Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Penas abusivas

14 de fevereiro de 2008 12

Orozco foi expulso no jogo contra o Veranópolis/Jefferson Bernardes, Vipcomm
O atual Código Brasileiro de Justiça Desportiva é, primorosamente, draconiano. Prevê punições absurdas que contrariam os mais elementares princípios e direitos do trabalho. Exemplo atual: Orozco, expulso na partida contra o Veranópolis, foi denunciado no STJD e enquadrado no artigo 253 do código, cuja pena varia entre 120 e 540 dias de suspensão. A punição mínima, quatro meses, já caracteriza um inaceitável exagero. A máxima então, é tão descabida que jamais foi aplicada e, desconfio, nunca a aplicarão.

Não tem tribunal insensível e cruel o suficiente para impedir que um profissional trabalhe durante um ano e meio porque deu um tapa em um adversário. Conter a violência e a deslealdade é preciso e possível sem que seja necessário recorrer a castigos medievais. Dois meses de suspensão já é uma pena terrível para o infrator e o seu clube. Imaginem agora, 18 meses sem trabalhar. Ou, quatro meses, caso da punição mínima.

O CBJD foi concebido por um punhado de pessoas lideradas pelo senhor Luiz Zveiter, antigo presidente do STJD, sem nenhuma relação com a realidade do futebol.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Comentários (12)

  • Ednei Rodrigues diz: 14 de fevereiro de 2008

    Wianey…o Mancini demitiu-se…MEUU DEUSSSS!!! Como isso pode acontecer??

  • Daniel Krug diz: 15 de fevereiro de 2008

    Vem cá, um tapa não é agressão? Se não for coibido com rigor, descamba para a violência. É só lembrar o que o jogador Darzoni fez há alguns anos. Tudo deve ter começado com um tapa. Eu acho que para esse tipo de violência tem que ter rigor sim, chega de violência dentro e fora dos gramados.
    Bateu, agora assume as consequências.

  • silvio jaime fernandes diz: 14 de fevereiro de 2008

    Wianey, desde quando este tal “zveiter” é gente de bem?…O nome dele nem deveria ser mais pronunciado, por que é simplesmente pornográfico. “remember 2005″. Não é só o Código Desportivo que tem que ser revisto neste País…
    Na hora do pega prá capar, cade os dirigentes de clubes para mudarem os rumos dos acontecimentos?…Todos se escondem. Vai fundo nesta matéria Wianey.

  • Elcio Guzzo diz: 14 de fevereiro de 2008

    Esses tribunais, só pensam em punir os atletas, com essas penas absurdas. Depois mudam de idéia e revogam as punições. Mas e os árbitros?? que prejudicam os clubes e de forma direta estes mesmos profissionais que são obrigados a aceitar dentro do campo decisões altamente absurdas. Principalmente os árbitros gaúchos que sistematicamente prejudicam os clubes do interior, e depois se protegem no meio dos brigadianos para sair do campo.Estes não são punidos?

  • luis sveiter diz: 15 de fevereiro de 2008

    tão chorando ainda o ano de 2005. por favor aprendam a conviver com a derrota…

  • Leandro diz: 14 de fevereiro de 2008

    Discordo. Acho que as penas são até muito leves. Exemplo? Em qualquer outro esporte, atleta flagrado em doping, pega 2 anos. No futebol pega 120 dias e ainda reduzem 50%… As penas têm que ser pesadas sim! E sem redução! Só assim pra os jogadores entenderem que precisam cuidar o que fazem…

  • laert pereira de lima diz: 14 de fevereiro de 2008

    O tratamento dispensado aos jogadores pelo STJD e aos assuntos do futebol é completamente rídiculo. Lembram-se da relatora corintiana que acusou o Grêmio de time violento? E tal voadora “assassina” do Eduardo Costa que quase “matou” o Clayton? Tudo palhaçada. E o Valdívia, que apronta em todas as partidas? Recebeu apenas 5 jogos, mesmo tendo agredido um jogador. Aquele “povo” do STJD quer ser mais real que o rei…E o Flamengo, que foi perdoado, porque tem a maior torcida do Brasil? STJD?

  • EDUARDO diz: 15 de fevereiro de 2008

    Querer aumentar a pena como prega equivocadamente o Cézar Augusto é como achar que aumentar o valor das multas vai resolver o problema dos acidentes. O que resolve a é a formação e a prevenção. Prevenção como, colocando árbitros capazes e não omissos e políticos como Carlos Simon e outros que se escondem atrás dos jogadores nas horas dos lances capitais e deixam para as câmaras e os tribunais fazerem o trabalho que na verdade deveria ser deles dentro de campo. São um bando de incompetentes.

  • Giovanni Caprio diz: 14 de fevereiro de 2008

    Concordo plenamente. As penas aos jogadores deveriam ser meidas em jogos.

    “Fulano ficará mais 4 jogos sem atuar“

    120 dias é um tempo muito longo, não só no futebol, mas em qualquer esporte ou emprego.

  • claimar cerutti diz: 14 de fevereiro de 2008

    Wianey,

    Pra variar você certo.

  • César Augusto Hoerlle diz: 14 de fevereiro de 2008

    Acho que ainda é pouco. Quem sabe uns 730 dias. Talvez pare a violência em campo.

  • Alencar Verona diz: 15 de fevereiro de 2008

    Prezado Wianey. Por quê a voz da imprensa, especialmente a de Porto Alegre, se levanta quando é com jogador da dupla porto-nal?
    Quando da punição de Alex Alves (injusta, pois o mesmo foi vitima de falsificação de complemento alimentar – o laboratório confirmou a falsidade – ninguém (com excessão da imprensa caxiense – bradou ou escreveu que era muito pesada…aliás, foi o ÚNICO jogador a cumprir integralmente a punição.
    E ainda critacam a imprensa carioca epaulista de serem bairrista.

Envie seu Comentário