Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Resultados da pesquisa por "Twelves"

Layo & Bushwacka e The Twelves fecham o M/E/C/A/ Festival

27 de janeiro de 2011 0

Layo & Bushwacka e The Twelves fazem o fechamento do M/E/C/A/ Festival neste sábado, dia 29, no Jimbaran, em Xangri-lá. A programação ficou assim:

Indie Stage

17:30 – Wannabe Jalva

18:50 – Rosie and Me

19:50 – Copacabana Club

21:00 – Two Door Cinema Club

22:40 – Vampire Weekend

00:00 – The Twelves


Club Stage

17:30 – Marcelinho Vieira

18:15 - JZK

19:00 - Branko

19:45 – Fabrício Peçanha

21:00 – Ricky Ryan

22:15 – Layo & Bushwacka

Mas o lance começa sexta-feira à noite, também no Jimbaran, com discotecagem de John Digweed, André Sarate e Eddie M. Já no sábado, das 12h às 17h, o M/E/C/A/ Land se instala na plataforma de Atlântida com música, surf, skate e exposição do fotógrafo Cobra Snake. O M/E/C/A/Land também vai rolar durante o domingo.

Resumão:

M/E/C/A/Festival

Local: Jimbaran (Rua Rio Camisas,11) – Xangri-lá/RS

Data: sábado (29)

Abertura: 16h30min

Classificação: 16 anos

Ingressos: R$ 70 (2º lote) e R$ 90 (3º lote). Pontos de venda neste link.


M/E/C/A/Land

Local: Plataforma de Atlântida

Data: sábado (29) e domingo (30)

*

E Wannabe Jalva liberou um teaser de You and I, música inédita feita em parceria com os caras da Holger, que estavam em Porto Alegre no último dia 20 para um show no Beco quando decidiram invadir a gravação do EP dos Jalvas. Os paulistas fizeram coro pros gaúchos. A música fará parte de um EP com seis músicas que deve sair em março.

Wannabe Jalva @ You and I (teaser) from Wannabe Jalva on Vimeo.

Copacabana Club, Wannabe Jalva e The Twelves confirmados no M/E/C/A/

14 de dezembro de 2010 0

Copacabana Club, Wannabe Jalva, The Twelves, Rosie and Me e Lúcio Ribeiro (DJ set) foram confirmados no Indie Stage do M/E/C/A/ Festival 2011. Vampire Weekend e Two Door Cinema Club haviam sido anunciados em novembro. O line up do Club Stage será divulgado ainda nesta semana.

O festival rola dia 29 de janeiro no Jimbaran (Rua Rio Camisas número 11 – Xangri-lá/RS), perto de Atlântida (RS).  A abertura dos portões será às 16h30. Classificação Etária: 16 anos.

Ingressos

1º lote: R$50,00

2º lote: R$70,00

3º lote: R$90,00

Tkts à venda pelo site www.ingressorapido.com.br a partir das 18h do dia 10 de dezembro e nos pontos de venda abaixo a partir do dia 15 de dezembro.

Pontos de venda:

PORTO ALEGRE

Tow In (Moinhos de Vento)

Endereço: Rua 24 Outubro, 484

Vulgo (Moinhos de Vento)

Endereço: Rua Padre Chagas, 318

Papito (Moinhos de Vento)

Endereço: Rua Padre Chagas, 293

Vulgo (Shopping Iguatemi)

Endereço: Av. João Wallig, 1800 – Loja 2120

Tow In (Barrashopping)

Endereço: Av. Diário de Notícias, 300

NOVO HAMBURGO

Alucinado (Av. Doutor Mauricio Cardoso, 890 – Centro)

GRAVATAÍ

The Surf (Av. José Loureiro da Silva, 1510 Centro)

E nos dias 29 e 30, a partir das 11h, rola o M/E/C/A/Festival Beach, na beira de praia de Atlântida, junto à Plataforma, com campeonatos de surf, skate, showball e futevôlei, música e mostras culturais.

Result promos Pixel Show e The Twelves

09 de abril de 2010 0

Já estão online os resultados das promos para as festas do Pixel Show e com The Twelves (preview do Electroshock Festival).

Postado por Danilo

PROMO: The Twelves

07 de abril de 2010 0

The Twelves/Divulgação
Tá a fim de ir no show do The Twelves nesta sexta, dia 09/04, no Beco (Independência, 936), em Porto Alegre, dentro do preview do Electroshock Festival, marcado para os dias 16 e 17 de abril? Então cola na promoção para concorrer a ingressos.

Schutz, Ka-hara, Cevallos, Machuca e Dani Lacet tocam na mesma noite. Vai ficar de fora?

The Twelves tocou na edição passada do festival, lembra?

>>>>> Mais sobre Electroshock Festival

Postado por Danilo Fantinel

Sónar São Paulo 2012 terá transmissão ao vivo

09 de maio de 2012 0

O Youtube e a MTV transmitirá ao vivo os principais shows do Sónar São Paulo 2012 neste final de semana, nos dias 11 e 12 de maio. Oba! A edição paulista é a maior realizada fora da Espanha, com 48 artistas, sala de cinema e debates sobre arte e tecnologia.

A etapa brasileira desse que é um dos principais eventos de música do mundo terá shows de Kraftwerk (substituindo Björk), Cee Lo Green, Justice, Chromeo, Mogwai, James Blake, Squarepusher, Modeselektor, Jeff Mills, Four Tet, Austra, Flying Lotus, além dos brasileiros Gui Boratto, Marky, Patife, Criolo, Emicida, The Twelves, Zegon, M.Takara e do meu amigo Tahira, entre outros.

O lance rola na TV e no site. No dia 11, terá início às 19h. No dia 12, a programação começa às 16h. Saiba mais no site oficial. E a MTV tá fazendo um aquece. Veja aqui.

Show do The Rapture define o M/E/C/A Festival 2012

30 de janeiro de 2012 6

Fotos: Rodrigo Esper

Atualizado às 12h30min

O show do Rapture foi o grande momento do M/E/C/A Festival 2012, realizado sábado passado em Xangri-lá, no litoral gaúcho. O pós-punk suingado da banda nova-iorquina foi tão marcante que acabou sobressaindo-se entre os outros grandes nomes da segunda edição do evento, como o CSS e Mayer Hawthorne. Já a banda norte-americana Penguin Prison surpreendeu apresentando um electro-pop-rock alternativo e orgânico.

The Rapture recria o pós-punk elaborando estruturas sonoras complexas a partir de linhas de guitarras cheias de groove, bateria suingada e teclados sintéticos que têm raiz no disco-funk setentista e no new wave dos 80. Em 1999, com o álbum Mirror, a banda praticamente alicerçou os fundamentos do disco-punk, gênero que viria a tomar conta de grande parte do cenário indie no início dos anos 2000. A aguda voz de Luke Jenner, que lembra a de Robert Smith em alguns momentos, ajuda a compor esse quadro peculiar que, ao vivo, ganha cores vívidas.

A banda foi econômica na duração do show no M/E/C/A, mas esbanjou em termos de qualidade musical. A afinação perfeita, a execução excepcional das composições e o comprometimento total dos músicos com a apresentação eram evidentes. Se por um lado houve pouco contato direto com a plateia, por outro a banda mostrou completo respeito pelo público ao exibir um repertório composto por algumas das faixas mais importantes do mundinho independente neste início de milênio.

Entre os grandes momentos do show estiveram o início, com o balanço de In the Grace of Your Love, a épica Sail Away, e duas dobradinhas legais. Uma delas foi Whoo! Alright Yeah… Uh Huh, com clima psycho-disco baseado em groove de guitarra e em agogô, instrumento que fez a ligação direta da faixa com o super hino indie House of Jealous Lovers, absolutamente genial ao vivo (veja acima). A outra dobradinha foi Olio (o primeiro hit da banda, do disco de estreia, Mirror) + Come Back to Me, a ótima faixa de alma marselhesa (meio francesa, meio grega), que está no último disco da banda.

Já as meninas do CSS mostraram que sobrevivem muito bem no palco sem o mentor Adriano Cintra. Mataram a pau reproduzindo com diversão, energia e muito peso várias das loucurinhas irônicas que gravaram e lançaram nos seus três discos desde 2006 – o cru, sujo e vital Cansei de Ser Sexy, o genérico e difuso Donkey e o elaborado La Liberación. Foi um show muito rock, com um senso artsy punk bem pegado e muito mais acentuado do que o de outras três apresentações da banda que vi no passado.

Lovefoxxx, Ana Rezende, Luiza Sá e Carol Parra (mais baterista e baixista de apoio) se superaram em faixas antigas como Art Bitch, Bezzi, Let’s Reggae All Night, Left Behind, Off the Hook e em novas composições, tipo La Liberación, I Love You (ótima ao vivo!), City Grrrl, Hits Me like a Rock. A-La-La, uma das melhores músicas feitas nos anos 2000, foi o ponto alto. Senti falta de outras duas clássicas do disco debut: as bizarras Meeting Paris Hilton e Ódio, ódio, ódio, Sorry, C., faixas que remetem à pré-história electro rock do CSS. O teste de palco sem Adriano Cintra foi superado facilmente. Agora, é esperar o próximo disco e ver como as garotas se saem em estúdio sem ele.

Mayer Hawthorne, que costuma fazer shows suingados, privilegiando o groove e a harmonia das composições dos discos A Strange Arrangement e How Do You Do, pode ter se sentido prejudicado por um deslize de escalação e pelo som baixo. Hawthorne se apresentou depois do Rapture, quando o ideal seria antes, já que a banda nova-iorquina tem um espetáculo claramente mais agitado e dançante do que o dele.

Sendo assim, Hawthorne e banda tiveram que se acomodar entre uma plateia ainda eletrizada pelo grupo liderado por Luke Jenner. Apesar disso, o neo soul atenuante do músico norte-americano não teve dificuldades para encontrar espaço entre o público. O carisma do cantor e o poder das músicas interpretadas pela sua sempre afiada banda foram suficientes para domar a audiência. Apesar da boa qualidade geral do show, a apresentação foi linear e não chegou a ser marcante. Leia entrevista com Hawthorne aqui.

Bem ao contrário de Penguin Prison, banda de electro-pop-rock alternativo do novato produtor , instrumentista e vocalista Chris Glover. No palco, os músicos surpreenderam ao apostar em altas doses de groove criadas por guitarra, baixo e teclado. Sendo uma das duas bandas de abertura o festival, o grupo tocou para pouca gente – assim como Wannabe Jalva, que peguei já no final. Depois de um início lento, o show do Penguin Prison pegou ritmo e foi melhorando gradativa e consideravelmente. O ponto máximo foi com o excelente cover de Blue Jeans, de Lana Del Rey. Não vi Breakbot nem The Twelves.

O M/E/C/A Festival 2012 acabou definido não só pelo poder sonoro do Rapture, apesar da explosiva apresentação do CSS e do show revelador do Penguin Prison, mas também pela boa qualidade sonora. O novo local, uma espécie de anfiteatro natural dentro de uma fazenda, garantiu uma boa acústica para os shows.

>>>>> Mais The Rapture
>>>>> Mais CSS
>>>>> Mais Mayer Hawthorne
>>>>> M/E/C/A Festival 2011

>>>>> Mais M/E/C/A Festival

Entrevista: Mayer Hawthorne

26 de janeiro de 2012 0

Em 2011, Mayer Hawthorne até que tentou ganhar parte das atenções dedicadas à Amy Winehouse e Janelle Monáe durante a passagem dos três pelo Brasil no Summer Soul Festival, mas sua presença se fez discreta. Tendo como “concorrentes” a maior cantora dos anos 2000, Amy, que naquele verão tropical tentava restabelecer sua vida/carreira pouco antes de morrer, e Janelle, a nova promessa da música negra norte-americana, convenhamos, a tarefa era difícil.

O fato é que, se o destaque de Hawthorne na mídia foi pequeno, sua performance no evento em Florianópolis foi inversamente proporcional. Apesar do pouco alcance da voz ao vivo, o que desfavorece qualquer cantor branco de black music, o vocalista e músico de neo soul e new R&B deu um show de inspiração, liderança e presença de palco. Entertainer nato, ele esteve muitíssimo à vontade no papel de crooner de sua big band.

Em seu primeiro disco, A Strange Arrangement, Hawthorne chamou atenção pela facilidade com que compôs músicas claramente inspiradas pelos grandes clássicos do R&B e da soul music, mas ainda assim com algum toque contemporâneo, reforçado pela proximidade quem tem com o hip hop e o rap – e melhor, tudo isso excepcionalmente reproduzido e ampliado ao vivo pela sua incrível banda.

Na verdade, rap e hip hop foram o ponto de partida na carreira de Andrew Cohen, o verdadeiro nome de Hawthorne. O alter ego Mayer Howthorne somente existe porque Andrew foi, um dia, MC, DJ e produtor musical nerd-retrô dos coletivos Athletic Mic League e Now On. Com o tempo, foi fazendo música para poder samplear e reutilizar em faixas de hip hop. Até que Mayer Hawthorne tomou maiores proporções em sua vida. Se a história em si já é boa, sua música não fica atrás.

No segundo disco, How Do You Do, mais sólido e com participação de Snoop Dogg cantando (e não fazendo rap!) em Can’t Stop, Hawthorne volta ainda mais romântico e focado no R&B, amparado não apenas pela vitalidade existencial do soul, mas também pelo frescor da disco music. Como disse na entrevista abaixo, ele se inspirou em Barry White, mestre da mellow music, para compor o álbum:

– Ele era muito “sex music”. Quem está fazendo este tipo de música em 2012? Eu.

Leia e entrevista realizada por e-mail:

Sua música é claramente inspirada no R&B e na soul music dos anos 60 e 70, mas também tem conexões com rap hip hop. Quando você começou a misturar esses estilos e como isso aconteceu?
Rap foi o meu primeiro verdadeiro amor. Ainda escuto rap a toda hora. Mayer Hawthorne surgiu de fazer música para samplear e usar em hip-hop. É maluco porque agora se fechou um círculo em que produtores de hip-hop estão me sampleando.

Você também tem amigos skatistas, indie rockers, DJs… Você acha que sua música consegue atingir tanta gente diferente?
Minha única regra ao fazer música é que ela deve ser divertida. Diversão é universal. Todos querem se divertir.

Seu primeiro show no Brasil ocorreu há exato um ano, quando você,Janelle Monáe e Amy Winehouse se apresentaram no Summer Soul Festival. Muitas pessoas não sabiam o que esperar porque não conheciam sua música, mais ao fim do show boa parte do público pareceu ter gostado da sua música. O que você lebra dessa experiência?
Fomos a última banda a fazer turnê com Amy. Ele foi um doce, e sempre vou ser grato por aquele momento. Fiquei muito surpreso com a reação do público no Brasil. Foi muito positiva. Mal posso esperar para fazer festa aí de novo.

Vi seu show. Você é muito falante. Você é sempre assim no palco?
Hahaha. E tenho muito a dizer, eu acho!

Amy morreu alguns meses após o festival no Brasil. Ela foi uma influência para sua música? Você tem ídolos que influenciaram sua carreira?
Amy foi a maior voz de nossa geração, na minha opinião. Ela também entendia a importância da boa composição e ajudou a trazer isso de volta para a música popular. Ela abriu muitas portas para artistas como eu. Também tenho muita influência de Barry White. Ele era muito “sex music”. Quem está fazendo este tipo de música em 2012? Eu.

O que você está fazendo agora? Algum novo álbum?
Estou sempre trabalhando em novas músicas, mas o foco está em How Do You Do neste momento. Vou rodar o mundo e comer as melhores comidas!

E sobre seu show no Meca Festival? O que está planejando?
Estivemos trabalhando em um novo set especial. Não posso contar surpresas, mas certo que vai ser uma festa!


Mayer Hawthorne se apresenta no M/E/C/A Festival 2012, no dia 28 de janeiro em Xangri-lá, no litoral gaúcho, com The Rapture, CSS, Breakbot, Boy e Penguim Prison. O lance rola das 17h às 4h no Hotel Fazenda Pontal (RS-407, Km 2.5, Maquiné – Acesso Morro Alto/Capão). Ingressos: R$ 50,00 (primeiro lote) e R$ 70,00 (segundo). Saiba mais neste link.

Veja a programação completa do M/E/C/A:

17:00 Abertura dos portões (Juli Baldi + Fran Piovesan DJ set)
18:00 Wannabe Jalva
18:45 Pulp DJ set
19:15 Penguin Prison
20:15 Mycool decaDANCE DJ set
20:45 The Rapture
21:55 Voodoo DJ set
22:25 Mayer Hawthorne
23:35 Popismo DJ set
00:05 CSS
01:15 Neon DJ set
01:35 Breakbot
02:50 The Twelves
04:00 Encerramento

>>>>> Leia sobre o show de Mayer Hawthorne no Summer Soul Festival 2011

Resultado promoção M/E/C/A Festival 2012

23 de janeiro de 2012 0

Já saiu o resultado da promoção do Volume pro M/E/C/A Festival 2012. Virgilio Moraes Migliavacca e Thuanny Baretta ganharam, cada um, um ingresso para o evento. Clique aqui para saber mais.

A entrega dos bilhetes rola no dia do evento (28/01/2012), na bilheteria do festival, mediante apresentação de um documento oficial de identificação (RG ou CNH). O M/E/C/A será realizado no Hotel Fazenda Pontal (Praia de Xangri-lá, RS-407, Km 2.5, Maquiné – Acesso Morro Alto/Capão). O custo com deslocamento será arcado exclusivamente pelo vencedor.

E saiu a escalação das bandas:

17:00 Abertura dos portões (Juli Baldi + Fran Piovesan DJ set)
18:00 Wannabe Jalva
18:45 Pulp DJ set
19:15 Penguin Prison
20:15 Mycool decaDANCE DJ set
20:45 The Rapture
21:55 Voodoo DJ set
22:25 Mayer Hawthorne
23:35 Popismo DJ set
00:05 CSS
01:15 Neon DJ set
01:35 Breakbot
02:50 The Twelves
04:00 Encerramento

>>>>> Mais M/E/C/A Festival
>>>>> Site oficial

M/E/C/A/ Festival 2012 terá Rapture, CSS e Mayer Hawthorne

14 de dezembro de 2011 0

Atualizado dia 23/01, às 14h

O M/E/C/A/Festival anunciou shows de Rapture (foto acima), CSS, Mayer Hawthorne, Breakbot, Boy e Penguim Prison para a edição de 2012. O lance rola no dia 28 de janeiro em Xangri-lá, no litoral gaúcho.

Vai ser curioso ver CSS sem o principal compositor da banda, o megamaster produtor e instrumentista Adriano Cintra. Claro, Lovefoxxx é o rosto do Cansei de Ser Sexy, mas Adriano era a cabeça, a mente por trás de tudo. Depois de ter conferido uns três shows deles no passado, sendo cada um beeeeeeem diferente do outro (por diferentes motivos), é provável que eu (a gente) veja o combo em um momento de transição.

Já o Rapture, uma das bandas mais legais dos anos 2000, deverá fazer um show memorável. A fusão de new wave, funk, pós-punk e disco rock criada pelos caras é especial. Neste ano, eles lançaram o elogiado disco In the Grace of Your Love. Aposto agora: melhor show do M/E/C/A/ 2012!

E Mayer Hawthorne, o compositor branquelo nerd de voz fraca e som legal, deve surpreender, como ocorreu em Florianópolis durante o Summer Soul Festival, em janeiro deste ano. Mayer faz um neo-soul influenciado por indie, pop, Motown e hip hop. Em Floripa, com uma banda de apoio afiada, ele fez cover de Beautiful, de Snoop Dogg, e levantou a galera com seus maiores sucessos: Maybe so, maybe no e Just ain’t gonna work out.

Completam o line-up o produtor francês Breakbot (do selo EdBanger), Boy (duo alemão de carga dançante) e Penguim Prison (remixer de várias bandas artistas do indie global).

Os ingressos começam a ser vendidos a partir do dia 17 de dezembro, com preços variando entre R$ 50,00 e R$ 70,00. Veja a escalação de bandas:

17:00 Abertura dos portões (Juli Baldi + Fran Piovesan DJ set)
18:00 Wannabe Jalva
18:45 Pulp DJ set
19:15 Penguin Prison
20:15 Mycool decaDANCE DJ set
20:45 The Rapture
21:55 Voodoo DJ set
22:25 Mayer Hawthorne
23:35 Popismo DJ set
00:05 CSS
01:15 Neon DJ set
01:35 Breakbot
02:50 The Twelves
04:00 Encerramento

M/E/C/A/ Festival
Data: 28 de janeiro de 2012
Horário: das 17h às 4h.
Local: Hotel Fazenda Pontal, Praia de Xangri-lá, RS-407, Km 2.5, Maquiné – Acesso Morro Alto/Capão)
Ingressos: R$ 50,00 (primeiro lote) e R$ 70,00 (segundo)
Venda: Tow (na Complex, Av. Protásio Alves, 3839) e Tow In (na 24 de outubro, 484, e no BarraShoppingSul)
Mais infos: www.mecafestival.com.br

> Show do Cut Copy em POA lançou o M/E/C/A/ 2012

> Saiba como foi o M/E/C/A/ 2011 (Vampire Weekend, Two Door Cinema Club e mais)

Tracks Volume #10

19 de agosto de 2011 0

Fucked UpThe Other Shoe
Fucked Up, o grupo canadense pancada que curte um pós-hardcore barulhento e um punk hipster situado muito além dos três acordes é também um dos live acts mais fodásticos da atualidade. O lance é radical mesmo. Não é raro o vocalista Damian Abraham se ferir (propositalmente ou não) até sangrar durante shows. O fato é que a banda acaba de lançar este lindo clipe para a música The Other Shoe. O diretor Matt Eastman criou um triângulo enigmático de dar inveja a muito cineasta colocado. A faixa está no disco duplo conceitual David Comes to Life. O primeiro clipe é igualmente marcante – aquele da professora from hell (veja aqui).


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

WeekendHazel
Quando Joy Division, Cure, Echo, Smiths e My Bloody Valentine se encontram na mesma música é porque você está escutando Hazel, da banda Weekend, de San Francisco.

Weekend – Hazel by Slumberland Records

Pra ficar na mesma onda, escute Breathe Deep, do Echo Lake

Echo Lake – Breathe Deep from ///NO PAIN IN POP\\\ on Vimeo.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

TV GirlBaby You Were There
Você que não viveu nos anos 50 nem 60 pode ser transportado diretamente pra lá com Baby You Were There, uma canção pop perfeita, leve, harmônica, romântica. Tipo grupo vocal dos Anos Dourados, mas ainda assim contemporânea, com uma batida atualizada por sequenciadores. A vida parece extraordinariamente boa e simples quando se escuta algo assim. Pena que o clipe é fraco. Enfim, o já essencial EP Benny and the Jetts, do TV Girl, você escuta e baixa aqui.

TV Girl – “Baby You Were There” from stereogum on Vimeo.


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

LotusThe Surf
A banda de electro jazz e indie rock, que curte instrumental e jam sessions, extrapola seus limites em The Surf, uma pequena pérola pop à base de ótimas guitarras, teclados disco e elementos eletrônicos bem de canto. Alto atral. O álbum homônimo sai dia 13/09.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

WidowspeakHarsh Realm
Cowboy Junkies e Cat Power feelings nesta Harsh Realm, da nova banda Widowspeak (do Brooklyn, NY). Guitarras doloridas, bateria cadente, voz de veludo. Tipo perfeito. O álbum de estreia, homônimo, já tá na área.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

NirvanaNevermind
Lembra do disco gravado em tributo a Nevermind, promovido pela Spin para celebrar os 20 anos do álbum? Você já pode baixar na íntegra aqui!

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

CSSLa Liberación

Os nacionais preferidos do Volume liberaram La Liberación nesta semana. O novo disco veio turbinado. Mais guitarra (até baiana, ou do algo tipo…), mais eletrônica, mais vocal cool de Lovefoxxx, mais mistura latina, espanhol capenga, indie descolex, sax, piano, teclados vintage, technobrega e segue a lista… Tem boas parcerias também: o single Hits Me Like a Rock, com Bobby Gillespie no vocal, é um reggae-calipso-eletrônico que poderia tocar em um karaokê trash qualquer. Saiu em junho e foi destaque das Tracks #2. Além de Bobby, tem Cody Critcheloe (da banda norte-americana SSion) na faixa City Grrrl, e o duo de música eletrônica Ratatat na música Red Alert. La Liberación será lançado dia 29 de agosto, mas caiu inteiro no site da Spin.

Ouça La Liberación aqui

E o Primal Scream toca em POA dia 26 de setembro, lembra? Como esquecer? Fala sério!

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

pattenBlush Mosaic
Sabe Underworld?
É tipo assim.
Mas mais nervoso.
Uma hora meio que cansa…
O disco GLAQJO XAACSSO, do patten, sai dia 26/09.

patten – Blush Mosaic from ///NO PAIN IN POP\\\ on Vimeo.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Little DragonGypsy Woman (She’s Homeless)
É massa esse cover que a banda Little Dragon fez para Gypsy Woman (She’s Homeless), o superclássico clubber da cantora Crystal Waters, de 1991, que bombou forte na noite de POA na época.

Little Dragon – Gypsy Woman (La Da Dee) (Crystal Waters Cover) (BBC Radio 1) by twelvemajorchords

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

NinjasonikMoshpit (feat. The Partysquad)
Pra quem curte festa disco-rock-maximal-break-descolex, um som tipo esse Mosh Pit, do Ninjasonik, não é nenhuma novidade. Se você já viu Edu K, Chernobyl, The Twelves, Killer on the Dancefloor então, pffff. Na real, muito DJ de vinil faz isso ao vivo sem menores problemas. Mas o caso não é esse. O lance sobre Moshpit é simples: MUITO bom! So play it loud!!

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

#ficadica @MarcosTesser

The Naked And FamousThe Sun
A banda neo-zelandesa The Naked and Famous, uma das “Sound of 2011″ da BBC, lançou nesta semana o vídeo para a música The Sun, do seu álbum de estreia, Passive Me, Agressive You. O clipe, um dos mais sensuais do ano, é dirigido pela dupla Joel Kefali e Campbell Hooper (assim como todos os outros clipes da banda). O electro doce e hypado do hit Young Blood passa longe dessa faixa, a mais lenta e intimista das quatro músicas lançadas até agora. O vídeo mostra um casal no maior clima, em slow motion, e em meio a uma explosão de sentimentos e nudez, explorando sobreposições, cores, texturas, contrastes e brilhos.

The Naked And Famous – The Sun from The Naked And Famous on Vimeo.


> Tracks #1
> Tracks #2
> Tracks #3
> Tracks #4
> Tracks #5
> Tracks #6
> Tracks #7

> Tracks #8
> Tracks #9