Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 31 janeiro 2008

Pico na direita

31 de janeiro de 2008 31

Anderson Pico: destro, mas bom lateral-esquerdo/Fernando Gomes, Banco de Dados - 20/01/2008
O torcenauta Vinícius Pereira é apenas mais um entre dezenas que expuseram a seguinte proposta:


%22Olá Wianey,

Gostaria de saber a sua opinião sobre o seguinte: quando Hidalgo e Bruno Telles estiverem à disposição, não seria uma alternativa testar Anderson Pico na lateral-direita? O garoto, como todos sabem, é destro. Paulo Sérgio, por incrível que pareça, me faz ter saudades de Patrício, e Felipe ainda não está pronto para assumir a vaga.

Acho que é uma tentativa válida, principalmente agora, nesse %22laboratório%22 que é o Gauchão… O que você acha?%22


Olha, Vinícius, concordo com a avaliação que fazes sobre Paulo Sérgio, embora o rapaz mereça mais oportunidades para mostrar se consegue render mais do que está produzindo. Acho que não.

Quanto ao Anderson Pico, que joga na esquerda mas o pé direito é o seu preferido, já tivemos muitos casos de ótimos laterais-esquerdos que eram destros. Júnior, um dos melhores que o Brasil já produziu, era um caso.

Anderson Pico poderia, sim, ser testado na direita. Causa-me certa perplexidade que esta experiência nunca tenha sido feita. Ou aconteceu, não ficamos sabendo e o resultado não foi positivo. Penso que seria necessário, apenas, algum tempo de adaptação.

Ele já está habituado a chegar na zona de cruzamento, girar o corpo e, reequilibrado, colocar a bola na área adversária com o pé direito. Não se deve esquecer, entretanto, que o garoto possui um chute poderoso de média e longa distâncias e o arremate fica facilitado porque, quando ele faz a diagonal, a bola já está no seu pé direito.

Se estivesse na lateral-direita, teria que entrar para o meio, abrir um pouco a jogada para arrematar com o pé direito. Resumindo: na esquerda ele tem melhores condições de conclusão a gol e mais dificuldades para o cruzamento. Na direita, o cruzamento seria favorecido e o arremate, prejudicado.

A questão aberta para discussão é: um lateral com a força de Anderson Pico e com capacidade de finalização, qualificada pela violência e direção do chute, deve ficar limitado a fazer cruzamentos ou será melhor utilizado no lado em que o seu arremate seja favorecido?

Eu, se fosse treinador, favoreceria esta virtude e trataria de ensiná-lo a cruzar com o pé esquerdo. Mas, se o objetivo for qualificar a lateral-direita e abrir espaço, na esquerda, para Hidalgo e Bruno Telles, a discussão é outra. O que pensam os torcenautas gremistas:

ANDERSON PICO DEVE FICAR NA ESQUERDA OU SER EXPERIMENTADO NA DIREITA?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Frase de Jean

31 de janeiro de 2008 17

Adriana Franciosi
O novo zagueiro do Grêmio desembarcou no Olímpico e, com uma frase, se apresentou:
— Zagueiro que não é expulso não é zagueiro — disse Jean.

Certa vez, um zagueiro brasileiro, acho que o nome era Moisés, fez a seguinte declaração:
— Zagueiro que se preze não ganha Belfort Duarte (troféu que era oferecido ao jogador mais disciplinado da competição).

Existem fartos exemplos de zagueiros que se destacaram por serem verdadeiros xerifes nas suas equipes. Figueroa (Inter) e Oberdan (Grêmio) foram casos notáveis.

Entretanto, também se destacaram zagueiros que eram ótimos, desarmavam o adversário com facilidade e quase não cometiam faltas. Gamarra e Mauro Galvão são bons exemplos.

Existe um conceito futebolístico segundo o qual uma boa dupla de zagueiros deve ser com dois policiais parceiros: um bonzinho e o outro malvado. Na defesa do Grêmio, só existem bonzinhos.

Talvez esteja faltando, sim, um patrão de área. Será o Jean?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Desinteresse

31 de janeiro de 2008 12

O Grêmio já recebeu as propostas de duas empresas interessadas em construir uma arena para o clube: Odebrecht e o consórcio português TBZ-OAS.

Uma delas deseja levantar o novo estádio no lugar onde está o Olímpico. Esta proposta deverá ser rejeitada pelo Conselho Deliberativo, por duas razões: seria arriscado derrubar o Olímpico e ficar sem estádio próprio durante vários anos. E se a construtora, por exemplo, quebra durante a construção? Abre falência? Além disso, esta proposição exige a desapropriação de uma rua marginal ao Olímpico.

A Prefeitura Municipal teria muita dificuldade para aprovar a privatização de um bem público. Resta Humaitá, como local para a construção da arena. O CD deliberativo vai decidir mas, desde já, chama a atenção a aparente alienação do órgão.

Dos seus 313 membros, apenas 80 conselheiros tiveram interesse em analisar o projeto. É possível, até provável, que o período de férias seja responsável por esta atitude. Imagina-se que nas próximas semanas — o Conselho Deliberativo apreciará as propostas entre 11 e 20 de fevereiro — a maioria dos conselheiros terá analisado os dois projetos.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Péssimas largadas

31 de janeiro de 2008 3

Guarani e 15 de Novembro abriram a quarta rodada repetindo as derrotas dos três jogos iniciais de cada um.

Como são poucas partidas para classificar quatro times em cada grupo de oito, a prioridade de Guarani e 15 de Novembro já deve ser a de lutar para driblar o rebaixamento.

A situação de ambos complicou.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Esquentando

31 de janeiro de 2008 12

Rochemback: a um passo do Grêmio!/Banco de Dados ZH
Cada dia surgem novidades que favorecem a expectativa de Fábio Rochemback vir para o Grêmio. O negócio poderá acontecer a qualquer momento, nas próximas horas. Soube-se, esta manhã, que o jogador conseguiu convencer o treinador do Middlesbrough a liberá-lo. Era o primeiro empecilho, já que o gaúcho é considerado o melhor jogador da equipe.

Está faltando, apenas, a liberação do clube, o que poderá ser resolvido com a prorrogação do contrato de Rochemback por mais dois anos. Mas, por que o jogador quer, tanto, jogar no Brasil, em Porto Alegre, no Grêmio?

Por dois motivos fundamentais: proximidade com Dunga e a Seleção Brasileira e, sempre razão forte para quem está no Exterior, retorno ao convívio de parentes e amigos. Não são motivações poucas, pelo contrário.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Falso dilema

31 de janeiro de 2008 12

Por que Abel Braga não faz do Gauchão a oportunidade de preparar a equipe para os confrontos difíceis das demais competições? /Daniel Marenco, Banco de Dados - 29/01/2008
Abel Braga estaria indeciso entre as várias possibilidades disponíveis para escalar o Inter, sem Magrão e Nilmar. É nestas ocasiões que alguns treinadores se atrapalham e prejudicam o rendimento coletivo dos seus times.

Tudo seria mais simples e os resultados melhores se, cada vez que um titular não pudesse jogar, fosse substituído por outro da posição e com características semelhantes. Quanto assim é feito, a equipe sofre menos com a descontinuidade e a produção coletiva compensa a diferença técnica entre o titular e o seu suplente.

A pior decisão sempre é o desmonte tático. Exemplo: para o lugar de um volante é escalado um atacante, como aconteceu quando Guiñazu se machucou e Iarley o substituiu. Muda toda a estrutura do time.

No caso do Inter, basta lembrar quais foram as suas melhores apresentações, ultimamente. A partir desta escolha, fixar o modelo tático e fazer substituições previsíveis. Se Magrão não pode jogar, que entra alguém da sua posição. Se Nilmar saiu, seja buscado um atacante de características parecidas.

O diabo, no caso do Inter, é que Abel Braga tem irresistível inclinação por escalar Fernandão no meio-campo com Iarley e mais um, no ataque. Para disputar jogos do Gauchão, tudo bem. Mas, quando for Copa do Brasil, Brasileirão, Libertadores ou Sul-Americana, a tendência é sempre de fracasso.

Por fim, uma pergunta: por que Abel Braga não faz do Gauchão a oportunidade de preparar a equipe para os confrontos difíceis das demais competições? Entrosar o time pela sua repetição, tirando o seu máximo rendimento coletivo?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Mais algumas horas

31 de janeiro de 2008 8

Dentro de algumas horas se saberá se a dupla Gre-Nal conservará todos os seus titulares até a metade do ano. Paulo Odone, presidente do Grêmio, garante que o Grêmio não recebeu, ainda, uma oferta oficial por Maylson mas confirma ter ouvido do empresário Jorge Machado que existem clubes espanhóis dispostos a pagar, até, três milhões de euros pelo %22passe%22 do garoto.

Também o zagueiro Leo já entrou na mira dos clubes estrangeiros. O próprio Grêmio prevê possibilidades de negociar este jogador na janela de agosto.

No Beira-Rio, o presidente Vitório Piffero terminou a terça-feira garantindo que recebeu vários propostas por jogadores colorados mas nenhuma delas sensibilizou o clube. Isto é, foram menores do que o desejado.

Dificilmente algum negócio será fechado, hoje, porque o tempo é escasso. Mas, é tudo questão de preço, condições e oportunidade.

A novidade, neste início de temporada, é que a dupla Gre-Nal não está cedendo diante da primeira proposta. Já é um avanço. Como é impossível reter todos os jogadores, que os ricos estrangeiros gastem o máximo possível para levá-los. Cocem o bolso, portanto.

Postado por Wianey

Bookmark and Share