primeiro lugar quero agradecer a voces por terem trazido Peter,ele sempre foi e sempre será o mestre. Esperamos que agora voces tragam a banda mais querida do mundo: DEPECHE MODE.
    Só que voces prescisarão do estadio Olimpico, ou o Beira Rio por que até hoje eles lotam estadios no mundo inteiro. Um abraço.

  • diego manchester diz: 14 de fevereiro de 2009

    opa! então aproveito pra fazer outro pedido: tragam Morrissey de volta a Porto Alegre. diz que foi confirmado um show em São Paulo neste ano. Moz aqui já! está belíssimo esse último disco dele.

    >>>>> Diego, seria incrível a volta dele à cidade. Vamos abrir uma campanha! hehe!

  • Anderson – Álgida diz: 15 de fevereiro de 2009

    Nós da Álgida não podiamos ter deixado de ir ver um de nossos maiores heróis!!! Foi inacreditável vê-lo de tão perto… sem falar que nosso vocalista conseguiu entregar para ele nosso EP Vazio hehehe

    Oh a prova do crime está em nosso fotolog: http://www.fotolog.com/algida

    Tem tb um vídeo feito por nós de Burning From the Inside… http://www.youtube.com/watch?v=PIaszMKKoCY

    Abraços

    Anderson

  • JOJÔ diz: 19 de fevereiro de 2009

    Danilo !! Legal saber os detalhes do show, não exatamente o set list, e sim traduzir o sentimento do artista e de quem assistiu..
    Abraços..
    JOJÔ

  • Jonas Rafael diz: 16 de fevereiro de 2009

    Danilo, você sabe o Setlist final? Isso foi o que consigo me lembrar
    1.Burning From The Inside
    2.The Line Between The Devil`s Teeth
    3.Disappearing
    4.Gliding Like a Whale
    5.Hurt
    6.All We Ever Wanted
    7.Marlene Dietrich`s Favorite Poem
    8.Time Has Got Nothing To Do With It
    9.I`ll Fall With Your Knife
    10.The Sweetest Drop
    ?.The Passion Of Lovers (essa foi em algum ponto entre a 8ª e 11ª não tenho certeza)
    12.Huvolla
    13.A Strange Kind Of Love (com trecho de Bela Lugosi`s Dead) (continua)

  • Joao diz: 15 de fevereiro de 2009

    Danilo, parabens pelo teu texto. Moro longe e gostaria muuuuuito de ter ido ao show do Peter Murphy. Mas fiquei feliz por ter lido teu texto.

    >>>>> obrigado João! abraços dublinenses!

  • ALE diz: 14 de fevereiro de 2009

    A INTENSIDADE DESSE SHOW JÁ É INESQUECÍVEL.

  • rodrigo perez diz: 16 de fevereiro de 2009

    além, claro, da qualidade das suas canções, é incrível como o cara canta bem… tem, com certeza, uma voz especial! pena que, no início do show, a voz estava embolada com o resto da banda, depois melhorou; encore incrível com “she`s in parties” e “cuts you up”…

  • juliano bauhaus diz: 14 de fevereiro de 2009

    undead, undead, undead! Peter matou a pau!!

  • Jonas Rafael diz: 16 de fevereiro de 2009

    …continua. Primeiro Bis: 14.She`s In Parties 15.Cuts you Up 16.(aqui ele tocou uma que não conheço e terminou com Be My Wife de David Bowie) sabe me dizer qual? 17.Lust For Life Segundo Bis 18.Idle Flow

    >>>>> Jonas, infelizmente eu não anotei o set list inteiro. abraço!

Envie seu Comentário