Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Freios curtos

28 de fevereiro de 2008 10

Ricardo Duarte, Banco de Dados
A chamada área técnica foi instituída para propiciar aos treinadores de futebol contato mais próximo com os seus times. Segundo o espírito do que gerou a sua criação, os treinadores poderiam se aproximar do gramado, passar orientações e voltar para a casamata — ou reservado onde ficam os jogadores reservas.

No Brasil, entretanto, não demorou para que a concessão fosse alargada por conta dos próprios treinadores. Nenhuma novidade. Temos inequívoca vocação para a transgressão. Assim, os profissionais transformaram a área técnica em espaço privativo, onde permaneciam o tempo inteiro.

E, como a maioria dos treinadores não se satisfaz em apenas orientar as suas equipes, a proximidade com o campo passou a ser utilizada, também, para pressionar os árbitros-auxiliares e a própria arbitragem. Faz tempo que os técnicos bagunçaram o coreto, sem qualquer constrangimento. A CBF, omissa, fazia de conta que nada estava acontecendo.

Com o passar do tempo, os abusos dos treinadores passaram a ser intoleráveis a ponto de, finalmente, a entidade nacional assumir o seu papel e baixar uma nova ordem: daqui para frente, os treinadores poderão ir até a beira da área técnica, passar as orientações que desejarem, retornando em seguida para o banco de reservas. Encurtaram os freios.

Presume-se que, a partir dos próximos jogos, os árbitros já comecem a aplicar as novas determinações. Tomara.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Comentários (10)

  • silvio jaime fernandes diz: 28 de fevereiro de 2008

    Wianey:…Nada vai mudar.Os treinadores continuarão a desrepeitar as normas. Eles jogam os juizes contra a torcida e queiram ou não o juiz sente a pressão,principalmente
    com o time da casa.Na realidade são exibisionistas que adoram se ver na TV,com gestos mirabolantes que nem o jogador entende.Neste quesito o Luxemburgo é o REI, seguido pelo Leão e todos os outros.

  • Nicolas diz: 29 de fevereiro de 2008

    O que precisa mudar é a invasão de repórteres e jornalistas no inicio/meio/fim do jogo, e às vezes, durante também. Existe coletiva de imprensa pra que? Ridículo o jogo acabar e o gramado lotar de jornalistas…

  • Tiago_Brasília diz: 29 de fevereiro de 2008

    WIANEY.PARA COMEÇAR, TERIA QUE ORGANIZAR O FUTEBOL MAIS BAGUNÇADO DO PAÍS, O DO RIO DE JANEIRO. CADA VEZ QUE OCORRE ALGUMA COISA EM CAMPO NO RIO, REPORTES, JOGADORES RESERVAS, GANDULAS, TREINADORES, ETC., ENTRAM EM CAMPO. É UMA PIADA!!! TEM QUE PROIBIR ISTO DE UMA VEZ!!! REVEJA O JOGO ENTRE BOTAFOGO E FLAMENGO. O CAMPO VIROU UM PALCO DE SHOWZINHO DAQUILO QUE ELES CHAMAM DE CAMPEONATO ORGANIZADO. POR FAVOR, AS PUNIÇÕES PARA ISTO TAMBÉM DEVERIAM SER GRAVES!!!

  • Paulo Fernandes diz: 28 de fevereiro de 2008

    Temos que perguntar aos juízes, pois são eles que devem fiscalizar as normas reguladas.Acontece que eles se limitam a relatar em sumula, muitas vezes mal redigidas, sendo ineficazes em julgamentos, absolvendo, nos tribunais, vários transgressores. Só não concordo com a frase: “Temos inequívoca vocação para a transgressão.” Não tenho vocação a trnsgressão. Abçs.

  • borracho diz: 28 de fevereiro de 2008

    boma o baita lateral jancarlos do atletico pr ta liberado do clube poderia vir para o gremio joga mais que o ps

  • Vinicius Peraça diz: 28 de fevereiro de 2008

    Essas orientações nunca pegam. Servem apenas para que os árbitros mostrem autoridade durante algumas rodadas. Daqui a pouco tudo volta a ser como era e imprensa, arbitragem e CBF esquecem ou fazem de conta que esqueceram disso tudo.

  • Elio Lagemann Junior diz: 28 de fevereiro de 2008

    Querido Wianey, vc é meu idolo, gosto de ler e ouvir seus comentários, porem neste assunto vou divergir de vc, sem querer ser petulante, mais acredito que o Basquete e o Volei estão na frente neste assunto, os técnicos alem de ficar vibrando, torcendo e chingando os jogadores e ate os juizes, ver o Bernadinho atuando, ele entra na quadra, e ainda tem os pedidos de tempo, pois é uma maneira de corrigir e buscar o norte no jogo, penso que o futebol poderia evoluir neste sentido.

  • Rubens Borges diz: 29 de fevereiro de 2008

    E já que falaram em Basquete e Futebol Americano. Se os treinadores exageram na reclamação, são penalisados. Falta técnica no basquete e em 10 jardas na futebol americano…

  • Pedro Ferrugem Kaiser diz: 28 de fevereiro de 2008

    Realmente não há como aturar mais a choradeira e reclamação dos treinadores em relação à arbitragem no Brasil. Espero sempre a coletiva do treinador ao final das partidas. Quando ouço que o foco será a arbitragem eu já desligo o rádio. Não dá mais. Tomara mesmo que se cumpra a determinação da CBF. É preciso que haja uma reformulação da conduta de treinadores e dirigentes no nosso país. Assim como está não dá mais. Vivemos um retrocesso. Mas, como disseste: tomara!

  • Cleiton dos Santos diz: 29 de fevereiro de 2008

    Wianey, o problema todo está nessa regra ridicula. Na NFL (futebol americano), que é o campeonato esportivo mais organizado do mundo, os técnicos ficam de pé na beira do campo, durante todo o jogo. Se eles não concordam com alguma posição dos arbitros, eles pedem um desafio (challenge), e os arbitros recorrem as cameras. Pena que isso não vai acontecer no futebol, já que os “tios” da FIFA…

Envie seu Comentário