Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Posts de março 2010

Afrika Bambaataa toca em POA dia 13 de abril

30 de março de 2010 2

Divulgação
Parou, parou, parou! Afrika Bambaataa, pilar essencial do hip hop e da arte da discotecagem como a conhecemos hoje, toca no Opinião, em Porto Alegre, no dia 13 de abril, às 22h. O DJ, MC e produtor ficou conhecido mundialmente depois de remixar um trecho de Trans-Europe Express, do Kraftwerk, em Planet Rock (você viu aqui), ajudando a moldar o funk, o electro-funk e a música eletrônica em si. O cara também ajudou a abrir os caminhos do Miami Bass e do funk carioca.

Será que agora vai? Bambaataa deveria ter tocado no mesmo local há alguns anos, mas desmarcou depois de passar mal em SP. Cruza os dedos ae, meu!

Ingressos:

R$ 20,00 (primeiro lote)
R$ 25,00 (segundo lote)
R$ 30,00 (terceiro lote)
No local: a definir

Pontos de Venda: a partir de 31/03, nas lojas Trópico (Shoppings Iguatemi, Moinhos, BarraShoppingSul, Praia de Belas, Bourbon Ipiranga e Shopping Total); Disque Opinião: 8401-0104 e www.opiniaoingressos.com.br/loja/.

>>>>> Mais Bambaataa

Postado por Danilo Fantinel

RATM quer tocar com Susan Boyle em Londres

30 de março de 2010 4

Zack de La Rocha/Divulgação
O Rage Against The Machine quer que Susan Boyle cante no show que eles farão em Londres no dia 06 de junho. A banda virou manchete no final do ano passado ao ficar em primeiro lugar na parada britânica de singles com a clássica Killing in the Name após uma campanha online para derrubar Joe McElderry do topo do ranking. Joe foi o vencedor do reality show The X Factor, coordenado pelo produtor Simon Cowell.

Zack de La Rocha disse ao The Sun:

– Simon achou que (a campanha) se tratava de provocação, mas a verdade é que o público inglês queria uma mudança. Acho que ninguém ouviu nada de Joe desde o Natal, mas não temos nada contra ele. Os programas de Simon às vezes revelam talentos verdadeiros. Nós amamos Susan Boyle, ela é o máximo. Para mostrar que não há ressentimentos, gostaríamos que ela se apresentasse conosco. Ela é uma ótima cantora e nós adoraríamos tocar Killing in The Name com ela. Ela pode cantar qualquer coisa, seria uma honra para nós.

Rage Against The Machine toca na capital inglesa no dia 6 de junho para agradecer o apoio do público britânico para lançá-los ao topo da parada. Vencedores do X Factor lideraram o topo do ranking natalino britânico por quatro anos seguidos.

>>>>> Mais Rage Against The Machine

Postado por Danilo Fantinel

Banda toca músicas brasileiras em versão ska

29 de março de 2010 2

Divulgação
Se a sua segunda começou sonolenta e cinza como a minha neste dia de outono, pula no MySpace da Orquestra Brasileira de Música Jamaicana. Tudo ficará melhor!

A OBMJ foi criada pelo músico e produtor Sérgio Soffiatti e pelo trompetista Felippe Pipeta em 2005, mas os trabalhos começaram apenas em 2008. Primeiro eles pensaram em tocar música jamaicana de raiz (ska, rocksteady, early reggae), mas a idéia de fazer versões para clássicos da música brasileira mudou o projeto inicial.

A banda de São Paulo já recriou O Guarani, de Carlos Gomes, Carinhoso, de Pixinguinha, Garota de Ipanema, de Antônio Carlos Jobim, A Minha Menina, de Jorge Ben, O Barquinho, de Roberto Menescal, Cotidiano, Chico Buarque, Ticotico no Fubá, de Zequinha de Abreu, e várias outras. Águas de Março saiu em versão dub. É ótimo. Mas cuidado! Dá vontade de cortar os pulsos se você não tem o mar por perto.

Além dessas versões, os caras têm uma composição própria, Ska Around the Nation, que pode ser ouvida no site da Scubidu Records em boa qualidade – onde, aliás, é possível fazer o download de um álbum virtual. O disco está em fase final de produção e deve ser lançado em breve.

A Orquestra Brasileira de Música Jamaicana é Ruben Marley no trombone, Marcelo Cotarelli (Funk Como Le Gusta) no trompete e flugel, Fernando Bastos (Orquestra Paulista de Soul, Banda Cara de Pau) no sax tenor e flauta, Igor Thomaz no sax barítono e alto, Fabio Luchs na bateria, Rafael Toloi no baixo, Lulu Camargo (Karnak, Pato Fu) nos teclados, Pipeta (Sapo Banjo) no trompete e flugel, e Sérgio Soffiatti (Skuba) nas guitarras e vocais.

>>>>> Israel Vibration e Groundation: reggae clássico e contemporâneo em POA
>>>>> Alpha Blondy canta o reggae pela paz em Porto Alegre
>>>>> Steel Pulse, reggae clássico em POA
>>>>> Skatalites levantam a galera em POA

Postado por Danilo Fantinel

LCD Soundsystem libera nova música

26 de março de 2010 0

Foto: Divulgação

O LCD Soundsystem liberou a nova música Drunk Girls. Um lance com guitarras, como ele já havia adiantado:

Também saiu material da banda em estúdio:

>>>>> Mais LCD Soundsystem

Postado por Danilo Fantinel

Nelly Furtado exibe força durante show em POA

26 de março de 2010 6

Nelly durante o show na capital gaúcha/Fábio Codevilla

Se há uma palavra que defina o show de Nelly Furtado ontem em Porto Alegre, essa palavra é força. Durante noventa minutos, a cantora canadense, banda e vocals exibiram uma surpreendente potência.

>>>>> Veja mais fotos do show!

O concerto começa e entra no palco uma Nelly usando um figurino que combina o que há de mais cool no cenário fashion: calça cintura alta de paetê escuro e casaquinho brilhante com enormes ombreiras. Na segunda entrada, o vestido é verde. Na terceira, ela repete e acerta no estilo jeans casual visto no BBB 10.

Logo na terceira música, a canadense arrebenta com I’m Like a Bird e me lembro que foi com essa música que a conheci e virei fã instantâneo. Eu estava em NY assistindo VH1 e, de repente, naquele mar de clips de hip hop, todos parecendo ser sempre o mesmo, com a mesma patética-estética, aparece o dela exalando frescor. Sim, porque o clip é todo verde e feliz, alegre, sem ser tolo. O verde viraria mais tarde uma marca registrada de Nelly, presente também no vídeo de Powerless, uma obra-prima. I’m Like a Bird foi entoado pela platéia com uma vontade que surpreendeu a estrela da noite. Uau, disse ela. E daí pra frente foi hit atrás de hit.

Nelly Furtado é uma estrela global com sucessos estourados em todos os países, uma jet setter da indústria fonográfica. Ao mesmo tempo, é uma gracinha de pessoa – palavras da Hebe. Verdade. Comunicando-se muito com o público em português e inglês ou na interação total com os colegas de palco, o que se vê é uma pessoa de verdade. Talvez daí venha a sua força, desse talento de ser uma pessoa, mercadoria cada vez mais em falta.

Highlights da noite: Nelly interrompendo a belíssima canção Try, vitimada por um acesso de riso, daqueles incontroláveis. Diego Ferrero, do NXZero dividindo com ela All Good Times em português/inglês num clima como o mundo é lindo. Muito bom. Miss Furtado cantando em português Sozinho, de Caetano Veloso. O show dentro do show dado pelos backings, elas trajando algo B52’s, ele algo malandro mexicano. Seu nome – Javier Garcia. Carismático e afinado, cantou várias vezes lado a lado com Nelly.

A noite seria perfeita, mas nada é. O som na pista do Teatro Bourbon Country estava péssimo, mal se distinguia as palavras cantadas. Já nos camarotes e platéia alta a situação era de pura qualidade sonora. De qualquer forma, o teatro lotado viveu uma noite inesquecível, uma apresentação vigorosa perfeita e uma artista no topo da carreira. Quando houve o lançamento do mais recente DVD ao vivo de Nelly, lembro de ter lido sobre a falta de presença dela no placo. Quem escreveu essa besteira?

Postado por Fernando Fantinel

Banda de Peter Hook, Mani e Rourke lança EP

26 de março de 2010 1

Peter Hook/Divulgação

Freebass, o trio de baixistas formado por Peter Hook (ex-Joy Division, ex-New Order), Mani (ex-Stone Roses, atual Primal Scream) e Andy Rourke (ex-Smiths), todos de Manchester, lançou seu primeiro EP nesta semana, Two Worlds Collide. A banda se formou em 2004.

O disquinho tem quatro músicas com vocais de alguns músicos convidados. You Don`t Know This About Me (com Tim Burgess, do Charlatans), The Milky Way Is Our Playground (com Pete Wylie, do Mighty Wah e outras mil bandas e projetos), Dark Starr (com Howard Marks) e Live Tomorrow You Go Down (com Hook nos vocais). As músicas estão no MySpace da banda. Mas tem uma gravação filha da mãe em loop por cima dos sons. Chato! Impossível escutar direito. Diz que o som também está no site da Haçienda Records, mas ainda não achei. 

 
Foto: Andy Rourke

Como se sabe, o trio queria Liam Gallagher, Ian Brown e Billy Corgan cantando nas faixas, mas o lance não rolou. Hook também disse que a demora no lançamento oficial das músicas do Freebass ocorreu porque, quando eles se reuniram pela primera vez, tinham muito tempo para trabalhar, mas depois as bandas e outros projetos de cada um foram reativados, atrasando o lançamento de Two Worlds Collide.

O primeiro álbum do trio deve sair no próximo mês, também pela Haçienda Records, dessa vez com Gary Briggs (ex-Haven) assumindo o microfone nas faixas.

 

Foto: Mani

E lembra que no início do ano Hook anunciou a reabertura do prédio da Factory em Manchester para abrigar o novo clube FAC251, uma espécie de Haçienda versão 2010? Pois o Freebass toca lá no dia 03 de junho. No dia 1º, o lance é no 100 Club em Londres.

>>>>> Entrevista: Andy Rourke tocou em Porto Alegre em 2007
>>>>> Mais notícias sobre Andy Rourke
>>>>> Mais Smiths
>>>>> Mais sobre Peter Hook
>>>>> Mais New Order
>>>>> Mais notícias sobre Mani e Stone Roses

>>>>> Mais Manchester

Postado por Danilo Fantinel

Replicantes liberam duas novas músicas

25 de março de 2010 2

Gabriela M.O., Divulgação
Os Replicantes liberaram ontem duas novas músicas no MySpace: Maria Lacerda e De Sul a Norte. As faixas fazem parte do novo álbum de estúdio da banda, Os Replicantes 2010, que sairá em julho pela Marquise 51 Records.

Maria Lacerda me parece fora de contexto… um pouco pelo som (nenhuma novidade… mas quem disse que punk precisa de renovação, certo? Então, nesse ponto, tudo bem…), mas principalmente pela letra. Cantar anarquismo e comunismo atualmente? Oh Lord…

Não! Não sou direitoso careta. Longe disso. Aliás, já fui militante do PCBão e da Juventude Popular Socialista na adolescência. Mas cresci. E vivo em 2010. Eles também, ao que dá a entender o título do novo disco. Ok, ok, a música faz uma crítica político-social importante em um país cheio de erros e absurdos como o Brasil, e tem um leve tom irônico intrínseco, mas parece tão ingênua… ao menos foi o que senti nesta primeira audição.

De Sul a Norte achei beeeeem mais legal. Essa sim tem uma letra conectada com nossos dias – algo importante num momento em que as bandas gaúchas parecem se encontrar num labirinto intelectual triste, sem inspiração e com vigor poético nulo.

Em De Sul a Norte Júlia Barth mete o pé na porta com um vocal visceral e inspirador, gritando uma `poesia` pulp suja, simples e sincera em alto volume. Dá vontade de sair chutando mesa e cadeira, socar a janela e jogar o computador longe. Muito manero! Sem falar no som, que é ducaralho! Cláudio e Heron Heinz (guitarra e baixo) e Cléber Andrade (batera) mandaram bem. Lembra os melhores momentos da banda, tipo Hippie-Punk-Rajneesh:

Postado por Danilo Fantinel

The National libera nova música

25 de março de 2010 0

Divulgação
The National liberou ontem a nova música Bloodbuzz Ohio. Ela já vinha sendo tocada ao vivo há algum tempo, mas agora saiu a versão de estúdio. Perceba o poder de fogo dos caras. Destaque para o vocal grave e para a bateria pegada.

A faixa é parte do novo álbum High Violet, sobre o qual você já leu aqui. Ouça abaixo ou faça o download no site dos caras.

Postado por Danilo Fantinel

Ouça a nova música do Stone Temple Pilots

23 de março de 2010 9

Capa do novo disco do STP/Divulgação
Não sei se Stone Temple Pilots ainda faz algum sentido para você (ou se algum dia fez)… o fato é que a banda de Scott Weiland voltou e acaba de liberar uma nova música, Between the Lines.

Stone Temple Pilots – Between The Lines by Atlantic Records

Absolutamente Nirvana, certo? Naaaaaaaada de novo. Nada. E também nada muito diferente do que Weiland fez em Velvet Revolver (do qual saiu em abril do ano passado). Mas ok, STP criou a ótima Plush então, por mim, estão perdoados.

Between the Lines estará no novo disco da banda, chamado simplesmente Stone Temple Pilots. Sai no dia 25 de maio. A ilustração da capa (acima) foi criada por Shepard Fairey, mestre da arte de rua, ativista político e crítico do capitalismo que assombrou megalópoles a partir do fim dos anos 80 – e que, hoje, é condenado pela nova geração das artes visuais por se tornar o que ele tanto criticava: um mercantilista das artes. Pra quem não lembra, Fairey criou aquele famoso pôster da campanha de Barack Obama à presidência… e esse está MUITO longe de ser o trabalho mais legal do cara. Leitura recomendada: Obey: Supply and Demand, The Art of Shepard Fairey.

Então é isso… a 90s-nostalgia segue com Weiland e cia. após as voltas de Soundgarden, Pavement, Jane’s Addiction, Alice in Chains, Hole (que neste finde tocou no SXSW e, segundo Courtney Love, foi o pior show dela EVER) e a longa caminhada de Pearl Jam. Quem será o próximo? 4 Non Blondes?

>>>>> Mark Arm detona a volta do grunge

Postado por Danilo Fantinel

Damn Laser Vampires lança novo clipe

22 de março de 2010 2

Cena do clipe de Boom Shack-A-Lak/Reprodução
Antes de lançar o segundo álbum, Three-Gun Mojo, sucessor de Gotham Beggars Syndicate, o povo da Damn Laser Vampires liberou o clipe da versão deles para Boom Shack-A-Lak, do Apache Indian. Cool, como sempre!

Three-Gun Mojo tem produção de Marco Butcher e Luis Tissot. As gravações rolam no Caffeine Soundstudio e o lance sairá pela Devil’s Ruin Records. Além disso, a banda anunciou shows em São Paulo, Rio, Belém (Pará) e Ivoti (RS). Veja as datas de shows em www.myspace.com/damnlaservampires e outros clipes em www.youtube.com/damnlaservampires.

>>>>> Mais Damn Laser Vampires

Postado por Danilo Fantinel