Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de janeiro 2010

A FELICIDADE

30 de janeiro de 2010 0

A felicidade se faz através das pequenas coisas do dia-a-dia.

Num sorriso lindo da neta ao nos enxergar.

CAMINHANDO

Nos bracinhos estendidos pedindo para vir no nosso colo. Nas gargalhadas que ela dá brincando com a gente. Na felicidade que demonstra andando de bicicleta na carona do pai e da mãe.ANA LAURA DE BICICLETA

Na interação gostosa na hora de dar a comida.

HORA DO LANCHE

Nos laços que se estreitam a sua volta. Melhora o relacionamento entre todos na família.

Num mundo em que colocam tantas expectativas sobre nossos ombros, é hora de voltar a compreender o significado das coisas tão simples, mas tão plenamente satisfatórias que acontecem entre nós, como os laços de amor entre os familiares, entre os amigos…

Tanta coisa boa acontece ainda conosco, apesar das enchentes, dos desmoronamentos, dos terremotos…

É hora de se encantar com a vida novamente, de descobrir maneiras novas e melhores de curtir essas pequenas coisas que podem mudar a nossa qualidade de vida. Na maioria das vezes, elas passam despercebidas, engolidas pelas preocupações e ansiedades que vão se acumulando dia-a-dia.

Pare! Assuma o comando de sua vida novamente!

Permita-se ser feliz! Você merece! Diga isso para você mesma!

Eu mereço ser feliz!

Quando estiver convencida, poderá então olhar o mundo com novos olhos: os olhos da esperança e da ternura.

NÃO FICAR INDIFERENTE

23 de janeiro de 2010 1

 

Impossível ficar indiferente a tantas tragédias acontecendo a nossa volta? É um dos perigos dos meios de comunicação modernos: cristalizar a mente e o coração através da repetição massiva de tragédias. É até um mecanismo de defesa psicológico: alienar-se, porque não conseguimos agüentar uma carga tão pesada de dores e preocupações. Tudo acaba virando lugar comum,porque nos acostumamos a ver tanto sofrimento por toda parte.

Mas duzentas mil pessoas nunca serão um lugar comum! Tantas vidas ceifadas tão cedo. Qual seria o seu futuro, qual a sua contribuição para o nosso mundo?

Lembro de um comentário contra o aborto que dizia que talvez a pessoa que iria descobrir a cura do câncer ou de outros males da humanidade poderia ter sido uma daquelas abortadas.

Quem sabe quanto bem essas crianças e jovens poderiam fazer em suas vidas?

Como avó, vivo a expectativa do futuro de meus netos: como serão no futuro? Que profissão escolherão? Vão casar ou ficar solteiros? Continuarão morando aqui ou irão para outro país?

Nosso sonho é que sejam pessoas que façam a diferença, que sejam humanitários, que contribuam para que haja mais vida e vida em plenitude.

Coloco-me no lugar dessas avós e desses pais que, de repente, veem suas expectativas e sonhos destruídos assim tragicamente. É muito dolorido. A dor é insuportável! Como é difícil de aceitar, de compreender, de seguir em frente!

Por que? –  é a pergunta que fica no coração. Mas não conseguimos dar respostas a todos os porquês que surgem dos fatos da vida. Racionalmente, não encontramos os porquês.

Por isso, continuo fazendo a oração:

Senhor, dá-me a coragem de fazer o que deve ser feito e a sabedoria para aceitar em paz aquilo que não pode ser mudado.

Aceitar em paz que existem coisas que fogem ao nosso controle e que não podemos fazer nada para mudá-las.

Mas podemos escolher como reagir: enfrentar a situação, fazer tudo o que puder para ajudar nas consequências, não perder o otimismo.

É assim que somos luz, levando a esperança lá onde há pessimismo. Sendo a mão amiga para quem perdeu tudo.

É preciso que nos perguntemos com seriedade: o que podemos fazer diante de toda esta tragédia? É possível ficar indiferente a tudo isso?

a tentação de viver do passado

16 de janeiro de 2010 0

Chega-se a uma certa idade e começa-se a ficar muito saudosista.

Tudo nos traz lembranças do passado.

Quando os filhos eram pequenos. Quando começamos a trabalhar. Quando casamos. A primeira bicicleta do filho. O balanço das crianças. A piscina de plástico das férias no pátio da casa da praia…

Quantas lembranças, quantas emoções revividas. Talvez porque os netos nos façam reviver tudo isto.

Vejo pelo exemplo da minha neta que começa a caminhar e vai fazer um ano. Tudo que ela faz me lembra a mãe dela na mesma idade e os meus outros filhos.

Ao mesmo tempo somos drasticamente colocados dentro da realidade com as notícias do Haiti e da morte da presidente da Pastoral da Criança. Que exemplo de vida! Que inspiração! Ao lado de tanta destruição e tristeza.

Não dá para ficar pensando apenas no que passou. É preciso continuar firme no presente, inspirados em D. Zilda, buscando fazer a diferença, procurando contribuir do melhor jeito que sabemos para melhorar o mundo a nossa volta.

Quantas pessoas começaram a fazer diferença já na terceira idade e deixaram uma grande contribuição para o mundo.

Vovós, nada de aposentadoria da vida! Ela continua nos chamando a viver plenamente!

Ouçamos seu chamado!

UM ANO NOVINHO EM FOLHA

07 de janeiro de 2010 0

Começamos este ano novinho em folha!

Um ano com muitos dias para construir. Todos a nossa disposição para fazermos deles o que quisermos!

Vamos nos dar ao trabalho de construir coisas novas…

Ou vamos deixar nosso comodismo e preguiça ou medo nos dominar e não permitir que corramos o risco de inovar, buscar novas soluções para velhos problemas.

Escolhas. São sempre escolhas que temos a nossa frente. Você, eu, todos nós, podemos sempre escolher como reagir diante de cada situação que enfrentamos.

É preciso dar-se conta disto.

Eu escolho me deixar oprimir ou reagir.

Eu escolho agir como vítima ou enfrentar positivamente o problema.

Eu escolho a atitude a tomar.

Eu escolho o bem ou o mal.

Eu escolho o amor ou o egoísmo.

Eu escolho a doação, o dar-se ou o tirar, recolher, explorar.

Eu escolho os tipos de relacionamento que terei.

Eu escolho que tipo de vó, mãe, sogra, tia, irmã  vou ser.

Bem…

Deste jeito posso afirmar que,

EU ESCOLHO QUE TIPO DE ANO NOVO VOU TER!

E serei eu mesma que vou colher os frutos destas escolhas todas.

Que em 2010 saibamos fazer as escolhas certas para que os frutos sejam muito bons!

O CANSAÇO DAS FESTAS

02 de janeiro de 2010 1

Festas, mais festas, e festas!

Todas as vovós sabem que trabalheira dão estas festas!

Como é bom ter a família reunida, os amigos ao redor… Mas que cansaço!!!

Agora precisamos de uma semana para descansar das festas!

Praia, sol, mar, uma boa leitura…

Mas também a netinha que agora só quer caminhar, mas não faz isso sozinha! Que exige atenção todo o tempo e dá um baile na vovó, dindas, tias, mamãe e papai.

Relacionar-se é comprometer-se, envolver-se, assumir o preço que a companhia nos cobra. Isto significa abrir mão do egoísmo, da preguiça, do individualismo. Significa disponiblidade, abertura, abrir mão das comodidades pessoais…

Ao mesmo tempo, o comodismo, o individualismo nos cobra um preço muito maior: a solidão.

Então, cansaço acompanhado ou resultado de estar rodeado de amigos e familiares é muito melhor do que o descanso solitário e vazio.

Estou muito cansada! Isto significa que estive rodeada de amigos e familiares nestas festas! Tudo de bom!

Que neste ano possa ter muitos cansaços positivos assim!