Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "blog"

Concurso de riffs dará guitarra como prêmio

09 de agosto de 2012 0


A loja Back in Black lançou o concurso de riffs Start me up!, que dará ao vencedor uma guitarra como prêmio. O modelo é uma reedição da Fender Stratocaster Olympic White, que Jimmy Hendrix curtia muito.

Para participar, é preciso ler o regulamento (aqui), fazer sua inscrição (neste link) até o dia 26 de agosto, gravar seu riff (o registro não precisa ser em estúdio, pode ser caseiro) e enviar para o e-mail riffsbackinblack@gmail.com.

Importante: o riff não tem tempo máximo de duração, não pode ser acompanhado por outro instrumento e deve seguir o estilo/identidade da loja (rock pesado, basicamente). Saiba mais sobre o concurso no site oficial (aqui e aqui).

> Guitarrista toca 100 riffs em 12 minutos

Tracks Volume #6

22 de julho de 2011 0

Alex WinstonVelvet Elvis
O happy folk de brinquedo de Alex Winston, com harmonia grandiosa e fofura quase enjoativa – mas adorável – é a surpresa da semana. Alex se derrete por Elvis e a gente por ela! O EP Velvet Elvis sai dia 12 de setembro e o disco em janeiro de 2012. Escute com boa qualidade no embed abaixo e, se não abrir pra você, veja o vídeo da apresentação ao vivo.

Alex Winston — Velvet Elvis

[Flash 9 is required to listen to audio.]
510 plays


Dum Dum GirlsComing Down
A banda cult californiana, que transita facinho entre o lo-fi pop fofo e o indie noise energético, liberou há pouco a bela e dolorida Coming Down. Atenção pro vocal inspirado de Dee Dee. O disco Only in Dreams será lançado dia 27 de setembro.

DiploMad Legit
Diplo, um dos preferidos do Volume, liberou um DJ mix especial em parceria com a Legitmix para lançar esta nova plataforma. Whaaaat???? Calma! Legitmix é um portal que possibilita vender sets, samplear músicas, criar mashups, remisturar remixes e editar sons legalmente. Ouça o DJ mix abaixo e saiba mais sobre o Legitmix no vídeo.

Mais Legitmix:

Legitmix Empowers Artists from Legitmix on Vimeo.


Washed OutEyes Be Closed
Nada menos do que excelente essa faixa indie electronic de Ernest Greene (aka Washed Out). No clipe, modelo look oitentista, moto cenográfica, paisagem virtual, vento fake e dodecaedros alucinógenos.

Black LipsNew Direction
Rock superbom, vídeo supertrash, clima superfun!
E eu tenho uma camiseta da Turquia igual a do batera!
kkkk!

Scion A/V Presents: Black Lips – New Direction from Scion A/V on Vimeo.


Galgos13 Steps to Hell
A banda de Porto Alegre aposta forte no rock cru, simples, direto e em alta voltagem. Como resultado, dá um tapão na sua orelha com a mesma intensidade que o trio conterrâneo Walverdes. Esta 13 Steps to Hell, do EP Let’s Roll, Let’s Light, pode até te fazer pensar que é o Mini no vocal. Mas não! É o baixista Rene. E ele disse que os Galgos focam esforços no proto-punk e no rock australiano dos anos 70 e 80, com traços de stoner rock. Mas admite: “se temos alguma influência é a ESTRADA e tudo o que ela representa pra gente”. Let’s Roll, Let’s Light, que você escuta no MySpace e baixa aqui tem quatro faixas coesas, com punch e culhões. Pancada manera mesmo! Boa abertura para quando Queens of the Stone Age passar por POA. E quando vai ser isso? Não sei. Mas podia ser tipo já. O show deles no Rock in Rio em 2001 foi foda.

Galgos – 13 steps to hell by galgos


KasabianSwitchblade Smiles
Sempre curti Kasabian, mas parece que a banda está melhor que nunca. O disco Velociraptor! sai dia 19 de setembro.

KASABIAN – SWITCHBLADE SMILES from AITOR THROUP STUDIO on Vimeo.


Feist#1
Este é o primeiro teaser de vários sobre o novo disco que vão entrar no www.listentofeist.com. Sai dia 25 de julho \o/

Arnaldo BaptistaTo burn or not to burn Remixes
Nem é novo, mas tá pegando essa compilação online da D.EDGE Records com 13 remixes da música To burn or not to burn, do Arnaldo Baptista (+ a versão original, produzida por John Ulhoa). Obrigatório escutar Glocal, Thomash, Bmind & Roger Brito, o supercult duo Tetine (que já teve dias melhores, mas ok….), I cio, e a sempre ótima visão do Magal sobre as coisas.

Arnaldo Baptista – petrified be tools [PROMO] by D.EDGE RECORDS



Africa HitechHow does it make you feel? (DVA’S HI:EMOTIONS REMIX)
wow.
Uptempo espacial, sensual, futurista.
Mark Pritchard e Steve Spacek encontraram a música eletrônica do amanhã.
How does it make me feel? Fucking good! and ya?


> Tracks #1
> Tracks #2
> Tracks #3
> Tracks #4
> Tracks #5
> Tracks #6
> Tracks #7

Divulgados valores para Television e Helmet no Brasil

24 de junho de 2011 0

Já foram divulgados os valores dos ingressos para os shows de Television e Helmet em Porto Alegre e São Paulo, no Beco, em julho. Você já leu sobre esses shows + Darwin Deez + Metronomy + Yelle aqui.

> Television: R$ 80,00 (primeiro lote) e R$ 100,00 (segundo lote) para os shows em ambas as cidades. As vendas começam em breve.

> Helmet: R$ 70,00 (primeiro lote) e R$ 90,00 (segundo lote) em Porto Alegre e R$ 80,00 (primeiro lote) e R$ 100,00 (segundo lote) em São Paulo.


Television em São Paulo

Quando: 07/07

Onde: Beco 203 (Rua Augusta, 609)

Ingressos: nas lojas Chilli Beans da Galeria Ouro Fino e Shopping Morumbi e em www.divirto.com.br


Television em Porto Alegre

Quando: 08/07

Onde: Beco 203 (Av. Independência, 936)

Ingressos: nas lojas Chilli Beans do Barra Shopping e Shopping Iguatemi e em www.divirto.com.br


Helmet em São Paulo

Quando: 28/07

Onde: Beco 203 (Rua Augusta, 609)

Ingressos: nas lojas Chilli Beans da Galeria Ouro Fino e Shopping Morumbi e em www.divirto.com.br


Helmet em Porto Alegre

Quando: 30/07

Onde: Beco 203 (Av. Independência, 936)

Ingressos: nas lojas Chilli Beans do Barra Shopping e Shopping Iguatemi e em www.divirto.com.br

Arctic Monkeys liberam novo clipe

15 de abril de 2011 1

O rock não precisa ser salvo, mas os caras do Arctic Monkeys fazem isso por nós mesmo assim em Don’t Sit Down ‘Cause I’ve Moved Your Chair. A faixa que estará no novo disco, Suck it and see, já estava rodando as interwebs há alguns dias, mas o clipe saiu só ontem.

Claro que “só ontem”, atualmente, já é quase o século passado. Mas o bicho tá pegando nessas minhas semanas pré-férias. O tempo é curto merrrrrmo!

E alguém aí sente cheiro de Oasis? Eu sinto, mas não importa. E, talvez até por isso, o Arctic Monkeys se encaminhe pra ser a grande banda de rock dos nossos dias. Claro que pra isso temos que fechar os olhos pro grande Arcade Fire. Mas se as duas bandas ocupassem sozinhas um único planetóide, cada uma delas estaria em um pólo diferente. Uma não derrubaria a outra…

Play it loud!



Suck it and see tem produção de James Ford, do Simian Mobile Disco. A lista de músicas é:


She’s thunderstorms

Black treacle

Brick by brick

The hellcat spangled shalalala

Don’t sit down ’cause I’ve moved your chair

Library pictures

All my own stunts

Reckless serenade

Piledriver waltz

Love is a laserquest

Suck it and see

That’s where you’re wrong

>>>>> Mais Arctic Monkeys


Porto Alegre volta ao passado no embalo dos sucessos do Roxette

13 de abril de 2011 33

Fotos: Ricardo Duarte

Quando os primeiros acordes de Dressed for Success foram disparados do palco do Pepsi on Stage, por volta das 21h40min desta terça, dia 12, o público experimentou uma sensação de viagem no tempo. Era como se Porto Alegre tivesse sido jogada para o começo dos anos 1990, quando as músicas de uma banda sueca estouraram nas rádios brasileiras, enquanto na pista uma multidão enlouquecida de adultos voltava à adolescência para curtir uma última reunião dançante de uma era marcada pelo som do Roxette.

>>>>> Veja a galeria de fotos

O “yeah yeah yeah” de Marie Fredriksson foi a deixa para a transformação. Ainda que acompanhada por um breve momento de estranheza. Marie já não se move como antes, já não solta agudos como antes. Mas a vocalista, que sobreviveu à retirada de um tumor do cérebro em 2002, supera qualquer obstáculo imposto pela doença e esbanja simpatia durante as quase duas horas de apresentação.

O guitarrista e compositor Per Gessle toma a frente ao final da segunda música, Sleeping In My Car, para disparar um “obrigado” ao emocionado público. Aos 52 anos, posando de garotão, ele é o fiel escudeiro de Marie e cuida dela no palco para que tudo saia bem. A fórmula é fácil: ele agita, canta e toca bem, troca sorrisos com a parceira e com a platéia, distribui palhetas, e dá espaço para que os demais companheiros de banda façam parte do show. Ela canta com sua voz doce, seu sorriso sincero e sua dança esforçada. Aliás, Marie cativa tanto que em alguns momentos, quando se tem uma ligeira sensação de playback, todos relevam. Ela é maior que tudo.

Às 21h54min, com todos aquecidos após The Big L, surge o primeiro hit lento: Wish I Could Fly. Era o convite para casais e amigos, após delírio geral, deixarem o palco em segundo plano para uma rápida dança com rosto colado, cena repetida com Perfect Day (tocada após Only When I Dream e She’s Got Nothing On) e depois em outras baladas. Em seguida, sem bateria e teclado, saiu Things Will Never Be The Same. E, então, mais um clássico: It Must Have Been Love.

As duas músicas tocadas a seguir, Opportunity Nox e 7Twenty7, foram para agitar o público, que fez tremer o local. Foi quando os demais integrantes da banda ganharam espaço, mostrando que não estavam lá só para fazer figuração da dupla principal.

Mas era hora de voltar ao passado de novo e a escolhida foi Fading Like a Flower (Every Time You Leave), música que Marie terminou com uma rosa em mãos. Em seguida, Stars preparou o terreno para outros dois grandes sucessos: How Do You Do! e Dangerous. E após breve pausa para apresentar a banda – tempo em que o guitarrista solo levantou a plateia com a execução do hino do Rio Grande do Sul –, a primeira parte do show terminou com Joyride.

Mas foi muito rápido. Um minuto depois eles já estavam de volta, mas com funções trocadas: tecladista assumiu o violão, vocalista apareceu nos teclados. Tudo para desempenhar Watercolours In The Rain. Depois, com cada um na sua novamente, foi a vez de outro hino (agora, um sueco): Spending My Time, entoado em peso pela massa. E The Look fechou o primeiro bis.

As últimas três músicas foram Way Out, o sucesso Listen To Your Heart e a acústica Church of Your Heart, que teve Gessle na harmônica.

Às 23h26min, acabava a viagem no tempo aos embalos do Roxette.

– Foi o melhor show da minha vida – resumiu Marcos Franz, 32 anos, que saiu de Chapecó às 13h e encarou seis horas de estrada com o amigo Rafael da Luz para ver o show na capital gaúcha.

Obras de arte de Sid Vicious vão a leilão

08 de abril de 2011 0

Um livro com pinturas e desenhos assinados por Sid Vicious quando ele tinha entre 15 e 16 anos irá a leilão na próxima segunda-feira, em Londres. A obra editada pelo biógrafo Alan Parker exibe peças que não remetem ao imaginário punk.

As imagens são marcadas por um certo lirismo cru, como a que representa uma flor amarela, ou pelo surrealismo, como a de uma cabeça sobre pernas gigantes andando em um deserto. Outra exibe uma forma indefinida cercada por fungos, aranhas e cogumelos.

Além do livro, o Daily Mail publicou que também serão leiloados o último contrato assinado por Vicious, uma lista de canções que ele curtia (como Wild World, de Jimmy Cliff, Ride a White Swan, de T-Rex, e It’s Wonderful to be Loved by You, de Jimmy Ruffin), e uma corrente que ele costumava usar.

As obras pertencem ao acervo da mãe de Vicious, Ann Beverly, que morreu em 1996. O livro poderá atingir um lance de 4 mil libras (cerca de R$ 10,4 mil). O contrato pode ser leiloado por 3,5 mil libras (cerca de R$ 9 mil). As peças irão à venda na casas de leilões The Fame Bureau.

Sid Vicious ingressou nos Sex Pistols após a gravação do álbum Never Mind The Bollocks Here’s the Sex Pistols, em substituição ao baixista Glen Matlock. O ícone punk teria assassinado sua namorada, Nancy Spungen, com uma facada em 1978. Ele morreu de overdose de heroína um ano depois.

>>>>> Mais Sid Vicious

>>>>> Mais Sex Pistols

Trilha sonora de Sucker Punch é matadora

24 de março de 2011 0

A trilha sonora do filme Sucker Punch, de Zack Snyder, é nada menos do que extraordinária. Conferi o longa ontem na cabine de imprensa que rolou em Porto Alegre e meu queixo caiu já nas primeiras cenas. Parte das músicas escolhidas giram em torno de temas como os sonhos e a mente humana.

A primeira música, que rola durante a sequência inicial do filme, é uma versão doce de Sweet Dreams (Are Made Of This), do Eurythmics, interpretada por Emily Browning, a atriz que interpreta Baby Doll. Ficou linda e extremamente simbólica. É como um resumo sonoro da obra de Snyder no começo da película.

Depois, Where Is My Mind?, de Black Francis, do essencial álbum Surfer Rosa, do Pixies, reforça a confusão mental e o desespero da protagonista após a morte da mãe e a descoberta de que seu padrasto quer ficar com a herança da família.

Completam as cenas de abertura do filme o hino Asleep, dos Smiths Johnny Marr e Morrissey, e Army of Me, de Björk. Já a clássica White Rabbit, de Grace Slick, famosa na versão de Jefferson Airplane, ilustra uma batalha apocalíptica em uma Paris destruída durante a I Guerra Mundial na voz de Emiliana Torrini.

Também foi surpreendente a inclusão do mash-up I Want It All/We Will Rock You, de Queen/Brian May assinado por Marius De Vries e Tyler Bates, os responsáveis pela trilha do filme. A faixa tem inserções do rapper Armageddon.

Completam a trilha Search And Destroy, de Iggy Pop e James Williamson, Love Is The Drug, de Bryan Ferry e Andrew Mackay (interpretada pelos atores Oscar Isaac, o Blue, e Carla Gugino, a Dra. Vera Gorski) e Requiem In D Minor, de Mozart.

Sobre o filme? Um pouco confuso no início, mas bem alinhavado ao final. Um grande longa de ação sobre sanidade mental e mundos surreais (tão diversos quanto um Japão feudal, uma Paris sitiada, um castelo medieval e uma base espacial em alguma lua de Saturno), lotado de imagens absurdamente bem acabadas, de altíssima tecnologia, com cenas de lutas em slow motion no melhor estilo 300 e Watchmen (também assinados por Snyder) e com alto grau sensual. Entretenimento classe A não baseado em games, mas que pode ser melhor entendido por quem transita nesta mídia.

Sucker Punch estreia dia 25 de março nos cinemas.

RESULTADO PROMO U2 3D

23 de março de 2011 0

O resultado da promoção do filme U2 3D já está online. Confira os vencedores aqui.

E também já saiu a relação de salas de cinema que vão exibir o filme no Rio Grande do Sul.


Porto Alegre

CINESYSTEM SHOPPING JOÃO PESSOA

Porto Alegre

CINESYSTEM SHOPPING TOTAL PORTO ALEGRE

Porto Alegre

GNC IGUATEMI

Porto Alegre

UNIBANCO ARTEPLEX P. ALEGRE

Caxias do Sul

GNC IGUATEMI CAXIAS

São Leopoldo

CINESYSTEM BOURBON SHOPPING

Novo Hamburgo

NOVO HAMBURGO CIRCUITO CINE ARTE

>>>>> Saiba mais sobre U2 3D aqui

>>>>> Mais U2

Calendário de shows atualizado

18 de março de 2011 2

O calendário de shows indicados pelo Volume em 2011 foi atualizado com Pata de Elefante, The Byrds Celebration, Selton, Steel Pulse, Flu e os Parceiros, Damn Laser Vampires, Thunderbird and the Flaming Birds, Maria do Relento, Cartolas, Arnaldos + Tributo a Velvet Underground, Vitor Ramil + Bebeto Alves na festa de 47 anos do Auditório Araújo Vianna e com a mostra de arte Objeto: SOM.

Além desses, já estavam na lista a Noite Senhor F com Apanhador Só + INI + Os Vespas, Wander Wildner, o Festival El Mapa de Todos, Raimundos, Anti-Flag, Ozzy Osbourne, Robin Gibb, Roxette, 3OH!3, Sublime with Rome e Black Label Society.

Caribou já trabalha em novo álbum

02 de março de 2011 0

Dan Snaith já está trabalhando no novo álbum do projeto Caribou, um dos prediletos do Volume. Em entrevista à BBC 6 Music, o músico canadense disse que não pretende fazer um disco semelhante ao excelente Swim, mas garantiu que se manterá nos limites da eletrônica contemporânea aliando isso a ideias e sonoridades das mais diferentes áreas. Para ele, as coisas mais interessantes da música atual estão sendo desenvolvidas nesse âmbito. O novo material deverá ser lançado daqui a um ano e meio.

Ouça a entrevista para a BBC:

Clipe de Odessa:

>>>>> Mais Caribou