Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Sisters of Mercy faz show gélido e denso em POA

04 de junho de 2009 7

Danilo Fantinel

O show da Sisters of Mercy ontem à noite, em Porto Alegre, foi gélido e denso como a mais rigorosa fog britânica. Sob os 7ºC da noite gaúcha, o bom público presente não foi capaz de lotar o Bar Opinião, mas vibrou para receber o som polar da banda vinda das distantes terras frias do Norte nestas distantes terras frias do Sul.

Ao vivo, a banda toma uma outra dimensão. Ganha peso e profundidade, chegando a um ponto de fusão interessante entre a obscuridade do goth rock e a polidez metálica do rock industrial. 

 

No entanto, Sisters of Mercy está longe do brilho por vezes excessivo do heavy metal. A banda se concentra nas entranhas melancólicas de uma sonoridade opaca, erguida pelas incríveis guitarras de Ben Christo e Chris Catalyst (donos absolutos do segundo bis da noite) e pelas batidas sufocantes do robô percussivo Doktor Avalanche.

Sob camadas de ecos e reverberações, e em meio a brumas incessantes, o vocalista Andrew Eldritch nos conduziu por um sonho claustrofóbico de cerca de duas horas com sua voz vinda das trevas – algo muito parecido com o que o mestre Peter Murphy nos proporcionou em fevereiro. 

 

Fumando um cigarro atrás do outro, Andrew parecia sumir entre a fumaça, deixando uma sensação sobrenatural e misteriosa no ar. O esquema de luzes do show, simples e eficaz, ajudou a moldar imagens incríveis, criando cenas praticamente imateriais.

O clima enigmático e sombrio foi constante, reforçando o senso de que a banda é responsável pelo surgimento de algumas gerações de bandas de som pesado, de H.I.M. e The Mission UK a Nine Inch Nails, Marilyn Manson, Helmet, Rammstein, Slipknot e outras. 

 

Ao fim do show, via-se pelas portas abertas do Opinião a neblina se acomodando na noite austral. A fog da banda tomou conta da cidade.

>>>>> A imprensa foi proibida de fazer vídeos do show pela produção, mas o público estava liberado. Veja aqui!

Postado por Danilo Fantinel

Comentários (7)

  • Anderson diz: 4 de junho de 2009

    Pra mim o show foi muito decepcionante… esperava algo mais próximo do que a banda fez em suas diversas mudanças de formação. talvez tenha sido pretensioso de minha parte esperar por tal situação… enfim… vou escutar meus vinis que tenho uma bela recordação de uma de minhas bandas favoritas…
    O vocal estar menos aparente que o Doktor Avalanche foi uma gafe e sisters sem baixista é doloroso de ver!

    Enfim, nem comparo esse show com o do Peter Murphy q foi infinitamente melhor e mais honesto!

  • Gregório Sattennbar diz: 4 de junho de 2009

    O público ( bom? – diga isto para os organizadores do show) ñ lotou o Opinião…Por isto é q o show foi gélido, triste, miserável!!!Os caras pensavam: o q estamos fazendo aqui, neste buraco nojento???? O som polar da banda era de pura raiva! E vc compara o frio daqui com o frio da Inglaterra, no inverno, panaca caipira? Vá se catar e encher a barriga gorda de polenta quente, bobão!!

    >>>>> que engraçado esse comentário! hoje teve polenta no almoço, huahuahuahua!!! cada um…

  • ricardo diz: 4 de junho de 2009

    bom, não poderia ser diferente um show do Sister…se tivesse sido um show “ensolarado” e aconchegante, algo estaria errado…

  • TomazPrzyczynski diz: 4 de junho de 2009

    Simplesmente incrível!
    Olha acho que tem muita gente que realmente não “compareceu” são ao show de ontem, eu como vocalista e aluno de técnica vocal, digo, com absoulta certeza que a voz do Eldritch está ótima, lógico, q pela idade não é exatamente a mesma, o q seria pedir de mais, o som está excelente, me deparo com o melhor show no quesito “áudio” que assisto em Porto Alegre.
    Genial, vi do piso superior a direita,uma visão fantástica!!!

  • Juarez Mercante diz: 5 de junho de 2009

    Quem reclama da “audição” do vocal é porque nunca ouviu antes os “LP´s” do caras.
    O vocal sempre foi assim !!!!!
    E é exatamente porque sempre foi assim, que os Sisters se diferenciram de tudo o resto.
    Achei que somente a execução de “Suzanne” foi um pouco fraca.

  • Gaudencio diz: 4 de junho de 2009

    O cara do comentario anterior ta pirado. Publico fraco, cena gotica local é pequena mesmo, POA nao é uma cidade grande como SP ou BsAs. Fora isso, foi o melhor show que vi da vida. Mto bom, boa resenha.

  • Leo Felipe diz: 4 de junho de 2009

    Hey Danilo! Dando uma aparecida por aqui pra sacar tuas impressões sobre o show. Eu achei bem fraco (tá certo que nunca fui fã da banda), principalmente em relação à sonorização que me pareceu confusa, opaca, com umas frequências muito graves que dificultavam a audição (do vocal principalmente). Abraço!

    >>>>> oi Leo! bom te ver por aqui! eu também nunca fui muito fã deles (prefiro a seara do Cure, por exemplo) e fui pra lá sem expectativas. acho que por isso acabei gostando um pouco mais. entre os fãs, teve gente que curtiu muito (os incondicionais) e quem achou médio (os outros, heh…). agora, o vocal tava baixo mesmo. às vezes inaudível até. acabei não comentando isso de uma forma mais clara no texto. o Anderson (leitor) também falou (bem) sobre o problema. enfim, fui relaxando no show e tentando curtir o lance como dava… ando muito zen :)  abraço!

Envie seu Comentário