Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 5 maio 2008

Volta Jardel

05 de maio de 2008 105

Paulo Franken, Banco de Dados
Parece que, neste momento, grande parte da torcida gremista está envolvida em duas campanhas: sai Roth e volta Jardel.

São pensamentos que beiram a ilusão mágica de que, isto feito, começarão a desaparecer os problemas do futebol. É compreensível, pois nada pode ferir mais do que o consórcio entre a frustração da derrota e a falta de esperança.

Jardel representa um passado glorioso do Grêmio. Tem 34 anos e recém está saindo de um período em que a sua vida foi presidida pelo consumo de cocaína. Jardel reitera amor ao Grêmio e pede uma chance para voltar.

Por maior que seja o meu ceticismo quanto às possibilidades de Jardel vir a ser um acréscimo no time do Grêmio, acho que a sugestão de Cacalo, ex-presidente do clube, poderia ser adotada: o clube ofereceria ao jogador condições para que treinasse e se tratasse, sem firmar contrato.

Segundo informou a mais recente edição do programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, Jardel aceita essas condições.

Poderia estabelecer um período probatório de, digamos, seis meses. Se o atacante demonstrasse condições de ser utilizado profissionalmente, poderia ser contratado. Seria uma volta em duas fases: a primeira, por obra de um sentimento humanitário e, depois, por interesse profissional. Quem sabe?

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Futuro vermelho

05 de maio de 2008 80

Nova geração na torcida: rumo aos 100 mil sócios/Mauro Vieira
O Inter projeta chegar ao seu próximo aniversário, em abril de 2009, contando com 100 mil colorados associados ao clube. Na verdade, este número poderá ser atingido antes do centenário.

Com a conquista do Gauchão, a lista de sócios chegará a 80 mil, sem muitas dificuldades. E, se conseguir o título da Copa do Brasil, garantindo participação na próxima Libertadores, os desejados 100 mil sócios chegarão seis meses antes da grande festa do centenário.

Mas as melhores conseqüências virão um pouco mais tarde. São as vitórias que forjam novas gerações de torcedores. Foi assim com o Grêmio, nos últimos 20 anos do século passado, e assim está sendo com o Inter, nestes primeiros anos do novo século. Dentro de poucos anos — três ou quatro — as pesquisas mostrarão o crescimento do universo colorado.

O futuro é vermelho.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Fora Roth!

05 de maio de 2008 161

Torcida quer ver Roth pelas costas/Jefferosn Botega, Banco de Dados - 06/04/2008
Era inevitável, estava previsto. A torcida gremista não poupará vaias e todas as formas possíveis de pressão enquanto Celso Roth for o treinador. Foi a opinião deste blog logo após a eliminação na Copa do Brasil e de lá para cá apenas se acentuaram as justificativas.

Celso Roth está longe de merecer tanta rejeição. Porém, por melhores que possam vir a ser os resultados, temo que jamais ouvirá aplausos das arquibancadas.

O treinador que o substituirá – não tenho dúvida alguma de que a saída de Roth é uma mera questão de tempo – precisará de muito mais tempo do que está tendo o atual treinador, para alcançar melhores resultados. E nem sei se serão tão bons que possam levar o Grêmio a uma boa campanha nas competições que ainda restam.

Sem algumas contratações, o destino do Grêmio será brigar por posições intermediárias. Mas, a torcida gremista não transige, está inflexível. Celso Roth tem que sair.

Os dirigentes do Grêmio sabem que sem torcida é impossível chegar a qualquer lugar. Os prejuízos financeiros, que são expressivos, serão ainda maiores e aumentarão enquanto o Grêmio não substituir o treinador.

Roth se equivoca quando entende que a opinião pública desfavorável é conduzida pela imprensa. Não é. Toda a vez que tento fazer qualquer defesa do treinador, a caixa de e-mails explode de mensagens irritadas. Na minha opinião, Celso Roth é um treinador que está na média dos treinadores brasileiros. Mas, não tem ambiente algum para seguir no Olímpico.

Será vaiado se escalar 4, 3, 2, 1 ou nenhum volante.

É cruel, mas a torcida gremista sonha em vê-lo pelas costas. E quanto mais demorar a sua demissão, pior será para o Grêmio.

É a realidade.

Postado por Wianey

Bookmark and Share

Dois treinadores

05 de maio de 2008 54

 Se tivesse nascido no Beira-Rio, Fernandão não seria tão colorado/Ricardo Duarte
Fernandão ainda jogava no Goiás e já era objeto do desejo colorado. Na caderneta de Fernando Carvalho, recheada de nomes e informações sobre jogadores, o de Fernandão sempre esteve no topo. Porém, faltava dinheiro para contratá-lo.

Fernandão foi para a Europa mas não saiu dos planos de Carvalho. E quando surgiu a possibilidade de repatriá-lo, aquele que foi o maior presidente da história do Inter não vacilou: ofereceu de bandeja para a torcida colorada aquele que viria a ser o mais importante jogador da história do clube.

Fernandão não é craque, dificilmente sai de campo escolhido destaque do jogo e, muitas vezes, até joga menos do que poderia. Mesmo assim, ele é fundamental pela liderança positiva que exerce, sua correta leitura de jogo e cabeceio mortífero.

Quando parar de jogar, se quiser, Fernandão será dirigente do Inter ou seu treinador. Aliás, esta é a vantagem que só o Inter desfruta: tem dois treinadores, um no campo e outro no reservado. Fernandão e o Inter estiveram casados desde sempre. Só faltava a conjunção carnal que Fernando Carvalho propiciou.

Se tivesse nascido no Beira-Rio, Fernandão não seria tão colorado. Um ídolo de verdade em um país de poucos ídolos.

Postado por Wianey

Bookmark and Share