Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Resultados da pesquisa por "Bloc Party"

Ouça as novas músicas de Kele Okereke

14 de maio de 2010 0

Jenna Decker, Divulgação
Eu sempre curti Bloc Party, até aquele lixo feito na MTV.

Depois disso, perdi o respeito e o interesse pela banda. Mas esse som do projeto solo de Kele Okereke é massa!

The Boxer tem produção por XXXchange, é very dance music oriented e será lançado no dia 21 de junho.

Walk Tallbykeleokereke

Risebykeleokereke

A lista de músicas:

Walk Tall
On The Lam
Tenderoni
The Other Side
Everything You Wanted
New Rules
Unholy Thoughts
Rise
All The Things I Could Never Say
Yesterday`s Gone

Postado por Danilo Fantinel

iTunes Live Festival: o maior barato de Londres

13 de julho de 2009 6

Durante todo o mês de julho acontece em Londres a edição 2009 do iTunes Live Festival, um evento que é o maior barato, no duplo sentido da palavra, se me permitem o trocadilho abobado. São 31 noites non-stop, onde 62 bandas tocam… de graça. Sim, de graça. E eu não estou falando da bandinha de esquina que você nunca ouviu falar. Falo de Oasis, Franz Ferdinand, Kasabian, Placebo, Snow Patrol, Bloc Party e mais uma penca de gente bacana, que pode até não fazer o seu estilo, mas com certeza pelo menos uma vai cair no seu gosto. 

Cada noite do evento, duas bandas tocam. O local? A Roundhouse, gloriosa casa de shows localizada no bairro mais boêmio-trash-cool da capital inglesa, Camden Town. Aquele mesmo pelo qual a Amy Winehouse costumava sair só de sutiã correndo, chorando bem louca pelas ruas. Pra participar do evento é bem fácil: basta cadastrar seu nome na página do festival no Facebook e torcer pra ser sorteado. Não foi sorteado? Não tem problema, vai para frente do local de qualquer maneira, que é capaz de você entrar!

Foi o que aconteceu comigo neste sábado, quando estava com muita vontade de conferir o show de La Roux, duo de electro pop que, gritam aos quatro cantos, é a sensação do verão por essas bandas com os hits Bulletproof e In for the kill. Sem ter sido sorteada, parei na porta do lugar e recebi a seguinte informação: sempre que tiver lugar, até quem não tem convite vai poder entrar! Vale lembrar mais uma vez: de graça! Era só ficar na fila de espera, que neste dia estava bem pequenina. 

Fotos: Divulgação, iTunes Live Festival

Dez minutos depois lá estava eu, munida de credencial e pulseirinha no braço, sentada no piso superior da Roundhouse pra conferir se a tal La Roux ia passar a tocar freneticamente no meu ipod também. Após o show de abertura do Dan Black (ex-vocalista da banda inglesa The Servant), pouco depois das 21h, entra Elly Jackson e companhia palco adentro. A vocalista é conhecida pelo figurino bacana e pelo topetão esquisito que adorna sua cabeleira ruiva – eis o motivo da alcunha da banda, a cor do cabelo da lead singer.

No show curtinho de cerca de uma hora, pois a banda só tem um disco recém-lançado, ficaram claras duas coisas. Primeiro: as músicas da La Roux são bacanas, dançantes e com uns refrãos que pegam mesmo, bastava ouvir o coral da platéia. Segundo: vale mais a pena ouvir o som da banda numa danceteria do que assistir ao show deles. Pouco comunicativa e travadona, nem a vocalista com o seu baita vozeirão agudo nem a banda que a acompanha chegaram a empolgar. Na linha blasé, a La Roux fez uma apresentação bem mediana, que só fez a galera levantar a poeira mesmo quando os sucessos Bulletproof e In for the kill entraram em cena, estrategicamente guardados para o final. Aí sim, parecia um show de verdade. 

 

Se o show da La Roux não foi lá aquela coisa, o iTunes Live Festival segue sendo o máximo de qualquer maneira. Não é todo o dia que se tem uma seleção de bandas desse porte tocando de graça. Depois de cada show, a página do festival ainda disponibiliza quase em tempo real as fotos do evento. Tudo também é gravado, para em breve entrar como material exclusivo para download no ITunes Store e, de quebra, a credencial com a qual você entra dá direito a baixar gratuitamente dez músicas de sua escolha das bandas que integram o line-up.

O Festival segue até 31 de julho. Pra conferir toda a programação, fotos e tudo mais que acontece por lá é só clicar no www.facebook.com/iTunesEU. E já sabe, está por Londres, se inscreveu para as apresentações e não foi sorteado, se toca pra lá de qualquer maneira!

Postado por Renata Peppl, direto de Londres

Entrevista: Fenx quer conquistar o mundo

15 de abril de 2009 8

Helga e Guffo, da Fenx/Caco Santana e Arlise Cardoso, Divulgação
Neste final de semana, o festival Electroshock reunirá alguns dos principais produtores, Djs e bandas de música eletrônica no Porão do Beco, em Porto Alegre. O lance rola em dois dias, como eu já te disse aqui.

Entre o line-up, figuras bombadas na mída nacional e muito requisitadas no exterior, como The Twelves (RJ), Database (SP), Boss in Drama (PR) e Killer on the Dancefloor (SP). No meio deles, o duo gaúcho Fenx, do multi-instrumentista e cineasta Guffo e da designer e jornalista Helga Kern, tenta se firmar com um live act de força a partir de boa performance e intensa produção electrorock. 

Duos eletrônicos não são novidade no Rio Grande do Sul. A Spleen, do Otávio Mastroberti e do Nando Barth, emitia ecos de Joy Division e New Order em 1993. Sob produção deles, a Sideral explorava garage dance music poucos anos depois. Hoje, Nando produz a Superluxo (Joy Division + electro + New Order + The Cure) e Otávio toca na banda Volantes e produz a electro bitch Blush. E antes da Spleen e da Sideral, a cantora Cristiane F já desenvolvia um projeto que misturava sons eletrônicos com vocais finos misturados a trechos de vocal hip hop, num clima total Snap. 

Mas, enquanto Spleen, Sideral e Cris F ficaram dentro das fronteiras gaúchas e acabaram encerrando suas atividades, a Fenx acumula planos. Conquistar o mundo é um deles. Bom, Guffo e Helga estão no caminho. Já fizeram show em Buenos Aires, conseguiram emplacar Natural na Sky FM, de Londres, estão finalizando o primeiro álbum agora em abril e já gravaram o primeiro clipe (de Natural, em stop motion). Além disso, está para sair uma turnê na Europa, com shows em vários locais, incluindo um no Favela Chic, em Paris. No MySpace tem vídeos de shows e gravações. Confere! 

 

Como e quando vocês começaram a tocar?

Helga: Começamos como Fenx em abril de 2008 e a estréia foi no GIG ROCK V, em junho do ano passado. 

Como vocês criam música? Vocês dividem todas as atividades? A composição é conjunta?

Helga: As músicas são todas do Guffo. Letras e melodias que estavam engavetadas, pois não se encaixavam a nenhum projeto anterior. É claro que sempre rola algum ajuste feito em conjunto. Tenho escrito algumas letras também.

Guffo: Eu componho compulsivamente. É algo que faço desde criança, e em todas as bandas que tive (confira no site dele) sempre fui o principal compositor. Claro que, quando se compõe em grande quantidade nem sempre se tem muita qualidade. E eu sei que componho muita porcaria, mas que às vezes servem como ponte para outra coisa.

No caso da Fenx, começou com algumas canções que eu tinha na gaveta, e só coloquei o traje que nós vestimos pra ficar a nossa cara. Um exemplo é a música Nunca olhei pra trás, que está no MySpace. Eu compus essa música pro primeiro disco do Leela, banda carioca de amigos meus (morava no Rio nessa época). Eles chegaram a gravar e tudo, mas não entrou no primeiro disco deles. Agora, eu revivi a música pra Fenx.

E há também músicas que nasceram agora, durante o processo da banda mesmo, caso de Natural ou Egoísta.

Os arranjos e as programações sou eu que faço também. Tenho cobrado da minha amada colega de banda que me passe algumas das letras que ela está escrevendo, e tenho certeza que pro segundo disco da Fenx teremos maiores parcerias entre nós.

A velha pergunta: quais as principais influências da Fenx? E como vocês fazem para ter um som próprio e não soar como uma mera repetição do que já foi feito por eles?

Helga: O Marcelo Figueiredo, nosso produtor, quando escutou pela primeira vez uma de nossas músicas disse “se Joy Division existisse hoje eles estariam tocando isso”. Na hora foi uma grande honra ouvir aquilo porque Joy é uma das minhas bandas preferidas e do Guffo também! Mas não nos preocupamos se o som é parecido com algo que já feito, porque ele nunca sai parecido, não no nosso caso. Acho que isso acontece porque nossas influências não ficam só na música, passam pelo cinema, literatura… e até por nossas experiências pessoais. O fato de cantarmos em várias línguas (português, inglês, espanhol e em breve francês) remete um pouco a isso também. Então fica complicado citar outras bandas como influências, mas sempre que nos pedem falamos de Joy Division, Garbage, Mutantes, Massive Attack, Soda Stereo, New Order, Bloc Party… e o público também sempre nos associa a bandas como The Kills e The Ting Tings pelo fato óbvio de sermos dois.

Como têm sido os shows?

Helga: Os shows têm sido maravilhosos. O de Buenos Aires nos surpreendeu, bar lotado e um público supercaloroso.

Guffo: Cara, tem uma coisa que eu quero dizer nessa pergunta. Eu tenho banda desde os meus 15 anos. Ou seja, estou a 18 anos nessa função. Já tive banda de sucesso, banda desconhecida, banda boa, banda ruim, banda pop, jazz, instrumental…de tudo….e posso afirmar COM CERTEZA que de todas essas bandas, a Fenx é a que tem a melhor resposta de público, e de maneira imediata. É incrível como as pessoas gostam da banda de entrada, de primeira. Isso nunca tinha me acontecido.

O que vocês pretendem apresentar no Electroshock? Alguma faixa nova?

Helga: Pretendemos apresentar todas as faixas que vão entrar no cd que estamos gravando.

Vocês têm shows marcados na Europa. Onde vão tocar e como surgiram esses convites?

Helga: Temos shows marcados na França e em Portugal.

Guffo: Eu sempre soube que a Fenx tem vocação internacional, até porque a gente sabe que no Brasil o que funciona é o pagode, o axé, o funk e o sertanejo. O pop e o rock são cada vez mais renegados.

 

E essas respostas se percebem primeiro no nosso Myspace. A maioria das pessoas e bandas que nos adicionam são estrangeiras. E geralmente, elogiam bastante o trampo.

 

Depois, a resposta do público na Argentina no nosso show lá. Sold out pra uma banda nova e desconhecida, sem divulgação. Voltamos 3 vezes pro bis, foi inesquecível.

E em terceiro lugar, a inclusão da música Natural na programação da Sky FM, uma das principais rádios indie de Londres. Sendo que nas rádios daqui, às vezes é até difícil que te recebam pra conversar.

Tudo isso aconteceu naturalmente, sem um esforço maior da nossa parte.

A Europa é um objetivo pra gente. Os festivais, a cena, o público. Tenho certeza que lá seremos muito mais reconhecidos e entendidos do que aqui. E não há nada de errado nisso, é apenas uma questão de identidade.

Tenho um tio em Portugal, reconhecido artista plástico, chamado Renato Rodyner. Ele é fã da banda e sempre me incentivou pra irmos tocar lá. Levou nosso demo e fechou três shows pra gente, dois em Lisboa e um em Cascais. O dono do Favela Chic, de Paris, escutou o som e já nos contratou para uma noite lá também. E aproveitando que estaremos lá e tudo é tão perto, quero fechar outras datas também, em outros lugares.

Estou agora tentando conseguir patrocínio para as passagens. Lá temos transporte e lugar para ficar, e com a grana dos shows vai dar pra outros gastos. Mas não queríamos gastar com a passagem. Então, to correndo atrás. Se não conseguir, bom, vamos desembolsar mesmo.

Planos para um CD? Clipe? Ou novos projetos?

Helga: No início de março deste ano gravamos nosso primeiro vídeo clipe, da música Natural, pela TGD Filmes, com direção do Rafa Ferretti. Está em fase de finalização. O CD começamos a gravar ainda no final do mês.

Guffo: Estamos em plena gravação do disco. Já terminei de passar todas as bases e de gravar as guitarras. Esperamos terminar tudo em abril.

O disco está sendo gravado no estúdio da Radioativa e também no sitio do Marcelo Figueiredo, onde vamos gravar guitarras e vozes.

Nossa idéia é fazer algumas cópias em vinil do disco. Ele estará em mp3 no site e em vinil. Não vamos fazer CD. O clipe de Natural é um stop motion com fotos nossas, bem divertido.

 

>>>>> Veja a programação do Electroshock no calendário do Volume
>>>>> E o roteiro cultural completo no hagah

Postado por Danilo Fantinel

Radiohead será headliner no Reading e no Leeds

31 de março de 2009 4

Divulgação
O Radiohead será a principal banda a tocar nos megafestivais Reading e Leeds, na Inglaterra. Ambos serão realizados nos dias 28, 29 e 30 de agosto alternando o line-up. Os ingleses não tocavam por lá há 15 anos.

No Reading, tocam Kings of Leon (também headliner), Kaiser Chiefs e Placebo no dia 28, Arctic Monkeys (o terceiro headliner do evento), Prodigy, Maximo Park e Ian Brown no dia 29, e Bloc Party, Yeah Yeah Yeahs, Vampire Weekend e a banda de Thom Yorke no dia 30. No palco da NME/Radio 1, tocam Gossip, Glasvegas, White Lies, Friendly Fires, Florence and the Machine e The Maccabees, entre outros. Veja a lista completa aqui.

No Leeds, o line-up e os headliners são os mesmos, mas os dias mudam: Arctic Monkeys, Prodigy, Maximo Park e Ian Brown fazem show dia 28, Radiohead, Bloc Party, Yeah Yeah Yeahs e Vampire Weekend tocam dia 29 e Kings of Leon, Kaiser Chiefs e Placebo no dia 30. Veja o line-up aqui.

>>>>> Radiohead experimenta a idolatria em São Paulo
>>>>> Festivais europeus e dos EUA anunciam novas bandas
>>>>> Leia mais sobre festivais brazucas e gringos aqui

Postado por Danilo Fantinel

Festivais europeus anunciam line-up

26 de fevereiro de 2009 0

Atualizado dia 27/02, às 14h

Vários festivais europeus anunciaram suas programações nos últimos dias, entre eles Sónar, FIB e Glastonbury. 

O Sónar, marcado para os dias 18, 19 e 20 de junho, terá Orbital (anunciado anteriormente), Grace Jones (foto), Late of the Pier, DJ Mujava & MC Mzura, SebastiAn, Fever Ray, Erol Alkan (presents Disco 3000), Crookers, Deadmau5, Filastine, Micachu & The Shapes, Moderat, Lars Hornveth e Barcelona 216, entre outros. Mais aqui. 

O Festival Internacional de Benicàssim (FIB), que rola entre 16 e 19 de julho, já havia anunciado vários artistas e agora confirmou The Psychedelic Furs, White Lies, Friendly Fires, The Bishops e o bombado Boys Noize.

A programação até o momento é: The Bishops e Oasis (dia 16), Boys Noize, Kings of Leon e Paul Weller (17), Franz Ferdinand (18) e Friendly Fires, The Killers, The Psychedelic Furs e White Lies (19). Outros nomes ainda serão divulgados. 

O Glastonbury (de 24 a 28 de junho) divulgou que Bruce Springsteen será o headliner de sábado – vaga que foi de Jay-Z no ano passado.

Também tocam Franz Ferdinand, Doves, Emiliana Torrini, Lily Allen, e Florence & the Machine. Há rumores sobre Neil Young, Kaiser Chiefs, BB King, John Mayall, Billy Nasty, Jim Masters, Paul Woolford, Orkestra del Sol, The Blockheads, The Communicators, Formula © e Depeche Mode.

No início de fevereiro, Emily Eavis, filha de Michael Eavis, ambos organizadores do festival, negou que Rolling Stones e U2 farão shows neste ano. E disse que a musicista clássica Myleene Klass deverá tocar no Glastonbury Abbey Extravaganza em 9 de agosto.

O T in the Park, de 10 a 12 de julho na Escócia, terá Kings Of Leon, Killers, Blur e Snow Patrol como headliners, além de Razorlight, Elbow, Keane, Franz Ferdinand, The Specials, James, Nick Cave & The Bad Seeds, Bloc Party, Yeah Yeah Yeahs, Manic Street Preachers, Ting Tings, Lily Allen, Katy Perry, Maximo Park, Pendulum, The Streets, White Lies, Mogwai, Mars Volta, Ladyhawke, Foals, Florence and the Machine e mais.

O Roskilde Festival (02 a 05 de julho na Dinamarca) terá Oasis como headliner, além de Coldplay, Slipknot, Madness e Marnie Stern. Já o britânico Glade Festival (16 a 19 de julho) anunciou Underworld.

 

E o itinerante Sonisphere Festival (Holanda, Alemanha, Espanha, Suécia, Finlândia, Inglaterra) terá Metallica, Linkin Park, Alice In Chains, Bullet For My Valentine, Avenged Sevenfold, Machine Head, Mastodon e outros.

O Bestival, marcado para 11, 12 e 13 de setembro em Isle of Wight terá Kraftwerk, Massive Attack e MGMT como headliners, além de Fleet Foxes, Seasick Steve, Bat For Lashes, Klaxons, Friendly Fires, Florence & The Machine, Diplo, London Elektricity, Rob Da Bank e DJ Yoda, entre outros.

O V Festival, dias 22 e 23 de agosto, na Inglaterra, terá Killers como headliner.

E o Isle of Wight Festival, de 12 a 14 de junho, terá Stereophonics, Razorlight, Charlatans, Prodigy, The Ting Tings, Basement Jaxx e Pendulum.

Postado por Danilo Fantinel

Retrospectiva * 2008

29 de dezembro de 2008 13

R.E.M. fez um dos melhores shows do ano em POA/Diego De Carli, Especial
2008 chegando ao fim!

Hora de fazer aquele tradicional balanço do que de melhor rolou na música.

No ano em que o Guns N’ Roses tentou (e, por alguns momentos, conseguiu) voltar para si o foco do jornalismo de música com o lançamento do controverso Chinese Democracy, duas duplas despretensiosas roubaram a cena: MGMT, emulando David Bowie e Eltohn John dos anos 70 com o tropicalismo high-tech do novo-milênio contido em Oracular Spectacular, e Ting Tings, que em We Started Nothing consome, regurgita e bota pra fora a seu modo tudo que de mais legal foi feito na música pop a partir dos anos 60.

Entre eles, um fato comum: são bola dentro pra quem tem a cabeça aberta para a música e bola fora para quem parou de escutar novas bandas em 1982.

Correndo por fora entre os melhores álbuns estão os discos de Beck, Verve, Weezer, Glasvegas, TV on the Radio, Oasis, Metallica, Santogold, The Last Shadow Puppets, Vampire Weekend e a grande supresa do ano: Little Joy.

Já no quesito show (enquete limitada apenas aos que rolaram em Porto Alegre), a briga entre Ben Harper, Chuck Berry, Cyndi Lauper, Iron Maiden, José González, Jorge Drexler, R.E.M. e Hives é forte!

E, com o auxílio do especialista Diogo Nunes, editor do Portal do Rock Gaúcho, selecionamos abaixo alguns dos mais destacados lançamentos de bandas do Estado para você votar no mais legal.

Sem muito blábláblá, clique nos links abaixo e ajude a escolher os melhores de 2008! As enquetes seguem ativas até o dia 07 de janeiro de 2009, quarta-feira. Os resultados saem depois.

>>>>> Qual a melhor música internacional de 2008?

>>>>> Qual o melhor álbum internacional de 2008?

>>>>> Qual o melhor show internacional realizado em Porto Alegre em 2008?

>>>>> Qual o melhor disco de banda gaúcha em 2008?

>>>>> Qual a notícia mais quente de 2008?

Relembre as notícias aqui:

-> Noel Gallagher é atacado durante show no Canadá
-> Amy Winehouse ganha cinco prêmios Grammy
-> Guns N` Roses finaliza Chinese Democracy
-> Blur voltará em 2009
-> AC/DC fará turnê mundial em 2009
-> A volta dos irmãos Cavalera
-> DeFalla pode voltar aos palcos
-> Bowie lançará Ziggy Stardust ao vivo
-> Jagger, Bowie e Elton John podem formar banda
-> Ringo Starr não quer mais saber dos fãs
-> Bandas e artistas criam grupo contra gravadoras
-> Bloc Party faz playback no VMB
-> Série de shows cancelados em Porto Alegre
-> Deep Purple tem o melhor riff de guitarra EVER
-> Bohemian Rhapsody é escolhida a melhor música pop
-> Billie Jean é a melhor música dance desde sempre

Leia sobre alguns shows realizados neste ano em Porto Alegre (ou em outro local -> quando indicado):

-> Andina, Tom Bloch e Turbo Trio
-> Ben Harper
-> Björk em Portugal
-> Chernobyl na Europa
-> Cyndi Lauper
-> CSS em Londres
-> Dado Villa-Lobos e Nenung
-> Echo & the Bunnymen
-> Fernanda Takai
-> Fruet & Os Cozinheiros no South by Southwest
-> Jorge Drexler
-> José González
-> Joss Stone
-> Judas Priest
-> Iron Maiden em Porto Alegre
-> Iron Maiden em São Paulo
-> Karl Bartos (ex-Kraftwerk)
-> Korn
-> Leonard Cohen na Romênia
-> Madonna em Cardiff (UK)
-> Madonna em NY
-> Madonna em Buenos Aires
-> Madonna em São Paulo
-> Mallu Magalhães
-> Marcelo Camelo
-> Millencolin
-> Owen Pallet
-> Paul McCartney em Tel Aviv
-> Pearl Jam com Kiss e Ramones em NY
-> Portishead em Milão
-> Radiohead em Berlim
-> R.E.M. em Madri
-> R.E.M. em Porto Alegre
-> Steve Aoki
-> Titãs e Paralamas – 25 anos
-> The Beats
-> The Cult
-> The Cure nos EUA
-> The Doors – Riders on the Storm
-> The Hives
-> Ultramen
-> Woody Allen em Barcelona

Resenhas, fotos e vídeos sobre festivais:

-> Coachella
-> GIG ROCK POA
-> Glastonbury 1
-> Glastonbury 2
-> Prog Metal Fest
-> Rock in Rio Lisboa
-> T in the Park
-> V Festival em Toronto
-> Wacken Open Air
-> Infos gerais sobre festivais (divulgação de lin-ups e outros anúncios)

Postado por Danilo Fantinel

Steve Aoki quase toca fogo no Porão

29 de novembro de 2008 6

Camila Manzzini, Especial

Há uma semana, Porto Alegre curtiu um set incendiário e inesquecível. O DJ nipo-americano Steve Aoki desbancou fácil fácil Karl Bartos como dono da noite eletrônica mais importante do ano na cidade.

Com divulgação intensa, a festa estava lotaaaaaaaada e o Porão do Beco ficou queeeeeeente com tanta gente!

Apesar do calor, o povo tava na pilha querendo saber o que o cara iria tocar. 

 

Steve estava muito louco e muito inspirado. Lascou sua mistura de maximal, breaks e disco rock e lapidou o set bem estudado com Justice, Bloc Party, MGMT, Nirvana, Guns N’Roses, Queen e, claaaaaaro, Daft Punk. Já notou que TODO MUNDO toca Daft Punk SEMPRE? É, eu também adoro. 

 

E o cara se jogou – literalmente. Pulava do lado de lá das pick ups pro lado de cá da pista a todo momento e, lá pelas tantas, caiu do palco direto no chão (sabe Kele Okereke do Bloc Party no VMB? tipo assim…). O povo logo se puxou para ajudar Steve. Feliz, Aoki voltou a tocar e curtir na mesma hora.

Ele fazia dancinhas freak – algumas tipo indígenas – na frente do telão de LED (que ficar instalado no bar para sempre…) e dava vodka na boca de quem estava ali no gargarejo – sabe aquelas minas que usam pistola de álcool para embebedar os marmanjos? por ae -, mas claro que ele não tinha arminha nenhuma… era na garrafa mesmo.

 

Numa hora, pedi ajuda ao Renan “Disc-o-Nexo” Schmidt:

– Renan, não sei se Aoki é uma go-go girl doidona ou se ele é um índio sioux perdido nos pamas…

– Danilo, ele é californiano!

– Ah, é mesmo! Tá explicado!

Heheheh! 

E me disseram que rolou um princípio de incêndio no banheiro feminino do Porão, no fim da festa, quando o local estava mais vazio. Não foi nada grave – e não foi culpa do Aoki, hello!!!

Tá certo que o fogo era o símbolo da festa, mas o infeliz que fez isso só pode ser doente

As fotos desse post são da Camila Manzzini. Valeu, Camila!! 

Veja outras imagens dela lá no flickr.

Steve Aoki @ Porão do Beco

Steve Aoki @ Porao do Beco

Steve Aoki @ Porão do Beco

Steve Aoki @ Porão do Beco

Postado por Danilo Fantinel

Steve Aoki tocará em POA, Floripa e São Paulo

12 de novembro de 2008 4

Divulgação

Dia 21 de novembro concorrerá com 11 de outubro como a noite eletrônica mais importante do ano em Porto Alegre. No mês passado, o ex-Kraftwerk Karl Bartos tocou para uma casa cheia na Capital gaúcha e despontou como o ponto alto das pistas deste ano. No entanto, seu posto está ameaçado pelo prodígio nipo-norte-americano Steve Aoki, que tocará no Porão do Beco na data citada, neste mês.

“Japonês nascido em Nova York” e criado em Los Angeles, Aoki dará início a sua turnê brasileira por Porto. Tocam na mesma noite Philip A (Killer on the Dance Floor – SP), Schutz e Machuca. Ingressos a R$ 20 no local. Depois, ele segue para Floripa (dia 22, na Confraria das Artes), vai para Buenos Aires (23) e, de lá, toma o rumo de São Paulo (24, no D-Edge).

Aoki tem hoje um dos sets mais concorridos do mundo. As apresentações do cara são verdadeiras catarses coletivas hedonistas nas quais, muitas vezes, ele e seu laptop/mixer são literalmente cercados por uma massa humana suada e em transe.

No som, uma habitual mistura de gêneros eletrônicos, com destaque para break beats, maximal, disco rock, novas visões de electro e bootlegs generalizadas. Aoki, que já remixou Duran Duran e Timbaland, entre outros, é o cabeça da Dim Mak Records, que alavancou a carreira de alguns dos maiores expoentes da música pop contemporânea – como Bloc Party, The Kills, Gossip, Klaxons, MSTRKRFT e Datarock.

As faixas do seu álbum Pillowface and His Airplane Chronicles estão bombando na internet faz tempo. Basta procurar. E eu perdi a noção e selecionei mil vídeos. Veja abaixo:

Steve Aoki

STEVE AOKI spinning at HARD NYE 2008 in Los Angeles

steve aoki – bloc party peaches remix @ coachella

Dj Steve Aoki!

STEVE AOKI IN MANILA! – ARE YOU READY

STEVE AOKI SUPERKLASSE

DJ Steve Aoki: I am Japanese American

 

>>>>> MySpace de Aoki 
>>>>> Site oficial

Postado por Danilo Fantinel

Conheça o local do show do R.E.M. em POA

31 de outubro de 2008 24

Divulgação

Atualizado às 10h15

Desde que o Estádio do São José foi anunciado como o local do show que o R.E.M. fará em Porto Alegre no próximo dia 06, muita gente se pergunta (nos perguntou, na verdade, por e-mail ou nos comentários dos post que vêm sendo publicados sobre a banda) como é a estrutura, se comporta um espetáculo deste porte, quais as melhores posições para ver a banda etc, etc, etc…

Então, resolvi visitar o Zequinha Stadium (nome que o estádio ganhou no site do R.E.M.) para descobrir, afinal de contas, como são as coisas por lá. O Miguel Neves foi comigo e montou esta foto 360º, que dá uma visão geral do estádio do ponto de vista de quem está no centro do gramado.

Nela, você encontra as indicações sobre onde ficam cadeiras, arquibancadas, camarote e os locais de entrada de público, além das áreas onde serão instalados o palco e os bares. Clique e mexa o mouse para explorar toda a imagem.

A foto 360º exige Java

O estádio do modesto time do São José, que disputa anualmente o Gauchão e a Copa Lupi Martins, tem espaço para 25 mil pessoas no total. Há pouco tempo, o local passou por uma reforma, que ampliou o número de arquibancadas – que não são muito altas. Conforme a Opinião Produtora, o local foi escolhido por comportar um número ideal de pessoas. Para a produtora, os estádios Beira-Rio e Olímpico são muito grandes e o Gigantinho, muito pequeno (cerca de 15 mil pessoas).

O gramado do estádio não ganhará nenhum tipo de piso ou revestimento. Ou seja, salto alto não é uma boa escolha para quem vai curtir o show na pista. Por falar nisso, quem estiver na arquibancada que fica na ponta oposta ao palco poderá transitar entre ela e a pista. A passagem estará livre. Os fãs que ficarem nesta arquibancada poderão acompanhar o espetáculo praticamente no mesmo nível do palco, mas terão a torre de luz e som em seu campo de visão. Os melhores locais são a pista e as arquibancadas laterais bem perto do palco.

Trânsito
Outra preocupação do público é sobre o estacionamento. A Opinião disse que uma empresa do setor deverá gerenciar o serviço no local. E há informações sobre moradores do bairro que também estão se agilizando para lucrar uma graninha com estacionamento.

Além disso, as ruas Padre Hildebrando (da Piauí até o final), São Nicolau (entre a Piauí e a Rio São Gonçalo) e a Rio São Gonçalo (sentido Sertório-Assis Brasil) estarão fechadas ao trânsito. É preciso atenção.

O show
A abertura dos portões será às 17h do dia 06 de novembro. A banda deverá trazer algumas toneladas de equipamento à cidade. A estrutura de palco promete.

E a abertura será com Nenhum de Nós, o que desagradou uma parte do público. Rio e São Paulo também ficaram com shows menores de abertura se comparados aos que vão rolar em outros países da América Latina.

Se aqui nós teremos Nenhum de Nós, Rio ficou com Fernando Magalhães e Sampa com Wilson Sideral. Já nossos hermanos… Bogotá ganhou The Mars Volta, Buenos Aires ficou com Bloc Party e Kaiser Chiefs, Santiago vai se deleitar com a trinca Kaiser Chiefs-Jesus & Mary Chain-Mars Volta, e Lima e Caracas vão conferir Travis. Ai, ai…

Objetos proibidos
O público não poderá levar para o estádio:

- Prendedor de cabelo (bico de pato ou qualquer outro que seja pontiagudo);
- Guarda-chuva (nenhum tipo);
- Cadeiras (de praia ou outras);
- Garrafas plásticas;
- Garrafas térmicas;
- Cuias ou bombas de chimarrão;
- Pulseiras ou colar com pontiagudos;
- Correntes (chaveiro)

Mais
Confira a etapa final da turnê mundial do R.E.M. aqui e veja aqui os set lists dos últimos shows da banda.

>>>>> Promoção: ingressos para R.E.M.
>>>>> R.E.M. em Madri: um preview do show em POA
>>>>> R.E.M. lançará Murmur em versão luxo
>>>>> Entrevista: Michael Stipe
>>>>> Entrevista: Mike Mills
>>>>> Confira infos sobre o show no hagah RS

Postado por Danilo Fantinel

Festival com Jesus e Breeders divulga programação

15 de outubro de 2008 0

Divulgação

O Festival Planeta Terra anunciou ontem sua programação completa. O evento, que rola em São Paulo no dia 8 de novembro, tem tudo para ser o mais quente do ano. Sim, porque vai ser difícil bater um line-up com bandas como Jesus and Mary Chain, Breeders, Bloc Party, Kaiser Chiefs, Offspring e Foals.

As 16 atrações serão divididas em três palcos na Villa dos Galpões. Confira a programação abaixo e saiba mais sobre o festival aqui.  

 

Main Stage

Indie Stage

 

Dj Stage

17:30 – 18:30 -  Mallu Magalhães

16:30 – 17:30 – Brothers of Brasil

20:30 – 22:00 – Mau Mau

19:00 – 20:00 – Vanguart

18:00 – 19:00 – Curumin

22:00 – 23:30 – Milo

20:30 – 21:30 – Jesus and Mary Chain

19:30 – 20:30 – Animal Collective

23:30 – 01:00 – Calvin Harris

22:00 – 23:15 – Offspring

21:00 – 22:00 – Foals

01:00 – 03:00 – Felix da Housecat

23:45 – 01:00 – Bloc Party

00:00 – 01:30 – Breeders

-

01:30 – 02:45 – Kaiser Chiefs

22:30 – 23:30 – Spoon

-

 

* Leia mais sobre festivais de música 

 

Postado por Danilo