Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Resultados da pesquisa por "Gallagher"

Tracks Volume #18

28 de outubro de 2011 0

M83Midnight City
Nada menos do que espetacular este clipe da banda francesa de indie electronic e ambient M83, liderada por Anthony Gonzalez e Nicolas Fromageau, para a música Midnight City. No limite entre o introspectivo e o exuberante, a faixa ganha ares cinematográficos e paranormais na direção de Fleur & Manu. Timing perfeito com o remake da animação japa cult Akira (leia sobre isso  aqui e aqui).

M83 – Midnight City from naiverecords on Vimeo.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

We Were Promised JetpacksHuman Error
Bebedeira, muita festa, gente linda se pegando, entrando em crise, e se acabando geral na noite gringa neste clipe da música Human Error, da banda escocesa We Were Promised Jetpacks. O som é nota 10. Fast dirty rock como se o mundo fosse acabar hoje. E é nisso que o diretor Michael Sherrington deve ter pensado na hora de criar o vídeo. Imperdível.

We Were Promised Jetpacks – “Human Error” from stereogum on Vimeo.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Jane’s AddictionUnderground
Guitarreira glitter-laser em pleno Late Show With David Letterman. O que mais dizer sobre eles além de “mestres”?

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Mazzy StarCommon Burn
A banda Mazzy Star é um dos grandes nomes do dream pop psicodélico dos anos 90, e está há 15 anos sem lançar um disco de inéditas. Agora, no dia 31 de outubro, eles lançam o single Common Burn, uma faixa muito calma, com guitarra etérea próxima ao country e o vocal-sonho de Hope Sandoval. Lembra muito alguns momentos do Cowboy Junkies. O novo disco deve sair em 2012.

Mazzy Star – Common Burn by weallwantsome1
O single vem com o b-side Lay Myself Down, que você escuta no Pitchfork.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Nada SurfWhen I Was Young
A nova do Nada Surf, When I Was Young, que estará no disco The Stars Are Indifferent To Astronomy, previsto para o início de 2012, começa acústica e ganha corpo e peso aos poucos. Som legal, sem firulas.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

The HorrorsI Can See Through You
Quem acompanha o Volume há algum tempo sabe que eu curto MUITO Horrors. A ótima I Can See Through You toca geral nas rádios gringas, e há poucos dias saiu esse clipe caleidoscópico maneraço. Veja abaixo e leia mais sobre a banda neste link

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Guided By VoicesThe Unsinkable Fats Domino
Os heróis do indie 90 voltam com o single The Unsinkable Fats Domino, que virá com o lado-B We Won’t Apologize For the Human Race no dia 22/11. O som é puro rock lo-fi tradicional do Guided By Voices, nem mais nem menos. As faixas estarão em Let’s Go Eat the Factory, disco marcado para 01/01/2012.

Escute The Unsinkable Fats Domino aqui

> Faça o download do som no site da Matador

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

FriendsI’m His Girl
A melhor homenagem/referência aos anos 80 que eu vejo em anos, autêntica e discreta. A faixa I’m His Girl tem origem onde o indie rock encontra o hip hop cool nova-iorquino. O clipe é pura volta a um passado ghetto street não muito distante. Saudades de NY. Saudades, saudades, saudaaaaadeeeeeeeees! A banda Friends você conheceu nas Tracks #4.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Lana Del ReyVideo Games (Live)
Lana, Lana, Lana… você me mata. O vídeo de Video Games você viu faz tempo nas Tracks #11. Agora, veja ao vivo.

Você pode ver Blue Jeans, também ao vivo no Premises, neste link. E abaixo, Lana quando ainda era Lizzy Grant cantando Kill Kill, do EP homônimo lançado em 2009 -> e já com a mesma estética retrô-sexy-acabada. Marilyn Monroe feelings. Cool.

Mais uma antiga: a jazzy The End of the World, também de Kill Kill, ao vivo em NY em 2008. E ainda tem gente achando que Lana é fake. Por Deus!

Bom, ela no Jools Holland você já deve ter visto (aqui). Rolou quando eu estava em férias. E no último dia 24, Lana ganhou o prêmio Next Big Thing da revista Q. No vídeo abaixo, gravado após a premiação, a cantora fala sobre o sucesso de Video Games, carreira, a produção do primeiro disco (está pela metade, deve sair em janeiro), hype e críticas.

Ok, ok, chega de Lana Del Rey por hoje! Mas se você quiser saber mais, pula neste link.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Chromatics - Kill For Love
Rockinho lo-fi sincero, delicioso, com base em sintetizadores e vocal-veludo. Me lembrou Still Corners, que você escutou nas Tracks 12. O disco homônimo, Kill For Love, sai em janeiro pelo selo Italians Do It Better.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Orbital - Never
Se você sentia falta do Orbital, um dos duos mais importantes da música eletrônica dos 90, que não lançava nada desde Blue Album (2004), agora já tem motivo pra comemorar. Eles acabam de liberar a nova faixa, Never, com um clipe bem legal e muito simples: uma viagem muitíssimo bem editada pelas ruas de Londres, na linha Open Your Eyes, do Snow Patrol (veja aqui). Conhece Londres? Não? Então aproveita e dá um rolê por lá com o Orbital! Saudades de Londres. Saudades, saudades, saudaaaaadeeeeeeeees! E o ponto de fuga das imagens???? Quase sempre fixo! Massa! A música? Ambient techno cool, que é o que eles melhor sabem fazer. Play it loud!

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Anika - Yang Yang e No one’s there
Tô chapado com o som da alemã Anika. Bom para quem curte experimentações pós-punk-eletrônicas gélidas e fantasmagóricas. Anika vive entre Berlim e Bristol e é parceira de Geoff Barrow (Portishead e Beak>), o que por si só já diz muito. Saudades de Berlim. Saudades, saudades, saudaaaaadeeeeeeeees! Ela é tipo como se Nico, Beth Gibbons e Karin Dreijer Andersson (aka Fever Ray) fossem uma única pessoa que cantasse no Stereolab com produção de Trent Reznor fase How To Destroy Angels. Muito confuso? Então te liga na definição do MySpace dela pro som: uneasy easy listening. Ahan! Ah, Yang Yang é um cover de Yoko Ono.

Escute o disco na íntegra:

Se você não consegue ver o embed acima clique aqui para escutar o álbum.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Stay+Fever
Clipe pesado, meio baixo astral, e bem mais trash do que o da música Human Error, da banda We Were Promised Jetpacks, que você viu acima. Faz a linha Smack My Bitch Up, do Prodigy. Noite forte dá nisso… De qualquer forma, a música de Stay+ é muito boa. Começa calma e segue para um synth poderoso, dançante, com beats acelerados. Nas palavras dele, é “fictional dance” – seja lá o que isso quer dizer. Veja o clipe de Fever abaixo e um set de remixes na sequência, com destaque para a incrível remistura de You’re A Woman, do Death From Above 1979.

Ouça um EP de remixes:


Se não consegue ver o embed de remixes acima, clicaqui.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Jesse RuinsA Bookshelf Sinks Into The Sand
Pancada electro-industrial das boas criada por Jesse Ruins. As outras faixas do EP (Inner Ambient, Sofija e Dream Analysis) são bem mais calmas, estilo bedroom-pop. Ouça A Bookshelf Sinks Into The Sand abaixo e as outras três neste link

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

#ficadica @MarcosTesser

Lissi Dancefloor DisasterPop Musiiic
O Lissi Dancefloor Disaster é um experimento de electro pop indie sueco numa perfeita mistura da atitude do Le Tigre com os toques sombrios da banda The Knife. Formado por Josefin Lindh e Johan Tilli, eles cultuam o “art pop movement”: música pop com mensagens engajadas em prol da arte e da música. A banda, dona da deliciosa track 8-bit Oh My God (veja aqui) lançou ontem seu primeiro EP, As We Plz. A primeira faixa deste trabalho se chama Pop Musiiic, uma canção realmente digna de um hit do Le Tigre. É um pop enérgico, com vocais e temática intensos e loopings viciantes.

Lissi Dancefloor Disaster – Pop Musiiic by Lissi Dancefloor Disaster

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Bloquinho remix

Noel Gallagher’s High Flying BirdsLet The Lord Shine A Light On Me (UNKLE Remix)
E segue a avalanche de material novo do Noel. Depois de singles e vídeos (veja aqui), agora caiu na rede esse remix bacaninha assinado pelo supercult UNKLE. É legal, mas nada mais que isso. Mais Noel Gallagher’s High Flying Birds aqui

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Cut Copy Tour Mix Pt2Noise In My Head
Cut Copy liberou esse mix para bombar a turnê mundial que passou pelo Brasil. Mas eu sou retardado e não vi isso antes do show deles em Porto Alegre. Dããã! Leia sobre o show em POA neste post.

Cut Copy Tour Mix Pt2 – Noise In My Head by cutcopymusic


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Little BootsShake Until Your Heart Breaks
O mixtape lançado por Little Boots tem Metronomy na abertura, Classix, Oh Land e mais. Ótimo chill in com final incrível – a própria Shake Until Your Heart Breaks, que deve ser o próximo lançamento dela.

SHAKE UNTIL YOUR HEART BREAKS MIXTAPE by LittleBoots

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Death Cab For CutieSome Boys (RAC Maury Mix)

Death Cab for Cutie – Some Boys [RAC Maury Mix] by Death Cab for Cutie

> Tracks #1
> Tracks #2
> Tracks #3
> Tracks #4
> Tracks #5
> Tracks #6
> Tracks #7

> Tracks #8
> Tracks #9
> Tracks #10
> Tracks #11
> Tracks #12
> Tracks #13
> Tracks #14
> Tracks #15

> Tracks #16
> Tracks #17

Green Day diz que fez um dos shows mais malucos em POA

15 de outubro de 2010 10

O Green Day postou no twitter que o show de Porto Alegre, dia 13, foi um dos mais loucos que eles já fizeram. Massa! Você já leu o texto, viu as fotos e os vídeos aqui, né? Nãããõo???

E lembra quando Noel Gallagher disse no MySpace que o show do Oasis em POA em 2009 foi “incrível”?

Messi quer Oasis se Argentina ganhar a Copa

22 de junho de 2010 6

Gustavo Ortiz, Divulgação
Lionel Messi disse que o Oasis pode fazer seu preço para um show privado na festa de comemoração caso a Argentina ganhe a Copa do Mundo da África do Sul. A informação é do pouco confiável The Sun. O Oasis anunciou a separação em 2009, meses após os shows no Brasil.

O astro argentino ficou impressionado com o som dos ingleses depois que Carlos Tevez apresentou a banda, pouco tempo antes do início da Copa. Tevez joga no Manchester City, o time de Noel e Liam.

Messi disse que escutou Definitely Maybe e (What`s the Story) Morning Glory? no avião em direção ao país africano. Admitiu que não esperava muito da banda, mas que achou as músicas incríveis, especialmente Supersonic e Live Forever. Também disse que até agora não entende direito como demorou tanto tempo para conhecer Oasis. Nem eu… isso sim que é delay!

O atraso do craque se compara a sua falta de informação. Messi não sabia que o Oasis havia se separado no ano passado. Só descobriu isso quando perguntou a Carlitos se eles poderiam ver algum show da banda em Manchester ou em Londres. Então os jogadores concordaram em pagar o preço que for para que os irmãos Gallagher voltem a tocar juntos na festa dos hermanos, na Argentina, caso a seleção vizinha leve a Copa.

Eu? Não, não torço pra Argentina! Espero que sejam desclassificados o quanto antes! E duvido da volta do Oasis tão cedo. Seria mais fácil ver a lápide da seleção Argentina ao lado da do Oasis do que ver Liam e Noel juntos no palco nas próximas semanas. 

Ontem, Noel falou à BBC sobre o álbum de 27 singles Time Flies 1994-2009 ter alcançado o topo da parada britânica.

>>>>> O show do Oasis em POA
>>>>> Mais Oasis
>>>>> Acompanhe a Copa 2010 no clicEsportes

Postado por Danilo Fantinel

Star Wars, Daft Punk, Noel e Ian Brown para Adidas

07 de junho de 2010 2

Reprodução
A Adidas lançou um viral galático para reforçar sua campanha nesta Copa do Mundo. A marca mais cool do planeta chamou Daft Punk, Noel Gallagher, Ian Brown, Snoop Dogg, David Beckham, DJ Neil Armstrong e outros para reencenar uma das cenas mais memoráveis de Star Wars: aquela do bar.

Ação de marketing ligadaça em cultura pop é o canal. Muito mais importante do que solidificar ativos de mercado, o que importa é estabelecer diálogos entre símbolos culturais contemporâneos de forma inteligente e imaginativa, enraizando ideais na cabeça do consumidor.

E não, o Daft Punk não remixou a trilha da cena. Nem deveria. A original é clássica.

Postado por Danilo Fantinel

Banda de Peter Hook, Mani e Rourke lança EP

26 de março de 2010 1

Peter Hook/Divulgação

Freebass, o trio de baixistas formado por Peter Hook (ex-Joy Division, ex-New Order), Mani (ex-Stone Roses, atual Primal Scream) e Andy Rourke (ex-Smiths), todos de Manchester, lançou seu primeiro EP nesta semana, Two Worlds Collide. A banda se formou em 2004.

O disquinho tem quatro músicas com vocais de alguns músicos convidados. You Don`t Know This About Me (com Tim Burgess, do Charlatans), The Milky Way Is Our Playground (com Pete Wylie, do Mighty Wah e outras mil bandas e projetos), Dark Starr (com Howard Marks) e Live Tomorrow You Go Down (com Hook nos vocais). As músicas estão no MySpace da banda. Mas tem uma gravação filha da mãe em loop por cima dos sons. Chato! Impossível escutar direito. Diz que o som também está no site da Haçienda Records, mas ainda não achei. 

 
Foto: Andy Rourke

Como se sabe, o trio queria Liam Gallagher, Ian Brown e Billy Corgan cantando nas faixas, mas o lance não rolou. Hook também disse que a demora no lançamento oficial das músicas do Freebass ocorreu porque, quando eles se reuniram pela primera vez, tinham muito tempo para trabalhar, mas depois as bandas e outros projetos de cada um foram reativados, atrasando o lançamento de Two Worlds Collide.

O primeiro álbum do trio deve sair no próximo mês, também pela Haçienda Records, dessa vez com Gary Briggs (ex-Haven) assumindo o microfone nas faixas.

 

Foto: Mani

E lembra que no início do ano Hook anunciou a reabertura do prédio da Factory em Manchester para abrigar o novo clube FAC251, uma espécie de Haçienda versão 2010? Pois o Freebass toca lá no dia 03 de junho. No dia 1º, o lance é no 100 Club em Londres.

>>>>> Entrevista: Andy Rourke tocou em Porto Alegre em 2007
>>>>> Mais notícias sobre Andy Rourke
>>>>> Mais Smiths
>>>>> Mais sobre Peter Hook
>>>>> Mais New Order
>>>>> Mais notícias sobre Mani e Stone Roses

>>>>> Mais Manchester

Postado por Danilo Fantinel

Vote: o Oasis deve continuar sem Noel?

31 de agosto de 2009 12

Noel no show em Porto Alegre neste ano/Miguel Neves
O guitarrista Noel Gallagher publicou um texto no site da banda neste sábado informando o motivo de ter deixado o Oasis na última sexta-feira: intimidação.

“Os detalhes não interessam e são demasiados para enumerar. Mas sinto que vocês têm o direito de saber que o nível de intimidação verbal e violenta contra mim, a minha família, amigos e companheiros tornou-se intolerável. E a falta de apoio e compreensão por parte dos gerentes e colegas de banda não me deixou outra alternativa a não ser pegar o meu boné e buscar novas paragens”, relatou sem dar detalhes.

Noel agradeceu o carinho dos fãs, disse que os últimos 18 anos de sua vida foram incríveis e pediu desculpas ao público de Paris devido ao cancelamento do show no festival Rock In Seine. Uma semana antes, a banda havia cancelado um show que faria no dia 23 no V Festival, na Inglaterra. O motivo teria sido um problema de saúde de Liam.

Eu vi o show deles no Rock in Rio em 2001 (frio, burocrático) e em Porto Alegre neste ano (bem mais legal, com os músicos mais amigáveis com o público, apesar de Noel e Liam já não estarem se falando há algum tempo) e digo: basta, já era!

Uma porta-voz do Oasis disse que Liam e os outros músicos devem decidir nos próximos dias se continuarão com a banda sem Noel ou não.


>>>>> Em POA: Oasis faz show supersônico
>>>>> Em Londres: Oasis faz barraco e Kasabian, espetáculo
>>>>> Leia mais sobre o Oasis

Postado por Danilo Fantinel

Oasis faz barraco e Kasabian, espetáculo

27 de julho de 2009 16

Há pouco tempo atrás, o Oasis encerrou aqui em Londres uma série de shows realizados no estádio de Wembley, como até postou a Bárbara Mattivy aqui no Volume. As apresentações, que bombaram todos os dias, tiveram as bandas The Enemy e Kasabian de aperitivo para o público que esperava o concerto dos irmãos Gallagher. 

Kasabian; Fotos: Divulgação iTunes Live Festival

Já esta semana, no iTunes Live Festival, Oasis e Kasabian se apresentaram em noites diferentes, que renderam muito bafafá na mídia por motivos BEM opostos também. Enquanto os rapazes de Leicestershire fizeram um dos melhores shows do festival até agora, fazendo com que as pessoas saíssem literalmente cantando abraçadas pelas ruas quando o show terminou, o Oasis ganhou as manchetes dos jornais ingleses por, adivinhem, fazer um papelão após mais um barraco e muito mau humor em cima do palco. 

Reza a imprensa britânica que Oasis só é Oasis quando as apresentações são recheadas de ceninhas, irritação e muita pose de “olha como nós somos maus e odiamos todo mundo” dos irmãos. Eu, que já tinha assistido a banda em Porto Alegre na turnê de Dig Out Your Soul e me surpreendi com a boa vontade deles, pude comprovar então com quantos “f..ck you” se fazem as verdadeiras performances dos caras.

Diferente das apresentações em terras estrangeiras, entre os conterrâneos ingleses o Oasis já entrou com uma atitude pra lá de arrogante na Roundhouse, iniciando os trabalhos com Rock and Roll Star e Lyla. A comoção geral da platéia me fez acreditar que aquele seria um dos melhores shows que eu veria na vida até alguém, na emoção, jogar um copo de cerveja pra cima, que respingou diretamente no Liam e seu inseparável parca. 

 

O que se assistiu depois daí foi uma bizarrice só. Mesclando as fantásticas Masterplan, Morning Glory, Shock of the Lighting e Supersonic com discursos enormes onde mandava todo mundo bem longe, “especialmente a porcaria de gente que mora em Camden Town”, o Gallagher caçula fez birra até não poder mais. Sentou por várias vezes no fundo do palco, discutia com o baterista e chegou a ser vaiado, até sair do palco, deixando o irmão Noel com uma risada irônica no rosto. Minuto de silêncio da platéia e da banda. “Alguém está de mau humor”, riu o Gallagher mais velho, para depois ser ovacionado ao cantar Don´t Look Back in Anger fora da ordem do set list, dando um tempo enquanto o irmão refrescava a cabeça no backstage. 

De volta ao microfone principal e xingando menos a galera, Liam liderou os vocais de I´m outta time, Live Forever e Champagne Supernova. Mas aí o estrago já estava feito. Vi várias pessoas saindo no meio do show e foi fácil chegar perto do palco, de tanto que esvaziou o lugar. Nem Wonderwall conseguiu arrancar aquela empolgação que a gente está acostumado a ver do público num show do Oasis. A finaleira com I am the Walrus deixou o clima um pouco melhor e quem estava presente até puxou um coro gritando “Liam, Liam”, para mostrar que era justamente pelo jeitão irritado que amamos o moço.

Como pude comprovar, de fato, quanto mais escândalo o Oasis faz, mais os britânicos adoram. O show foi chamado de o “retorno do Oasis à velha forma” e o comentário geral no YouTube é de que a ceninha do Liam foi um dos momentos mais belos que já tinham visto….eu, que curto os caras desde a adolescência, saí frustradíssima, buscando na lembrança o quão bacana foi o show em Porto Alegre – e aqui peço perdão pelo bairrismo. Mas vá entender o público inglês, não é?

Kasabian

Na noite seguinte corri pra ver o Kasabian, que apesar do estilo parecido com o dos caras de Manchester, não podia fazer um show mais diferente – e digo, pelo menos no que pude ver, muito melhor – que o deles. 

Da abertura com Underdog e Shoot the Runner, levando a galera ao delírio, até o clima de entrega total da banda, a apresentação foi provavelmente a melhor que assisti na Roundhouse. Liderada por Tom Meighan e pelo guitarrista Sergio Pizzorno (este, arrasando tanto na guitarra, quando nos vocais em várias músicas), a performance foi recheada de músicas do último CD, lançado este ano, The West Rider Pauper Lunatic Asylum, entre elas Vlad the Impaler, Fire, Where did all the love go? e Take Aim.

A energia do local foi às alturas, repleto de fãs que seguem fiéis os shows realizados pelos caras. Em uma das pausas entre o set list, Tom pergunta quem ali tinha ido aos shows realizados na Brixton Academy e no Wembley Stadium, ambos também realizados em Londres. Mais da metade da galera ergue a mão ensandecida e fica claro que o Kasabian já é uma das maiores bandas inglesas da atualidade, comparados diretamente com grandes produções locais como Stone Roses, Radiohead e claro, Oasis

Quando eu achei que não podia ficar melhor, veio o gran finale com a excelente L.S.F. No maior climão de apresentação de auditório, Tom brincou com a platéia, pedindo que só o pessoal da esquerda cantasse o refrão, depois só o da direita. Só o pessoal do andar de cima, só o pessoal da arena. E tudo virou uma festa só.

A banda se despediu da galera, as luzes se acenderam, as portas foram abertas e o público saiu vidrado Roundhouse afora cantando a mesma L.S.F. pelas ruas de Camden por juro, no mínimo mais uns 10 minutos. Eu fiquei ainda um pouco ali, tentando processar aquele momento bacana e completamente certa do placar, se é que alguém está tomando nota: Kasabian, um. Oasis, zero.

>>>>> Relembre o show do Oasis em Porto Alegre
>>>>> Oasis reembolsará fãs na Inglaterra
>>>>> Leia outras notícias relacionadas ao Oasis

Postado por Renata Peppl, direto de Londres

Assistindo ao Oasis entre britânicos...

15 de julho de 2009 6

My Cool

Eu que me considerava uma fã de Oasis fui forçada a mudar de ideia depois de assistir a um show deles em meio ao público inglês. A galera foi simplesmente à loucura cantando todos os versos de todas as músicas no tom mais alto que as suas gargantes aguentassem. Foi aí então que eu me dei conta que eu era, na verdade, uma fã bem tosca, daquele tipo que só sabe cantar os hits, porque no restante das músicas super boiei mesmo – ok, admito, escutei uma única vez o último álbum. 

 

Fotos: Show do Oasis em Porto Alegre em maio deste ano (crédito: Diego Vara)

O show foi em Wembley, estádio nacional e o maior que já visitei na minha vida. O público era de 50 mil pessoas, mas com o detalhe de que, em nenhum momento, me senti esmagada-sufocada-pisada como sempre acontece em qualquer show um pouco mais famoso no Brasil. A não ser, claro, quando meus amigos fizeram questão de grudar na grade perto do palco. Daí, a única opção mesmo era se jogar nas rodas punk, porque não existiria vida após o montinho caso você ficasse de fora. Mas fiquei ali só por dez minutos (o máximo que aguentei), afinal meus 1,58m de altura obviamente me impediam de enxergar o palco – ou qualquer coisa a mais de 3 metros de distância. Pra minha sorte a produção foi ótima e contava com quatro megatelões e uma cobertura bem boa do show. 

A foto acima e a imagem abaixo foram feitas por Miguel Neves em Porto Alegre 

O set list foi de 22 músicas, mas o pessoal pirou mesmo no final, quando eles voltaram com Wonderwall, Live Forever, Don’t Look Back In Anger e Champagne Supernova. Chorei.

Mas fato é que assistir a um show do Oasis na Inglaterra é outra história. Liam nem parecia mau humorado e por mais de uma vez interagiu com o público, fazendo perguntas do tipo: “Are there any lesbians in the house?”. A impressão que dava era de que eles estavam tocando pros seus colegas de aula, no ginásio do colégio. 

 

Foi aí que um dos brits me perguntou o quanto eu gosto de Oasis. Respondi que Oasis pra mim é algo meio old school, que me remete a uma época bem adolescente, a uma pessoa bem diferente do que sou hoje. Não que isso seja ruim, mas é no mínimo um pouco estranho ouvir Masterplan no “meiodosgringotudo” e, sei lá, relembrar daquela reunião dançante onde se dançava até com vassoura, sabe?

Foi aí então que caiu a ficha: não sou fã de Oasis coisa nenhuma, e o mundo é puta injusto mesmo. Eu não paguei nada pra entrar, um amigo tinha um ingresso sobrando e me convidou, como se fosse um programa de todo domingo. E quantas pessoas davam a vida pra estar lá?

Enfim, alguém escutou Dig Out Your Soul anyway? Falling Down é ótima! Beijos!

O set list do show:

Rock `N` Roll Star
Lyla
The Shock Of The Lightning
Cigarettes And Alcohol
Roll With It
To Be Where There`s Life
Waiting For The Rapture
The Masterplan
Songbird
Slide Away
Morning Glory
My Big Mouth
Whatever
Half The World Away
I`m Outta Time
Wonderwall
Supersonic
Live Forever
Don`t Look Back In Anger
Falling Down
Champagne Supernova
I Am The Walrus

>>>>> O set do show em Londres foi bem parecido com o set que rolou em Porto Alegre, lembra?

>>>>> Liam Gallagher nega que fará filme
>>>>> Oasis reembolsará fãs na Inglaterra
>>>>> Leia outras notícias relacionadas ao Oasis

Postado por Barbara Mattivy, direto de Londres

Devendra Banhart remixa música do Oasis

10 de junho de 2009 3

Após fazer um cover no estilo tropicália da música Don`t Look Back in Anger do Oasis, Devendra Banhart remixou a música (Get Off Your) High Horse Lady, do álbum de 2008 Dig Out Your Soul a pedido dos irmãos Gallagher.

A faixa pode ser ouvida via o site oficial do Oasis, como parte da seção Radio Supernova.

Postado por Francesca Romani

Oasis reembolsará fãs na Inglaterra

05 de junho de 2009 6

Banco de Dados

Noel e Liam se manifestaram sobre os problemas técnicos ocorridos ontem, dia 4, no show no Manchester Heaton Park, Inglaterra. A banda precisou paralisar o show por duas vezes devido a problemas técnicos em um dos geradores ligados ao palco.

Às 21h, o grupo iniciou seu set com a canção Rock `N` Roll Star, que foi interrompida por problemas com a aparelhagem. Dez minutos depois eles retornaram para tocar Lyla, que foi novamente paralizada pelo mesmo problema.

Após a banda se retirar, uma mensagem afirmando que o problema seria resolvido o quanto antes foi colocada nos telões. De acordo com a produção do show, o problema ocorreu por causa de uma queda de energia do gerador.

Depois de 40 minutos de espera, o Oasis tornou a subir no palco e embalou seus fãs com as canções The Shock Of The Lightning e Cigarettes and Alcohol, prometendo devolver o dinheiro dos ingressos aos fãs.

“Sinto muito por isso”, disse Liam Gallagher à plateia. “Esse é um show gratuito agora. Todo mundo vai ser reembolsado.”

“O horário de encerrar o show é 23h, mas nós vamos tocar até eles nos chutarem daqui. Guarde seu ingresso e você receberá seu dinheiro de volta”, acrescentou seu irmão Noel.

Liam se manifestou dez minutos após o show, via Twitter. O vocalista deixou uma mensagem que dizia: “Em nome do Oasis, gostaria de deixar minhas sinceras desculpas aos fãs sobre o show de hoje a noite. Obrigado por estarem conosco. Live Forever

Já hoje, Noel se manifestou em seu blog no site oficial Oasisinet. Ele escreveu: “O que deveria ter sido o princípio de algo monumental se tornou uma confusão de merda. Nada de som. Metade das luzes apenas. Puta falta de inspiração. Um lixo. Creio que alguém perdeu muito dinheiro ontem: provavelmente eu. Acho que ainda estou meio nervoso. Eu gostaria de me desculpar, mas não tive nada a ver com a merda, e você não pode procurar nossa equipe. Até acho que se você for extremamente cara-de-pau pra pedir um reembolso, você vai conseguir”.

Assista os irmãos se desculpando pelos problemas:

 

Como havíamos falado aqui, Lian, lançou parte da nova música do Oasis, Man of Misery, como trilha sonora de abertura do site de sua marca de roupas, a Pretty Green. Este é o vídeo (não é o clipe) com a música completa que foi divulgada no site:

Pretty Green – Brighton Film

 

>>>>> Oasis faz show supersônico em Porto Alegre

Postado por Francesca Romani