Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Entrevista: Bel, dos IRMÃOS ROCHA!

01 de abril de 2009 22

Bel é o cabeludo na foto/Divulgação
O show-enterro dos Irmãos Rocha! rola hoje no Ocidente, em Porto Alegre. Antes de bater as botas, o quarteto chineleou o rock bunda mole de grupos que dominam a mídia atual.

No material em que participam o falecimento da banda, os regressivos comentaram esses tempos estranhos em que vivemos: enquanto Ivete Sangalo e o filho da Angélica fotografam com camisetas dos Ramones para revistas de fofoca, “novos roqueiros” exibem tatuagens, piercings e um bom-mocismo constrangedor. Os Rocha também disseram que o rock, hoje, “é tão ameaçador quanto um pote de margarina” e que “é tão visceral quanto uma reunião de marketing”. No fim das contas, para eles, o rock salva ninguém!

Procurei o baixista Bel para ele falar um pouco mais sobre isso. Leia a entrevista abaixo: 

 

Por que a maior parte das bandas que estão na mídia hoje sofre do bom-mocismo irritante do qual você falou quando anunciou o fim dos IRMÃOS ROCHA!? De quem é a culpa? Cadê a paudurescência do rock exigida pelo Lobão?

Não sei. As bandas parecem querer agradar tanto. E é um esforço mesmo aguentar as tentativas. A exposição em si parece que justifica aceitar cumprir o papel “banda de rock” em qualquer contexto. Me parecem inócuas, não há nenhum drama, nenhum conflito. Isso é culpa das próprias bandas, claro. Acho que paudurescência mesmo está nas bandas que ainda dizem não pra algumas coisas.

De todos os lixos que tocam nas rádios e bombam em sites de música, qual o pior? Qual mais te irrita e por quê? Qual a pior banda internacional? E nacional? E local?

Cara, se tem uma coisa que eu não faço mais é tentar acompanhar o que “está acontecendo” na música. Não saberia dizer quem está bombando ou não. Eu sempre gostei de ouvir coisas novas, mas coisas novas, pra mim, são coisas ainda desconhecidas, podem ser de 20 anos atrás que tá valendo.

O que me irrita mesmo, mais do que essa banda ou aquela, é essa obsessão pela salvação do rock a cada semana. O hype pelo hype. Não tenho tempo e nem paciência.

Mas “pior banda” é um conceito relativo: a gente chegou a ser anunciado em um cartaz de show como “o pior do rock gaúcho”. Me deu até um certo orgulho. Taí: o maior lixo de todos, sem dúvida, são os IRMÃOS ROCHA!!

A velha pergunta: como você vê a cena rock do RS? O que ela tem de bom e o que tem de ruim? Quem merece palmas e quem merece vaias?

Eu vejo com quase 4 graus de miopia. Mas acho que o fato de existirem mais bandas tocando e mais lugares para tocar não pode ser ruim. Então palmas pras bandas e pros lugares que as aguentam. Mesmo com muita merda, a probabilidade matemática é que alguma coisa se salve.

O que sempre é um saco é a falta de personalidade. Aquela banda que soa como aquela outra que parece com outra ainda que copia a primeira. Pra que o esforço em soar igual? Pra mim é como sexo consangüíneo: o resultado são crianças retardadas!

O que você pensa sobre emo e as várias bandas que transitam nesse segmento, mas dizem que não fazem parte dele?

Será que existe alguma piada que ainda não tenha sido feita com emo? É como chutar um cachorro morto. Mas, enfim, não é o meu tipo de som.

Mas essa questão de pertencer a um estilo é interessante. Normalmente as pessoas querem pertencer quando isso pode significar algum retorno positivo. E deixam de querer fazer parte se isso tem uma conotação ruim. Uma espécie de ideologia instantânea.

E a perpetução desses rótulos sempre é uma coisa da mídia mesmo. O mais provável é que alguém vai lá e publica uma matéria tipo “Saiba se o seu filho é emo” ou “Emo, a nova tribo”. Depois alguém pergunta pra uma banda: vocês são emo? E daí legitima um conceito normalmente sem pé nem cabeça, tipo rock gaúcho. Não é por nada que a gente criou o nosso próprio rótulo: rock regressivo!

Apesar da oferta de bandas obscuras legais, por que a maior parte dos jovens segue com gosto musical duvidoso? Por que eles seguem as fórmulas fáceis oferecidas pelas rádios e não vasculham os porões da rede para descobrir novos sons?

É triste mas é simples: porque a maior parte das pessoas simplesmente não se importa muito com música. Pra maioria do mundo, a função da música é a diversão fácil. Tento um ritmozinho e não incomodando, tá beleza. E a grande oferta de música que eles recebem cumpre esse papel à risca.

Embora pareça, não são só jovens que têm culpa no cartório. Tem muito coroa que só ouve AC/DC e Iron Maiden e acha outras bandas de rock uma porcaria. Por que muitas as pessoas tendem a ser tão focadas em certos sons e não conseguem abrir a cabeça para grupos atuais?

Houve um tempo em que eu só ouvia AC/DC e Iron Maiden e achava as outras bandas de rock uma porcaria. Mas eu tinha 15 anos!

Essa conversa de no meu tempo é que era bom é bobagem, claro. É uma defesa da idade mesmo. Desde que o rock surgiu, existem coisas legais e merdas.  

O que acontece é que, com o tempo, fica difícil se entusiasmar com a melhor banda dessa semana quando tu já ouviu coisas similares há 15 anos.

O que você acha das bandas de rock da atualidade (fora aquelas que obviamente são um lixo)? O que acha das bandas que surgiram, digamos, dos anos 2000 pra cá (tanto as de rock “puro” quanto aquelas que misturam eletrônica no lance)?

Bom, a gente começou no século passado mesmo. Não tinha Strokes, não tinha White Stripes, não tinha essa volta do rock mais garageiro que eu, naturalmente, aprecio. The Hives. Damn Laser Vampires. Mas, como eu disse, eu não acompanho muito.

Por que vocês decidiram encerrar a banda com a saída do Raul? Vcs não encaram isso como uma “derrota” frente ao bom-mocismo do rock atual? Não seria mais foda seguir com a banda?

O Raul querer sair não foi o começo do fim, foi o fim do fim. Alguma coisa já estava acontecendo. Dez anos TEM QUE mudar as pessoas. Então, pra nós, IRMÃOS ROCHA! foi essa banda, desse jeito. Aconteceu com esses quatro caras e termina com esses quatro caras.  

O John Lennon mesmo já disse que estranho não foi os Beatles terminarem, estranho foi os Rolling Stones continuarem.


>>>>> IRMÃOS ROCHA! lançarão CD antes de acabar
>>>>> Veja o calendário de shows do Volume

Postado por Danilo Fantinel

Comentários (22)

  • Robson diz: 2 de abril de 2009

    Pra querer ser banda de verdade tem que ralar e batalhar, não fazer por hobby … concordo com o brother q falou dos meios da interne pra se divulgar uma banda. Adeus Brother Broxa com Exclamação!

  • andré diz: 2 de abril de 2009

    pra terminar a biblia, que ja perdi tempo demais. num lugar, onde cultuam porcarias como franz ferdinand, que não faz NADA novo, ou mesmo diferente do que já foi feito nos 80.. pelo contrário, tentam copiar(como todas as cópias mal feitas) e não chegam nem aos pés dos realmente bons e criativos que eles sonham ser.
    e por aí vai…
    essa é a mesmice de poa… as mesmas bandinhas, as mesmas festinhas do beco(todas iguais, sem graça, tocando hits falidos, mas eu sei: o povo gosta). é complicado…

  • Bia diz: 1 de abril de 2009

    Banda que nunca foi nada?!? Irmãos Rocha é uma baita banda e a entrevista muito boa. O cara falou o que estamos enxergando por aí mesmo. Um bando de jovens com preguiça de procurar coisa boa pra ouvir. Inclusive quem me falou da banda pela primeira vez foi um amigo de São Paulo. O que não é de se estranhar, pq a gauchada depois da era planeta atlântida, só ouve porcaria mesmo!

  • Paula diz: 2 de abril de 2009

    Concordo com o André, em tudo!
    que bom que não estou só nesse mundo.. ainda existem pessoas que pensam e tem bom gosto!
    Na boa, não quero briga, nem polêmica, gosto é gosto e respeito, desde que tenha alguma qualidade, alguma honestidade e não vejo nada disso nessas bandas gaúchas, salvo raras (e ótimas, por sinal) exceções. Que incrivelmente são as que mais se destacam fora do RS e dentro do RS não tem reconhecimento. quem realmente é “diferencial” não aparece. O próprio jupiter só foi aceito

  • jamer diz: 2 de abril de 2009

    André, vc analisou mal. Tom Bloch e Pública tem mais criatividade do que Cachorro Grande multiplicada por 5 – só pra ficar no exemplo da banda gaúcha mais falada no Brasil hoje. só que o som mais elaborado (principalmente da TB) não cai bem nos ouvidos quase surdos da maioria, que prefere sim bandas que fazem cópias baratas de grupos consagrados. Tom Bloch tem muito mais personalidade do que CG e Acústicos & Valvulados da vida, mas isso é muito pra quem entende pouco de música como vc.

  • Paula diz: 2 de abril de 2009

    continuando… O próprio Júpiter só teve reconhecimento no RS depois que foi para SP e sau na folha. Em Poa é assim, infelizmente.
    Temos ótimas bandas: Marcelo Birck, Darma Lóvers, Plato Divorak, Graforréia, que são bandas que vc pode até nem gostar, mas sabe que fazem algo diferenciado, novo. Já essas que tão na moda , são todas péssimas, pelo som e por copiarem tudo tudo tudo, não terem o mínimo de criatividade: cartolas,efervescentes, identidade, pública, space rave, valentinos e cia…

  • Paula (fim) diz: 2 de abril de 2009

    Pra terminar, basta ver: o Birck toca para ninguém e tem um show incrível, tem cd aprovado pela petrobrás, concorre no açorianos. O Darma Lovers tem cd lançado na frança e idem. O Plato lançou discos pela baratos afins, do Mutantes e fez um dos melhores shows da minha vida com essa última formação(um inclusive com darma lovers, no ocidente, que estava… com poucas pessoas , mas sortudas, diga-se de passagem) e aí vemos shows dessas bandinhas sempre lotadas, com músicas sem graça e o povo adora

  • Bernardo diz: 2 de abril de 2009

    Bom blog,boa entrevista!!!!

    Concordo com o que falou o André,mas quem da pra dizer que realmente inova,pra quem vc pode dizer:“Isso eu nunca ouvi na minha vida,isso é demais!!!“
    Enfim, esse assunto é muito extenso.

    Oasis 12/05.Eu vou!!

  • MARCOS ANTONIO CORBARI diz: 1 de abril de 2009

    TÁ AÍ UMA BAITA ENTREVISTA. A MELHOR QUE LI NO ANO. NÃO A ENTREVISTA EM SÍ, MAS AS RESPOSTAS. VI OS IRMÃOS ROCHA UNS ANOS ATRÁS ABRINDO PRO WANDER WILDNER. FUI VER O WANDER, MAS CURTI MUITO MAIS OS IRMÃOS. PENA QUE A BANDA TÁ MORRENDO. MAS VÁ LÁ… NESSE PAÍS TEM MUITA COISA QUE SÓ ACONTECE DEPOIS QUE MORRE NÉ… LONGA VIDA AOS IRMÃOS ROCHA ENTÃO! HAHAHA…

  • Ronan diz: 1 de abril de 2009

    Eu pouco ouvi falar desses caras, mesmo no underground que tem um monte de banda boa eles não apareceram muito. Agora acabaram por provável excesso de ruindade e ficam querendo queimar mídia… Ora, quem faz mídia hoje é a banda, fica nesse mimimi de jabá e não sei o que… tem mySpace e Twitter pra que?!?!?!

  • pri diz: 2 de abril de 2009

    chamem a ambulância! tragam a camisa de força! gente, o André surtou na parte 1 e enlouqueceu totalmente na parte 2. deve ser a poluição de sp. tadinho! me deu pena dele.

  • carlos b diz: 2 de abril de 2009

    Como dizia o velho Raul: E`muita estrela pra pouca constelacao…o Rock ta agonizando na UTI mas acho que é pura ingenuidade minha,pois na verdade ele já morreu com o Elvis com John Lennon,jim morrison,hendrix…mas ainda ta levando em uma perna com o Rolling Stones,david Bowie,e porque nao com ac dc… mas isso é só o fim…vamos ter que viver nas trevas com o fresno,nxzero,cachorro grande com aquelas roupinhas que ainda tem a pretensao de ser um beatle.

  • André diz: 1 de abril de 2009

    … cara… Irmãos Rocha???

  • Robson diz: 2 de abril de 2009

    O que mais me impressiona é o dito jornalista abrir espaço pra banda do amigo dele, puro puxa-saquismo de uma banda que NUNCA foi NADA.

    >>>>> Robson, minha amizade com o Bel e com o Raul não tem nada a ver com a publicação dessa entrevista – aliás, nem pude ir ao show ontem por motivos que não interessam agora (o que pra mim foi uma pena!). se vc não entendeu, a publicação foi motivada pela posição deles frente às bandas de rock vazias que infestam a cena atual. achei legal discutir um pouco mais esse posicionamento deles -> e veja só quantos comentários esse post está rendendo. se você acha que Irmãos Rocha! não valem nada, tudo bem. mas essa entrevista passa longe do puxa-saquismo. aliás, 98% do material publicado em Volume é sobre bandas e artistas com os quais em não tenho contato pessoal algum. Abraço!

  • Robson diz: 2 de abril de 2009

    Assino embaixo de cada palavra dita pelo André, apenas discordo de coisas como Plato Dovorak,dam laser vampires e o caralho a quatro, Porto Alegre não inova , copia! Afinal o q vem a ser Cartolas, Identidade a não ser meras cópias mal feitas de Cachorro Grande e Cascavelettes? … Isso sem citar tantas outras, poderia passar o dia aqui citando-as.

  • regressivo diz: 1 de abril de 2009

    IRMÃOS ROCHA!, independente das interrogações, é com exclamação.

  • André diz: 1 de abril de 2009

    sou gaúcho e acho que a maior porcaria é essa leva de bandas gaúchas que parece não acabar nunca. irmãos rocha são exceção, como damn laser vampires, plato divorak e algumas poucas outras. tanto que se verem, a maioria dessas bandas, não tem espaço em sp e outros estados, somente aí, e não é questão de ser bom ou ruim, pq ai vai do bom gosto(ou mau) de cada um. mas uma questão de que poa tem uma lenda roqueira que é mentira, no rs é tudo atrasado e copiado! e pior, copiam entre si, nem procuram

  • André (parte 2) diz: 1 de abril de 2009

    agora peraí. o cara fala mal das bandas ruins atuais, mas os próprios irmãos rocha são amigos de bandas péssimas, sem criatividade, daqui, como tom bloch, pública… quer dizer.. como assim?
    tinha até gostado da entrevista, mas já vi que é algo falso… que pena! que ilusão!

  • Joe diz: 2 de abril de 2009

    Pra mim, Irmãos Rocha é algo totalmente inapreciável. O cara até falou coisas pertinentes e valeu a entrevista. Agora, ser ruim não é estilo, esse papo eu não compro. Fazer barulhos não-musicais e tentar convencer que se está sendo visceral ou qualquer coisa assim é o próprio hype pelo hype. A ideia de ter um estilo, por si só, é tosca. Se o cara é um artista, a criatividade dele não pode estar sujeita a um limite artificial tosco decorrente do fato de alguém ter dado um nome pro que ele já fez.

  • andré, de sp diz: 2 de abril de 2009

    primeiro a querida pri: poderias argumentar? prove que eu estou errado! vc quer dizer que as bandas gaúchas são inovadoras? me prove então! elas nem se dão o trabalho de sair do estado para copiar, copiam coisas feitas do RS mesmo! não é a toa que temos trezentos filhotes podres de cachorro grande que por sua vez foi na onda do júpiter maça.
    quem precisa de uma camisa de força é você, que não saí da província e acha que tudo o que tem aí é melhor!
    vai pesquisar, menina…

  • andré diz: 2 de abril de 2009

    Jamer, tenho certeza mais do que absoluta que entendo muito mais de música do que tu!!
    A pública e tom bloch de fato vão além da cg(mas até aí, não é difícil, né? por favor).
    Agora tu me diz que pública é inovadora? que tb é única? eles copiam trezentas coisas, e no caso da tom bloch que tu citou, digo que para ouvidos virgens como o teu, podem até passar ser algo “diferenciado”, mas vá pesquisar tb que irá descobrir as fontes usadas por eles e verá que não foi criado nada novo em cima.

  • andré diz: 2 de abril de 2009

    pra encerrar, na boa, esse é o problema de poa e por isso ela nunca saí do lugar… o provincianismo é algo!!!
    acham que tudo que é daqui, só pq é daqui, é maravilhoso e revolucionário, sendo que não é um, muito menos o outro.
    temos uma leva de bandas filhotes de cachorro grande que acham que mod é beatles. daí tem os “indies” que tentam “inovar” mas copiam os pré(ou pós) punk´s, como television, e toda aquela onda chata dos 80. gente que acha que franz ferdinand é inovação!! ou seja, não dá!

Envie seu Comentário